quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Cinco alimentos que toda mulher deve comer

Acrescente leite, azeite e hibisco, entre outros ingredientes, à sua alimentação semanal e ganhe proteção contra doenças

Alimentação adequada é uma das principais fontes de saúde. Por meio dela é possível garantir proteção contra doenças cardíacas, câncer, osteoporose, além de emagrecer. Veja cinco ingredientes que não podem faltar na sua dieta:


Os laticínios são importante fonte de cálcio e essenciais para a saúde principalmente das mulheres. As alterações hormonais inerentes à menopausa levam a uma perda de 5% de massa óssea por ano. Um terço das mulheres acima dos 50 anos tem oesteoporose, segundo o Estudo Brasileiro de Osteoporose (Brazos). No entanto, a doença pode ser evitada com a alimentação adequada e principalmente com a ingestão suficiente de alimentos que contém cálcio.

Chia
Semente originária do México e da Colômbia, além de emagrecer ajuda no combate ao diabetes, a hipertensão e melhora a pele. É rica em cálcio, fósforo, ferro, magnésio, potássio, zinco, fibras e, principalmente, ômega 3, sendo a mais importante fonte vegetal desse nutriente. Duas colheres de sopa (30 gramas), quantidade diária indicada pelos nutricionistas, têm 29% de fibras (8,6g) e 16% de ômega 3 (4,8g).

Farinha de berinjela
Descoberta pela professora Glorimar Rosa, do Instituto de Nutrição Josué de Castro da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a farinha ajuda a emagrecer e reduz os riscos cardíacos. De acordo com os estudos, quem consome o produto pode perder peso duas vezes mais rápido e eliminar a perigosa gordura abdominal.
Foto: Getty Images Ampliar
Leite e seus derivados são essenciais para a saúde feminina

Leite, queijos e iogurte
 
O chá de hibisco pode ser uma arma contra o envelhecimento precoce, doenças cardiovasculares e até câncer. O “poder” dessa flor está na presença de antocianinas e vitamina C, que tem alto poder antioxidante. Mas às vésperas do verão, para quem procura ajuda extra para perder peso, ele se mostra ainda mais poderoso. De cor vermelha e sabor suave de framboesa, ele pode ser consumido quente ou frio. A sugestão de consumo é de três a quatro xícaras ao dia.
Hibisco

Azeite
Estudos já comprovaram que usar o azeite de oliva diariamente pode proteger o coração de doenças importantes como o AVC, o infarto, entre outras. Além dessas propriedades, esse ingrediente também pode ser eficiente no combate ao câncer. Pesquisadores da Universidade de Copenhagen, na Dinamarca, descobriram que o azeite de oliva extravirgem atua como antioxidante combatendo a doença e retardando o processo canceroso. O azeite também ajuda a reduzir o colesterol ruim e consequentemente diminuir o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Fonte: IG

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

CAQUI E SUAS UTILIDADES NA SAÚDE

 Caquizeiro, árvore da família das  Ebenáceas, é originário da China, da Coréia e do Japão.Por alusão à cor do fruto,"caqui" em japonês significa "amarelo escuro".
Caqui

Utilidades Medicinais

Doença da Bexiga - Fazer algumas refeições exclusivas de caqui, ou de suco de caqui com um pouco de água, sem açúcar.
Cãibras -  Recomenda-se empiricamente, comer dois ou três caquis por dia.
Constipação Intestinal - Fazer algumas refeições exclusivas de caqui. Pode substituir o jantar.Não comer em excesso.
Doenças das Vias Respiratórias -  Recomenda-se cozinhar a polpa do caqui com água em um pouco de
 mel.Mexer bem e tomar meia xícara deste  líquido xaroposo, morno, várias vezes ao dia.
Fonte: www.agrobyte.com.br

domingo, 26 de fevereiro de 2012

O Chá de Pata de Vaca e o Diabetes .


O famoso Chá de Pata-de-Vaca talvez seja um dos tratamentos alternativos para o Diabetes mais populares no Brasil. Tenho certeza que quase todos os endocrinologistas (ou até mesmo clínicos) já se depararam com um paciente que diz estar realizando o tratamento de seu diabetes com este “maravilhoso e poderoso” chá (ou mesmo com cápsulas desta planta). Eu mesmo me deparei com um destes pacientes esta semana. E ele foi totalmente enfático: “Doutor, depois que comecei a fazer uso deste chá, meus níveis de glicose baixaram muito.”

