domingo, 25 de março de 2012

Musculação x Alimentação

A musculação é um treinamento com pesos, com variáveis de carga, amplitude, tempo de contração e velocidade controláveis. Desse modo pode ser aplicada da forma isométrica (contração mantida), isocinética (com velocidade angular constante) ou isotônica (alternância de contrações concêntricas e excêntricas), contínua ou intervalada, leve, moderada ou intensa, com recursos aeróbios ou anaeróbios. Esta possibilidade de controle de tantas variáveis torna a musculação uma atividade física altamente versátil que pode ser praticada por pessoas de diversas idades para diferentes objetivos.
 
O treinamento com pesos se difere do fisiculturismo, levantamento de peso, powerlifting e strongman, que são esportes ao invés de formas de exercício. O treinamento com pesos, entretanto, geralmente faz parte do regime de treinamento dos atletas dessas modalidades.
 
A Musculação pode ser uma das formas mais seguras de exercício, especialmente quando os movimentos são lentos, controlados e cuidadosamente definidos. Entretanto, como qualquer outra forma de exercício, a execução incorreta pode resultar em lesões. Pode ser realizada por diferentes grupos de indivíduos, desde adolescentes à idosos, passando por aquelas pessoas que precisam de cuidados especiais, como cardiopatas (portadores de distúrbios no coração), diabéticos, hipertensos (indivíduos com pressão arterial acima do normal), portadores de deficiência física, indivíduos que estão em fase de recuperação de lesões ou em quadro pós-operatório,  liberados pelo médico para fortalecimento muscular.
 
Nos dias atuais a musculação é utilizada por seus praticantes com objetivos distintos, como aumento de força e de massa muscular, diminuição do peso corporal, massa gorda e percentual de gordura, melhora do condicionamento físico geral, aumento da performance esportiva, da potência ou da resistência muscular. Porém cada propósito exige o uso de diferentes tipos de treinamento, com diferentes intensidades, volumes, velocidade de execução dos movimentos, séries, intervalos entre as séries e os exercícios, e períodos de recuperação entre os treinos.
 
A alimentação do praticante dessa modalidade pode depender do objetivo imposto pelo treinamento, por exemplo, a dieta pode ser diferente em treinos circuito e treino de alta intensidade. Todos os estímulos feitos com treinamento com pesos resultam na síntese de componentes biológicos: há um aumento das proteínas contráteis actina e miosina, bem como das enzimas e dos nutrientes armazenados. Para que isso seja mais eficiente devem-se ingerir quantidades adequadas e proteína de alta qualidade, as quantidades variam com o peso corporal do indivíduo.
 
E engana-se aquele que acha que começou a treinar musculação pode comer de tudo, a alimentação deve ser bem balanceada para aqueles que praticam alguma atividade física. A alimentação bem feita é primordial para bons resultados na prática de musculação. Mas é verdade também que a ingestão de alimentos tem que ser aumentada, evite apenas o leite integral e "abuse" em carboidratos complexos e proteínas, coma uma batata cozida, o intervalo de 3hs no máximo entre uma refeição e outra. As proteínas das carnes são essenciais, portanto coma sempre no almoço peito de frango, carnes vermelhas, peixes ou ovos, para vegetarianos é importante consegui a ingestão suficiente de proteína pela ingestão de soja, queijos, leite e se preciso suplementar.
 
A suplementação na musculação depende dos objetivos, o mais comum é: Whey protein, albumina, hipercalóricos, creatina, HMB, maltodextrina, barras de proteína, barras de carboidrato, nitro, Bcaa, pro hormonais, packs, amino liquido, etc.
 
Para cada tipo de pessoa existem os alimentos e suplementos que melhor se enquadre ao seu tipo Físico e quantidades apropriadas que lhe dará um melhor resultado, consulte seu nutricionista.

Fonte: Clínica Esportiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário