domingo, 17 de junho de 2012

Anemia

Dieta certa para driblar a anemia




Anemia é a condição na qual ocorre queda da hemoglobina no sangue. A hemoglobina é a responsável pelo coloração avermelhada da pele e pelo carregamento do oxigênio aos tecidos, o que gera a energia para as atividades diárias. Muitas são as causas de anemia, ela pode ser congênita ou adquirida, mas a que nos interessa aqui é a anemia carencial, consequente a falta de ferro.


A anemia causada pela falta de ferro não é exclusividade das nossas crianças. A prevalência da doença em países em desenvolvimento, até os quatro anos de idade, ultrapassa os 50%. Durante a amamentação, o leite materno supre as necessidades desse nutriente. Até em países desenvolvidos a anemia apresenta níveis crescentes de prevalência, tornando-se um grave problema de saúde pública. No Brasil, estudos regionais com crianças de diferentes faixas etárias apontam variação de 28 a 68%.

A maior incidência de anemia ferropriva ocorre entre 9 e 12 meses de vida, época em que geralmente se faz a introdução da dieta da família e da mamadeira (na maioria das vezes leite de vaca integral). Muitas vezes essa fase de transição não é “bem aceita” pela criança, simplesmente porque é uma questão de aprendizado. E os pais, por inexperiência ou falta de orientação adequada, interpretam que o filho não gosta da nova dieta e deixam de insistir na oferta de alimentos saúdáveis justamente numa fase da vida em que eles são tão importantes.

Principalmente até 18 meses de vida ocorre rápido crescimento e desenvolvimento do organismo, o que requer uma demanda aumentada de ferro. Porém muitas vezes a ingestão é inadequada e ocorrem perdas gastrointestinais devido à alergia a proteína do leite de vaca, parasitoses intestinais, perdas diarreicas, refluxo gastro-esofágico, etc.

Sintomas e sinais da anemia

A anemia não é uma doença silenciosa. Os primeiros estágios da deficiência de ferro geralmente não apresentam sintomas, mas a anemia instalada vai sempre cursar com alterações clínicas como palidez, fadiga, fraqueza, sono excessivo, inapetência que são os principais sintomas.

O hábito de comer terra, sabão e até gelo também pode sinalizar a anemia ferropriva. Se não tratada, a doença se transforma numa bola de neve: a carência do nutriente leva à perda de apetite, sem comer, o sistema imunológico enfraquece, a criança vira alvo de infecções, perde rendimento escolar e pode ter complicações em seu desenvolvimento neuropsicomotor.

Tratamento: O ferro nos alimentos

A dieta rica em ferro é muito importante, mas na anemia já instalada, faz-se necessário suplementação com ferro oral na dose de 3-5mg/kg/dia, geralmente por um período de 3 meses. Para aprimorar essa assimilação, vale algumas dicas.

Antes de cozinhar, deixe o feijão de molho na água por uma hora, assim os fitatos são liberados e o ferro será melhor absorvido. Alojado na hemoglobina, pigmento do glóbulo vermelho, o ferro possui nobre missão: a de transportar oxigênio aos tecidos do organismo. Sua deficiência implica em palidez, fadiga, sono excessivo e inapetência.

O ferro de origem vegetal, ao contrário do de origem animal, para ser absorvido, sofre influência de fatores inibidores (fitatos, fibras,cafeína, sais de cálcio…) e facilitadores (vitamina C, frutose, citratos…).

As carnes, principalmente as vermelhas; as vísceras (figado de boi e de galinha); feijão (todos os tipos); gema de ovo; verduras e hortaliças (as verdes escuras são as que mais tem ferro: couve, brócolis, agrião, espinafre, rúcula, escarola…)

Agravamento do quadro

Quando a anemia não é tratada ou é inadequadamente tratada, vai se formando uma “bola de neve”: a anemia cursa com falta de apetite, sem apetite a criança não se alimenta bem e a anemia piora, ficando a criança cada vez mais fraca, sem querer brincar, com baixo rendimento escolar, com maior susceptibilidade à quadros infecciosos, com mais sono e mais pálida-amarela.

Dúvida recorrente

Muitos pais têm essa dúvida, mas anemia não vira leucemia. Leucemia é um câncer que acomete a fábrica do sangue e esta doente não trabalha bem, gerando alteração em todas as células do sangue, inclusive as vermelhas levando à anemia, que neste caso não é carencial.



Enviado por Dra. Fátima Fernandes

Fonte: Blog do Hospital de Sabará

Vitamina D, É preciso????