O nome científico da Pata-de-Vaca é Bauhinia variegata (L.), pertencente a família Fabaceae, subfamília Caesalpinioidea. Esta planta é originária da Ásia, mais precisamente China e Índia. No Brasil, o gênero Bauhinia ocorre desde o Piauí até o Rio Grande do Sul, nas formações florestais do complexo atlântico e nas matas de planalto. Suas flores variam de brancas, róseas, roxo-pálidas até avermelhadas. Além das possíveis propriedades medicinais (que comentarei abaixo), esta planta também é muito utilizada no paisagismo, exatamente pela grande beleza de suas flores. Quanto a origem do nome Pata-de-Vaca, vale a pena comentar que ele é devido ao formato de suas folhas, que, de alguma forma, lembram a pata de uma vaca.

Agora vem a parte difícil da coluna. Embora uma pesquisa na Internet mostre inúmeros sites que comentam as propriedades antidiabéticas da Pata-de-Vaca, a literatura científica não é tão rica assim. Talvez o fato que tenha chamado mais minha atenção é que não existe NENHUM (isso mesmo, NENHUM) estudo clínico avaliando os efeitos do Chá de Pata-de-Vaca em humanos. Os pouquíssimos estudos que temos (na verdade, são apenas 03) investigam apenas seus efeitos em ratos. Esta total ausência de estudos me deixou bem surpreso e, ao mesmo tempo, preocupado, principalmente no que se refere a segurança desta planta. Embora ela possa realmente ter algumas propriedades que ajudem a baixar os níveis de glicose (novamente, demonstradas apenas em ratos), não temos a menor idéia de quais efeitos colaterais podem estar associados ao seu uso. Da mesma forma, não temos idéia de qual a dose mínima e máxima, qual sua possível interação com outros medicamentos para o diabetes e quais outros efeitos ela teria no corpo humano.

Um dos estudos mais interessantes que encontrei foi realizado na Universidade Estadual do Norte Fluminense, em Campos dos Goytacazes (Rio de Janeiro). Neste estudo, os autores conseguiram identificar nas folhas da Pata-de-Vaca uma proteína que é estruturalmente parecida com a insulina bovina. Esta similaridade estrutural PODE fazer com que esta molécula, presente no chá, funcione parcialmente como a própria insulina produzida pelo corpo humano. Vale a pena ressaltar que, embora estes resultados sejam extremamente promissores e interessantes, eles apenas mostram que ainda temos muito o que pesquisar antes de começar a utilizá-la para o tratamento do Diabetes. Não sabemos qual a potência desta molécula, qual a dose ideal e, principalmente, qual o risco de hipoglicemia associado ao seu uso. Não sabemos também como ela é metabolizada e quais outros efeitos ela terá no corpo humano. A literatura científica sugere que esta planta pode ter outros efeitos além dos efeitos na glicose e, portanto, muita pesquisa ainda é necessária antes de indicarmos seu uso para o Diabetes ou qualquer outra doença.

Em resumo, parece que, mais uma vez, a cultura popular está correta. A Pata-de-Vaca realmente PARECE ter alguns efeitos benéficos sobre os níveis de glicose. Mas isso não indica que ela deve ser utilizada como medicamento para tratamento do diabetes, seja isoladamente seja combinada com outros medicamentos disponíveis no mercado. Esperamos que mais pesquisas sejam feitas, principalmente em humanos, para que possamos conhecer todos os detalhes desta planta e definir seu real papel no tratamento do diabetes e até mesmo de outras doenças.

Referências
1. Pepato MT, Keller EH, Baviera AM, Kettelhut IC, Vendramini RC, Brunetti IL. Anti-diabetic activity of Bauhinia forficata decoction in streptozotocin-diabetic rats. J Ethnopharmacol 2002; 81: 191-197.
2. Silva FR, Szpoganicz B, Pizzolatti MG, Willrich MA, de Sousa E. Acute effect of Bauhinia forficata on serum glucose levels in normal and alloxan-induced diabetic rats. J Ethnopharmacol 2002; 83: 33-37.
3. Rajani GP, Ashok P. In vitro antioxidant and antihyperlipidemic activities of Bauhinia variegata Linn. Indian J Pharmacol. 2009 Oct;41(5):227-32.
4. Azevedo CR et al. Isolation and intracellular localization of insulin-like proteins from leaves of Bauhinia variegata. Braz J Med Biol Res 2006; 39(11):1435-1444.

fONTE; SITE DA SBD
Dr. Rodrigo O Moreira
Médico Colaborador do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia – RJ

C

DIABETES- Microchip poderá substituir injeções de insulina .

Microchip poderá substituir injeções de insulina .
Qua, 22 de Fevereiro de 2012 .



Segundo Nicholas Negroponte do Media Lab, Massachusets Institute of Technology(MIT), Boston, a tecnologia quando funciona, parece mágica.

O Brasil sediará nos dias 07 e 08 de setembro de 2012 o ATTD(Advanced Technologies & Treatment for Diabetes) Rio de Janeiro, um encontro focado em novas terapêuticas e novas tecnologias no tratamento do diabetes.

Para quem não está no dia a dia do desenvolvimento dessas novas tecnologias e parodiando Nicholas Negroponte, tem a sensação que elas surgem por encanto.

A revista eletrônica, Science Translational Medicine, Rapid Publication on February 16, 2012, publicou o RESEARCH ARTICLE, First-in-Human Testing of a Wirelessly Controlled Drug Delivery Microchip. Sci.Transl. Med. DOI:10.1126/scitranslmed.3003276.

Trata-se dos resultados do primeiro estudo clínico utilizando um sistema de liberação de droga implantável utilizando um microchip controlado por tecnologia wireless.

No artigo citado, publicado em Science Translational Medicine, 8 pacientes portadoras de osteoporose pós-menopausica receberam um fragmento de parathormonio humano, hPTH(1-34) liberado pelo sistema. O hPTH(1-34) é a única terapêutica anabólica considerada eficaz no tratamento da osteoporose, porém, deve ser administrada subcutânea em doses diárias, o que torna-se um grande problema de aderência ao tratamento. Uma maior eficácia na formação óssea requer uma liberação intermitente ou pulsátil do hPTH.

O sistema implantado é constitudo por um reservatório contendo hPTH(1-34) e um microchip liberador controlado por tecnologia wireless.

A farmacocinética, tolerância e bioequivalencia do hPTH foram avaliados. A farmacocinetica foi semelhante à observada em múltiplas aplicações diárias do hPTH e apresentava menor coeficiente de variação. Os marcadores de formação óssea mostraram o aumento de formação óssea.

Não houve eventos tóxicos ao sistema, nem à droga, sem impactar a qualidade de vida das pacientes.

Desssa forma, já existem sistemas inteligentes para administração de peptídeos e polipeptideos. Uma vez que a insulina é um polipeptideo, embora mais complexo, podemos supor que as injeções de insulina poderão ser substituídas por sistemas inteligentes que liberem doses de insulina, observando não só as necessidades diárias como também ao ritmo de liberação. E não será por mágica ou encanto.

Informações adicionais

Uma vez que não surgem por encanto, de onde vem essas tecnologias?

Três dos autores são da MicroCHIPS Inc, empresa sediada em Waltham, MA, Grande Boston, pioneira em sistemas inteligentes, implantáveis, projetados para uso em portadores de doenças crônicas que requerem terapêutica e monitorização precisas. Dois dos autores são do Harvard Medical School, Massachusetts General Hospital, Endocrine Unit, Boston, USA.

Um autor é do Case Western Reserve University, Department of Pathology, Cleveland, USA.

Um autor é da On Demand Therapeutics, Inc., Tyngsboro, MA, USA. Empresa de desenvolvimento de sistemas implantáveis para doenças da retina.

Um autor é do Massachusetts Institute of Technology, Department of Materials Science and Engineering, Koch Institute for Integrative Cancer Research, Cambridge, MA, USA.

Um autor é do Massachusetts Institute of Technology, Department of Chemical Engineering, Koch Institute for Integrative Cancer Research, Cambridge, MA, USA.

Você pode ver o Abstract do artigo ou solicitar o full text.

http://stm.sciencemag.org/content/early/2012/02/15/scitranslmed.3003276

MicroCHIPS Inc.

http://www.mchips.com/

On Demand Therapeutics Inc.

http://ondemandtx.com/about-odtx.aspx


fONTE:SBD
Dr. Laerte Damaceno
Editor-chefe do Portal SBD

Dr. Marcio Krakauer
Editor de Tecnologia do Portal SBD

Aprovada droga de dose semanal para o diabetes tipo 2

Aprovado pelo FDA o mais novo medicamento que pode ser utilizado como opção no tratamento do diabetes tipo 2: o BYDUREON®. Seu lançamento foi destaque na imprensa leiga mundial, sendo matéria do New York Times no dia 27/01.

