domingo, 30 de setembro de 2012

Granola sem glúten


Granola Especial


INGREDIENTES:

1 xícara de Flocos de milho integral sem açúcar
1 xícara de Flocos de arroz integral
½ xícara de quinua em flocos
1 colher (de sopa) de Semente de linhaça
2 colheres (de sopa) de Uva passa
2 colheres (de sopa) de Castanha do Pará picada
2 colheres (de sopa) de Açúcar mascavo
1 colher (de sopa) de côco ralado sem açúcar
1 colher (de chá) de Gergelim

MODO DE PREPARO:

Misture bem todos os ingredientes, em um recipiente seco. Está pronto!
Experimente consumir com iogurtes de soja ou batido no liquidificador com chá gelado ou leite de soja, na forma de vitaminas.

Fonte: Funcionalli

Mini Rocambole de Ricota com Tomate Seco

Ingredientes:
250 g de ricota
2 colheres (sopa) de farinha de rosca
1/2 maço médio de rúcula cortado em tiras finas
100 g de tomate seco sem óleo picado
sal e pimenta-do-reino branca moída na hora a gosto
salada de folhas, temperada com 1 colher (chá) de azeite de oliva e sal para acompanhar .

Preparação:
Bata no processador a ricota com a farinha de rosca, o sal e a pimenta-do-reino.

Forre uma superfície lisa com filme plástico, disponha a massa de ricota preparada e abra até obter 3 retângulos de 6 cm x 18 cm e com 1 cm de espessura cada um. Disponha a rúcula e o tomate seco e enrole a massa como um rocambole, apertando suavemente com a ajuda do filme plástico.

Leve os rocamboles à geladeira e deixe por 1 hora. No momento de servir, corte os rocamboles em pedaços pequenos, disponha nos pratos e sirva com a salada de folhas.

Foto da Revista Menu.

Fonte: Petisco . com

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Como malhar e gastar calorias em casa

Para quem não tem tempo para ir numa academia ou o dinheiro anda curto, veja como pode gastar calorias em casa!
Agora experimente!

Zumba, uma dança que emagrece!

UOL Ginástica em Casa: aprenda uma aula para iniciantes de Zumba, sucesso nas academias
Aula de dança misturada com ginástica, a zumba chega a queimar 400 calorias por hora

  • Aula de dança misturada com ginástica, a zumba chega a queimar 400 calorias por hora
O UOL Dieta e Boa Forma lança uma nova série de vídeos com aulas para você fazer na sua casa. Com exercícios simples, que podem ser feitos em qualquer lugar, você entra em forma e ainda fica mais saudável. Nesta edição do UOL Ginástica em Casa, a professora Ludmilla Marzano vai ensinar uma aula de 'Zumba Fitness'.
A Zumba é uma aula de dança misturada com ginástica que utiliza o treinamento intermitente - intensidade aumenta e diminui durante o exercício, sem descanso - para aumentar a queima calórica. Uma aula de uma hora chega a queimar 1.000 calorias. As músicas misturam diversos estilos. Em sua origem, a Zumba utilizava muito os ritmos latinos, mas hoje ela tem passos e ritmos do mundo todo.

Faça uma aula de Zumba para iniciantes em casa

Esta primeira aula utiliza um ritmo mais lento, a cumbia, um tipo de música latina, da Colômbia, mas muito difundido no México. Por ser mais lenta, é mais fácil de seguir e menos cansativa. Mas lembre-se que todas as aulas podem ser feitas por qualquer um, pois os passos são simples e queimam pelo menos 400 calorias.
As aulas de Zumba não possuem descanso estático (paradas), por isso as músicas mais lentas, como a desta série, servem como descanso para ritmos mais rápidos, mesmo em alunos avançados. Veja esta aula para iniciantes e pratique a Zumba em casa.

Fonte: UOL

domingo, 23 de setembro de 2012

Alimentos que ativam a memória

No decorrer da vida, as células, inclusive as do cérebro, são danificadas pelos radicais livres que levam a uma diminuição no ritmo de produção de energia. A ação destes componentes compromete a atuação dos neurônios, provocam o desaparecimento das sinapses e reduz a capacidade de comunicação entre as células e dessa forma prejudica o funcionamento mental. Após anos de exposição aos radicais livres, os neurônios podem ser destruídos e com isso podem provocar doenças como Alzheimer, Parkinson e outras doenças degenerativas do cérebro.
Apesar de ainda não existirem estudos conclusivos sobre o assunto, alguns estudos sugerem que a melhor maneira de evitar isso é fornecer ao cérebro mais antioxidantes e assim combater os radicais livres. A nutrição adequada e mudanças no estilo de vida, inclusive exercícios físicos e mentais podem contribuir bastante com o bom funcionamento do cérebro, além de facilitar a captação dos neurotransmissores essenciais a memória. Veja a seguir alguns alimentos que podem ajudar você a ter uma boa memória: Gema de ovo - Contém colina, precursor do neurotransmissor acetilcolina, que pode melhorar a memória. Sua deficiência parece estar associada à doença de Alzheimer, causa comum de demência. Peixes - Principalmente os de água fria (salmão, anchova, sardinha, atum, arenque), são fontes de ácidos graxos ômega 3, poderoso antioxidante. Frutas e vegetais amarelos - Mamão, manga, pêssego, cenoura, abóbora. São alimentos fontes de betacaroteno, antioxidante que combate o envelhecimento celular. Frutas vermelhas - Morango, cereja, framboesa, amora, pitanga, melancia e tomate, também possuem pigmentos antioxidantes que combate os radicais livres e ajudam a memória. Oleaginosas - castanhas, nozes, amêndoas, avelãs, amendoim. Ricas em vitamina E e selênio, também fontes de antioxidantes. Carnes, aves, grãos integrais, leguminosas, leite e derivados Estes alimentos são fontes de vitaminas do complexo B. Ajudam a regular a transmissão entre os neurônios. Na carne vermelha você encontra também o ferro que pode colaborar com a boa memória. Como você pode perceber vários alimentos são fontes de antioxidantes, então aproveite, tenha uma alimentação variada, consuma todos os grupos alimentares diariamente. Fonte: Vila Mulher

sábado, 22 de setembro de 2012

SPA Week tem Massagens mais baratas em seis Estados do Brasil

Evento de bem-estar estará em 153 estabelecimentos até 6 de outubro, com tratamentos que custam entre R$ 55 e R$ 75 Começa neste sábado (22) a 7º edição do SPA Week, evento que oferece tratamentos voltados para beleza e bem-estar com valores entre R$ 55 e R$ 75 – os preços variam conforme a região. Até 6 de outubro, 153 estabelecimentos em seis Estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraná e Distrito Federal) estarão oferecendo, a preços mais em conta, massagens, tratamentos de cromoterapia, reflexologia e até peeling de cristal. Para participar, é indicado agendar a sessão com uma das clínicas participantes.
Alguns locais no Rio de Janeiro que estão participando. Aproveitem! Espaço Nirvana - acesse o site Praça Santos Dumont, 31 - jockey clube, parte Gávea, Rio de Janeiro, RJ (21) 2187-0100 Terapias oferecidas: Abhyanga (Ayurvédica) - duração: 50 min. Massagem Nirvana Relaxante - duração: 50 min. Pedras Quentes - duração: 50 min. Pausadamente - acesse o site Rua Sete de Setembro, 88 Centro, Rio de Janeiro, RJ (21) 2232-8227 Terapias oferecidas: Relax & Energy - Reflexologia - duração: 65 min. Relax & Energy - Shiatsu - duração: 45 min. Buddha SPA - acesse o site Rua General Urquiza, 102 - (na academia Bodytech) Leblon, Rio de Janeiro, RJ (021) 7845-8424 Terapias oferecidas: Massagem Ayurvédica - duração: 50 min. Relaxante Buddha Spa - duração: 50 min. Sessão Estética - duração: 50 min. Spa Maria Bonita - acesse o site Rua Prudente de Morais, 729 - play Ipanema, Rio de Janeiro, RJ (21) 2513-4050 | (21) 2256-0906 Terapias oferecidas: Drenagem Linfática - duração: 60 min. Hidroterapia com esfoliação - duração: 60 min. Massagem Relaxante - duração: 60 min. Gestos do Corpo - acesse o site Rua Conde Afonso Celso, 99 - casa Jardim Botânico, Rio de Janeiro, RJ (21) 25399804 | (21) 77174158 Terapias oferecidas: Massagem Ayurvédica - duração: 50 min. Massagem Lomi Lomi - duração: 50 min. Shiatsu - duração: 50 min. Babylon Beauty Company - acesse o site Av do pepe , 690 - loja A ( anexo ao Hotel Royalty) Barra da Tijuca, rio de janeiro, RJ (21) 2491-1917 | (21) 24950265 Terapias oferecidas: Ritual Anti-Age - duração: 90 min. Ritual Body Relax - duração: 90 min. Ritual Sensations - duração: 90 min. Buddha SPA - acesse o site Rua José Silva de Azevedo Neto, 200 - (na academia Bodytech) Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ (021) 3311-5451 Terapias oferecidas: Massagem Ayurvédica - duração: 50 min. Relaxante Buddha Spa - duração: 50 min. Sessão Estética - duração: 50 min. Buddha SPA - acesse o site Avenida das Américas, 700 - (na academia Bodytech) Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ (021) 2132-7612 Terapias oferecidas: Massagem Ayurvédica - duração: 50 min. Relaxante Buddha Spa - duração: 50 min. Sessão Estética - duração: 50 min. Buddha SPA - acesse o site Avenida Lucio Costa, Posto 6, 4.446 Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ (021) 2433- 1296 Terapias oferecidas: Massagem Ayurvédica - duração: 50 min. Relaxante Buddha Spa - duração: 50 min. Sessão Estética - duração: 50 min. Canto do Corpo - acesse o site Av. Sernambetiba, 3460 , 3460 - sala 301 Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ (21) 24965559 | (21) 78582824 Terapias oferecidas: Body Talk + Acupuntura - duração: 60 min. Liberação Miofascial - duração: 60 min. Massagem Ayurvédica - duração: 60 min. Clínica Pazos - acesse o site Av. das Américas, 3255 - Cob. 301 Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ (21) 3325-5897 | (21) 2439-3653 Terapias oferecidas: Massagem Terapêutica Pazos - duração: 50 min. Peeling Combinado - duração: 40 min. Rejuvenescimento Facial - duração: 50 min. Thai Estética e Bem-Estar - acesse o site Av. Evandro Lins e Silva, 840 - 1718 Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ (21) 24831842 | (21) 21782030 Terapias oferecidas: HidraNutri c/Pérolas Brancas - duração: 60 min. Massagem relax com azeite - duração: 60 min. Peeling com Máscara de Ouro - duração: 60 min. Buddha SPA - acesse o site R. Lauro Müller- Shopping Rio Sul - Na Academia BodyTech, 116 - (na academia Bodytech) Botafogo, Rio de Janeiro, RJ (021) 2295-7941 Terapias oferecidas: Massagem Ayurvédica - duração: 50 min. Relaxante Buddha Spa - duração: 50 min. Sessão Estética - duração: 50 min. Com tantos lugares, escolha o seu e aproveite! Fonte: IG

Estudos atestam: refrigerante causa obesidade

Em 35 anos o número de calorias que o norte-americano médio consome em refrigerantes e outras bebidas doces duplicou, fazendo dessa a maior fonte de calorias na dieta.
Enquanto os norte-americanos discutem qual é o maior vilão da epidemia nacional de obesidade, pesquisadores disseram ter encontrado os mais fortes indícios até agora de que as bebidas açucaradas têm grande participação nisso, e que eliminá-las seria a mais eficaz ação à disposição. Três estudos sobre o assunto foram publicados nesta sexta-feira (21) na revista New England Journal of Medicine. "Não conheço nenhuma outra categoria de alimentos cuja eliminação possa produzir perda de peso num período tão curto", disse David Ludwig, diretor do Centro de Prevenção à Obesidade da Fundação Novo Equilíbrio, do Hospital Infantil de Boston, que coordenou um dos estudos. "O mais efetivo alvo individual para uma intervenção destinada a reduzir a obesidade são as bebidas açucaradas." Porções de refrigerante e a quantidade correspondente de açúcar em cada um: estudos atestam que eles causam obesidadePesquisas anteriores eram mais ambíguas, e os fabricantes contestam a ideia de que uma só fonte de calorias possa ter tamanha responsabilidade pela obesidade, que atinge cerca de um terço dos adultos nos EUA. "Sabemos, e a ciência ampara, que a obesidade não está causada unicamente por um só alimento ou bebida", disse em nota a Associação Americana de Bebidas. "Estudos e artigos opinativos que focam apenas em bebidas adoçadas com açúcar ou em qualquer fonte individual de calorias não fazem nada de significativo para contribuir com essa séria questão." Na semana passada, a prefeitura de Nova York proibiu a venda de bebida com açúcar em embalagens maiores do que 16 onças (454 gramas) em determinados estabelecimentos. Dados do governo mostram que, entre 1977 e 2002, o número de calorias que o norte-americano médio consome nos refrigerantes e outras bebidas doces duplicou, fazendo dessa a maior fonte de calorias na dieta. A associação dos fabricantes argumenta que depois disso o consumo caiu, e a obesidade continuou subindo. Embora estudos observacionais já mostrassem que consumidores de bebidas açucaradas têm mais chances de serem obesas, nenhuma relação de causa-efeito havia sido estabelecida. Os consumidores dessas bebidas também têm maior tendência a verem mais TV e comerem mais fast-food, o que abre a possibilidade de que o açúcar líquido não seja o principal vilão. Num dos estudos publicados na NEJM, crianças de 5 a 12 anos, com peso saudável, eram induzidas a tomar 250 mililitros de uma bebida sem gás, que podia ser com açúcar ou adoçada artificialmente. Ao final de 18 meses, o grupo da bebida sem açúcar havia ganhado menos gordura corporal, 1 quilo a menos de peso, e 0,36 unidade do índice de massa corporal do que o outro grupo. Segundo os pesquisadores, tudo indica que o açúcar na forma líquida não produz a mesma sensação de saciedade que outras calorias. "Quando as crianças substituíam (a bebida com açúcar por) bebida sem açúcar, seus organismos não sentiam a ausência de calorias, e não as substituíam por outros alimentos e bebidas", disse Martijn Katan, da Universidade VU, de Amsterdã. * Por Sharon Begley Fonte: IG

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

BENEFÍCIOS DA AVEIA

Todo mundo já ouviu falar na aveia não é mesmo? Seja na forma de mingau ou acrescentada nos leites, bolos ou qualquer outro alimento.
A aveia é um tipo de carboidrato que contém fibra solúvel e insolúvel. A fibra é a parte estrutural das plantas, grãos, frutas e hortaliças que não pode ser digerida pelo nosso organismo e nem pode fornecer energia.  A fibra solúvel é responsável por diminuir a absorção de açúcar e gordura no nosso intestino. Isso é uma vantagem muito boa, pois em quantidade adequada auxilia na perda de peso.
Muito se tem estudado sobre a beta-glucana, uma fibra solúvel encontrada na aveia. Sabe-se que o consumo regular desta fibra ajuda a diminuir o colesterol sanguíneo, reduzir a pressão arterial e a controlar o diabetes. Esta fibra absorve água no intestino e forma uma pasta viscosa que ajuda na captura do colesterol dos alimentos e diminui sua absorção para o corpo.
A parte de fibra insolúvel da aveia é responsável por reduzir a chance de ter diverticulite, ajuda a eliminar substâncias que podem levar ao câncer e ajuda na regulação do trânsito intestinal.
Além desses fatores, a aveia contém muitos antioxidantes que previnem contra o envelhecimento e o aparecimento de doenças, contém zinco que auxilia na diminuição de acnes e melhora o sistema imunológico e contém boro, um mineral importante para a saúde dos ossos.
É muito importante destacar que as pessoas não consomem a aveia em doses adequadas. Muitos estudos demonstraram que o consumo exagerado da aveia (mais que 1 xícara de 250ml) levam a sintomas como inchaço e produção de gases aumentado. O consumo adequado varia com o organismo de cada pessoa e deve ser levado em consideração.
Para se ter os benefícios da aveia precisa consumí-la regularmente e de forma variada, ou seja, nas frutas, componente de bolos, como mingaus, no iogurte e etc.
Todas as informações aqui passadas não substituem uma consulta que deve ser com o profissional nutricionista.

fONTE: NUTRICIONISTA.COM

SUCOS SAUDÁVEIS

Bebidas fazem bem para circulação e ajudam a queimar calorias

Confira o modo de preparo de sucos funcionais . Ela recomenda não coar os sucos.
  • Suco para digestão
    Ingredientes:1 maçã
    1 fatia de abacaxi
    6 folhas de hortelã
    1 copo de água
    Modo de preparo: Bater os ingredientes no liquidificador, tomar em seguida.


  • 2
    Suco de gengibre com melancia
    Aumenta a queima de calorias e melhora a circulação.
    Ingredientes:1 pedaço de 2 a 3 cm de gengibre fresco descascado
    1 fatia grande de melancia com as sementes
    1 copo de água filtrada
    Modo de preparo: Bater os ingredientes no liquidificador, servir em seguida.
  • 3
    Suco antioxidante
    Bom para a circulação, é diurético e ainda combate a flacidez
    Ingredientes: ½ xícara de chá de amoras
    ½ xícara de chá de morangos orgânicos
    1 xícara de chá de cavalinha.
    Modo de preparo:
    Ferver por 5 minutos 1 colher de chá de cavalinha seco. Espere esfriar e coloque para gelar. Bater com as frutas vermelhas e servir em seguida.

  • 4
    Frapê de abacate
    Ingredientes: ¼ de abacate
    1 banana
    1 pitada de canela
    1 xícara de café de água filtrada
    1 colher de chá de mel
    Modo de preparo:
    Bater no liquidificador os ingredientes e servir logo em seguida

Sucos laxantes

RECEITA DE SUCOS LAXANTE

Estas receitas ajudam a funcionar o intestino. O ideal é tomar pela manhã todos os dias.

1) Suco

  • Uma fatia média de mamão
  • três ameixas pretas (sem o caroço)
  • um copo de suco de laranja
  • uma colher de sopa de  farinha de linhaça

Modo de Preparo:

Bata no liquidificador o mamão, o suco de laranja (que também pode ser a laranja inteira, sem o caroço, mas com o bagaço) e as ameixas. Quando homogêneo, acrescente a linhaça triturada e misture.

2) suco
 5 ameixas secas
1 fatia de mamão
100 ml de actívia
1 col. De sopa de farinha de aveia

 Modo de Preparo:

Bater tudo no liquidificador.

Patrícia  Brigagão Mendes
Nutricionista

domingo, 16 de setembro de 2012

Cuidados com 'dietas da moda'



Comunicar erro Imprimir O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP alerta para os riscos que as dietas da moda, tidas como “milagrosas”, podem representar à saúde da população. Segundo a nutricionista Maíra Branco, a perda de peso rápida está relacionada a um maior risco e facilidade de reganho de peso.

Segundo ela, a perda de água e massa magra, mantendo gordura corporal ocasiona maior chance de flacidez. Além disso, as dietas muito restritas podem causar deficiência de vitaminas e minerais, trazendo futuros problemas para a saúde.

Uma das dietas mais comentadas atualmente é a do óleo de coco. Ela vem com a promessa de estimular o metabolismo, promover queima de gordura e reduzir a fome. Nela, recomenda-se o consumo de três colheres de sopa de óleo de coco associado a uma dieta equilibrada, na qual sugere um cardápio com 1.200 calorias diárias.

Branco afirma que uma dieta com esta quantidade calórica é considerada hipocalórica, o que levaria ao emagrecimento de quem a seguisse independentemente de outras substâncias associadas.

A nutricionista diz, ainda, que o óleo de coco é rico em gordura saturada, que em excesso tem efeitos maléficos ao organismo. O consumo excessivo de gordura saturada está associado ao aumento do colesterol.

A recomendação de ingestão total de gordura saturada, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, Associação Médica Brasileira e American Heart Association, é de até 7% de todo o valor calórico consumido.

Com essa proposta de dieta de 1.200 calorias associada a três colheres de sopa de óleo de coco, o consumo de gordura saturada chegaria a cerca de 20% do valor energético total. Isto corresponde a mais que o dobro do consumo máximo recomendado. Além disso, não existe comprovação científica sobre as propriedades atribuídas ao óleo de coco.

O segredo para o emagrecimento saudável está na reeducação alimentar através de uma alimentação equilibrada, com todos os nutrientes necessários em quantidades adequadas (carboidratos, proteínas, gorduras, fibras, vitaminas e minerais).
Os carboidratos devem ser preferencialmente complexos, como grãos integrais, por exemplo. As gorduras devem ser consumidas com moderação e provenientes, principalmente, de óleos vegetais, sementes oleaginosas e peixes ricos em ômega três. Já as proteínas estão presentes em leites e derivados, carnes bovinas, suínas, aves e peixes e também leguminosas.


Nutricionista do HC explica mitos e verdades sobre dietas

Comer de três em três horas emagrece O ideal é fracionar a alimentação em várias refeições ao dia, comendo a cada três horas. Isso favorece a manutenção do metabolismo ativo, mantendo gasto energético. É importante não confundir o comer a cada três horas com “beliscar” ao longo do dia .

Comer somente até 20h .As pessoas têm um ritmo de atividades reduzidas no período noturno, sendo por isso indicado um consumo de menores quantidades de alimentos à noite.

Tomar café .A cafeína age como um estimulante moderado, aumentando o alerta mental e acelerando o processo do raciocínio. Pesquisadores estudaram os seus efeitos metabólicos e verificaram que a substância não só faz aumentar o gasto de energia (em aproximadamente 13%), como também eleva a termogênese celular, a mobilização de ácidos graxos e a oxidação lipídica. O consumo recomendado de café é de três xícaras pequenas de café ao dia .

Tomar água com limão. Não existe comprovação de que auxilie no emagrecimento, mas como não há relatos de malefícios, ela pode ser consumida, sem adição de açúcar, com o objetivo de hidratação
Tomar remédios naturais Não existem comprovação de seus efeitos no emagrecimento e também não se sabe se eles podem causar algum malefício a saúde dos indivíduos que os utilizem.

Fonte: UOL

Alimentos certos e atitudes ajudam a combater compulsão por doce e gordura




Não adianta cortar a comida causadora de compulsão do cardápio se a pessoa não investir em alimentos e ações que ajudam a equilibrar a química do cérebro
Cada pessoa tem seu tipo predileto de “confort food”, aquela comida que traz conforto depois de um dia difícil. Para alguns, a caixa de bombons é a válvula de escape. Para outros, é a travessa inteira de batata frita com bastante sal. E quem já fez algumas dietas na vida sabe como é difícil cortar esses “venenos” que a gente usa como “prêmio de consolação”.

Para o psicoterapeuta Mike Dow, autor de “Dieta das Emoções - Como manter a saúde sem se tornar refém das oscilações de humor" (ed. Lua de Papel), a chave para não cair nesse tipo de armadilha e lançar toda a reeducação alimentar pelo ralo é a substituição. E isso deve ser feito de duas maneiras: com alimentos saudáveis e atividades que estimulam duas substâncias cerebrais envolvidas no bem-estar: a serotonina e a dopamina.

Dow é especialista em dependências e coapresentador de um programa de TV americano do canal TLC chamado “Freaky Eaters”, que conta histórias de viciados em hambúrgueres e pizzas. Ele próprio confessa que se “automedicou” com macarrão instantâneo por anos a fio. O péssimo hábito teria começado na adolescência, quando o irmão de 10 anos sofreu um raro AVC, os pais se divorciaram, o dinheiro da família minguou e ele passou a sofrer crises de ansiedade.

“Eu melhorava meu astral tomando cinco ou seis latas de refrigerante cheio de açúcar de dia, e reprimia minhas constantes preocupações com uma interminável série de lanches. Eu almoçava na escola um pacote de batatas fritas e chupava balas como se fossem pílulas. Sentado sozinho à mesa da cozinha enquanto minha mãe levava meu irmão para intermináveis consultas no hospital, eu encontrava conforto comendo ruidosamente uma grande tigela de macarrão instantâneo”, conta Dow, no livro.

O terapeuta relata que, de vez em quando, ainda usa o prato de carboidratos para se sentir reconfortado durante depressões noturnas. Mas agora tem controle sobre o que ele chama de “alimento-cilada”. Com uma dieta saudável e atividades que lhe dão prazer – incluindo a profissão que escolheu – ele está dez quilos mais magro e com os níveis de colesterol em dia.

Química cerebral

O primeiro passo para seguir o plano proposto por Dow é entender como os alimentos ricos em gordura ou açúcar afetam a química do cérebro. O autor cita uma pesquisa científica que mostra como ratos de laboratório submetidos a dietas com alta taxa desses nutrientes desenvolvem uma dependência tão forte quanto a provocada pelas drogas.

Ele explica que o processo de vício pela comida envolve, basicamente, dois neurotransmissores, substâncias que funcionam como mensageiros químicos no cérebro: a serotonina e a dopamina.

A primeira é associada à saciedade e ao bem-estar – pessoas com baixos níveis desse hormônio se sentem ansiosas, pessimistas e podem ter problemas de autoestima. Segundo Dow, a falta serotonina leva à ânsia por alimentos açucarados.

Dopamina

O segundo neurotransmissor envolvido no processo, a dopamina, é associado à motivação. Com essa substância em baixa, as pessoas ficam apáticas, tendem a se comportar de forma arriscada no jogo, nas drogas ou no sexo e costumam buscar alimentos gordurosos, carne vermelha e cafeína.

Algumas pessoas, ainda de acordo com o psicoterapeuta, têm problemas com os dois neurotransmissores. Elas se sentem exaustas, "com a corda no pescoço", e sentem desejo tanto por comidas ricas em açúcar e amigo, como por gordura.


VOCÊ ESTÁ ÁVIDO POR DOPAMINA? SAIBA O QUE FAZER

Dietas

Uma dieta com baixas calorias invariavelmente requer limites no consumo de gordura e açúcar. E, pela teoria de Dow, cortar de uma vez aquele chocolate no meio da tarde ou a macarronada no jantar pode agravar ainda mais os sintomas de quem já apresenta níveis baixos de serotonina e dopamina.

O resultado do corte drástico é a tendência a desistir da dieta ao menor sinal de estresse. Mais ou menos como o ex-fumante que resolve acender o cigarro como recompensa por algo desagradável que aconteceu. Só que, em pouco tempo, o sujeito volta a consumir a mesma quantidade de cigarros de antes – ou até mais.

Para evitar os sintomas de abstinência, ele propõe um período de desintoxicação: 28 dias em que a pessoa continua comendo os alimentos que são fontes de prazer, mas os limita a apenas duas refeições do dia.

Nas outras, a recomendação é caprichar no consumo de alimentos saudáveis que ajudam a elevar os níveis de serotonina e dopamina (sim, eles existem!). Além disso, o autor propõe incluir no cardápio atitudes simples que ajudam a equilibrar a química cerebral , como fazer uma caminhada ou abraçar alguém querido.

Claro que casos mais graves de baixa serotonina ou dopamina requerem ajuda de um psiquiatra e, eventualmente, medicação. Dow deixa claro que, nesse caso, é preciso fazer a dieta com acompanhamento profissional, e não usar o livro por conta própria.

Outras substâncias

A médica nutróloga Vania Assaly, diretora do Instituto de Prevenção Personalizada, concorda que certos alimentos podem contribuir para equilibrar os níveis de neurotransmissores. Bem combinados e em boa quantidade, alguns nutrientes podem melhorar significativamente o bem-estar.

Ela e a nutricionista e bioquímica Lucyanna Kalluf também lembram que há outras substâncias cerebrais importantes envolvidas no nosso humor, como a noradrenalina, a adrenalina, o Gaba e a acetilcolina.

Na lista de nutrientes “aliados” estão minerais como cálcio, magnésio, zinco e selênio; vitaminas como a D, a C e as do complexo B; aminoácidos como taurina e carnitina; e ácidos graxos como o ômega 3.

Fonte: UOL

sábado, 15 de setembro de 2012

Vídeo sobre Alimentação Saudável e Bons hábitos de Higiene



Gostei muito deste vídeo! Achei ilustrativo e interessante.
Vejam, é pequeno!

Patrícia Brigagão Mendes

O que o celíaco pode ou não comer?






PROIBIDOS:

Trigo (farinha de trigo, semolina, germe de trigo e farelo).

Aveia (flocos e farinha), Centeio, Cevada (farinha).

Malte, Cerveja, whisky, vodka, gin, e ginger-ale. Ovomaltine, bebidas contendo malte, cafés misturados com cevada.

Outras bebidas cuja composição não esteja clara no rótulo.

Leites achocolatados que contenham malte ou extrato de malte, queijos fundidos, queijos preparados com cereais proibidos.

Na dúvida ou ausência das informações corretas nas embalagens, não adquira o produto.

Patês enlatados, embutidos ( salame, salaminho e algumas salsichas ) Carnes à milanesa.

Extrato protéico vegetal, Proteína vegetal hidrolizada.

Mainoese, catchup, mostarda e temperos industrializados podem conter o glúten.

Leia com muita atenção o rótulo, os alimentos proibidos devem conter a expressão CONTÉM GLÚTEN nos rótulos.



PERMITIDOS:

Arroz = farinha de arroz, creme de arroz, arrozina, arroz integral em pó e seus derivados.

O creme de arroz não é um creme ou pasta, e sim um pó.

Milho = fubá, farinha, amido de milho ( maisena ), flocos, canjica e pipoca.

Batata = fécula ou farinha.

Mandioca ou Aipim = fécula ou farinha, como a tapioca, polvilho doce ou azedo.

Macarrão de cereais = arroz, milho e mandioca.

Cará, Inhame, Araruta, Sagú, Trigo sarraceno.

Sucos de frutas e vegetais naturais, refrigerantes e chás. Vinhos, champagnes, aguardentes e saquê. Cafés com selo ABIC.

Leite em pó, esterilizados ( caixas tetrapack ), leites integrais, desnatados e semi desnatados. Leite condensado, cremes de leite, Yacult. Queijos frescos, tipo minas, ricota, parmesão. Pães de queijo. Para iogurte e requeijão, verifique observações nas embalagens.

Açúcar de cana, mel, melado, rapadura, glucose de milho, malto-dextrina, dextrose, glicose. Geléias de fruta e de mocotó, doces e sorvetes caseiros preparados com alimentos permitidos. Achocolatados de cacau, balas e caramelos.

Todos os tipos de carnes, incluindo presunto.

Manteiga, margarina, banha de porco, gordura vegetal hidrogenada, óleos vegetais, azeite.

Feijão, broto de feijão, ervilha seca, lentilha, amendoim, grão de bico, soja ( extrato protéico de soja, extrato hidrossolúvel de soja ).

Legumes e verduras: Todas

Sal, pimenta, cheiro-verde, erva, temperos caseiros, maionese caseira, vinagre fermentado de vinhos tinto e de arroz.

LEIA ATENTAMENTE OS RÓTULOS, PROCURANDO OS ALIMENTOS QUE CONTENHAM A SEGUINTE INFORMAÇÃO: NÃO CONTÉM GLUTÉN.
BIBLIOGRAFIA:

Associação dos Celíacos do Brasil. disponível em: < http://www.acelbra.org.br/2004/alimentos.php>


Manual do Celíaco



Elaboramos esse material para ajudar aos celíacos e seus familiares a evitar situações de risco.


Mesmo fazendo uma dieta sem glúten, muitas vezes ingerimos glúten sem saber. É o problema da contaminação por glúten. E ela pode acontecer de várias formas.


Por isso preste atenção:



1- Cuidado com o óleo : nunca use o óleo onde se fritou alimentos empanados com farinha de rosca , de trigo ou outra farinha que contenha glúten, para preparar alimentos sem glúten para o celíaco. Não coma batatas fritas em lanchonetes e restaurantes onde servem "nuggets" ou outros salgadinhos que contém glúten, pois geralmente são fritos no mesmo óleo e vasilhame .Muitas vezes os restaurantes reutilizam este óleo contaminado para refogar as preparações.Informe-se.



2- Não asse no mesmo forno, ao mesmo tempo, alimentos com e sem glúten (lasanha e frango, por exemplo).



3- Não esquente o pão de um celíaco na mesma torradeira / tostadeira em que costumar torrar os pães comuns, pois as migalhas destes, mesmo torradas, podem contaminar o pão sem glúten.



4-Lave bem os potes onde guardar biscoitos sem glúten caso anteriormente tenham acondicionado biscoitos com glúten. Passar apenas um pano não descontamina.



5-Tenha muito cuidado com vasilhas e talheres mal lavados. Cuidado com as esponjas que podem reter farelos de pães e biscoitos. Tenha material separado para lavar e enxugar vasilhames com e sem glúten.



6-O pó de Café pode estar misturado com Cevada, para aumentar a quantidade na embalagem. Evite tomar café onde você não saiba a marca do produto.



7-Caramelos e balas podem ter sido envoltos em farinha de trigo para não grudarem no papel de embalagem. Esta informação não se encontra no rótulo dos produtos.



8- Separe na geladeira potes de manteiga/margarina, requeijão ou geléia para as pessoas que comem glúten daqueles dos que não comem, pois os farelos de biscoitos, bolos ou pães podem contaminar os alimentos. Tome cuidado com migalhas que podem cair sobre alimentos sem glúten e não misture os talheres para servir alimentos com e sem glúten.



9- Não permaneça no mesmo ambiente quando alguém manipular farinhas proibidas, pois o pó se espalha e pode provocar lesões na pele em pessoas muito sensíveis ao glúten.



10- Não coma pão de queijo ou qualquer outro produto fabricado nas padarias comuns, pois mesmo não tendo glúten entre seus ingredientes, pode haver contaminação tanto na hora de fazer quanto de assar ou servir, já que todos os outros alimentos preparados ali tem a farinha de trigo como base.



11- Ao comer em restaurantes faça a opção pelos alimentos mais simples e sem molhos, como saladas , arroz e carnes grelhadas, mas converse antes com o garçom e explique sua condição celíaca: muitas vezes o feijão é engrossado com farinha de trigo e as carnes, mesmo as grelhadas, podem ter levado "amaciante", que muitas vezes contém glúten ( como é o caso da marca Maggi ) ou às vezes são passadas na farinha de trigo também ou preparadas em grelhas onde passaram produtos com glúten.



12- Em restaurantes de comida japonesa ou chinesa observe a marca do shoyu, pois alguns contém glúten. Alguns preparados de frutos do mar - Kani - também contém glúten e podem ser encontrados nos enroladinhos de arroz (sushi). A omelete japonesa (tamagoyaki) leva shoyu em sua preparação. Nos cones de alga ( TEMAKI ) também pode haver contaminação, por causa do kani, shoyu, da omelete ou de peixes empanados fritos que são colocados nos recheios.



13- Leve sempre na bolsa ou no bolso algum alimento de emergência ( frutas / biscoitos / suco em caixinhas) para não ser preciso arriscar sua saúde comendo alimentos contaminados.



14- Quando for a uma festa de pessoas pouco íntimas ou cerimoniosas, coma em casa antes de sair, evitando constrangimentos ou passar "fome" sem necessidade.



15- No caso de crianças celíacas, converse com quem vai dar a festa antes, para saber o cardápio. Se for possível sugira que seja servido alimentos como gelatina ou pipoca. Se não der, alimente a criança antes da festa, para que ela possa permanecer entre os amigos sem estar faminta.



16- Cuidado com o Brigadeiro, pois pode ter sido feito com TODDY ou NESCAU (ou outros achocolatados com extrato de malte ). Às vezes os doces são engrossados com farinha de trigo. O chocolate granulado também pode conter glúten.



17- Atenção com o que a criança brinca na escola: massinhas de modelar , receitas caseiras de tintas, aulas de culinária podem expô-la ao glúten. Converse com a Direção e a equipe pedagógica sobre a Doença Celíaca e peça ajuda para que a criança possa permanecer segura no ambiente escolar. Algumas marcas de giz escolar também podem conter glúten - atualmente recomendamos a marca Calac (branco e colorido), que é sem glúten.

18-Luvas cirúrgicas ( usadas por dentistas, médicos ou mesmo em casa ) e preservativos podem conter farinha de trigo nas embalagens.Cuidado!



19- Leia sempre os ingredientes dos rótulos, pois muitas fábricas ainda estão se adaptando à Lei 10.674 (que obriga os fabricantes a escrever se contém ou não contém glúten) e às vezes podemos encontrar erros nas informações.



20- Muitos produtos industrializados já tem a inscrição "Não contém glúten". Infelizmente algumas fábricas desconhecem ou não se importam com o problema da contaminação e continuam vendendo seus produtos, sem uma devida análise da inexistência de glúten. Às vezes a contaminação pode acontecer durante a plantação e/ou colheita, na armazenagem, no transporte, no processo de fabricação e embalagem.

Um exemplo são os chocolates de uma tradicional fábrica suiça que domina o mercado em nosso país, uma vez que todos (com glúten e sem glúten ) são embalados nas mesmas máquinas e neste processo pode haver contaminação. Ao invés de separar o empacotamento para não haver contaminação, a Empresa optou por colocar a inscrição " Contém glúten" em todos eles.



21- Entre sempre entre em contato com o serviço de atendimento ao consumidor (SAC) das empresas quando tiver dúvidas ou for introduzir produtos novos na alimentação do celíaco.

Lembre-se: NA DÚVIDA, NÃO CONSUMA !



22- Certos ingredientes podem estar contaminados ou ser fontes "escondidas" de glúten: amido de milho modificado, amido modificado, proteína vegetal texturizada ou hidrolizada, vinagre de malte, extrato protéico vegetal, molho de soja, dextrina ou malto-dextrina (pode ser derivada de trigo e sofrer separação industrial não completa da proteína ),levedura, fécula, sêmola, carnes processadas, espessantes, molhos roux, etc.



23- Fique atento a qualquer manifestação diferente quando introduzir algum alimento novo à sua dieta . Pode ocorrer maior sensibilidade à outros ingredientes diferentes do glúten.



24- A Hóstia, significado do Corpo de Cristo na religião católica traz farinha de trigo em sua composição. Peça a seu médico ou nutricionista para elaborar um parecer ao responsável da Paróquia, no qual deve ser solicitada a realização da Comunhão através da ingestão de vinho. O celíaco NÃO pode comungar com a Hóstia comum.



Obs: 2012 - Já existe uma hóstia especial para celíacos, feita com alguns traços de glúten, por freiras na Argentina e com autorização do Vaticano, tendo sido considerada segura para uso da maioria dos celíacos. Para mais informações e aquisição dessa hóstia especial, entre em contato com irmã Zenaide - em São Paulo – tel: (11) 3106-4069. Antes de usar, converse com seu médico para saber se é segura para você. A Arquidiocese de Cascavel, através do arcebispo dom Mauro Aparecido dos Santos, já divulgou através de ofício o uso dessa hóstia para seus pariquianos.



25- Os medicamentos sob a forma de comprimidos ou cápsulas podem apresentar trigo em sua composição; converse com seu médico para substituí-los pela apresentação líquida.



26- Não coloque lado a lado, em recipientes com divisão interna, patês, condimentos e pastas com e sem glúten.



27- Não ofereça ao celíaco "somente a carne" do hamburger, "somente o queijo" da pizza ; não sirva a ele "só os legumes e carnes" de uma sopa feita com macarrão que contém glúten - a contaminação com o glúten já ocorreu.



28- Comida que vá ao forno (exemplo: bacalhau com creme de leite): normalmente coloca-se farinha de rosca para dar um aspecto dourado de uma forma mais rápida (substituir por um molho branco caseiro, de maisena - demora mais tempo mas tem o mesmo efeito).



29- Bolos feitos em casa sem glúten: as formas também devem ser untadas e polvilhadas com farinha sem glúten, maisena, fubá, creme de arroz;



30- Maionese feita em casa: cuidado com o que se adiciona. Alguns temperos industriais podem conter glúten.



31- Nas cantinas normalmente dizem que a sopa não tem farinha. Mas ao perguntar pelos ingredientes respondem que levou uma "massinha de letras" ou sêmola, por isso pergunte sempre quais são os ingredientes de cada prato.


32 - Em açougues verifique se eles manipulam farinha de rosca e temperos prontos para preparar carnes empanadas ou hamburgues ou ainda bifes "a role", etc. Caso isso aconteça é muito provável que a contaminação cruzada por glúten exista. Dê preferência a açougues que manipulem as carnes apenas para cortar e pesar.



33 - Ração de cães, gatos e peixes podem conter glúten. Cães e gatos costumam lamber seus pelos e podem contaminar toda a casa com glúten - muitas vezes as crianças esquecem de lavar as mãos depois de brincarem com seus animais ou depois de alimentá-los. Troque por marcas que não contém glúten, para evitar problemas.



34 - Preste atenção nos produtos de higiene e de beleza - muitos contem proteínas de trigo, aveia e centeio. Leia o rótulo de shampoos, sabonetes, condicionadores, cremes hidratantes e também de produtos de maquiagem, principalmente os batons e brilhos labiais. Ainda não é consenso entre os profissionais de saúde se o celíaco deve evitar esses produtos, mas como todos eles podem entrar em contato com nossas mucosas (olhos, boca, anus, aparelho genital), a maioria das associações de celíacos pelo mundo recomenda que não se use. Aqui temos uma lista dos principais nomes de ingredientes que contém glúten e são encontrados nos produtos de higiene e beleza:

http://www.riosemgluten.com/lista_de_produtos_de_beleza.htm .



35 - Use pasta de dente / creme dental em forma de gel, pois há riscos de haver traços de glúten nas pastas de cor branca.



36- Cuidado com beijos na boca: se a outra pessoa ingeriu glúten e ainda não pôde escovar os dentes, evite o beijo. É mais seguro e evita contaminação, pois os resíduos de glúten se depositam entre os dentes, língua e bochechas.

37 - Aqui algumas dicas preciosas sobre como organizar o orçamento doméstico para fazer a dieta sem glúten: clique aqui



Por esses e muitos outros motivos, os celíacos e seus familiares precisam estar sempre atentos aos rótulos e às informações sobre produtos lançados no mercado.



A ACELBRA vem trabalhando arduamente no sentido de fazer valer as leis nacionais que protegem os celíacos e de conscientizar a Indústria Nacional sobre a necessidade de produzir alimentos seguros para essa parcela da população.



Por isso, participe ativamente da Acelbra de seu Estado, colaborando nesse movimento de melhoria da qualidade de vida dos celíacos brasileiros.

Equipe ACELBRA-RJ



Você está exagerando na malhação?

Veja alguns sinais de que a prática de exercícios esta se tornando uma compulsão.

Não há nada de errado com cultivar comportamentos saudáveis e exercício não é uma exceção. Mas é preciso cuidado para não exagerar.

A Fundação Nemours alerta para alguns sinais de que você está se tornando um praticante compulsivo de atividades físicas. Você está exagerando se:


Menstruação irregular pode indicar excesso de exercícios
Fratura por estresse atinge 25% dos corredores
- Se recusa a faltar um treino mesmo quando está cansado, lesionado ou doente
- Encara o exercício como obrigação em vez de algo prazeroso
- Treina em dobro depois de perder um treino
- Demonstra obsessão com o próprio peso, com queima de calorias e com perda de peso
- Aumenta a quantidade de exercícios para compensar quando come mais do que devia
- Prioriza o exercício em detrimento dos amigos, da família, e de participar de atividades sociais
- Tem a autoestima afetada quando não consegue fazer os exercícios na intensidade ou na frequência desejada
- Não consegue encontrar satisfação com as conquistas físicas obtidas com o exercício.

SE você estiver assim, é hora de repensar e ter cuidado nos exageros. Tudo em excesso faz mal! Na vida tudo deve ser dosado.
Cuidado com seu corpo e mente!

Patrícia Brigagão Mendes

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Massa Integrais deliciosas!

Espaguete integral com pesto de rúcula
O macarrão integral é mais saudável porque é feito com farinha de trigo não refinada, o que garante também um sabor e uma textura especiais à massa.

Autor: Panelinha
Serve: 4 porções





Ingredientes
350 g de espaguete integral
1 xícara (chá) de folhas de rúcula lavadas
1 dente de alho picado
1 colher (sopa) de nozes picadas
1/2 xícara (chá) de azeite
3 colheres (sopa) de queijo peccorino ralado (ou parmesão)
folhas de manjericão para decorar

Modo de Preparo
1. Numa panela grande, coloque 5 litros de água e 2 colheres (sopa) de sal. Leve ao fogo alto. Quando a água ferver, coloque o macarrão e deixe cozinhar conforme as instruções da embalagem. Cuidado para não deixar o macarrão cozinhar demais, ele deve ficar al dente.

2. Enquanto o macarrão cozinha, comece a preparar o molho pesto. No processador de alimentos, ou num liquidificador, junte as folhas de rúcula, o alho, as nozes e o azeite e bata até obter uma pasta homogênea. Se preferir, utilize um pilão. Transfira a pasta para uma tigela grande e misture o queijo peccorino ralado. Reserve.

3. Retire 1 xícara (chá) da água do cozimento do macarrão e reserve.

4. Em seguida, despeje com cuidado o macarrão cozido em um escorredor. A seguir, transfira o espaguete para a tigela com o pesto e misture. Se precisar, acrescente um pouco da água do cozimento reservada e misture.

5. Divida a massa em 4 pratos individuais e enfeite com as folhas de manjericão. Sirva quente.

Espaguete integral com cogumelos light

Para quem nunca experimentou macarrão integral, esta receita é um bom começo. Os cogumelos temperados com shoyu combinam harmonicamente com o sabor acentuado do espaguete integral.

Serve: 2 porções




Ingredientes
100 g de macarrão integral
200 g de shimeji
2 colheres (sopa) de cebolinha picada
1 colher (sopa) de shoyu (molho de soja)
1 colher (sopa) de margarina light
papel-manteiga

Modo de Preparo

1. Leve uma panela com 2 litros de água ao fogo alto.

2. Preaqueça o forno a 180ºC (temperatura média).

3. Lave os cogumelos sob água corrente. Reserve.

4. Separe uma folha de papel-manteiga do tamanho de uma folha de papel sulfite. No centro da folha de papel-manteiga, disponha os cogumelos, a cebolinha picada e o shoyu. Dobre o papel, fazendo um envelope e aperte bem todas as pontas para que o molho não vase. Leve ao forno por 20 minutos.

5. Quando a água da panela ferver, coloque o macarrão e deixe cozinhar até o ponto al dente, ou seja, a massa deve ficar um pouco durinha. Transfira para um escorredor e passe sob água fria.

6. Retire os cogumelos do forno, coloque-os numa tigela e acrescente a margarina. Misture bem.

7. Numa travessa, coloque o macarrão e regue com o molho. Sirva imediatamente.
Por porção: 106 calorias/ 29 pontos

Fonte: Panelinha

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Dieta para reduzir o ácido úrico


Alimentação é uma das principais armas contra os altos níveis de ácido úrico no sangue, condição que pode levar ao desenvolvimento de gota

Dieta equilibrada: controlar os níveis de ácido úrico no sangue exige reeducação alimentar
Dor articular intensa com calor e vermelhidão, principalmente no dedão do pé, é uma das principais manifestações da gota, doença que provoca inflamação nas articulações pela deposição de cristais de ácido úrico nelas. Mas você sabia que é possível controlar e até prevenir essa doença por meio da alimentação?

Produto final do metabolismo das purinas – elas são o resultado da quebra de aminoácidos presentes nas proteínas do organismo e nos alimentos – o ácido úrico circula no sangue, está presente nas articulações e é eliminado predominantemente pelos rins.
Quando há um aumento na ingestão, na produção ou na diminuição da excreção do ácido úrico que circula no sangue, ocorre a hiperuricemia – o nível limite de ácido úrico que dá início à deposição dos cristais nos tecidos é de 6,8 mg/dl.

A principal consequência da hiperuricemia é a gota, mas nem todas as pessoas desenvolvem a doença, apesar de terem o ácido úrico aumentado. O clínico e cardiologista Antônio Carlos Till, do Vita Check-Up Center, do Rio de Janeiro, explica que algumas condições que favorecem o aparecimento da doença são a idade, a presença de hipertensão arterial, a obesidade, o colesterol aumentado e o consumo de álcool.
“Além das articulações, outro órgão acometido pelo aumento do ácido úrico é o rim, que sofrerá com a formação de cálculos (a famosa pedra no rim) e com uma possível disfunção renal”, complementa Till.
“Trabalhos recentes têm mostrado também que o aumento do ácido úrico no sangue pode aumentar a resistência à insulina, determinando um maior risco de desenvolvimento de diabetes.”
As causas para a hiperuricemia podem ser de origem genética ou vir do consumo aumentado de proteínas na dieta. Alimentos como carne vermelha, peixes e crustáceos em geral, além de cerveja e bebidas ricas em frutose, contribuem para elevar os níveis de ácido úrico. Já o vinho parece ter um menor efeito nesta elevação.
Como a hiperuricemia, isoladamente, não produz sinais ou sintomas, manter uma dieta balanceada permanentemente é fundamental na prevenção do aparecimento da gota.
“Nossa dieta colabora com cerca de um terço da produção do ácido úrico, sendo o restante advindo de forma endógena hepática, ou seja, o fígado é o responsável pelos dois terços restantes”, explica a nutricionista Eliane Nardon.
“Uma dieta muito rica em proteína, sobretudo as de origem animal, pode levar à hiperuricemia e à gota. Bebidas gaseificadas, inclusive água, e jejuns prolongados (mais que três horas sem se alimentar) também devem ser evitados”, orienta ela.
Em linhas gerais, o que se recomenda é uma alimentação equilibrada, com restrição de bebidas alcoólicas e sem proteínas em excesso. Alguns alimentos são especialmente ricos em purinas ,como alguns peixes e frutos do mar, miúdos, algumas aves e determinados tipos de carne, que devem ser evitados por quem apresentar elevação nos níveis de ácido úrico no sangue.
Alimentos com teor de purinas moderado, como leguminosas, carnes, peixes e algumas verduras, só não devem ser ingeridos na fase aguda de crise de gota . Já os com baixo teor de purinas são permitidos . O consumo de mais de dois litros de água por dia é extremamente recomendado, pois contribui para uma maior excreção do ácido úrico.
“Alimentos que parecem estar relacionados a uma redução dos níveis de ácido úrico são café, vitamina C e produtos lácteos com conteúdo baixo em gordura”, acrescenta Till.

fONTE: ig

ANEMIA


O que é anemia ?

Anemia é a falta de células sanguíneas vermelhas e/ou hemoglobina. Isso ocasiona a redução da habilidade do sangue transferir oxigênio para os tecidos. Hemoglobina (a proteína que carrega oxigênio nas células vermelhas do sangue) tem que estar presente para garantir a oxigenação adequada de todos os tecidos do organismo.

Tipos de anemia

Anemia é a desordem mais comum do sangue. Há vários tipos de anemia, produzidos por uma variedade de causas. Anemia é classificada pelo tamanho da célula vermelha sanguínea: diminuída (microcítica), normal (normocítica) ou aumentada (macrocítica ou megaloblástica).


Sinais e sintomas da anemia

Anemia permanece não detectada em muitas pessoas e os sintomas podem ser vagos. O mais comum é a sensação de fraqueza ou fadiga. Falta de ar é relatada em casos mais severos. Muitos casos de anemia severa incitam uma resposta compensatória na qual o trabalho cardíaco é bem aumentado levando a palpitações e transpiração; esse processo pode ocasionar falha cardíaca em idosos. Palidez somente é notável em casos de anemia severa, e desta forma não é um sintoma confiável.

Diagnóstico de anemia

A única forma de diagnosticar anemia é através de exame de sangue. Geralmente é feita uma contagem completa do sangue. Além de mostrar a quantidade de células sanguíneas vermelhas e nível de hemoglobina, a contagem automática também mede o tamanho das células vermelhas, o que é importante para distinguir entre as causas.

Ocasionalmente, outros testes são necessários para posteriormente distinguir a causa da anemia. Isso é discutido abaixo em "diagnóstico diferenciado". O médico também pode decidir pela realização de outros exames de sangue que poderiam identificar a causa da fadiga, os níveis de glicose, ferratina, função renal e eletrólitos.

Diagnóstico diferenciado

Anemia é classificada pelo tamanho das células vermelhas do sangue; isso é verificado automaticamente ou em exame microscópico do esfregaço sanguíneo. O tamanho é refletido no volume corpuscular médio. Se as células forem menores que o normal, é dito que a anemia é micrócita; se elas têm tamanho normal, normócita; se são maiores que o tamanho normal, macrócitas. Outras características visíveis pelo exame do esfregaço sanguíneo podem dar pistas valiosas para um diagnóstico mais específico; por exemplo, células brancas anormais podem apontar para a causa na medula óssea.

Anemia microcítica

O tipo mais comum de anemia é a decorrente de deficiência de ferro, a qual geralmente é microcítica. Causas bem mais raras (aparte de comunidades onde essa condição é prevalente) são talassemia e hemossiderose.

Anemia por deficiência de ferro ocorre quando o consumo na dieta ou absorção de ferro é insuficiente. Ferro é uma parte essencial da hemoglobina, e baixos níveis desse mineral resultam em incorporação diminuída de hemoglobina em célula vermelha. Nos Estados Unidos, 20% da mulheres pré-menopausa têm anemia por deficiência de ferro, comparadas a somente 2% dos homens. A principal causa de anemia por deficiência de ferro em mulheres pré-menopausa é a perda de sangue durante a menstruação. Estudos têm mostrado que a deficiência de ferro sem anemia causa queda de performance escolar e diminui o QI em garotas adolescentes. Em pacientes mais velhas, anemia por deficiência de ferro muitas vezes ocorre por lesões com sangramento no trato intestinal. Exame de fezes e endoscopia geralmente são feitos para identificar lesões com sangramentos, as quais podem ser malignas.

Anemia Normocítica

Anemia normocítica pode ser causada por perda de sangue aguda, doença crônica ou falha em produzir quantidade suficiente de células vermelhas. Problema renal crônico e no fígado causam anemia normocítica. No caso de problema renal isso deve-se à diminuição da produção do hormônio eritropoietina.

Certas deficiências hormonais, como deficiência de testosterona, podem causar anemia normocítica. Anemia sideroblastica é causada pela produção anormal de células vermelhas sanguíneas como parte da Síndrome Mielodisplásica, a qual pode se desenvolver em tumores malignos hematológicos (especialmente leucemia mielógena aguda).

Anemia aplástica é causada pela inabilidade da medula óssea produzir células sanguíneas. Anemia aplástica é muito mais rara do que a causada por deficiências na dieta ou defeitos genéticos, e progride rapidamente.

Anemia macrocítica

A cauda mais comum de anemia macrocítica é a deficiência de vitamina B12 e/ou ácido fólico, devida à ingestão inadequada ou absorção insuficiente. Deficiência de vitamina B12 produz sintomas neurológico, já a deficiência de ácido fólico geralmente não. Anemia perniciosa é uma condição auto-imune onde falta ao organismo fator intrínseco necessário para absorver a vitamina B12 dos alimentos. Alcoolismo pode causar anemia macrocítica.


fONTE: rUNNERS

domingo, 9 de setembro de 2012

Anabolizante transforma mulher em “bomba-relógio”

Padrão de músculos em excesso é tão perigoso quanto a magreza excessiva


Foto: Getty Images/Photodisc
Anabolizantes: uso sem orientação pode gerar sequelas irreversíveis para a mulher
Nas passarelas do samba, nos programas de televisão, nas revistas masculinas, nas praias e academias de ginástica voltou a circular um novo padrão de estética e junto com ele a necessidade de alertar sobre o perigo do uso de anabolizante pela população feminina.
As curvas extremamente definidas, desenhadas com o auxílio de doses e mais doses de esteróides e hormônios masculinos, podem ser tão nocivas quanto à magreza exagerada difundida nas passarelas fashion ou até mesmo a obesidade mórbida que fica escondida em casa. Mais uma vez, alertam os médicos, as mulheres correm riscos em nome da vaidade.
Um desses exemplos de corrida desenfreada em busca do corpo perfeito entrou no final do ano passado no consultório do endocrinologista Hamilton Junqueira Júnior, que atende em uma clínica de Belo Horizonte (Minas Gerais) e é membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.
Uma mulher com menos de 30 anos, casada com um halterofilista – profissionais que participam de competições sobre levantamento de peso – passou pela porta do consultório com as feições do rosto totalmente deformadas, os membros atrofiados e mesmo assim “sentindo-se linda” e querendo mais massa muscular.
Após algum tempo de consulta, o motivo para a aparência doente da paciente foi confessado. “Em 12 dias, ela havia injetado 12 ampolas de um forte hormônio masculino. Para ter uma ideia da intoxicação, em pacientes homens e com necessidade do hormônio, é aplicada uma dose a cada 21 dias no máximo”, explica Junqueira Júnior. O mercado clandestino dos anabolizantes segue a mesma lógica do das drogas ilícitas.
“O consumo ilegal é tão nocivo que respinga até no uso médico e correto do anabolizante. Existem casos, como de puberdade atrasada, reposição hormonal após a menopausa ou diabetes, em que é necessário tratamento com anabolizante, recurso difamado pelo mau-uso.”

Longe das estatísticas
Ainda faltam pesquisas científicas que atestem o uso de anabolizantes por mulheres, fenômeno considerado recente pelos especialistas que tratam as consequências do uso nocivo dessa classe de substâncias. Os poucos números sobre a prática prejudicial à saúde ainda ficam escondidos em meio às outras publicações que falam sobre o uso de drogas.
Na semana passada o Departamento Internacional de Controle de Narcóticos, ligado à Organização das Nações Unidas (ONU), divulgou um relatório sobre o alerta do uso abusivo de medicamentos. Os dados mostraram que a utilização de remédios controlados supera em número o consumo nocivo de heroína, ecstasy e cocaína somados.
Ao lado das drogas para emagrecer (os anorexígenos) e os analgésicos, os anabolizantes também foram citados como trampolim para o crescimento deste tipo de comportamento. O risco de morrer por causa deles atinge níveis máximos de alerta e já foi comprovado por histórias longe de um final feliz. No ano passado, uma menina de apenas 16 anos morreu em nome da vaidade perigosa. Moradora de Praia Grande, litoral de São Paulo, a jovem arriscava a saúde fazendo uso de produtos de uso veterinário, mas com efeito anabolizante.
Por mais ilógica que pareça a história, médicos ouvidos pelo Delas informaram que quando atendem os pacientes já com sequelas dos anabolizantes descobrem que as receitas veterinárias são as mais utilizadas. “O amigo, os balcões de academias, as farmácias irregulares, as lojas de suplemento são os grandes pólos de venda”, afirma o endocrinologista de Minas, Hamilton Junqueira Júnior.
“No caso das mulheres, não só os cardiologistas, mas os ginecologistas precisam estar atentos. É no consultório deles que as consequências do anabolizante aparecem primeiro”, afirma Nabil Gorayebe, uma das referências nacionais em medicina do esporte.

Problema unissex
A constatação de que as mulheres estão inseridas no cenário preocupante do uso de anabolizantes não significa que os homens foram descartados das preocupações dos especialistas. Os dados do Centro Brasileiro de Informações Sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid) mostram que entre eles o uso de anabolizante foi o que mais cresceu na comparação com a utilização de outras drogas, como maconha, cocaína e solvente. Saiu de 0,1% de índice de uso em 2003 para 0,5% no último levantamento em 2005, uma população que soma 200 mil entre brasileiros.
Segundo o presidente do Conselho Federal de Educação Física (Confef), Jorge Steinhildel, o apelo para ampliar a conscientização sobre os riscos dos esteróides e hormônios já deixou de ser focada apenas nos homens. “O alerta é geral. Para homens e mulheres. A nossa experiência mostra que elas usam tanto quanto eles. O risco é geral”, afirmou.

Os danos no corpo da mulher
Se as musas estão mais fortes, com as coxas torneadas, barrigas divididas em “gomos” quadrados, braços musculosos e o crédito à forma física for o anabolizante, outras características costumam acompanhar o “corpão”, quase sempre doente por dentro. As vozes também ficam mais grossas, os queixos pontudos, os cabelos ralos e os olhos mais saltados.
Os danos visíveis, alerta o cardiologista do esporte Nabil Gorayebe, não são os únicos e os menos graves. “O anabolizante é um adubo de coisas ruins. Se a mulher tem alguma célula cancerígena que não iria se manifestar, esses hormônios vão fazer com que os cânceres se espalhem de forma muito acentuada no organismo”, afirma o especialista.
Os anabolizantes usados de maneira errada e com fim exclusivamente estético também atacam o sistema reprodutivo da mulher. Em maioria, ela para de menstruar e pode ficar infértil – danos irreversíveis. “Essas substâncias, tanto em homens quanto em mulheres, são as principais inimigas da fertilidade”, afirma o médico especializado em medicina reprodutiva, Edson Borges.
Os esteróides também dão força para as principais causas de morte da população feminina. O coração é transformado em uma “bomba-relógio”, o que facilita a ocorrência de enfartes, doença que mais mata as mulheres segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Não é só isso: também aproxima delas o comportamento agressivo, conforme atestou autópsia feita por pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP). Os cientistas analisaram o cérebro de camundongos que receberam doses de anabolizantes e constataram que a produção de serotonina, conhecida como hormônio do humor, é prejudicada e reduzida.

Fonte: IG