Vitamina D: precisamos suplementá-la?
Veja a quantidade de consumo recomendada pela Sociedade Francesa de Pediatria.

Hoje em dia a vitamina da moda é a D. Talvez você já tenha ouvido sobre os benefícios dessa vitamina, mas o que será que é tudo isso? Nos Estados Unidos há uma verdadeira febre sobre as vantagens dela, portanto, é interessante ver este artigo da Sociedade Francesa de Pediatria:

“O objetivo do presente artigo é de mostrar a posição da Comissão de Nutrição da Sociedade Francesa de Pediatria, ao resumir dados, recentemente publicados, sobre a vitamina D. Foi analisada a presença dela em bebês que mamam, crianças e adolescentes, ou seja, sobre o metabolismo, efeitos fisiológicos e exigências para cada faixa etária. Além disso, o estudo serviu para recomendações sobre suplementação, após uma análise criteriosa de elementos que serviram como prova.

A evidência científica indica que cálcio e vitamina D desempenham papéis importantes na saúde óssea. Mas o fato, limitado a estudos observacionais, no entanto, não mostra outros benefícios para a vitamina D. Uma investigação mais criteriosa deve continuar a ser feita, especialmente estudos interventivos.

Na ausência de qualquer baixo risco de deficiência de vitamina D, as recomendações são as seguintes:

1- Gestantes: uma dose única de 80.000 a 100.000 IU, no início do sétimo mês de gravidez;

2- Bebês que ainda mamam: 1000 1200IU/dia;

3- Crianças com menos de 18 meses de idade, que recebem o leite enriquecido com vitamina D: uma dose diária adicional de 600 a 800 IU;

4- Crianças com menos de 18 meses de idade, que não recebem leite enriquecido com vitamina D ou uma dose diária dela: de 1000 para 1200IU; pequenos com 18 meses a 5 anos de idade: 2 doses de 80.000 a 100.000 IU, durante todo o inverno;

5- Na presença de baixo risco de deficiência de vitamina D (pele escura, falta de exposição da pele à radiação solar, doença de pele, má absorção intestinal, colestase, insuficiência renal, síndrome nefrótica, drogas [rifampicina; tratamento antiepilético, fenobarbital, fenitoína], obesidade, dieta vegan), pode-se iniciar a suplementação de vitamina D no inverno em crianças de 5 a 10 anos de idade, bem como mantê-la a cada 3 meses durante o ano inteiro, em crianças de 1 a 10 anos e em adolescentes”.

Como se vê, ainda faltam evidências que torne a vitamina D numa panaceia para todos os males. Use-a conforme a orientação do seu pediatra, que pode variar muito de lugar para outro, afinal, moramos em um país tropical!

Por Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Blog do Hospital Sabará

Festa Junina Light e receitas deliciosas!



Junina light - Na programação do mês de junho, não podemos esquecer as festas juninas, mês que comemoramos os santos mais populares do Brasil. São festejados nas escolas, igrejas e clubes, tendo festas divertidas com quadrilha, música caipira, jogos, brincadeiras e muita comida saborosa.

Nas grandes cidades esse costume dos festejos e brincadeiras está quase extinta, ficando só a parte das comidas. Nessa época aparecem paçocas, pé de moleque, doces, como o de abóbora, arroz doce, pamonha, curau,canjica e as bebidas quentão, vinho quente. Tudo isso é muito calórico. Para você ter uma idéia no caso dos pratos a base de amendoim, só ele a cada 100g, possui 625 calorias.

Não há nada de errado degustar tudo isso, desde que seja com moderação. Temos aqui algumas sugestões para uma festa junina light. Para as receitas ficarem menos calóricas, quando temos que introduzir em algum prato, no caso o leite, devemos optar pelo desnatado, a manteiga pela margarina light, o açúcar pelos adoçantes que podem ir ao fogo.

Em vez de alimentos que contenham amendoim, de preferência aos de milho, escolhendo sempre o curau em vez da pamonha, mas se tiver vontade, consumir moderadamente, que dizer uma só e dançar muita quadrilha, ajuda no gasto calórico.

Receitas típicas das Festas juninas com menos calorias:

Pãozinho Salgado de Milho ( 175 calorias/100g)

Ingredientes:

- 2 ovos;
- margarina light 1 colher (sopa) equivale 15 mg;
- leite desnatado 1 xícara (chá) equivale (200ml);
- farinha de trigo 1 ½ xícara (chá) equivale (180g);
- fermento em pó 1 colher (sopa) equivale (10g);
- salsa picada 1 colher (sopa);
- cebolinha picada 1 colher (sopa);
- orégano 1 colher (sopa);
- sal 1 colher (chá);
- peito de peru defumado 100g em cubinhos;
- milho verde em lata, 1 xícara (chá) rasa escorrido equivale (150g);
- mussarela light 100 gramas em cubinhos.