O BYDUREON® é considerado "primo"do recém-lançado VICTOZA® e do remédio há mais tempo no mercado chamado BYETTA®. A substância contida nele é o exenatide de liberação lenta. Exenatide é uma substância semelhante àquela liberada pelo nosso intestino quando ingerimos o alimento. Esta substância é chamada GLP-1.
Esta classe de remédios que têm ação semelhante ao GLP-1 humano promove redução da glicemia pelo fato de esta substância estimular a secreção de insulina pelo pâncreas e redução do hormônio glucagon (também produzido pelo pâncreas). Para quem não sabe o glucagon eleva a glicose no sangue, ou seja,  é contrário à ação da insulina.
Além disso, o GLP-1 atua no centro da fome localizado no cérebro induzindo a uma redução do apetite. O GLP-1 também atua no estômago fazendo com ele fique mais lento para se esvaziar quando nos alimentamos. Com isso, o paciente em uso deste remédio frequentemente refere que quando come pequenas quantidades de alimentos já sente o estômago mais “cheio”, não tolerando portanto ingerir grandes quantidades de comida.

Por isso, esta classe tem como um dos efeitos paralelos atraentes promover redução de peso. Mas é bom deixar claro: NÃO SÃO REMÉDIOS PARA EMAGRECER, E SIM PARA TRATAR DIABETES TIPO 2. ELES SÓ SÃO  INDICADOS PARA PACIENTES COM DIABETES TIO 2 E NÃO SE RECOMENDA O SEU USO PARA OBESOS NÃO-DIABÉTICOS.

O principal fator diferencial do recém-aprovado BYDUREON é o fato de ser injetado por via subcutânea apenas semanalmente. O primeiro da classe lançado, o BYETTA, tem aplicação subcutânea 2 vezes ao dia; já o VICTOZA é injetado via subcutânea 1 vez por dia.
É bom deixar claro que apesar de ser injetável, NÃO É INSULINA.
O BYDUREON foi aprovado na Europa previamente e acaba de ser aprovado nos Estados Unidos. É possível que tenhamos mais esta opção disponível no mercado brasileiro em alguns meses. Porém, para isto, deveremos aguardar aprovação de nosso departamento regulamentador, a ANVISA.
Enquanto ele não chega ao Brasil, seguem abaixo algumas informações práticas:
  • Posologia: 2mg 1 vez por semana aplicada por via subcutânea; locais sugeridos são no abdome e prega do músculo tríceps.
  • Como aplicar? A caixa contém o exenatide de longa duração em pó, uma seringa com 0,65 ml de diluente e agulhas. Deve-se injetar o diluente no frasco, diluir o medicamento, aspirá-lo imediatamente e injetá-lo.
  • Onde armazenar? Em geladeira com temperatura de 2 graus a 8 graus  C.
  • Potência na redução da A1C: estudos comparativos diretos com outros remédios há mais tempo no mercado mostram potência similar à metformina e pioglitazona e superior a sitagliptina. Em monoterapia para pacientes virgens de tratamento redução média da A1C foi de 1,5 pontos percentuais, mas sabe-se que o efeito na redução da glicemia depende do grau de descontrole, ou seja, quanto ais descontrolado a glicemia, maior a redução da mesma após o uso do Bydureon®.  O FDA atualmente indica o Bydureon® não como terapêutica de primeira escolha, mas como alternativa quando se falha monoterapia com os medicamentos mais testados como metformina, sulfoniluréias, etc.
  • Populações especiais: este medicamento não foi testado gestantes, em pacientes com insuficiência renal moderada e grave, pacientes com insuficiência hepática e em menores de 18 anos e por isto não é indicado para estes indivíduos.
  • Efeitos colaterais mais comuns: em monoterapia os efeitos mais comuns são náuseas e vômitos (10-15%), diarréia (10%), nódulo no local de aplicação (7%). Vale à pena ressaltar que em combinação com metformina a incidência de náuseas e diarréia atingiu cerca de 20% dos usuários. Os efeitos adversos são mais comuns no início do tratamento e tendem a se reduzir com o tempo de uso. Em monoterapia a incidência de hipoglicemia é semelhante ao placebo.
  • Precauções: Há relatos de carcinoma medular de tireóide em rartos expostos a este medicamento. Não se sabe o efeito em humanos, mas por precaução não se recomenda seu uso em pacientes com histíria pessoal ou familiar de câncer medular de tireóide. Há relatos raros de pancreatite fatal e não-fatal em pacientes que usaram exenatide de curta duração. Por isso, não se recomenda o uso de Bydureon®  em pacientes que já tiveram história de pancreatite e deve-se ficar atento com sintomas de dor abdominal.
  • Preço: informação não-oficial publicada no New York Times indica que 4 doses semanais custarão cerca de 325 dólares, ou 81 dólares a dose.

