quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

COMO DEVE SER A ALIMENTAÇÃO PARA CORREDORES


O que comer antes e depois da corrida


Corpo não é carro, mas também só funciona quando está bem abastecido, ou seja, só vai para a frente se estiver alimentado da maneira adequada. Especialmente quem corre e faz um exercício bastante intenso precisa ter uma dieta equilibrada, que inclua carboidratos, gorduras, proteínas, fibras, vitaminas e minerais nas quantidades certas. Os carboidratos, presentes principalmente em grãos, tubérculos e farinhas, além de frutas e vegetais, são obrigatórios para quem treina, pois garantem energia imediata para o exercício.
A falta deles detona os estoques de glicogênio nos músculos, o que resulta em fadiga e má recuperação. Essas regras valem tanto para quem corre para perder peso como para quem está em busca de condicionamento físico. É claro que, conforme o objetivo, o cardápio merece algumas adaptações. Quanto às proteínas (encontradas em carnes, ovos, leite e derivados), o melhor é reservá-las para depois do treino ou prova, já que têm a função de recuperar os músculos desgastados pelo esforço. Além do mais, esses nutrientes são de digestão complexa, o que pode consumir muita água, deixando o corpo desidratado na hora de entrar na pista. Um menu para cada objetivo.

Adapte a sua alimentação de acordo com a finalidade do exercício

Quero emagrecer. Concentre a ingestão de carboidratos horas antes (e não depois) da corrida, para garantir pique e evitar perda de massa muscular. Opte por carboidratos de baixo índice glicêmico (maçã, pêra, macarrão ou pão integral), que provocam a sensação de saciedade.
Alguns especialistas garantem que tomar uma xícara de café sem açúcar meia hora antes é uma ótima maneira de potencializar a queima de gordura (a cafeína funciona como uma espécie de fat burner).
. Uma alternativa para depois da corrida são as fontes de proteína vegetal (soja, lentilha, castanhas e nozes), que fornecem as doses ideais de nutrientes para restaurar o corpo, possuem fibras que estimulam o funcionamento do intestino, saciam a fome por mais tempo e são pobres em gordura.


Quero melhorar o condicionamento. Em caso de corridas pesadas e com mais de uma hora de duração, vale incluir suplementação de carboidrato em gel a cada meia hora de atividade, para recuperar a energia e ir mais longe.
. Evite carboidratos de baixo índice glicêmico até 30 minutos antes do treino, pois eles liberam energia aos poucos e isso não vai adiantar nada. Aposte nos de alto índice glicêmico, que fornecem pique imediato, para começar a atividade com disposição total e absoluta, ajudando no seu desempenho.


Quero competir. Se correr de manhã, acorde pelo menos duas horas antes da largada e tome um café à base de pães, suco e frutas. “Se for à tarde, duas horas antes prefira arroz integral, salada com legumes cozidos e um filé de frango ou peixe, que são proteínas leves e com baixo teor de gordura. É bom evitar alimentos com muitas fibras, pois podem estimular o intestino.
. Quando a corrida durar mais de uma hora, a recomendação ingerir depois uma proteína associada a um carboidrato (pão com queijo e peito de peru ou iogurte batido com fruta), o que leva a uma reposição de glicogênio muscular mais eficiente.
. Procure não consumir alimentos que nunca tenha experimentado antes. Não dá para saber como o corpo vai reagir e você pode ter uma surpresa durante a competição, sentindo-se estufado ou nauseado.
Antes da corrida, evite proteínas e gorduras, presentes em carne, ovos, leite e derivados, que têm processo digestivo lento e podem atrapalhar o desempenho.


Hidratação na medida
Enquanto você corre, transpira, perde água e sais minerais, como sódio, potássio e magnésio, essenciais para o funcionamento do organismo. Para compensar essa perda, que varia de acordo com a temperatura ambiente e a duração da corrida, tem de caprichar nos líquidos. “Se o treino dura mais de uma hora, é bom substituir a água por uma bebida esportiva (150 mililitros a cada 20 minutos de atividade), que hidrata e repõe a perda de nutrientes”, avisa Cristiane Durante, nutricionista da Triathon Academia, em São Paulo. Além dos isotônicos vendidos no supermercado, água-de-coco e suco de laranja diluído em água também valem. Mas não espere sentir sede para beber. Tome até 500 mililitros de líquidos ao longo das duas horas que antecedem a largada, a fim de garantir uma reserva para os primeiros minutos. E beba cerca de 300 mililitros logo ao final da atividade, para repor o que perdeu com a transpiração.

Antes: garanta pique totalNas horas que antecedem um treino ou competição, prepare a sua reserva de nutrientes para que o organismo agüente bem o esforço que vem pela frente. A escolha deve recair em alimentos com carboidrato, como macarrão e pão integral, frutas e legumes. “Proteínas e gorduras, presentes em carnes, ovos, leite e derivados, têm processo digestivo lento, o que pode atrapalhar o desempenho durante o treino”, alerta Érica F. Zago. Mas não pense que o tamanho do prato é proporcional ao tempo ou intensidade do treinamento. “Você não tem que comer mais se vai correr por horas ou realizar um treino muito forte. Nesses casos, a reposição deve ser feita durante a atividade”, explica a nutricionista Alessandra Sarmento. Ou seja: se você vai correr menos de uma hora, numa intensidade não muito intensa, deve fazer uma refeição ou um lanche antes e não precisa repor energia durante o exercício, apenas se hidratar. Já quem vai enfrentar horas na pista ou realizar um treino pesado precisará fazer reposição de carboidrato ao longo da corrida – pode ser um punhado de frutas secas ou um gel de carboidrato, alternativa mais prática de consumir o nutriente no meio do percurso.

Três horas antes: no caso de a refeição ser um almoço, melhor que contenha carboidratos de baixo índice glicêmico, que são absorvidos lentamente pelo organismo e liberados aos poucos durante a corrida, evitando a queda da taxa de glicose
no sangue. Opção: um prato de macarrão integral com molho de tomate.
Uma hora antes: se não deu tempo para almoçar, vale fazer um lanche leve. Opções: sanduíche de pão integral com geléia e queijo magro ou duas torradas integrais e um copo de suco de laranja.

Quinze minutos antes: o melhor é comer um carboidrato de alto índice glicêmico, que fornece energia num piscar de olhos. Opções: um punhado de uva passa ou um copo de suco de melancia (fruta com alto índice glicêmico) ou até mesmo um gel de carboidrato, que deve ser consumido com bastante água, para facilitar a absorção do nutriente pelo organismo.

Depois: hora de recuperar
Nesse momento, é necessário repor a energia consumida e restaurar os músculos desgastados. Ou seja: dá-lhe carboidratos de alto índice glicêmico, que têm digestão rápida e se transformam em energia imediata, como pão e arroz branco, batata e mel. Você também precisa comer proteína, presente nas carnes, ovos, leite e derivados, além de alimentos antioxidantes, encontrados em folhas, vegetais, algumas sementes e castanhas, para evitar a proliferação de radicais livres na musculatura resultantes do esforço a que foi submetida.


Até 30 minutos depois: é quando o corpo está mais apto a absorver os nutrientes e repor o estoque de glicose dentro do músculo. Opções: uma banana com aveia e mel ou um sanduíche de pão branco com queijo e presunto magros e um copo de suco de fruta.

Até duas horas depois: deve-se fazer uma refeição completa e equilibrada, contendo todos os nutrientes essenciais. Opções: arroz branco com feijão e uma carne ou arroz branco com feijão, salada variada com sementes de linhaça e castanha-do-pará e uma carne.

Fonte: RS RUNNER


Programas de controle da dieta e calorias por telefone

Caros Blogueiros e pacientes,

O mundo virtual está indo muito rápido e temos que estar atentos o tempo todo!
Existem dois programas que ajudam muito a auxiliar na dieta que podem ver pelo computador ou celulares:

1) Fat secret - De graça!
   Você se cadastra no site, coloca seus dados, ele calcula quantas calorias deve ingerir por dia.
Você coloca todos os dias, os alimentos que consome, exercícios que pratica e o tempo , no final do dia ele te mostra se está dentro da dieta ou se está comendo a mais do que deveria.É muito interessante!
Você  pode pesquisar as calorias dos alimentos e muito mais! Entre no site e veja como funciona!

2) Conta cal - Pago mas  valor pequeno!
    Este programa ajuda na contagem de calorias. O primeiro é mais completo!

Aproveitem a dica e depois comentem o que acharam!

Patrícia Brigagão Mendes
Nutricionista

domingo, 27 de janeiro de 2013

Mais de 40 anos? Largue as desculpas e comece já uma atividade física

 

Idade é ideal para praticar esportes em busca de saúde


 
Você já deve ter escutado a frase "antes tarde do que nunca". O famoso dito popular se aplica a diversas situações, inclusive à vida saudável. Se você tem mais de 40 anos e pensa que é tarde para começar a se exercitar, ou, talvez, que seu corpo já está fraco para suportar a carga de exercícios, é hora de repensar o assunto.

O fisiologista Raul Santo de Oliveira, da Unifesp, esclarece que a saúde só tem a agradecer quando se começa a praticar um exercício físico, mesmo se você nunca praticou nada. Ele explica que, nessa fase da vida, é comum que exista perda de massa muscular e óssea, tanto para homens quanto para mulheres.

Para homens, elas acontecem por causa da redução dos níveis hormonais, em especial da testosterona e, para mulheres, isso é bem comum no climatério e na menopausa - fase onde os níveis de hormônios femininos são reduzidos no organismo da mulher, o que ocasiona uma série de mudanças, como perdas ósseas. Além dessas reduções, depois dos 40, a condição cardiorrespiratória costuma piorar.

Raul Santo acrescenta que, nessa fase, são comuns doenças oportunistas e crônico-degenerativas, como hipertensão, diabetes, mau colesterol (LDL) elevado e até mesmo osteoporose - que, ressalta ele, também é consequência de hábitos trazidos pela vida toda, desde a infância. O exercício físico contribuirá com a melhora desses e outros quadros.
Exercícios e a longevidade

Desempenho nos exercícios
Claro que essas perdas prejudicam o desempenho atlético, mas essa não deve ser uma preocupação. "Não há problema se houver perda de desempenho, porque o objetivo é o completo bem-estar físico, mental e social", diz o fisiologista.

Optar por uma vida ativa - com a orientação correta de um profissional - traz melhoria e fortalecimento de toda a aparelhagem cardiorrespiratória (o que inclui coração e pulmões), fortalecimento muscular, melhoria da coordenação motora, melhor flexibilidade e melhor controle de composição corporal, colesterol, glicemia e pressão arterial.

Robson de Bem, médico fisiatra da Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR), também lembra que a prática de exercícios físicos tem o poder de prevenir câncer e processos artrósicos. Além disso, há progressos em todos os fatores adjacentes, o que significa que estresse, depressão e ansiedade passarão bem longe, já que haverá melhora do humor e da interação social.

Exames necessários
Para começar a praticar uma atividade, é sempre importante procurar um profissional. "O indivíduo tem que ter uma condição de aptidão para realizar o exercício, então deve procurar um médico a princípio, independente do exercício", aconselha Raul Santo. 
Exercícios depois dos 40 anos
Esse médico realizará uma avaliação clínica, que declarará se você é apto ou não para o exercício escolhido. O clínico geral realizará testes, como glicemia, hemograma, níveis de colesterol etc. Caso seja detectada alguma doença, o clínico poderá encaminhá-lo a um médico especializado.

Depois dessa avaliação, é preciso fazer o chamado teste ergoespirométrico. Ele consiste em um exame realizado em laboratório - em esteira ou bicicleta ergométrica -, onde a carga do exercício será gradativamente aumentada. Aqui, serão observadas as reações fisiológicas de acordo com a intensidade da atividade, como frequência cardíaca, pressão arterial e consumo de oxigênio, até chegar no consumo máximo de oxigênio que esse indivíduo suportou. Santo explica que esse é o principal parâmetro na hora de definir qual o limite do treino da pessoa.

Aeróbico ou anaeróbico?
Depois de testar a sua aptidão, está na hora de se mexer. O aconselhado é uma combinação de exercícios aeróbicos e anaeróbicos, que deverão proporcionar prazer. Embora você tenha preferência por uma atividade específica, diz o fisiologista, não é aconselhável que se restrinja apenas a ela. Por exemplo: se a caminhada lhe agrada, você deve tê-la como modalidade principal, mas também agregar outras, alternando entre esportes aquáticos, coletivos, exercícios com peso etc.

A base dos exercícios, nessa fase da vida, deve ser aeróbica, já que pode ser que o corpo não aguente uma carga mais pesada. Mas como diferenciar uma atividade aeróbica de uma anaeróbica? Ao contrário do pregado pelo senso comum, uma caminhada, por exemplo, não é necessariamente aeróbica, assim como um exercício com pesos não tem obrigação de ser anaeróbico.

"O que determina não é a modalidade, mas a intensidade aplicada em relação à frequência cardíaca", esclarece o fisiologista Raul. Assim, uma caminhada leve é um exercício aeróbico - e utiliza o metabolismo aeróbio, ou seja, demanda oxigênio para obter energia -, já uma corrida intensa pode ser considerada anaeróbica - utilizando o metabolismo anaeróbio, processo que não pede oxigênio para a obtenção de energia para a realização do exercício. O ideal, então, é que não se busque apenas uma modalidade, e sim várias, para que sejam trabalhadas várias valências físicas.  

Aprenda o que comer antes e depois da atividade física

 

Se alimentar corretamente é fundamental para ter os efeitos desejados


Começamos bem! Primeiro, estamos fazendo ginástica e isso é muito bom. Segundo, sabemos que devemos comer alguma coisa antes e depois de terminar os exercícios, o que é melhor ainda.

A maior fonte de energia para o trabalho muscular durante o exercício físico é proveniente da glicose do fígado. Isso ocorre quando estamos fazendo nossa atividade física habitual ou quando um atleta de alta performance está em atividade. Essa utilização dos nossos estoques hepáticos de glicose determina perda de até 50% da reserva de glicose na primeira hora. A utilização dessa fonte de energia também ocorre normalmente durante as nossas atividades da vida diária, inclusive no repouso noturno, o que determina grande perda noturna da glicose do fígado e a necessidade de nos alimentarmos pela manhã antes da ginástica. Se o maior substrato para o exercício e para a manutenção da atividade cerebral é a glicose, nada mais óbvio do que utilizá-la antes da malhação. Isso poderá evitar os sintomas nada agradáveis da hipoglicemia baixa de glicose no sangue caracterizada por mal estar, sudorese fria, palidez cutânea, tremores, palpitações e o vexame de um desmaio durante os treinos. Muitas vezes, os sintomas são

mais sutis, como cansaço físico, baixo rendimento na ginástica e dores de cabeça.

Os aliados A melhor forma de ingerir glicose é aquela em que as inúmeras moléculas de glicose são ligadas entre si em uma longa cadeia, produzindo um carboidrato complexo ou amido na forma de pão. Isso mesmo! O pão é o melhor alimento para garantir nosso substrato de glicose quando vamos nos exercitar.

Não adianta comer uma banana e ir para a academia como muitas pessoas fazem. A diferença básica é de que no amido, as moléculas de glicose são liberadas para o sangue de maneira lenta e gradual, garantindo um suporte energético estável e contínuo, ao passo que os carboidratos das frutas são basicamente frutose e sacarose, que são carboidratos de liberação rápida.

Além disso, podemos ir um pouco além e fazer uma dieta balanceada, que nos garanta a ingestão de carboidratos em todas as refeições, inclusive naquela que antecede o dia da ginástica, garantindo, assim, estoques completos de glicose no fígado e um alto rendimento físico durante a ginástica.

A ingestão de carboidratos não atrapalha os planos de quem deseja perder peso. Uma dieta balanceada tem 50% de suas calorias na forma de carboidratos e para que ela induza a perda de peso, basta que seu total calórico seja menor do que o gasto calórico da pessoa em questão. Além disso, é importante entender que a perda de peso não ocorre somente enquanto nos exercitamos, uma vez que a prática regular de atividade física aumenta o nosso gasto calórico diário e não apenas enquanto nos exercitamos. Como nosso estoque de glicose é limitado, o organismo humano utiliza as gorduras como fonte de energia quando a pratica de atividade física tem duração superior a 30 minutos.

A utilização de gordura como energia evita que os estoques de glicose reduzam a valores muito baixos, prevenindo assim episódios de hipoglicemia. A gordura utilizada para gerar energia durante a atividade física é proveniente dos estoques corporais, na forma de triglicérides armazenado nas células gordurosas ou circulantes na corrente sanguínea.

A utilização de gordura e de glicose acontece de forma simultânea, porém a glicose é utilizada em menor proporção. Isso significa que para o organismo humano utilizar gordura durante exercício físico, nosso estoque de glicose deve estar adequado, e só conseguimos isso com alimentação balanceada.

Logo, quando praticamos uma atividade física simples, devemos fazer um lanche com duas ou três fatias de pão branço ou integral e laticínios magros como queijo branco frescal ou embutidos magros, como o presunto de peru ou a blanquette de peru.

À medida em que nossa atividade física vai ficando mais intensa, precisamos também de uma dieta mais elaborada e de uma suplementação de carboidratos, caso dos atletas que participam de corridas de longa distância e de maratonas.

Hidrate o corpo Além das medidas dietéticas, a hidratação antes e durante os exercícios físicos, proporciona a reposição da água perdida durante os mesmos, impedindo a desidratação e a perda eletrolítica. Nos casos simples, pode ser feita com água potável, podendo ainda se utilizar líquidos isotônicos, observando os cuidados na quantidade

calórica ingerida, calculando-se esse percentual na dieta do atleta. Quando a pessoa consegue se alimentar corretamente antes da ginástica e consegue ainda boa hidratação durante a realização dos exercícios, sua próxima refeição pode ser no horário habitual da dieta. Melhor ainda seria deixar uma ou duas porções de frutas para o final da ginástica. Além de hidratar, elas garantem suprimento de frutose, sacarose e eletrólitos que recompõem com propriedade as forças do guerreiro para a ginástica do dia que começa.

Fonte: Msn

Exercícios físicos: como escolher o melhor para o meu corpo?

 

O importante é combinar uma variedade de estilos e atividades


Encontrar um equilíbrio e disciplina na prática de alguma modalidade corporal ainda é obstáculo para muitas pessoas. Como qualquer outro seguimento, o mercado do Fitness ou do mundo da ginástica e dos esportes precisa, a todo o momento, lançar cada vez mais novidades.

Se você é uma pessoa que acompanha estas informações, já deve ter ouvido ou até praticado algumas modalidades que já nem mais se ouve, não é mesmo? Eu como sou da época da ginástica aeróbica, musculação e ginástica localizada, sei bem o que é isto! Sem contar com os Step, Power isto, Power aquilo e Body Jumping. Aí ressuscitaram Yoga e Pilates. Por quê? Porque as pessoas com mais experiência de vida já não se identificavam com as aulas com muito barulho e muito pula-pula. Ah! Já ia me esquecer do RPG que era uma febre e deixava todo mundo falando disso o tempo todo.

O fato é que constantemente sou abordada com a seguinte pergunta: O que você acha de tal atividade? E sempre digo: - Não existe atividade física que sozinha cumpre o papel essencial de estimular a funcionalidade natural de todos os sistemas do nosso corpo. Se você só pratica um tipo que não completa este sistema, você com certeza não está ativando adequadamente seu corpo. O profissional da saúde tem que alertar o aluno para a importância de ter os estímulos aeróbio, anaeróbio e alongamento.  

Estilos importantes

1. Aeróbio: Caminhada, corrida, dança (no mínimo 30 minutos s/ parar), natação, equipamentos cicloergômetros(bike, esteira,etc).
2.Anaeróbio: são exercícios resistidos(musculação, ginástica localizada, ginástica funcional e Pilates), ou seja exercícios que constroem músculo.
3. Alongamento: aula de alongamento normal,Lian Gong, Tai Chi e Yoga.  

Outra informação importante

Que profissional pode te ajudar na busca da melhor atividade para você? Profissionais de educação física, fisioterapeutas e médicos que entendem de fisiologia do exercício. Vejo que cada vez mais profissionais da saúde confundem as pessoas e ficam espalhando informações a respeito de práticas da moda sem muita propriedade. E ainda pior, têm muitos profissionais que nem praticam nada, por isso é importante ficar atento (a).


Fonte: Msn

sábado, 26 de janeiro de 2013

Saiba o que escolher em restaurantes sem prejudicar sua dieta!

O Carnaval está chegando e muitos tiram férias neste período. Seguem algumas dicas para ajudar nas escolhas de diferentes tipos de comida. 
·                                
·                                
Restaurante japonês: prefira a opção do shoyo light e não opte pelo rodízio – assim evita comer em excesso e também os preparados fritos.

Fast food: escolha a opção mais saudável, ou seja, aquela que contém mais vegetais e menos gordura. Se isso não for possível, evite. Simples assim.
Pizzaria: coma, no máximo, duas fatias, evitando as mais gordurosas (aquelas que contêm calabresa, lombinho e cheddar, por exemplo). As opções mais saudáveis são os sabores que levam hortaliças, como rúcula, escarola e vegetariana.
Cantina italiana: evite as massas recheadas e com molho branco. As opções mais saudáveis são com molho ao sugo ou com vegetais.
·                                  
Churrascaria: inicie com um prato de legumes e verduras e evite molhos gordurosos à base de maionese e queijos. A quantidade de carne deve ser controlada de acordo com o liberado na dieta. Escolha as carnes mais magras e evite a parte gordurosa, como a pele do frango e do peixe.

Restaurante por quilo: monte o prato sem exageros, de acordo com as quantidades que estão no cardápio da dieta. Não repita o prato e lembre-se de colocar porções de verduras e legumes sempre.
Dia de feijoada: faça um prato modesto, que contenha couve e laranjas. Evite as partes gordurosas, ou seja, as costelinhas e as linguiças.
Em todos os estabelecimentos: se beber, escolha suco natural e sem açúcar em vez de refrigerante. Evite as frituras e dispense o couvert e a sobremesa. É por uma boa causa!

Fonte: IG

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Alimentos Diet e Light





A  maioria  dos consumidores se confunde na hora de escolher alimentos com a definição diet ou light. Diferentes alimentos estão nas prateleiras, o que torna difícil a escolha. Segue abaixo as características desses produtos: 

Alimento Diet 

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA, o termo diet  pode ser utilizado nos seguintes produtos:
1.                               Alimentos para dietas com restrição de nutrientes, como por exemplo: carboidratos, gorduras, proteínas, sódio, glúten, entre outros.
2.                               Alimentos  para dietas com ingestão controlada de nutrientes  (para manutenção de  peso ou de controle de açúcares, entre outros). Estes alimentos não podem ter a adição de nutrientes. Assim, alimentos para ingestão controlada de açúcar não pode haver inclusão desse nutriente. Sendo permitida apenas a existência de açúcar natural do alimento.
Todos os produtos diet devem ter isenção de algum nutriente. Nem sempre o alimento diet apresenta menos calorias, por isso a importância de avaliar as informações nutricionais. 

Alimento Light

Os alimentos light devem ter redução mínima de 25%  em algum nutriente ou calorias, comparado ao alimento convencional. Para que ocorra a redução de calorias é necessário que haja a diminuição no teor de algum nutriente energético (carboidrato, gordura e proteína). Assim, a redução de um nutriente não energético, por exemplo, sódio (sal light) não interfere na quantidade de calorias do alimento. 

A real  diferença entre diet e light está na quantidade permitida de nutrientes.Enquanto que o diet  precisa ser isento 100%, o light deve apresentar uma diminuição mínima de 25% de nutrientes ou calorias. Outra diferença, é que o alimento light  não é, necessariamente, indicado para pessoas que apresentem algum tipo de  doença (diabetes, colesterol elevado,celíacos, fenilcetonúricos). Se, o alimento light apresentar eliminação de um determinado nutriente, por exemplo, açúcar (refrigerante light), poderá ser consumido por pessoas com diabetes.

Importante lembrar que esses produtos devem ser consumidos nas porções recomendadas. Geralmente as pessoas acreditam que podem  consumir  mais, por
ter menos calorias.

Ler os rótulos dos produtos light e diet  e compará-los com o alimento convencional será a melhor forma de verificar se eles atendem as suas necessidades. Portanto solicite ao seu nutricionista que o oriente a leitura de rótulos dos produtos e fique sempre atento na hora da compra, pois como estes podem ter maior custo, quando comparados com os convencionais, você poderá gastar mais por um produto, sem que haja necessidade de ser substituído.  

Fonte: SBD

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Aplicativos de Nutrição podem ser aliados no cuidado nutricional


A alimentação saudável é o ponto chave para o bom controle do diabetes em todas as fases da vida. O cuidado nutricional em Diabetes Mellitus deve focar metas individualizadas e realistas, onde o plano alimentar deve se basear nas necessidades nutricionais, estilo de vida, hábitos e práticas alimentares, considerando, a utilização de ferramentas que favoreçam a adesão a terapia prescrita, objetivando alcançar as modificações clínicas e metabólicas.

A avaliação e orientação prévia do profisssional Nutricionista especialista, aliada aos aplicativos de Nutrição disponíveis atualmente para celulares iphone, ipad e Android, são ferramentas que podem potencializar a continuidade do plano estabelecido, pois permitem :
•        Acessar  banco de dados contendo grupos de alimentos em uma tabela de equivalência nutricional que auxilia a substituição  de alimentos
•        Buscar  informações nutricionais especificas para a Contagem de Carboidratos
•        Registrar os alimentos consumidos  e  posterior consulta  dos dados
•        Simular as refeições antes do consumo para orientação das decisões
•        Incluir informações nutricionais de novos alimentos, fornecidos pelo nutricionista
•        Planejar  refeições com alertas para horários
•        Visualizar  evolução do seguimento do plano alimentar prescrito e  peso
•        Acompanhar o consumo por grupos de alimentos, apontando as tendências a desequilíbrio
•        Enviar dos registros  para avaliação do profissional durante a consulta de Nutrição

Recentemente a revista científica Archives of Internal Medicine, publicou um estudo  realizado com adultos obesos e  com sobrepeso que foram  acompanhados quinzenalmente  por nutricionistas, psicólogos e médicos, mostrando que aqueles que utilizaram esta tecnologia tiveram resultados melhores logo no início do experimento e  reduziram mais peso ao final de 12 meses.
No mundo atual,  este tem sido um recurso cada vez mais utilizado, muitos  desenvolvidos por profissionais da área da Nutrição e que beneficiam  milhares de pessoas. Acredito na tecnologia a favor da saúde e provavelmente o sucesso dos aplicativos de Nutrição se deve ao reforço e estímulo contínuo proporcionado pela ferramenta, seja  pela facilidade de poder levar consigo no dia a dia o plano prescrito pelo profissional, por facilitar a busca de alimentos, pelos alertas de horários, seja pelo estímulo da visualização dos  gráficos evolutivos e  permitir o envio do registro das informações ao profissional que podem ser trabalhados durante a consulta.
A princípio como tudo que é novo, pode haver alguma resistência por parte dos profissionais mas é importante ressaltar que a tecnologia não substitui a necessidade de contato direto com o profissional. Tem  sido evidênciado pela ciência que para o sucesso da terapia  nutricional, independente de qualquer que seja a necessidade, deve se basear no  equilíbrio  estabelecido a partir da adequada prescrição de macronutrientes e micronutrientes, de forma personalizada e se fundamentar nos objetivos do tratamento. Desta forma esta tecnologia, quando bem utilizada, pode estreitar a comunicação entre paciente e profissional e se tornar um aliado do tratamento. Seguem algumas sugestões de aplicativos para quem deseja iniciar a experiência: Dieta e Saúde, Avanutri , Nutrabem e Tecnonutri.

Fonte: SBD

Bebidas alcoólicas prejudicam ciclos do sono.


Um estudo britânico sugere que o consumo de bebidas alcoólicas antes de dormir pode prejudicar a noite de sono.
Segundo a pesquisa, do Centro do Sono de Londres, o álcool prejudica os ciclos do sono e, se consumido com frequência antes de dormir, pode até causar sérios problemas como apneia e insônia crônica .
Getty Images
Drinque: o ideal é não beber nas duas horas que antecedem o momento de dormir, sugerem pesquisadores
Por um lado, o consumo de álcool pode até encurtar o tempo necessário para o primeiro cochilo e também levar a um sono profundo, mas, por outro, pode anular o ciclo do sono que gera maior descanso, no qual ocorrem os sonhos.
Muitos defendem doses moderadas de bebidas e, em algumas clínicas e asilos, elas são servidas regularmente. No entanto, Irshaad Ebrahim, diretor-médico do Centro do Sono de Londres e um dos autores da última pesquisa, diz que é preciso cautela em relação a bebidas alcoólicas.
"Devemos tomar muito cuidado com a bebida alcoólica (consumida) regularmente. Um ou dois copos à noite podem ser bons no curto prazo, mas se você continua usando uma dose antes de dormir, poderá causar problemas", afirmou.
"Se você beber é melhor esperar uma hora e meia a duas horas antes de ir dormir, para passar o efeito do álcool."
A pesquisa foi publicada na revista especializada Alcoholism: Clinical & Experimental Research.
Menos repouso, mais ronco
A equipe de Ebrahim analisou cerca de cem estudos relativos ao consumo de álcool antes de dormir e então partiu para um exame mais detalhado de 20 pesquisas. A partir destas análises, eles descobriram que a bebida alcoólica altera o sono de três formas. Primeiro, acelera o início do sono. Em seguida, faz com que a pessoa caia em um sono profundo.
Estas duas mudanças, idênticas às observadas em pessoas que tomam remédios antidrepressivos, podem parecer boas e até explicam por que pessoas com insônia consomem bebida para poder dormir. Mas, a terceira e última mudança, a fragmentação dos padrões de sono na segunda metade da noite, é a prejudicial.
As bebidas alcoólicas reduzem o tempo passado no sono REM (em inglês, rapid eyes movement, ou movimento rápido dos olhos), a fase na qual os sonhos geralmente ocorrem. E, segundo Ebrahim, como consequência, as pessoas têm um sono menos repousante. Além disso, também pode causar o ronco.
Para Chris Idzikowski, diretor do Centro do Sono em Edimburgo, na Escócia, bebidas alcoólicas não são úteis para se conseguir uma noite mais tranquila."Com doses cada vez maiores, a bebida alcoólica suprime nossa respiração. Pode transformar pessoas que não roncam em pessoas que roncam e estas em pessoas com apneia, quando a respiração é interrompida", afirmou Ebrahim.
"O sono pode começar mais profundo, mas então é interrompido. Além disso, o sono mais profundo provavelmente vai levar ao ronco e piorar a respiração", afirmou.
Idzikowski também alerta para o fato de o álcool deixar a pessoa desidratada e fazer com que ela acorde para ir ao banheiro.
"Muita comida ou álcool, principalmente tarde da noite, antes de dormir, podem causar uma confusão com os padrões de sono", acrescentou.
Fonte: IG

    Pratos de Salmão


    salmão com alcaparras

     

    INGREDIENTES

    4.5
    1 salmão médio (depende quantas pessoas irão comer)
    ·                                 1 alcaparras meio vidro pequeno
    ·                                 1 laranja espremida
    ·                                 1 maizena para engrossar o suco da laranja
    ·                                 rendimento: 5 porções

    MODO DE PREPARO

    1.                              Coloque o salmão por 15 minutos no forno pré-aquecido com temperos de sua preferência, (cuidado para não exagerar pois irá ainda o molho de laranjas com alcaparras)
    2.                              Faça um creme não muito grosso com o suco da laranja e as alcaparras
    3.                              Coloque sobre o salmão e deixe por mais 20 minutos
    4.                              Está pronto

    Filé de salmão ao forno facílimo

    INGREDIENTES

    4.5
    Tempo de preparo50min
    ·                                 Rendimento2 porções
    ·                                  
    ·                                   500 g de filé de salmão
    ·                                 Azeitonas fatiadas sem caroço
    ·                                 Orégano
    ·                                 3 colheres de sopa de Molho de soja (shoyu)
    ·                                 Sal a gosto
    ·                                 Azeite a gosto
    ·                                 Limão
    ·                                 Papel alumínio
    ·                                 1/2 cebola fatiada

    MODO DE PREPARO

    1.                              Lave o salmão com suco de limão
    2.                              Aqueça o azeite e adicione a cebola fatiada, deixando no fogo até que fique transparente
    3.                              Reserve
    4.                              Cubra uma assadeira com papel alumínio de maneira que a sobra dê para forrar todo o peixe
    5.                              Sobre o papel alumínio na assadeira, coloque o peixe já temperado com sal, regue com azeite e shoyu
    6.                              Decore com fatias de azeitonas e um pouco de orégano
    7.                              Despeje a cebola por cima
    8.                              Embrulhe com o papel alumínio, de maneira que o líquido não derrame quando começar a esquentar
    9.                              Leve ao forno médio para assar por cerca de 30 minutos
    10.                         Sirva com legumes e salada verde

    Salmão ao champignon

     

    INGREDIENTES

    4.5
                   Tempo de preparo 1h 00min
    ·                                 Rendimento4 porções
    ·                                  
    ·                                 - 2 postas de salmão
    ·                                 - sal a gosto
    ·                                 - 3 dentes de alho picados e amassados
    ·                                 - pimenta do reino a gosto
    ·                                 - suco de 1 limão
    Molho:
    ·                                 - 1 colher de azeite extra virgem
    ·                                 - 1 vidro pequeno de cogumelos em fatias
    ·                                 - 1 xícara de creme de leite de soja
    ·                                 sal e pimenta do reino branca a gosto
    ·                                  

    MODO DE PREPARO

    1.                              Tempere as postas de salmão com alho, sal, limão e pimenta
    2.                              Deixe marinar por meia hora
    3.                              Grelhe as postas de salmão até dourarem
    4.                              Para o molho, , refogue os cogumelos no azeite
    5.                              Acrescente o creme de leite e deixe engrossar
    6.                              Tempere e coloque sobre o salmão grelhado

    Fonte: Tudo Gostoso