Modo de preparo:

Em uma batedeira acrescente os ovos, a margarina, o leite e a farinha de trigo , bater até a massa ficar consistente. Coloque os outros ingredientes, mexa e coloque por último o fermento. Colocar em forminhas, asse em forno médio por 20 minutos dependendo do forno ou até dourar.

Bolo de Milho Verde

Ingredientes:

- milho verde 2 xícaras (chá), equivale (400g);
- açúcar 1 xícara (chá), equivale (200g);
- leite desnatado 2 xícaras de chá, equivale (400ml);
- farinha de trigo 4 colheres (sopa), equivale(80g);
- queijo minas ralado 4 colheres (sopa), equivale (40g);
- 4 ovos;
- margarina light 2 colheres (sopa) , equivale (30g);

- fermento em pó 1 colher (sopa), equivale (10g).

Preparo:

Os ingredientes deverão ir todos para o liquidificador, bater, e colocar numa forma enfarinhada, assando em forno moderado até que fique dourado.

Doce de Abóbora (60 calorias/100g)


Ingredientes:

-1 kg abóbora madura,descascada, cortada em cubinhos;
-5 cravos da índia;
-2 canelas em pau;
-3 xícaras (chá) água equivalente (600ml);
-1 xícara (chá) açúcar equivalente (200g);
-suco de limão – uma colher de chá.

Preparo (compota):

Em uma panela ou se você tiver um tacho de cobre, colacar a abóbora, a água, o suco de limão, o açúcar, os cravos e as canelas. Levando ao fogo até cozinhar a abóbora, sem desmanchá-la (40min). Espere esfriar e sirva gelado.

Preparo para doce de abóbora de cortar

Cozinhe a abóbora por 40 minutos ficando macia, retire do bata no liquidificador.coloque a mistura em uma panela, acrescente o açúcar e leve ao fogo novamente. Tampe a panela parcialmente, abaixe o fogo e deixe cozinhar, mexendo sempre até que o doce desgrude do fundo da panela. Uma opção se desejar antes que açucare, coloque umas 200g de coco ralado , misture bem e retire do fogo. Coloque o doce em uma forma untada e deixe que esfrie, após, corte em quadradinhos.

Curau (105 calorias/100g)

Ingredientes:

10 espigas médias de milho verde (3kg);
3 xícaras (chá) açúcar equivalente (600g);
2 litros de leite desnatado;
1 pitada de sal canela em pó a gosto.

Preparo:

Ralar as espinhas com ralado não muito fino, coloque a massa em um recipiente grande e acrescente 1 litro de leite. Coar a massa em um guardanapo limpo e apertando bem. Adicione o leite que restou, aos poucos; aperte a massa o máximo que puder. Caso o caldo coado estiver saindo bem amarelo, junte mais um pouco mais de leite e acabe de espremer. Numa panela grande, coloque o caldo obtido do milho e junte o açúcar e o sal. Misture bem e deixe cozinhar por 45 minutos, mexendo direto, até que o curau esteja cozido completamente ou com sinta um aroma de milho bem acentuado. Despeje em tigelinhas, polvilhe com canela em pó e sirva quente.

Pé-de-Moleque (110 calorias/50g)

Ingredientes:

- leite desnatado 3 xícaras (chá) equivalente (200ml);
- açúcar 1 xícara (chá);
- margarina light 1 colher (sopa) equivalente (15g);
- bicarbonato de sódio 1 colher (chá) equivalente (10g);
- amendoim 1 xícara (chá) equivalente (150g).

Modo de Preparo:

Coloque o leite, o açúcar, a manteiga e o bicarbonato de sódio em uma panela grande e leve ao fogo baixo deixando ferver por 1 hora e meia, mexendo direto, até formar uma calda grossa. Nesse meio tempo coloque o amendoim em uma forma e leve ao forno médio por 30 minutos, mexendo direto também, até que esteja torrado e a pele saia com facilidade. Para facilitar a retirada da pele do amendoim, despeje-o em um pano de prato e esfregue. Tirar a calda grossa de leite do fogo e bater bem. Quando começar a açucarar, acrescentar o amendoim, misturar e despejar em um mármore untado. Corte pedaços e antes de separá-los deixar esfriar.

Fonte: Mundo das tribos