sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Aproveite a hora do almoço para fazer musculação

Além do corpo modelado, você ganha uma injeção de ânimo

Dentre as desculpas para largar a vida sedentária, a falta de tempo está em primeiro lugar. Dificuldade para acordar cedo ou preguiça de ir para a academia depois do trabalho ou da faculdade são situações corriqueiras que impedem que muita gente decida embarcar na prática dos exercícios físicos.

Mas será que realmente não sobra nenhum tempinho na agenda? E se você ajustasse a hora do almoço para ir treinar? "O período é um ótimo momento para quem deseja começar a treinar. Diferentemente do que muita gente acredita, 40 minutos de aula são suficientes para garantir um treino que garanta resultados", explica Felipe dos Santos Manuel, gerente de musculação da academia Cia Athletica. O lado positivo é que você volta para o trabalho com muito mais pique, já que o corpo libera neurotransmissores, como a endorfina, que deixam qualquer pessoa mais disposta.

 

Alimentação regrada

A grande ressalva para esse hábito funcionar é que trocar a refeição pela academia está fora de cogitação. "A alimentação correta é essencial para quem faz exercícios físicos. Esquecer esse detalhe é o grande problema de quem deseja encarar a academia na hora do almoço", diz o especialista. As consequências podem ir desde doenças como anemia, problemas estomacais, fraqueza e até desmaios repentinos.

Para evitar a situação, o mais importante é manter uma alimentação adequada ao treino. O aluno deve fazer uma leve refeição uma hora antes da academia para não treinar de estômago vazio. Depois do suadouro, o almoço deve seguir como de costume. Só não vale abusar da gordura, das massas e dos molhos carregados. "A melhor opção está em um prato balanceado, rico em minerais, proteínas e vitaminas. Tudo para potencializar os resultados da atividade física", explica Felipe dos Santos Manuel. 
mulher conversando com uma personal trainer - Foto: Getty Images

Converse com seu instrutor

De acordo com o especialista, é preciso deixar claro para o seu instrutor que você não dispõe de muito tempo para o treino. Desta forma, ele consegue montar uma combinação de exercícios que possibilite atingir os seus objetivos. "Treinos de 30 a 40 minutos são suficientes, mas precisam ser moldados às necessidades de cada pessoa", orienta o professor da Cia Athletica. 
pessoas correndo na esteira - Foto: Getty Images

Sem fugir das aulas

Como o horário é mais curto, sua frequência na academia precisa ser respeitada. Nada de cair na cilada do turista das aulas. Caso contrário, os resultados não vão aparecer. "Por serem poucos minutos, o ideal é comparecer, no mínimo, três vezes por semana para obter o benefício da musculação". 
mulher cansada no trabalho - Foto: Getty Images

Não perca a linha

Exercícios são uma ótima pedida para levantar a disposição e deixar o dia mais gostoso. Porém, pegar muito pesado pode gerar o efeito rebote. "Quem treina na hora do almoço, precisa de pique para continuar o dia, e o exagero pode sinalizar perigo. Minha dica é não abusar dos pesos e priorizar os exercícios de repetição. Sem esquecer que sobrecarregar um músculo, como os das pernas ou braços, pode causar dores e problemas para continuar as outras atividades diárias", alerta o professor da academia Cia Athletica. 
halteres e maçã - Foto: Getty Images

A malhação vai dar certo?

Antes de se matricular, é preciso se precaver. Responda as perguntas abaixo para ter certeza de que a hora do almoço pode ser um ótimo momento para seu treino:

- Existe uma academia perto de você nessa hora?
- Você tem disponibilidade para ir para academia, no mínimo, três vezes na semana?
- Você vai conseguir se alimentar corretamente antes e depois do treino?
- Você possui ao menos 1 hora de almoço disponível?
- Levar roupas do dia a dia para o treino não é um problema?
- Atrasar alguns minutos na hora do almoço não sugere riscos ao seu trabalho ou a outras atividades que tem na sequência?

Fonte: MSN

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Lugar de criança é lá fora!

 

Brincar sob o sol, rolar na grama e respirar ar puro não custa nada! E faz as crianças mais saudáveis e corajosas.

 
Nasci em São Paulo e aqui passei as quatro décadas da minha vida. Sou totalmente urbana, daquelas que não sabe distinguir um cafezal de um laranjal – claro, a menos que os frutos estejam aparentes! Só fui ter um bichinho de estimação aos 20 e pouco e, infelizmente, minha relação canina não acabou de modo muito feliz. Ou seja, sou um péssimo exemplo para meus filhos em relação à integração com a natureza.

Exatamente por isso aqui em casa a gente se esforça ao máximo para dar ao João e à Bruna oportunidades de interagir com bichos, plantas e mar. No nosso caso é preciso um esforço mesmo, e nem sempre somos bem sucedidos. A culpa? Não é do videogame, nem da televisão, como podem supor... mas sim dos pais dos amigos! Grande novidade que a culpa caia sobre os pais, você vai pensar – pois então pense mesmo, e me diga se concorda ou não com a hipótese a seguir. Os pais de hoje são muito medrosos com aquilo que não é asséptico, industrial ou enlatado. Quando os amigos do meu filho vêm em casa, ficam horas no videogame em dribles mirabolantes no jogo de futebol virtual, mas só dois ou três se animam a descer e ralar na quadra atrás da pelota! Com a mais nova não é diferente: conto nos dedos as que já sabem andar de bicicleta sem rodinha, isso aos 9 anos!
A desculpa de muitos pais é que na cidade as crianças não têm espaço e oportunidade para brincar ao ar livre...  isso é mesmo “desculpa”, e das bem esfarrapadas!
Desconfio que o problema seja mais conceitual.
A falta de contato com a natureza está deixando a gente totalmente hostil à ela. Há cinco anos fizemos a festinha do João, então com 7 anos, em uma fazendinha. A proposta era passar o dia com galinhas, porcos e cavalos, a pouco mais de 30 km de nossa casa. Muitos pais não deixaram. Não porque não confiassem na gente, já que nos anos anteriores haviam permitido que seus filhos ficassem sozinhos no bufê infantil. Mas porque o cardápio era orgânico, o pega-pega ia ser no mato e havia uma trilha no bosque. Os colegas que foram guardam até hoje a recordação e a foto do que viveram lá, como dar comida para as cabras e andar no lombo de um búfalo. Tentei repetir o menu com a Bruna, há dois anos, mas diante da adesão zero, optamos por um bufê com tirolesa – e, adivinha: nem um pai sequer me questionou se seus filhos usariam capacete durante a atividade!

Pasteurizar a vida dos nossos filhos é uma pena muito grande para eles e um risco também. As crianças vão ficando medrosas com o vento, a terra, os bichos. Sem falar no sedentarismo: todos os estudos clínicos apontam que um adolescente obeso tem 80% de risco de virar um adulto obeso. A prevenção contra isso está em atitudes simples, como sair para brincar no quintal ou no parque e oferecer o maior número possível de alimentos saudáveis para eles experimentarem até os 5 anos de idade – que é a fase ideal para formar bons hábitos.

Mas se os seus filhos, como os meus, já deixaram a barreira da infância, ainda há como correr atrás do prejuízo. Proponha aos finais de semana trocar uma hora de videogame por uma pelada na quadra do prédio ou uma volta completa na ciclovia do parque... ah, e insista para levar os amiguinhos junto!

Fonte: MSN

Comentários:

Criar hábitos saudáveis desde pequeno é muito importante para a vida, pois começar mais tarde é muito difícil. As pessoas se tornam preguiçosas e isto pode levar a obesidade e outros problemas de saúde.
Fora que quando a criança está ocupada pensa menos em besteiras, tanto para fazer qunto para comer.Fica menos em computador ,tem contato com a natureza e pessoas, fica mais sociável.
SE tiver problema de colesterol ou glicose alterada ajuda a diminuir, diminui depressão, dorme melhor, tem mais disposição, enfim estas são algumas das vantagens do exercício. Que tal começar logo?????

Patrícia Brigagão Mendes

domingo, 25 de novembro de 2012

Alergia e Intolerância Alimentar



 Nossa alimentação atual é muito mais complexa, industrializada e aditivada, aumentando, com isso, a frequência de pessoas com reações adversas aos alimentos.
A alergia alimentar é uma resposta imunológica do organismo à proteína do alimento, que pode ser causada principalmente pelo consumo de leite de vaca, ovo, peixe, crustáceos, soja, trigo e amendoim. O organismo reage a essas proteínas como se fossem substâncias estranhas que precisam ser combatidas, desencadeando manifestações alérgicas como diarreia, urticária ou sintomas respiratórios. Por vezes confundem-se reações clínicas decorrentes de intolerância alimentar com alergia alimentar. Alergia alimentar é um termo utilizado para descrever reações adversas a alimentos, dependentes de mecanismos imunológicos, e nem sempre ocorrem de imediato. Pessoas com alergia ao glúten podem comer trigo e apresentarem sintomas 3 dias após, dificultando o diagnóstico.
A intolerância à lactose, por exemplo, é a falta ou deficiência da produção de uma enzima chamada lactase, que serve para digerir a lactose – o açúcar do leite. Quando não absorvida, ela é fermentada por bactérias do intestino causando distensão abdominal, gases, cólicas, diarreia e cãibras.
Muitas pessoas descobrem que são alérgicos a alimentos quando percebem que fazem dieta e não perdem peso. No cardápio diário, fazem várias refeições incluindo leite, queijo, iogurte ou outros alimentos alergênicos. Esses alimentos podem aumentar a permeabilidade do intestino em pessoas suscetíveis, favorecendo a passagem do lúmen intestinal para a corrente sanguínea de macromoléculas que podem ser entendidas  pelo sistema imunitário como superantígenos e, posteriormente, podem ser a etiologia de alergias e doenças auto-imunes. A penetração desses alimentos mal digeridos  pode ainda dificultar o mecanismo de detoxificação do fígado, levando à fadiga e dificultando a perda de peso.
Em adultos, a alergia alimentar pode surgir depois de um tratamento prolongado de antibióticos ou estresse, que podem prejudicar o sistema imunológico.
Quanto à alimentação, em caso de intolerância à lactose, o paciente pode suportar o consumo de derivados de leite, como iogurtes, por possuírem baixa quantidade de lactose. Mas não basta excluir os alimentos suspeitos! Caso a devida substituição não seja feita de forma adequada, pode levar a carências nutricionais, alterando ainda mais a imunidade, deixando o organismo sujeito ao aparecimento de doenças crônicas. No caso de alergia à proteína, leite e derivados são retirados e substituídos por soja, leite de quinua ou de arroz, de acordo com a tolerância do paciente. Para um planejamento alimentar balanceado, um nutricionista funcional deverá ser consultado.

Produtos que contêm leite e derivados ou que podem ter sido adicionados:
 Iogurte
 Manteiga
 Maionese industrializada
 Margarina
 Biscoitos recheados
 Creme para café
 Queijos
 Nata / creme de leite /chantilly
 Requeijão
 Coalhada
 Pudim / Manjar
 Sorvete
 Sopas instantâneas cremosas
 Molhos cremosos para salada
 Purê de batatas / aipim / batata cremosa
 Empanados
 Achocolatados
 Cookies
 Panquecas, pastas e pizzas
 Pães e massas em geral
 Frituras
 Fórmulas para reduzir peso
 Aspirina
 Ritalina
 Pílulas anticoncepcionais

Fonte: Funcionalli

CELULITE- INIMIGA DA MULHER

Dicas para prevenir a celulite



O que é?
Conjunto de alterações no tecido conjuntivo subcutâneo com presença de edema. Conhecida como hidrolipodistrofia ou lipodistrofia ginóide
Origem da palavra - LIPO = relativo a gordura
DISTROFIA = demonstra desordem nas trocas metabólicas do tecido
GINÓIDE = gino = mulher , óide = forma de
Ou uma inflamação das células às vezes dolorosas, associadas com alterações da circulação, propiciando modificações no tecido adiposo e cutâneo, causando o efeito “casca de laranja ”.
São muitos os fatores que causam a celulite :

O excesso de estrogênio (hiperestrogenismo) é a principal causa da celulite e por este motivo as mulheres são mais acometidas. Os homens também não estão livres deste mal, porém são atingidos em menor escala.
A celulite também esta relacionada com fatores genéticos, ou decorrentes da obesidade, o sedentarismo, alimentação pro inflamatória rica em frituras e açucares, roupas inadequadas e compressivas que impedem a circulação (ex: calça jeans apertada), alem do fumo e o uso de anticoncepcionais que também são acusados  pelo aparecimento dos nódulos antiestéticos.

A prisão de ventre colabora muito para o aparecimento da celulite, pois  um intestino que não funciona regularmente produzirá mais toxinas e eliminará  menos toxinas, que se  acumularão em nosso organismo afetando o equilíbrio total.
Alem disso a constipação intestinal acaba alterando a microflora intestinal causando a disbiose intestinal que é uma alteração no equilíbrio entre microorganismo benéfico e maléfico.
Sabendo que a celulite é uma inflamação do tecido adiposo cutâneo o tratamento deve se iniciar com a retirada de alimentos ricos em substancias pro inflamatórios, junto com a introdução de uma alimentação balanceada rica em nutrientes antioxidantes e antiinflamatória, aliados a atividade física regula. 
Alimentos a serem evitados  na prevenção e no tratamento da celulite
Gordura saturada (carnes, queijos amarelos, biscoitos, sorvetes, manteiga), gordura trans (sorvete, biscoito recheado, salgados de forno, sal refinado, alimentos industrializados, calorias vazias como as dos refrigerantes, balas, sopas de prontas que não trazem nutrientes em sua composição, pão branco, macarrão refinado, arroz branco, açúcar (carboidratos refinados), frituras em geral e bebidas alcoólicas. 
Alimentos com potencial alergênico (detectados através da anamnese da pratica ortomolecular) também devem ser evitados por três meses, como os laticínios, chocolate, amendoim, glúten... e depois devem ser reintroduzidos conforme a individualidade bioquímica  de cada um ( deve ser realizado  junto ao seu Nutricionista)

Alimentos e hábitos importantes para a prevenção e tratamento da celulite
  • Brócolis, couve, repolho, folhas verdes escuras, aspargos, alho, cúrcuma, gengibre, manjericão, hortelã, alcachofras alem das ervas e especiarias... Esses alimentos são rico em nutrientes que melhoram a detoxificação hepática fundamental para eliminação  das toxinas acumuladas .
  • Ingestão de 2 litros de água ao dia no inverno ou pode-se  fazer uso dos chás, e consumes.
  • Fazer seis refeições ao dia de três em 3 horas, desjejum, colação, almoço, lanche, ceia.
  • Essa pratica aumenta o metabolismo e ajuda a queimar a  gordura localizada .
  • A água é importante para detoxificaçao hepática, drenagem linfática, e evita a retenção de líquidos.
  • Restringir alimentos ricos em sódio para evitar a retenção de líquidos que pioram o quadro da celulite.
  • Diminuir o percentual de gordura através da atividade física orientada, importante para a melhorar o sistema linfático e circulatório e bem estar geral
  • Comer diariamente frutas e verduras que propiciam ao organismo uma grande variedade de vitaminas, minerais (potássio, cálcio, magnésio, zinco, selênio, entre outros), fitoquímicos (flavonóides) fibras solúveis e insolúveis.
  • Os antioxidantes representados pelas vitaminas A, C e E protegem o organismo neutralizando os radicais livres produzidos pelo nosso organismo.
  • Usar como tempero de saladas os Óleos de semente de uva, macadâmia, linhaça e azeite extra-virgem.
  • Ingerir alimentos ricos em coenzima Q10 como o espinafre, sardinha, brócolis, feijão azuki, abacate, semente de gergelim e oleaginosas que melhoram a atividade mitocondrial importante para geração de energia e para renovação e oxigenação celular.
  • Beber 2 xícaras  ao dia  de Chá verde ou  chá da Flor de hibisco importantes para a  detoxificação hepática
  • Ingerir fibras como aveia, fibra de maracujá, linhaça dourada, gérmen de trigo, cevada, que  tem um papel fundamental na prevenção da celulite e no seu tratamento.  As fibras insolúveis  aumentam o transito intestinal promovendo a retirada de toxinas e restos da putrefação das proteínas do intestino. Já as fibras solúveis têm a sua ação na mucosa intestinal estimulando o crescimento das bactérias benéficas para o nosso  organismo. Alem disso os alimentos ricos em fibras contem fitoquímicos e outros nutrientes fundamentais para o sistema antioxidante do nosso organismo.
  • Antocianidinas presente nas Frutas vermelhas como amora, uva preta, açaí a polpa pura, cereja, framboesa e morango melhoram a permeabilidade dos vasos sangüíneos melhorando a circulação.
  • Cebola que é rica em Quercitina um bioflavonoide importante, pois recupera a vitamina C e E da ação dos radicais livres, alem de melhorar circulação facilitando a drenagem linfática.
  • Colágeno é  rico em Lisina, prolina e glicina aminoácidos importantes para o tratamento da celulite, pois ajudam na firmeza da pele.

