sábado, 23 de fevereiro de 2013

HIDROGINÁSTICA SERVE COMO TERAPIA E TRATA PROBLEMAS DE SAÚDE



Modalidade fortalece os músculos, protege as articulações e queima muitas calorias
Dificuldades de coordenação também podem ser trabalhadas nas aulas, que inclui o uso de acessórios como bóias do tipo espaguete, pesinhos e até bolas. Em clima de brincadeira, habilidades motoras são estimuladas e favorecem mais independência na rotina. Uma recomendação bastante comum da atividade acontece entre pacientes com labirintite. “Os médicos recomendam porque, caso aconteça um episódio de vertigem ou perda de equilíbrio, o risco de um machucado dentro da água é reduzido”, afirma o professor.
E se engana quem pensa na hidroginástica como uma atividade física levinha, que faz pouca diferença na perda de peso. Muito pelo contrário, uma hora de aula em ritmo moderado consome cerca de 500 calorias. Acertou quem pensou nela para emagrecer. “Aulas de hidroginástica são muito recomendadas como parte do tratamento de obesidade, quando o paciente precisa fazer exercícios, mas o excesso de peso limita o esforço que as articulações podem fazer”, afirma o professor de natação e hidroginástica, Mirco Cervales.
Outra indicação comum inclui paciente com osteoporose diagnósticada. A doença, causada por deficiência de cálcio nos ossos, tem como consequência um risco maior de fraturas. “Treinando na água, caso haja algum desequilíbrio, há o amortecimento natural para o corpo. Isso sem contar que o próprio exercício ajuda no fortalecimento dos ossos”, explica o professor Jean Carlo.
Movimentos mais fáceis
De acordo com Mirco Cervales, as articulações não são beneficiadas apenas em caso de lesões. Além de amortecer o impacto dos movimentos, a água melhora a amplitude deles. Isso traz a melhora da flexibilidade no geral, vantagem especialmente percebida no caso das pessoas com algum problema de coluna que limita ou dificulta a mobilização de um membro em específico. “Quem já sofre com algum problema de coluna deve procurar um médico antes de começar os exercícios, mas a orientação adequada garante que o desconforto diminua”, afirma o professor.
Para aumentar o atrito com o solo da piscina e diminuir o risco de escorregões, sapatilhas especiais com solado antiderrapante devem ser usadas durante a aula. Isso dá mais segurança para o aluno durante a aula e permite melhor rendimento.

Fonte: Minha Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário