sábado, 15 de dezembro de 2012

SARCOPENIA NO IDOSO


Sarcopenia , O QUE É?
É a perda degenerativa de massa e força nos músculos com o envelhecimento. Cerca de um terço da massa muscular perde-se com a idade avançada (cerca de 1% ao ano, a partir dos 65 anos de idade). Essa perda de massa reduz a força muscular. Devido ao aumento da expectativa de vida da população mundial e consequentemente da população idosa, a sarcopenia vem se tornando uma questão de saúde bastante relevante no mundo desenvolvido. O nível de sarcopenia pode ser prejudicial a ponto de impedir que uma pessoa idosa tenha uma vida independente, necessitando de assistência e cuidado constantes. A sarcopenia é um importante indicador de fragilidade nas pesquisas feitas com pessoas, ligada à redução do equilíbrio, perda de agilidade, quedas e fraturas. A perda da força muscular resulta em uma dificuldade da manutenção da estabilidade (equilíbrio) estático e/ou dinâmico, tornando a marcha cada vez mais incerta, o que pode resultar em quedas em geral. Eventos estes que outrora sem grande importância, podem causar grandes prejuízos a um sistema osteomuscular enfraquecido pela senescência, ocasionando no aumento dos índices de morbidez, imobilidade e mortalidade desta população. Idosos geralmente caem enquanto realizam atividades normais do dia a dia.
Este fenômeno pode ser comparado à osteoporose, que também é uma doença relacionada à idade e se refere à perda de massa óssea. A combinação de osteoporose e sarcopenia resulta na significativa fragilidade freqüentemente encontrada na população idosa.
A sarcopenia não é uma doença, mas sim uma consequência natural do processo de envelhecimento do ser humano, processo este individual e diretamente relacionado as interações com o meio ambiente em geral. A sarcopenia pode ser evitada e até mesmo revertida com uma alimentação balanceada, uma vida psicológicamente saúdavel e com a prática de atividades ou exercícios físicos de maneira consciente e com um acompanhamento profissional.

Nutrição e exercícios podem ajudar a prevenir ou combater a Sarcopenia

A atividade física e a alimentação rica em proteínas de qualidade e vitamina D são fatores que contribuem para a prevenção da sarcopenia. Idosos sedentários têm maior chance de apresentar menor massa muscular do que aqueles que praticam algum tipo de exercício. Além disso, a alimentação é muito importante no desenvolvimento ou progressão da síndrome. O consumo deficiente de proteínas tem grande impacto na população idosa, que passa a se alimentar em menores quantidades. Isso compromete a ingestão de nutrientes, diminui as reservas naturais e mobiliza os tecidos musculares, tornando-os mais suscetíveis.
SarcopeniaOs exercícios de força e resistência se mostraram os de melhor efeito positivo no aumento da força e massa muscular. Dessa forma, dê preferência a esse tipo de exercício (por exemplo, musculação) ao invés de apenas a pratica de exercícios aeróbicos (como a caminhada, por exemplo) quando o objetivo for o ganho de força e massa magra.
Alguns elementos nutricionais vêm sendo associados à síntese e função muscular e devem fazer parte do dia a dia para contribuir na manutenção dos músculos:

Proteínas rápidas

Algumas proteínas são classificadas como de rápida digestão, como por exemplo a proteína do soro do leite (whey protein). Altas quantidades dessa proteína em uma única porção se mostraram eficientes na rápida disponibilidade de aminoácidos essenciais no sangue, estimulando a síntese proteica pelo organismo. Essa rápida absorção é importante para estimular a síntese muscular, principalmente nos idosos que apresentam maior resistência à transformação dos aminoácidos em proteínas e, assim, músculos.

Aminoácidos

Os aminoácidos essenciais, especialmente a Leucina, são importantes para estimular a reconstrução dos músculos e, assim, melhorar a força e função muscular. Como o organismo não consegue produzir esses aminoácidos, eles devem ser obtidos através da alimentação.

Vitamina D

Este micronutriente está associado à síntese e função muscular, pois além de facilitar a utilização dos aminoácidos pelos músculos, a Vitamina D está associada à hipertrofia e contração muscular. A exposição ao sol desencadeia a produção de vitamina D na pele. Como cada vez mais nos privamos da exposição ao Sol, há uma alta carência observada na população adulta e principalmente nos idosos.

fONTE: FORTFIT

Nenhum comentário:

Postar um comentário