    Gorduras saudáveis presentes nas oleaginosas, peixes, abacate, semente de gergelim e azeitonas.
    Omega 3, gordura monoinsaturada, Omega 9 são importante para combater processo inflamatório da celulite
  • Alimentos ricos em triptofano como a banana aumentam a serotonina e a saciedade.
  • O broto de trigo é rico em clorofila e é fonte de betacaroteno, vitamina K, acido fólico, cálcio e Ferro, é considerado um grande aliado ao combate da celulite em função das suas propriedades detoxificante.
 FONTE: FUNCIONALLI

Acompanhamentos para pratos principais

Brócolis com castanha-do-pará


Ingredientes:

• ½ xícara de salsinha picada
• ¼ de xícara de castanha do Pará picada
• 2 colheres de sopa de água
• 1 colher de sopa de tomilho picado
• ½ colher de sopa de casca de laranja ralada sem a parte branca
• 1 dente de alho amassado
• 5 colheres de sopa de azeite
• Sal e pimenta do reino a gosto
• ½ xícara de brócolis cortados em floretes, descartando a parte dura da base, lavados e secos
• 3 colheres de sopa de queijo parmesão light ralado de boa qualidade

Utensílios necessários:

Processador de alimentos, refratário e papel alumínio

Preparo:

1. Esquente bem o forno
2. No processador, coloque a salsinha, a castanha do Pará, a água, o tomilho, a casca da laranja, o alho, 3 colheres de sopa de azeite, o sal e a pimenta e pulse até ficar encorpado e homogêneo. Reserve.
3. Tempere o brócolis com sal e pimenta num recipiente refratário.
4. Leve-o ao forno, coberto com o restante do azeite e o papel alumínio, deixando por 8 minutos aproximadamente, até ficar tenro, mas não mole demais.
5. Retire o brócolis do forno e tempere com o molho. Salpique o parmesão por cima e sirva quente.

SEM GLÚTEN /

Tabule de Quinoa


INGREDIENTES

1 xícara (chá) de quinoa em grãos
1 tomate médio picado em cubos sem pele e sem sementes
1 cebola média picada
1 dente de alho grande picado
3 colheres (sopa) de salsinha picada
2 colheres (sopa) de hortelã picada
Suco de 1 limão
2 colheres (sopa) de azeite de oliva extra-virgem
1 colher (chá) de sal

MODO DE PREPARO

As sementes de quinua são cobertas por uma camada de saponina, uma resina amarga que, ao entrar em contato com a água, fica feito sabão, por isso recomenda-se lavá-las sob água corrente, esfregando-as com a mão, até que tenha sido eliminado qualquer traço da substância. Uma boa maneira de se testar é provando uma semente crua; se ainda se sentir um gosto amargo, é porque a resina continua presente. A quinua estará pronta para ser utilizada quando a água não apresentar aspecto saponiforme.
Leve ao fogo médio uma panela pequena a quinoa com 2 xícaras (chá) de água filtrada. Deixe cozinhar por 25 minutos, com a panela parcialmente tampada, até que a água seque.Coloque a quinoa em uma tigela e deixe esfriar.
Misture todos os ingredientes restantes a quinoa, mexa bem e leve a geladeira.
Minutos antes de servir tire o tabule da geladeira e deixe descansar em temperatura ambiente. Pode ser servido com pão sírio e coalhada seca.
A Quinoa, ou Quinua Real, como também é conhecida, é um grão originário da Bolívia, com alto poder nutritivo, possui proteína de alta qualidade, baixo teor de colesterol, além das grandes quantidades presentes de: vitaminas (B1, B2, B3, C e E),minerais (magnésio, potássio, ferro, zinco e manganês).Contém fibras que colaboram com o bom trabalho intestinal, ajudam no controle dos níveis de colesterol e glicemia no sangue, entre outras funções importantes para o organismo. Não tem o glúten em sua composição, dessa forma as pessoas com alergia ao glúten, a chamada doença celíaca, também podem desfrutar deste alimento.

ACOMPANHAMENTOS /

Arroz com Ervas

Serve 15 pessoas

Cozinhe o arroz com água, pouco sal e 1 xícara de café de molho de soja light. Depois de pronto misture os outros ingredientes.
 
Ovos nevados
Ingredientes:
- 3 caixas de Pudim Diet sabor leite
- 2 l 2 ¼ de leite desnatado
- 6 claras em neve
- canela em pó a gosto
Ferva a metade do leite. Bata as claras bem firmes e, com uma colher de sopa, faça 12 bolas das claras e coloque sobre o leite fervendo. Deixe cozinhar por 10 minutos, virando-as com uma escumadeira. Retire as bolas e reserve-as num prato.
Com a parte restante do leite dissolva o pó para pudim. Mexa bem e despeje a mistura sobre o leite quente que ficou na panela. Leve ao fogo mexendo sempre, para engrossar. Distribua o pudim em um pirex e coloque sobre ele as bolas de clara. Polvilhe com canela. Sirva morno ou gelado.

Fonte: Funcionalli

sábado, 24 de novembro de 2012

PANQUECAS DE BERINJELA COM CARNE MOÍDA

 

Ingredientes

  • 2 Unidade(s) de pães franceses, sem cascas, picados
  • 4 Colher(es) de sopa de leite desnatado
  • 1/2 Quilo(s) de carne moída
  • 1 Cubo(s) de caldo de carne KNORR VITALIE
  • 2 Colher(es) de sopa de salsinha picada
  • 2 Colher(es) de sopa de azeite de oliva
  • 1 Unidade(s) de berinjela grande cortada em fatias finas, no sentido do comprime
  • 1 Lata de molho de tomate

Para enrolar

  • palitos de dente a gosto

Para cobrir

 Papela alumínio à gosto
  • Modo de Preparo

    • 1. Em uma tigela, coloque o miolo dos pães, cubra com o leite e misture até o miolo ficar úmido.
    • 2. Junte a carne e esfarele sobre ela o cubo de caldo de carne KNORR VITALIE, coloque a salsinha e misture até obter uma massa homogênea.
    • 3. Reserve.
    • 4. Em uma frigideira, pincele o azeite e aqueça em fogo médio.
    • 5. Doure as fatias de berinjela aos poucos, pincelando a frigideira quando necessário.
    • 6. Repita a operação até finalizar a berinjela.
    • 7. Reserve.
    • 8. Preaqueça o forno em temperatura média (180°C).
    • 9. Pegue uma porção de carne moída e modele com um croquete, coloque-o no centro de cada fatia de berinjela e enrole como rocambole.
    • 10. Feche com palito.
    • 11. Arrume os rolinhos em um refratário grande (35 x 22 cm), um ao lado do outro.
    • 12. Cubra com papel-alumínio e leve ao forno por 20 minutos ou até a carne ficar cozida.
    • 13. Retire o papel-alumínio e cubra com o molho de tomate com.
    • 14. Volte ao forno por mais 10 minutos.
    • 15. Sirva em seguida.
  • fONTE: MSN

Saúde pessoal: quando o assunto é obesidade, o tamanho da bebida pesa

Recentemente conheci uma jovem mulher e consciente sobre a saúde, que insistiu que o tamanho das bebidas adoçadas com açúcar não deveria ser previsto por lei.

'Incentivar as pessoas a beberem menos dessas bebidas é algo que deve ser feito através da educação', ela disse.
É uma opinião compartilhada entre muitos. Alguns podem não estar cientes do papel que essas bebidas têm na crescente epidemia de obesidade e de diabetes tipo 2. Poucos sabem do histórico decepcionante de esforços feitos para mudar o comportamento das pessoas apenas através da educação.
A mulher estava reagindo a uma regulamentação da cidade de Nova York, que entra em vigor em março, limitando o tamanho dessas bebidas a 470 ml em restaurantes, carrinhos de rua, cinemas e eventos esportivos. Lojas de conveniência, máquinas automáticas e algumas bancas de jornal estão isentas.
Vários novos estudos ressaltam o potencial de saúde pública causado pela restrição. Se tiver sucesso, é provável que seja imitado em outros lugares, pois o amor da nação por refrigerantes de tamanho gigante está custando às cidades e aos estados bilhões de dólares anualmente com despesas médicas.
A gula por doces é enlouquecedora
Todos nós nascemos com uma preferência natural pelo doce, o que durante a evolução nos permitiu perceber quando as frutas estavam maduras e prontas para serem comidas. Mas, como colocou Gary K. Beauchamp, biopsicólogo e diretor do Monell Chemical Senses Center, um instituto de pesquisas sem fins lucrativos na Filadélfia, 'nós separamos o gosto bom da comida boa'. Nossa gula por doces não está mais trabalhando a nosso favor.
Ninguém alega que bebidas adoçadas sejam a única razão pela qual os americanos estão mais gordos e têm desenvolvido altas taxas de diabetes tipo 2. Mas em momento algum na história nós ingerimos mais adoçantes calóricos do que hoje, e os refrigerantes são os grandes culpados.
As bebidas adoçadas, maior fonte de calorias em nossas dietas, respondem por quase metade do total de açúcar que consumimos e 7 por cento do total de calorias – chegando a quase 15 por cento em alguns grupos, incluindo garotos na adolescência. Pesquisadores da Universidade de Wisconsin relataram em 2005 que os alunos em média consomem anualmente 14 kg de açúcar nas bebidas adoçadas.
A Coca-Cola costumava vir em garrafas de 230 ml com 97 calorias. Hoje as pessoas compram latinhas de 350 ml com 145 calorias (o equivalente a 10 colheres de sopa de açúcar); garrafas de 590 ml com 242 calorias; Big Gulps de 950 ml; Super Big Gulps de 1,3 l com 533 calorias; e Double Gulps de 1,9 l com 776 calorias. A diferença de preço entre esses tamanhos é mínima.
Essas calorias são nutricionalmente vazias, ao contrário das encontradas nas frutas, legumes, carnes, aves, peixes e laticínios, todos fontes de vitaminas e nutrientes essenciais.
Barbara J. Rolls, professora de ciência nutricional na Universidade Penn State, mostrou que falta um 'fator de saciedade' nas calorias líquidas. Quando as pessoas tomam refrigerantes, elas não compensam adequadamente a refeição comendo menos calorias nas comidas sólidas.
Brian Wansink, diretor do Food and Brand Lab na Universidade de Cornell, diz que as bebidas não satisfazem tanto quanto as comidas sólidas por não terem uma textura e um 'movimento de boca', e nós 'tendemos a consumi-las tão rapidamente que nem as percebemos'.
Muitos estudos observacionais têm ligado o consumo de bebidas adoçadas ao aumento de peso das crianças, e ao aumento de peso e surgimento da diabetes tipo 2 em adultos. Mas novas pesquisas vão muito além dessas descobertas.
Em um estudo realizado entre mulheres acompanhadas por quatro anos, as que consumiram uma ou mais dessas bebidas por dia praticamente dobraram o risco de desenvolver diabetes tipo 2, comparadas às que beberam menos de uma por mês. E os autores concluíram que aquelas que consumiram mais bebidas adoçadas também 'aumentaram o consumo de energia' – ou seja, calorias – 'das outras comidas, indicando que essas bebidas podem até mesmo induzir a fome e o consumo de comidas'.
Dois estudos recentes no Jornal de Medicina de New England observaram os efeitos do peso em crianças e adolescentes quando bebidas sem açúcar eram substituídas por aquelas com adoçantes calóricos. Em ambos os casos, limitar o consumo de calorias líquidas reduziu o aumento de peso nas crianças, comparadas às que continuaram consumindo as bebidas adoçadas.
O autor de um dos estudos, realizado na Holanda, comentou: 'As crianças nos EUA consumem em média quase três vezes mais calorias nas bebidas adoçadas', comparadas às crianças holandesas.
Logo depois do encerramento de outro estudo, realizado entre adolescentes em algumas áreas de Boston, os jovens passaram a consumir bebidas menos calóricas, o que mostra a importância tanto da educação quanto da regulamentação. O autor sênior, Dr. David S. Ludwig, disse que as descobertas enfatizam a necessidade de mudanças nas políticas públicas.
'Isso sugere que se queremos mudanças a longo prazo no peso, teremos que fazer mudanças permanentes a longo prazo em nosso ambiente para as crianças', disse ele ao New York Times quando a reportagem foi publicada.
Um terceiro estudo, publicado com os dois primeiros, descobriu uma ligação importante entre genética e os efeitos das bebidas adoçadas no peso. Homens e mulheres com uma predisposição a ganhar peso experimentaram um efeito mais aparente causado pelas bebidas adoçadas do que as pessoas que não tinham os 32 genes associados ao maior índice de massa corporal.
Melhorando os hábitos saudáveis
Educação importa. Se eu não acreditasse nisso, eu teria abandonado meu papel como educadora pública há muito tempo. Mas a história mostra claramente que educação não é o suficiente. Precisa ser acompanhada de restrições que desencorajem hábitos não saudáveis e de mudanças ambientais que apoiem os hábitos saudáveis.
Fumar cigarros é um exemplo clássico. Anúncios bem feitos explicando seus perigos – até mesmo avisos nos maços – não fizeram muito para ajudar pessoas a pararem de fumar e a impedir que os outros o fizessem. Só depois que fumar foi proibido em ambientes de trabalho, restaurantes, prédios públicos e nos meios de transporte é que milhões desistiram. Hoje em dia, cerca de um entre 5 homens americanos fuma. Há 40 anos, a média era de um a cada dois.
Do mesmo jeito que a indústria do tabaco contestou a ligação entre fumar e ter câncer durante anos, a Associação Americana de Bebidas diz que não há provas de que bebidas adoçadas sejam os grandes culpados pela obesidade e pela diabetes.
Mas porque esperar décadas por uma evidência conclusiva, quando milhões já terão adoecido ou morrido por causa da obesidade? Não é como se não houvesse alternativas já existentes para as bebidas adoçadas, incluindo aquelas com adoçantes não calóricos e águas com ou sem gás, com sabor ou sem. Se essas bebidas fossem menos caras e tivessem algum destaque, e mais pontos de vendas limitassem o tamanho e a disponibilidade de bebidas doces, poderíamos começar nesse caminho tão bem trilhado durante nossos esforços antitabagismo.

Fonte: MSN

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Onze superalimentos que você deveria consumir mais

 

Eles são pouco populares, mas enchem o prato de vitaminas, minerais e proteína

Eles não agradam tanto quanto o morango, nem deixam inimigos por aí, como o jiló. Por isso, na hora da montagem do prato ou da compra do mês, ficam esquecidos entre as prateleiras de frutas e legumes do supermercado. Rabanete? Nabo? Inhame? Os próprios nutricionistas, muitas vezes, esquecem que eles existem. Mas fique sabendo que alguns alimentos que ficam de fora do seu cardápio trivial, trazem muitos benefícios para a saúde e ajudam a compor uma dieta equilibrada. Quem perde com a ausência dessa turma e de seus nutrientes é a nossa saúde. Para tirá-los do esquecimento e para te ajudar a montar uma dieta rica em nutrientes e cores, o Minha Vida foi à feira selecionar 11 superalimentos que fazem muito bem para o seu organismo e para a dieta. Confira: 

Lentilha

A lentilha é muito requisitada nas festas do final de ano. Mas, depois, passa o resto do ano esquecida. Uma injustiça, já que é um alimento ideal para a dieta a para a saúde, pois é rica em proteína vegetal, que ajuda na formação e no fortalecimento da massa muscular e na cicatrização de ferimentos. "A lentilha tem também alto teor de fibras, vitaminas e ferro e pouca gordura, sendo ótima substituta para o feijão do dia a dia, por exemplo", a nutricionista Roberta de Lucena Ferreti, da Unifesp. 

Batata doce - foto: Getty Images Batata doce

Muitas vezes elas são vistas com olhares tortos e cara feia. Alguns acham estranho o fato de ser doce e outros, ainda, acham que ela tem grande quantidade de calorias e por isso precisam ficar longe do prato. Mas, mesmo sendo cerca de duas vezes mais calórica do que a batata normal e que tenha também mais carboidratos, a batata doce é uma ótima fonte de vitamina C, fibras e potássio, diferente da batata convencional. Além de muito versátil - pode ser usada em pratos doces e salgados -, ela é amiga do verão, pois é fonte de betacaroteno, o componente que potencializa o bronzeado. 
Inhame - foto: Getty Images Inhame

Ele é uma importante fonte de proteínas, potássio e fósforo, podendo ser usado para prevenir doenças como osteoporose, artrite e cálculos renais. Fonte de carboidratos e fibras, pode ser uma opção para pães, massas, cereais e todos os tipos de tubérculos e raízes. Além disso, o consumo desses minerais ajuda a manter a memória funcionando mesmo depois da velhice. O melhor jeito de consumi-lo é cozido. Mas é importante que ele não fique muito tempo no fogo, para que não haja uma perda de nutrientes e vitaminas.

Rabanete - foto: Getty Images Rabanete

Rosa por fora e branquinho por dentro, o rabanete é um legume benéfico graças às suas propriedades medicinais. Ele estimula as funções digestivas, limpa as vias respiratórias e ainda dá uma força ao sistema imunológico. De acordo com a nutricionista Roberta de Lucena, isso acontece graças à grande quantidade de vitaminas e minerais, como cálcio, potássio, magnésio e fósforo.
Nêspera - foto: Getty Images Nêspera

Popularmente chamada de ameixa-amarela, esta fruta é rica em vitamina C e sais minerais, como o cálcio e o fósforo. Outra propriedade da nêspera é controlar os níveis de gordura no sangue e diminuir a resistência à insulina, atuando assim na prevenção contra diabetes. "Estudos ainda indicam que a nêspera apresenta triterpenos, substâncias que modulam a formação de óxido nítrico, que age nas vias respiratórias e tem efeito que pode ser benéfico no controle de bronquite, além de auxiliar no tratamento de doenças alérgicas inflamatórias como asma, rinite e sinusite", explica Bárbara. 
Acelga - foto: Getty Images Acelga

Também conhecida como couve-chinesa, essa hortaliça é extremamente versátil, pois dela aproveita-se tanto talos quanto as folhas. Além disso, ela fica ótima crua e também refogada com azeite e alho. "Além de proteger o fígado, a acelga auxilia no controle do diabetes, pois apresenta fibras e possui substâncias que causam regeneração das células do pâncreas, que é o local onde há a produção de insulina", explica a nutricionista Bárbara Rescalli Sanches, da Clínica Damasceno.

Além disso, a acelga também é fonte de vitamina A e C. Quem tem tendência a desenvolver cálculos renais, precisa maneirar na quantidade consumida desse alimento. "Há grande quantidade de oxalato na acelga, substância que pode se ligar ao cálcio e formar pedra no rim", explica nutricionista.
Beterraba - foto: Getty Images Beterraba

Ela também está entre os rejeitados. Mas o que poucos sabem é que ela é uma grande aliada no combate ao cansaço. Pesquisadores da Universidade de Exeter (Grã-Bretanha) descobriram que o nitrato encontrado nela ajuda a reduzir o consumo de oxigênio e, portanto, desacelera o ritmo do processo que leva ao cansaço. Por isso, eles recomendam um copo de suco de beterraba antes de praticar atividades.
Nabo - foto: Getty Images Nabo

Este vegetal carrega doses de vitamina C, cálcio e potássio. "Estudos mostram que possui uma substância que pode prevenir certos tipos de câncer", explica a nutricionista Daniela Cyrulin. As folhas do nabo constituem um excelente alimento com alto teor de vitamina A, vitaminas do complexo B e de vitamina C. Além disso, suas fibras contribuem para regularizar o funcionamento intestinal, o que ajuda a digestão.
Chicória - foto: Getty Images Chicória

Ela é rica em oligossacarídeos, substâncias que não são totalmente digeridas pelo organismo e servem de alimento para as bactérias benéficas intestinais, são os chamados prebióticos. "Esta substância auxilia no bom funcionamento intestinal, tratando casos de intestino preso, diminui os níveis de toxina no intestino, auxiliando na prevenção de cânceres", explica Bárbara Rescalli Sanches.

Também melhora a absorção de minerais e controla os níveis de triglicérides no sangue. Outra vantagem é a sua capacidade de desintoxicação, ou seja, auxilia na eliminação de toxinas no organismo. Além disso, constitui uma importante fonte de vitaminas A, B, C e D e de sais minerais. É de baixo valor calórico, sendo excelente para utilizar nas dietas de emagrecimentos. O melhor modo para ela ser consumida é crua, para melhor aproveitar o seu valor nutritivo.
Pitangas - foto: Getty Images Pitanga

Essa pequena fruta vermelha se destaca pela quantidade de cálcio que carrega, fósforo e ferro, além de vitaminas A e C, indicando seu elevado poder antioxidante o que faz dela uma poderosa aliada para os ossos, ajudando a prevenir doenças como osteoporose. Segundo Bárbara Rescalli, ela também é rica em licopeno, importante na prevenção de uma série de cânceres, como o câncer de próstata, pulmão e estômago. Para consumir essa fruta, é preciso tomar cuidado com os fungos, que se reproduzem na casca da fruta. Observe se a casca não está com uma textura áspera ou com uma cor diferente.
Cará - foto: Getty Images Cará

Esse tubérculo é o primo menos famoso da batata. Por ter o gosto muito parecido com o de um alimento tão popular, o cará foi deixado de lado, e poucas pessoas o colocam no prato. De acordo com Bárbara Rescalli, o cará é uma fonte de carboidratos que pode ser utilizado para a recuperação muscular após uma atividade física. Também traz benefícios para o sistema imunológico e inibe a ação maléfica de radicais livres.
Fonte: Msn

Enriqueça sua dieta com chia de oito maneiras diferentes

 

Semente é versátil e pode até substituir os ovos na hora de preparar uma receita.

Conhecida por ter mais cálcio que um copo de leite e um elevado teor de proteínas, a semente de chia é uma ótima pedida para quem quer emagrecer de forma saudável, sem sofrer com carência de nutrientes. "As sementes de chia oferecem um coquetel de nutrientes, como ômega 3, fósforo, magnésio, potássio, ferro, zinco, cobre e manganês, e podem ser consumidas de muitas formas", afirma o nutricionista Wellington Pinheiro, de São Paulo. Dá para sentir o sabor da chia, misturá-la a outros alimentos ou até preparar receitas, só depende da sua disposição em incluir mais essa novidade na dieta. 

Consuma em forma de gel

Quando você mistura a semente de chia com água, ela começa formar uma espécie de gel, reação característica das fibras solúveis. "Comer essa gelatina provoca um atraso no esvaziamento gástrico, aumentando a sensação de saciedade", diz a nutricionista Bruna Pinheiro, do Dieta e Saúde. Além disso, o gel formado aumenta o volume do bolo fecal, melhorando o funcionamento do intestino e prevenindo a prisão de ventre. Para consumir a chia em forma de gel, deixe uma colher de sopa da semente de molho em 60 ml de água durante aproximadamente 30 minutos. "O ideal é consumir o gel assim que ele estiver formado, não sendo recomendado guardar a mistura para comer depois."
farinha de chia - Foto Getty Images

Farinha de chia

Feita por meio da trituração da semente, a farinha de chia contem todos os nutrientes que o grão inteiro oferece. "Ela pode ser usada no preparo de diversas receitas, como massa de bolos, tortas, pães e brownies", diz a nutricionista Bruna. "Ao trocar a farinha de trigo pela de chia, você está acrescentando ao prato diversos nutrientes que não aparecem (ou aparecem pouco) na farinha de trigo, como proteínas, cálcio, ferro e ômega 3."
mulher comendo iogurte - Foto Getty Images

Acrescente ao iogurte

Quando em contato com líquidos, a semente de chia forma um gel que torna a digestão mais lenta, aumentando sua saciedade após a refeição. "Ao colocar chia no iogurte, você também está acrescentando fibras ao prato e enriquecendo ainda mais a bebida com cálcio e proteínas", afirma o nutricionista Wellington. "Isso contribui para a prevenção de doenças como osteoporose e ainda ajuda na reconstrução muscular". Uma sugestão é comer a porção no lanche entre as refeições, pois um pote de iogurte desnatado (160ml) mais uma colher de sopa de chia contém apenas 70 calorias. 
suco com hortelã e chia - Foto Getty Images

Vitaminas e sucos

Ao acrescentar a chia em sucos ou vitaminas, você não só aproveita todos os nutrientes que as frutas oferecem como também está ingerindo boas doses de cálcio, proteínas, ferro e zinco. "Além disso, a chia potencializa o efeito antioxidante das frutas, ajudando no combate ao envelhecimento e prevenindo doenças como o câncer", diz Bruna Pinheiro. 
salada de frutas - Foto Getty Images

Após a atividade física

"Consumir uma salada de frutas acompanhada da chia pode ser uma ótima opção de lanche após os exercícios, uma vez que as frutas são fontes de carboidratos e a chia possui elevado teor de proteínas e potássio", explica Wellington Pinheiro. Para quem pratica atividade física, é indispensável o consumo dessa combinação após o treino, já que os carboidratos vão repor a energia perdida, as proteínas vão ajudar na recuperação dos músculos e o potássio irá prevenir câimbras. 'Consumir a fruta inteira em vez do suco oferece mais vantagens uma vez que as fibras das frutas são quebradas quando batidas, diminuindo seus os efeitos."
mulher tirando bolinhos do forno - Foto Getty Images

Substituir os ovos nas receitas

O gel formado pela chia pode ser um ótimo substituto do ovo em receitas. Misturando uma colher de sopa da farinha de chia com 60 ml de água, você obtém uma quantidade de gel suficiente para substituir um ovo em qualquer receita. "Ao fazer isso, há diminuição no consumo do colesterol (presente no ovo) e adição de mais nutrientes ao preparo", afirma a nutricionista Bruna. De acordo com a especialista, qualquer porção de ovos de uma receita pode ser substituída pelo gel da farinha de chia sem problemas. 
salada - Foto Getty Images

Em saladas

A chia pode ser usada para temperar a salada de duas maneiras: como a semente propriamente dita ou então na forma de óleo. "O óleo extraído da chia conserva todos os nutrientes presentes da semente, com exceção das fibras, que são perdidas nesse processo", afirma o nutricionista Wellington. O óleo da chia pode ser usado nas saladas do lugar do azeite e a semente pode ser acrescentada apenas como um complemento da salada pronta.  
pão com gergelim e chia por cima - Foto Getty Images

Faz as vezes do gergelim

Os especialistas afirmam que você pode acrescentar a chia na cobertura de pães e bolos caseiros, como se fosse um gergelim. "No entanto, os benefícios que a chia traz são maiores, uma vez que ela aumenta a saciedade, favorece o bom funcionamento do intestino e é rica em uma série de nutrientes que não estão presentes no gergelim, como as vitaminas, o potássio e o ferro", diz Bruna Pinheiro.

Fonte: MSN

domingo, 18 de novembro de 2012

Aproveite o melhor do filé-mignon



Chefs dão dicas para acertar nos cortes, no ponto e na escolha da peça. E mais: 20 receitas que vão render elogios.

Um dos mais nobres cortes bovinos, o filé-mignon é conhecido por sua maciez e por estar presente em pratos especiais. O corte fica na parte superior traseira do boi e é protegido por outras partes carnudas, como o contra-filé, o que garante sua maciez. "Como não é usado nos movimentos do animal, tem pouco músculo, textura macia e uma cor vermelha bem viva".
NO MERCADO - Para saber se um filé-mignon está fresco preste atenção à cor e ao cheiro da peça. A cor de sangue tem que estar bem viva, ela não pode ter nenhum tom esverdeado.
- Comprando uma peça de aproximadamente 1 quilo você economiza e consegue usar todas as partes do filé-mignon para prepações diversas.
- Prefira sempre a peça fresca. Se o consumo em casa não for grande, é possível dividir a carne em porções e congelar. Assim, ela passa pelo resfriamento apenas uma vez. Filé-mignon, quando comprado congelado, pode perder a suculência.
- Se você preferir usar filé-mignon embalado a vácuo, tome cuidado. É importante que não tenha muito sangue na embalagem.
- O filé-mignon é uma peça limpa, tem que apresentar espelho (camada de fibras de cor levemente prateada, que cobre a carne) e quase nenhuma gordura. Ambos devem ser retirados com uma faca afiada antes da preparação.
- Quando for tirar a membrana, que fica na parte superior do filé, cuidado para não levar junto parte da carne. Os movimentos têm que ser bem delicados. Deve-se cortar a peça da parte maior para a parte menor, fica mais fácil o manuseio para fazer a limpeza.
NA COZINHA 
- Depois de limpa, faça o corte de acordo com o preparo. Porções do miolo da peça, como o chateubriand (cortes altos) e os escalopes (cortes mais finos) devem ser grelhadas ou seladas. A cabeça (ponta maior) do filé-mignon é mais dura, mas ainda pode ser grelhada. Use a ponta mais fina e as aparas em preparações como estrogonofe e picadinho.
- Essa carne é considerada nobre porque não possui gordura entremeada. Isso faz com que, muitas vezes, seja menos saborosa do que outros cortes. Se for muito cozida, a peça pode desfazer ou ficar ressecada.
- O ideal é servir a carne sempre rosada, ao ponto para o mal passada.
- Se quiser fazer churrasco de filé-mignon, o corte deve ter uns 4 centímetros de altura e ser assado no fogo, não na brasa. Deixe a carne 5 minutos de cada lado no fogo e depois mais 5 na brasa para equalizar o ponto. 
Entenda o filé-mignon
- Chateubriand: peça alta e nobre do miolo do filé. O corte, tradicional, é ideal para grelhados.
- Paillard: feito geralmente com a ponta do filé-mignon batida. Fica bem parecido com outros bifes.
- Medalhão: o mais conhecido e consumido pelos brasileiros. De tamanho intermediário, pode ser assado ou grelhado. 
- Escalope: mais fino e indicado para servir acompanhado de algum tempero ou molho. 
Fonte: IG

RECEITAS:
ROSBIFE COM SALADA

INGREDIENTES

  • Uma peça de filé mignon de 600g
  • Especiarias moídas (coentro, mostarda em grãos e pimenta branca)
  • 20 g de mostarda escura
  • 20 ml de óleo de milho
  • Folhas a gosto (radiccio, espinafre e alface americana)
  • Gomos de uma laranja, sem a pele
  • Suco de uma laranja
  • 20 ml de vinagre orgânico
  • 20 ml de azeite extravirgem
  • Sal e pimenta-do-reino (branca, moída na hora)

MODO DE PREPARO

Misture as especiarias moídas com sal, mostarda e óleo de milho, para obter uma pasta. Passe essa pasta na carne e deixe pegar gosto por meia hora. Leve para grelhar numa frigideira antiaderente a carne dourando toda a superfície por igual. Reserve e resfrie. 
Faça o tempero da salada misturando vigorosamente o suco da laranja com o azeite, o vinagre, o sal e a pimenta. Corte o filé em fatias finas. Tempere as folhas com o molho e acrescente os gomos de laranja. Sirva a carne acompanhada das folhas. 

sábado, 17 de novembro de 2012

Intervale suas refeições com lanches de até 200 calorias



12 deliciosas opções para você rechear as horas que intercalam os pratos principais


Para não chegar ao estágio em que você sente seu estômago nas costas, é preciso incluir lanches entre suas refeições principais. Com a participação deles entre os pratos, você nunca chega faminto à próxima refeição. A necessidade, porém, pode somar muitas calorias à dieta, se você não souber em quais alimentos apostar para rechear os intervalos entre as refeições.
SEGUE ABAIXO ALGUMAS SUGESTÕES DE LANCHES:

lanche - foto Getty Images
Opção 1: com 163 calorias
1 unidade de queijo tipo Polenguinho tradicional
1 fatia de pão de forma integral
1 unidade de kiwi

Análise da nutricionista do Minha Vida: Nesta opção de lanche, temos um derivado do leite, um cereal e uma fruta, participantes importantes desse tipo de refeição. Como derivado do leite, o Polenguinho fornece cálcio, mineral de destaque na saúde dos ossos. O pão integral e a fruta oferecem fibras, colaboradoras no funcionamento do intestino. 
iogurte - foto Getty Images Opção 2 - com 153 calorias
1 pote (100 g) de iogurte com 0% de gordura
½ unidade de mamão papaya médio
1 colher de sopa de granola

Análise da nutricionista do Minha Vida: O iogurte com baixa quantidade de gorduras apresenta uma quantidade menor de calorias, possibilitando a ingestão de outros alimentos. A inclusão do mamão papaya e da granola aumenta o consumo de fibras, nutriente que aumenta a motilidade intestinal e a saciedade, retardando a sensação de fome . 
pêssegos - foto Getty Images Opção 3: com 160 calorias
1 unidade de leite fermentado tipo Yakult
1 unidade de torrada tradicional
1 unidade grande de pêssego

Análise da nutricionista do Minha Vida: O leite fermentado contém lactobacilos, microorganismos que equilibram a flora intestinal e regularizam a função do intestino. Já a torrada e o pêssego ajudam a fornecer uma quantidade adequada de calorias para o lanche intermediário ficar completo. Além disso, eles também contribuem para o bom funcionamento do intestino. 
papaya - foto Getty Images Opção 4: com 156 calorias
1 barrinha de cereais
½ unidade média de mamão papaya

Análise da nutricionista do Minha Vida: A combinação fornece boas doses de carboidratos e fibras, garantindo energia e ajudando no funcionamento do intestino. 
torrada com geleia - foto Getty Images Opção 5: com 163 calorias
1 caixinha de suco de maracujá
1 unidade de torrada tradicional
1 colher de chá de geleia com sabor de sua preferência

Análise da nutricionista do Minha Vida: O suco de caixinha é uma boa alternativa para quem não tem como preparar um suco natural. No mercado, você ainda encontra uma grande variedade de sabores, além das versões light e à base de soja. A torrada fornece fibras e carboidratos, enquanto a geleia dá um sabor doce ao lanche. 
lanche - foto Getty Images Opção 6: com 150 calorias
2 fatias de pão de forma integral
2 fatias de peito de peru
1 lata de chá light tipo Nestea do sabor de sua preferência

Análise da nutricionista do Minha Vida: O chá light é outra boa alternativa para quem vive a correria do dia-a-dia. Como ele contém baixíssima quantidade calórica, dá para ser acompanhado com um sanduíche simples. A combinação de pão integral e peito de peru fornecem fibras e proteínas ao organismo . 
ameixa - foto Getty Images Opção 7: com 164 calorias
4 unidades de biscoito salgado
2 colheres de chá de geléia do sabor de sua preferência
1 unidade grande de ameixa fresca

Análise da nutricionista do Minha Vida: O biscoito é boa fonte de carboidratos, responsáveis por gerar energia para o corpo. A geléia pode ainda, ser substituída pelo requeijão, caso você prefira um lanche salgado. A ameixa é uma fruta com baixa quantidade calórica e rica em fibras, o que auxilia na regularização da função intestinal. 
pão de queijo - foto Getty Images Opção 8: com 154 calorias
1 unidade média de pão de queijo
1 unidade média de maçã

Análise da nutricionista do Minha Vida: Uma alimentação equilibrada permite a ingestão de todos os alimentos. Por isso, o pão de queijo pode fazer parte do cardápio, contanto que não seja consumido freqüentemente. Uma unidade média por semana é a quantidade ideal. A maça, por sua vez, fornece vitaminas, minerais e fibras, nutrientes importantes para o organismo. 
torrada com cream cheese - foto Getty Images Opção 9: com 130 calorias
2 torradas light
2 colheres de sopa de cream cheese light
1 xícara de chá de chá verde sem açúcar

Análise da nutricionista do Minha Vida: A torrada light fornece carboidratos, fonte de energia para o organismo, bem como fibras, substância importante para o bom funcionamento intestinal. Como derivado do leite, o cream cheese oferece um nutriente essencial para a saúde dos ossos, o cálcio. O chá verde completa o lanche saudável, apresentando substâncias antioxidantes, que combatem o envelhecimento celular. 
lanche - foto Getty Images Opção 10: com 194 calorias
1 fatia de pão integral light
1 fatia de ricota
3 fatias de peito de peru
1 copo de suco de maracujá com adoçante

Análise da nutricionista do Minha Vida: A combinação do pão integral, fornecedor de carboidratos e fibras, com a ricota e o peito de peru, ricos em proteínas é perfeita. Além de dar energia a quem o consome, o lanche oferece proteínas, nutriente envolvido em diversas funções do organismo, como a renovação celular. O suco de maracujá oferece vitaminas e minerais, colaborando para atingir a meta destes nutrientes. 
leite com morangos - foto Getty Images Opção 11: com 180 kcal
1 copo de leite desnatado batido com 5 morangos
2 unidades de biscoito integral com gergelim

Análise da nutricionista do Minha Vida: O leite desnatado é fonte de cálcio, além de fornecer uma baixa quantidade de calorias e gorduras, colaborando para uma alimentação saudável. O morango e o biscoito são fontes de fibras, nutriente responsável pela regulação do intestino . 
leite com cereal - foto Getty Images Opção 12: com 188 kcal
1 xícara de chá de leite desnatado
½ xícara de chá de cereal matinal tipo Sucrilhos
½ banana nanica picada

Análise da nutricionista do Minha Vida: O leite é um ótimo aliado de quem quer prevenir a osteoporose, já que é fonte de cálcio, mineral responsável pela saúde dos ossos. O cereal matinal se responsabiliza pelo fornecimento de energia para o corpo, enquanto a banana apresenta uma série de vitaminas e minerais .

fONTE: MSN

LANCHES SAUDÁVEIS!



Se você é adepto dos lanchinhos que têm aqueles nomes difíceis de pronunciar, mas que, em geral, adicionam calorias extras à dieta, fique de olho nas dicas para deixá-los mais leves e saborosos: "muitos lanches oferecem a possibilidade de substituir recheios gordos e calóricos por outros mais leves e nutritivos sem perderem o sabor, como no caso da troca da maionese tradicional pela versão light ou por requeijão, por exemplo," explica Giovana Longo, nutricionista da Unifesp.

Quer deixar o seu lanche mais saudável também? A seguir, confira as substituições propostas pela nutricionista. 
  •  
Kebab Sherazade - Foto divulgação Kebabel
Kebab Sherazade
 (Kebab com carne (frango/bovina) = 260 Kcal) Ingredientes: uma fatia de pão libanês, 120g de tiras de frango marinado em especiarias árabes,70g de coalhada seca, uvas passas brancas e pretas, folhas de hortelã inteiras e salada de salsa, tomate, cebola e alface a gosto. Dica da nutri: "nesta receita seria interessante substituir a couve-flor frita pela grelhada, ou então refogada, diminuindo assim o teor de gorduras e valor calórico da preparação. O pão também poderia ser integral".
Wrap Mediterrâneo - Fotos Getty Images Wrap Mediterrâneo (100 kcal)
Ingredientes: 4 unidade(s) de tortilha(s), 120 g de queijo de cabra, 100 g de tomate seco picado, rúcula à gosto, azeite de oliva para dar uma aromatizada no prato. Dica da nutri: "nesta receita não há grandes problemas de composição, exceção do tomate seco, que acaba sendo altamente calórico por ser preparado com óleos. Se possível, utilize o tomate in natura, mais saudável e menos calórico".
Tacos- Fotos Getty Images Tortilhas para o taco:
(12 unidades = aproximadamente 30 Kcal)
Ingredientes: 2 xícaras de chá de farinha de trigo, 1 xícara e 1/2 de chá de água morna, sal a gosto. Dicas da nutri: "a farinha de trigo poderia ser substituída pela farinha de trigo integral para deixar a massa mais saudável". Guacamole: (100g = 450 Kcal) Ingredientes: 2 tomates médios sem sementes, 1 pimenta dedo-de-moça média, folhas de 1/2 maço médio de coentro, 1 abacate médio, 1 cebola média picada, suco de 1 limão médio, 3 colheres de sopa de azeite de oliva, sal a gosto. Dicas da nutri: "o guacamole que acompanha os tacos, embora seja uma preparação com alto teor calórico, devido ao abacate, é uma boa opção, uma vez que contem ômega 3, portanto traz benefícios à saúde".
Temaki Califórnia- Fotos Getty Images Temaki Califórnia: (270 Kcal)
 Ingredientes: 55 g de arroz japonês, 1/2 unidade(s) de nori ( espécie de alga típica da culinária japonesa), 1 colher (café) de gergelim, 12 g de manga, 6 g de pepino. Dica da nutri: "a culinária japonesa é caracterizada por alimentos de baixo teor de gordura. O temaki e o sushi, por exemplo, são preparações de baixo valor calórico, porém, devem também ser consumidos com moderação, principalmente no que se refere aos molhos, como o shoyo, molho de soja, que apresenta alto teor de sódio, contribuindo para o aumento da pressão arterial".
Chawarma- Arábia Restaurantes- Foto divulgação Chawarma: (100g = 250 Kcal)
 Ingredientes: uma fatia de pão sírio, salsinha, tomate e cebola a gosto, 20 gramas de picles, 100 g de carne bovina assada e molho de gergelim. Dicas da nutri: "prefira carnes com cortes mais magros e não exagere no picles para não exceder a dose de sódio".

fONTE: MSN

O que é Alergia?



Alergia ou reação de hipersensibilidade é uma resposta imunológica exagerada, que se desenvolve após a exposição a um determinado antígeno (substância estranha ao nosso organismo) e que ocorre em indivíduos suscetíveis (geneticamente) e previamente sensibilizados.

Causas

Principais agentes que provocam alergia ou hipersensibilidade

  • Ácaros e baratas
  • Mofo (fungos)
  • epitélio (pele) e pelos de animais (gatos e cães)
  • Esporos de fungos e pólens de flores
  • Alimentos
  • Medicamentos.
Foto Getty Images Ácaros são um dos principais desencadeadores das reações alérgicas

Tipos

Alimentar

  • Leite de vaca
  • Ovos
  • Amendoim
  • Soja
  • Peixes e frutos do mar
  • Nozes

Pele

Manifesta-se com lesões e coceira intensa. Em alguns casos, pode ser muito grave, acometendo o corpo inteiro.

Nariz

A inflamação alérgica da mucosa do nariz, conhecida como rinite alérgica, pode ocorrer de forma repetida. Sua principal causa são os alérgenos inalantes, como ácaros e poeira doméstica.

Vias respiratórias

A asma é uma doença acompanhada de inflamação alérgica das vias respiratórias. Também é conhecida como bronquite alérgica ou bronquite asmática. É provocada, principalmente, por:
  • Alérgenos e irritantes
  • Infecções de vias aéreas
  • Exercício físico inadequado
  • Refluxo gastro-esofágico
  • Medicações e alimentos
  • Causas emocionais, como a ansiedade.

Ocular

A conjuntivite alérgica é a alergia mais comum, provocando irritação, vermelhidão, coceira e lacrimejamento dos olhos.

Sintomas de Alergia

Principais sintomas da asma

  • Sensação de "aperto" ou opressão no peito ("peito preso")
  • Falta de ar ou cansaço
  • Chiados no peito
  • Tosse, que pode acompanhar-se de eliminação de secreção (gosma branca).

Principais sintomas da rinite alérgica

  • Espirros repetidos
  • coriza líquida e abundante
  • Coceira nasal insistente (ou coçam também os olhos, os ouvidos, céu da boca e garganta)
  • Mucosa nasal congestionada e narinas entupidas
  • olhos avermelhados, irritados, lacrimejando e coçando
  • Sensação de escorrimento da secreção pela parte de trás do nariz, que pode provocar pigarro ou tosse insistente
  • Alteração do olfato e do paladar
  • Tosse crônica noturna
  • Sinusite
  • Amigdalites
  • Faringites
  • Otites repetidas.

Tratamento de Alergia

É importante procurar um médico especialista, que irá pesquisar as causas da alergia e recomendar os remédios mais adequados para controlar a doença.

Complicações possíveis

Anafilaxia ou choque anafilático

É uma reação alérgica grave, que provoca acometimento de todo o organismo; Dificuldade de respiração; Perda de consciência; Até a morte, quando não tratada imediatamente.

Convivendo/ Prognóstico

Dicas para uma casa saudável

  • Ventilação: manter janelas abertas durante o dia. Não tenha receio: vento não faz mal
  • Móveis: o mobiliário deve ser simples, com bordas lisas e de fácil limpeza
  • A limpeza: deve ser feita diariamente, com água, sabão e produtos de limpeza adequados. Evitar produtos com odor ativo, como os derivados de amoníaco. Evitar, também, usar vassouras e espanadores, bem como aspiradores que não tenham filtros para reter partículas bem pequenas
  • Colchões e travesseiros: trocar travesseiros uma vez por ano e preferir modelos com espuma inteiriça. Evitar penas ou flocos. Encapar colchões e travesseiros com capas especiais contra ácaros e trocar as roupas de cama semanalmente.
FONTE: msn