domingo, 13 de maio de 2012

COMO FAZER MANTEIGA CLARIFICADA - GHEE OU GHI

Manteiga Clarificada

Ingredientes

•500g de manteiga de boa qualidade sem sal

Modo:

Coloque a manteiga numa panela alta de fundo grosso (triplo) em fogo baixo. A manteiga deve derreter lentamente. Deixe cozinhar por cerca de 5-10 minutos, o tempo irá variar de acordo com a quantidade de manteiga utilizada.

Tome cuidado para não queimar, caso perceba que o fogo está muito alto (mesmo estando no mais baixo) retire a panela do fogo, vá dosando o calor e a retirada.

Deverá aparecer na superfície uma camada de espuma, retire perto do final com uma colher ou escumadeira.

Então, coe este líquido transparente por uma penerei com gaze ou tecido fino. Armazene em recipiente com tampa e deixe na geladeira. A durabilidade é grande, mais de 2 meses, porém o produto absorve odores fortes, assim é o ideal é usar o quanto antes.

Fonte: Prato Fundo

Ghi - manteiga clarificada livre de colesterol

Ghi: O Líquido Dourado




O que é?
Ghi (ghee) ou manteiga clarificada vem sendo utilizada na Índia há milênios de anos tanto na culinária como nos tratamentos medicinais milenares.

O Ayurveda -medicina tradicional indiana - o considera uma Rasayana (ver Histórico), ou seja, um alimento que promove longevidade e rejuvenescimento.
Ghi (ghee) é tradicionalmente produzido ao aquecer manteiga fresca, sem sal e sem adição de nenhum produto químico e de boa qualidade até que ela se torne um líquido dourado e translúcido e com perfume característico. Durante esse processo, a lactose coagulada e outros sólidos do leite são removidos, podendo então ser consumido por pessoas que tenham intolerância à lactose.
Após a filtragem das impurezas, transforma-se em um óleo puríssimo. Graças a isso, o Ghi (ghee) suporta temperaturas superiores à da manteiga e de outros óleos sem criar toxinas.
Além de mais nutritivo, realça o sabor e aroma dos alimentos. O Ayurveda recomenda dourar rapidamente os temperos a serem utilizados na refeição no Ghi (ghee), graças a sua propriedade Anupana (ver Histórico).
Ghi (ghee) é um tônico fortalecedor e regenerador dos fluídos, aumentando sua mobilidade, exatamente o oposto da manteiga que provoca degeneração, acúmulo e problemas de circulação nas artérias.
Mesmo sendo uma gordura saudável, deve ser consumido com moderação. Como o Ghi (ghee) é mais saboroso que outros óleos, uma pequena quantidade é suficiente

Sabendo um pouco mais sobre as gorduras...

Processos de produção industrial moderna de alimentos adicionam excesso de gordura de baixa qualidade, como a gordura trans para ganhos de paladar e extensão da validade dos alimentos. Como conseqüência, existe a tendência de se rotular as gorduras como nocivas ao organismo. De fato a obesidade e o alto colesterol são dois graves problemas da nossa era, devido ao consumo dos alimentos industrializados.
Como conseqüência, para alimentar a paranóia pública com relação à gordura, indústrias alimentícias produzem cada vez mais produtos com baixo teor de gordura ou com 0% de gordura, os assim chamados “light”. Em nossa tentativa de permanecermos saudáveis, acabamos por não ingerir alguns tipos de gordura que nos beneficiam. Gorduras saudáveis são necessárias para a pele, nervos e células.
Nos últimos anos a medicina vem procurando pesquisar e classificar as diversas formas de gorduras para consumo humano. Embora existam casos em que a ingestão de gorduras deve ser mínima, por problemas de obesidade, há consenso geral quanto à necessidade de ingestão de gorduras para o pleno funcionamento do organismo.
As gorduras podem ser classificadas em duas categorias principais: saturadas e insaturadas. Gorduras saturadas podem ser divididas em ácidos graxos de cadeia longa e ácidos graxos de cadeia curta. Os de cadeia longa (maioria das gorduras animais) não são metabolizados totalmente pelo organismo e podem causar câncer e impurezas no sangue. Por outro lado, os de cadeia curta são metabolizados e assimilados liberando energia.
As gorduras insaturadas podem ser categorizadas em: monoinsaturada e poliinsaturada. As monoinsaturadas, como exemplo o óleo de oliva, são saudáveis, enquanto as poliinsaturadas não o são. Essa última oxida-se criando radicais livres prejudiciais às células do corpo. A maioria dos óleos vegetais como, por exemplo, o de girassol, milho e soja pertencem a essa categoria.
Além desses quatro tipos naturais de gordura, a tecnologia moderna acrescentou no mercado a gordura hidrogenada ou trans (margarina) contendo ácidos graxos transformados, os quais aumentam a produção de radicais livres e o colesterol LDL.

Então, onde fica o Ghi (ghee) nessa batalha entre as gorduras boas e ruins?

Ácidos graxos de cadeia curta são a grande maioria das gorduras saturadas do Ghi (ghee) que são facilmente digeríveis. Pesquisas indicam que o Ghi (ghee) contém 27% de ácidos graxos monoinsaturados e apenas de 4% a 5% de ácidos graxos poliinsaturados. Como nosso corpo precisa de ambos (saturados e insaturados), essa combinação é muito próxima do ideal. A taxa de absorção do Ghi (ghee) é de 96%, a mais alta de todos os óleos e gorduras.
Embora seja um subproduto da manteiga rico em ácidos graxos, pesquisas indicam que Ghi (ghee) não eleva os níveis de colesterol.

Fonte: GHI