quarta-feira, 29 de agosto de 2012

M-Drol: O que é e como usar

M-Drol é o nome genérico para o Superdrol, um esteróide anabólico produzido sinteticamente.

Assim como todo esteróide anabólico, o M-drol, imita a ação da testosterona produzida no organismo humano, contribuindo para o aumento da síntese protéica, crescimento do músculo esquelético (ou músculo estriado) e osso e eritropoiese (produção de hemácias).
Musculos
É utilizado por muitos atletas com o objetivo de aumentar a capacidade de treinamento, resistência e desempenho, porém seu uso é considerado dopping.
Os efeitos adversos dos esteróides anabólicos estão, geralmente, associados com o seu uso exagerado, principalmente por longos períodos de tempo em doses excessivas.

M-Drol: como ele age no organismo?

Nos homens pode ocorrer redução da fertilidade, a diminuição dos testículos, impotência, e o estreitamento da uretra.
Nas mulheres podem provocar a masculinização (alguns efeitos são irreversíveis), como pelos corporais excessivos, calvície de padrão masculino, hipertrofia de clitóris, irregularidade ou ausência do ciclo menstrual, voz rouca e acne. Outros efeitos adversos incluem:
  • problemas cardiovasculares (infarto agudo do miocárdio e cardiopatias),
  • disfunção hepática (icterícia),
  • tumores no fígado (adenoma, carcinoma),
  • desordens psiquiátricas (aumento da agressividade, psicose, disforia, depressão),
  • acidente vascular cerebral e embolia pulmonar.
mulher definida

Como usar o M-Drol?

Segundo o fabricante, o ciclo do M-drol é o seguinte:
Ingere-se 1 cápsula ao dia de M-Drol nos primeiros 15 dias. Nos próximos 15 dias seguintes aumenta-se a dosagem para 2 cápsulas ao dia. Após esse período faz-se uma pausa de 6 semanas e repete novamente a dosagem inicial (1 capsulas nos primeiros 15 dias e 2 capsulas nos 15 dias posteriores).
A terapia pós-ciclo pode ser feita com o Tribulus Terrestris em uma dosagem de 1300 mg ao dia, por 1 mês.
musculacao homem
Alguns estudos referem que após a utilização de um esteróide anabólico os indivíduos observam ganho de peso na faixa de 5-7 kg em 10 semanas. Porém, o ganho de peso é muito individual e está relacionado a vários fatores como alimentação, suplementação, treino e descanso.

Antes de utilizar qualquer hormônio, procure um médico, pois este é o único profissional capaz de analisar suas individualidades e propor o melhor esteróide anabólico, dosagem, tempo de uso, ciclos, entre outros.


MUITO  CUIDADO COM ESTE PRODUTO.

fONTE: SÓ SUPLEMENTO

ANABOLIZANTES


10 Coisas que Você Precisa Saber Sobre Uso de Anabolizantes

O uso de anabolizantes vem se tornando, a cada dia, um hábito comum, principalmente pelas pessoas que praticam esportes, para aumentar a competitividade, ajudar na cura de lesões ou simplesmente por questões estéticas. Porém, o consumo excessivo desse tipo de produto é muito perigoso e pode causar danos irreparáveis ao corpo humano.

1. Os esteróides androgênicos anabólicos, mas conhecidos como anabolizantes, é um produto derivado principalmente da testosterona, hormônio responsável por muitas características que diferem homem e mulher. Eles atuam no crescimento celular e em tecidos do corpo, como o ósseo e o muscular.

2. O uso de anabolizantes gera efeitos colaterais, tanto em homens e mulheres, como: aumento de acnes, queda do cabelo, distúrbios da função do fígado, tumores no fígado, explosões de ira ou comportamento agressivo, paranóia, alucinações, psicoses, coágulos de sangue, retenção de líquido no organismo, aumento da pressão arterial e risco de adquirir doenças transmissíveis (AIDS, Hepatite).

3. No caso das mulheres, o uso de anabolizantes pode gerar características masculinas no corpo, como engrossamento da voz e surgimento de pêlos além do normal. Além disso, aumento do tamanho do clitóris, irregularidade ou interrupção das menstruações, diminuição dos seios e aumento de apetite.

4. Nos homens, o excesso de anabolizantes pode causar aparecimento de mamas, redução dos testículos, diminuição da contagem dos espermatozóides e calvície.

5. Em adolescentes, as consequências podem ser piores, como comprometimento do crescimento, maturação óssea acelerada, aumento da frequência e duração das ereções, desenvolvimento sexual precoce, hipervirilização, crescimento do falo (hipogonadismo ou megalofalia), aumentos dos pelos púbicos e do corpo, além do ligeiro crescimento de barba.

6. Esses hormônios podem ser usados clinicamente e, ocasionalmente, serem prescritos sob orientação médica para repor o hormônio deficiente em alguns homens e para ajudar pacientes aidéticos a recuperar peso. Nos casos de necessidade clínica, os pacientes são indicados a tomarem apenas doses mínimas para apenas regularizar sua disfunção.

7. O uso das injeções de anabolizantes esteróides pode levar ao risco de infecção pelo HIV e vírus da hepatite, se as agulhas forem compartilhadas. Esteróides Anabólicos obtidos sem uma prescrição não são confiáveis, pois podem conter outras substâncias, os frascos podem não ser estéreis e, além disso, é possível que nem esteróides contenham.

8. Usar anabolizantes, sem orientação médica, é proibido, além de ser de grande risco para a saúde. Entretanto, por aumentarem a massa muscular, estas drogas têm sido cada vez mais procuradas e utilizadas por alguns atletas para melhorar a performance física e por outras pessoas para obter uma melhor aparência muscular.

9. Um estudo de 2007 traçou o perfil do usuário de anabolizantes no mundo. De acordo com os dados, o usuário típico não é o adolescente ou o atleta, mas o homem de cerca de 30 anos, bem educado e com renda alta, segundo um estudo publicado hoje. Foram pesquisados 2.663 homens e mulheres de 81 países, indicando que o motivo principal para o uso desses compostos é o aumento da musculatura.

10. Muitos atletas consomem anabolizantes a fim de conseguirem uma melhora na performance dentro do esporte. Os anabolizantes, quando entram em contato com as células do tecido muscular, aumentam o tamanho dos músculos do corpo humano. Porém, isso é caracterizado Doping, e o esportista pode ser punido por isso, como já ocorreu em inúmeros casos. Dependendo da situação, o atleta pode ser banido do esporte.

Fonte: SBEM