Fonte: Site da SBD ( Dr.Dr. Carlos Eduardo Barra Couri )

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Meu filho não quer comer; e agora?

Esqueça distrações e aprenda como não sair do sério com as birras.




A cena é conhecida por nove entre dez mães: depois de horas no fogão, preparando a refeição perfeita para o filhote, ele simplesmente se nega a experimentar.

Você faz aviãozinho, monta uma carinha engraçada no prato, usa toda a sua lábia, inventa histórias, promete mundos e fundos se ele provar... mas aquele bebê tão fofinho se revela um monstrinho teimoso, que não tira a mão da frente da boca.

Se forçar, pior ainda: ele cospe tudo, faz que vai vomitar e ainda abre o berreiro. Resultado: você troca o jantar por um iogurte, fica frustrada e o pequeno ainda se alimenta mal. E agora?

Para começo de conversa, saiba que negar comida é um comportamento perfeitamente normal entre as crianças. A nutricionista Teresa Bello explica que a falta de apetite pode ocorrer por diferentes motivos, até mesmo chamar sua atenção, porque o pequeno logo percebe a importância que os pais dão à refeição.

O que não é normal é isso virar hábito, colocando em risco a saúde do seu filho e transformando cada refeição num tormento. Se é o seu caso, vá ao pediatra, porque só um longo tratamento de reeducação pode transformar esse comportamento.

Se a negação acontece só de vez em quando, ou se você tem a sorte de não ter passado por isso ainda, tanto melhor, porque está em tempo de prevenir. Ensinadas desde bem pequenas, as crianças podem aprender a gostar de qualquer tipo de alimento.

Como mudar um hábito é sempre muito difícil, é essencial passar aos pequenos costumes saudáveis desde cedo. Para ajudá-la, reunimos com a ajuda da nutricionista Teresa dicas simples e eficazes para ensinar o pimpolho a comer bem e com prazer.

Até os seis meses, seu filho não precisa de nada além do leite materno
Nesse período de vida, oferecer só leite materno é mais do que suficiente, pois ele supre todas as necessidades do bebê e ainda protege contra doenças, evita diarréia, fortalece a musculatura do rosto e previne problemas de fala. Assim, a oferta de chás e água é desnecessária e ainda pode prejudicar a sucção do bebê.

Seja um bom exemplo
Quando nasce, a criança tem nas papilas gustativas, localizadas na língua, a determinação genética das preferências e aversões alimentares que terá ao longo da vida. Entretanto, a influência do ambiente em que ela vive, o exemplo dos pais e as experiências positivas ou negativas podem ser mais fortes que a genética.

Ou seja, talvez sua filha naturalmente não se sinta atraída por carne vermelha, mas com o hábito em casa, pode aprender a gostar. Maus exemplos e preconceitos também são ensinados desse jeito.

Talvez ela seja uma fã de frutas por natureza, mas se você não tem o costume de comê-las e ainda faz cara feia quando lhe oferecem uma maçã, é provável que sua filha também adquira resistência a esses alimentos. Depois não adianta exigir que a criança goste de pratos que os próprios pais não comem.

Não insista demais
Mãe sempre acha que o filho está comendo pouco e acaba forçando o pequeno a comer mais do que ele precisa ou agüenta. A oferta de um volume de alimentos maior do que a capacidade gástrica da criança diminui o prazer de comer do bebê e aumenta a ansiedade dos pais, alerta a nutricionista Teresa.

Não tente bancar a chef de cozinha testando várias misturas
Prefira os alimentos básicos e introduza-os um a um na alimentação do bebê, gradativamente. É no primeiro ano de vida que a criança conhece novos sabores e aprende sobre as texturas dos alimentos, e cabe a você apresentá-los ao pequeno e identificar uma possível intolerância ou alergia. Ofereça uma fruta, um legume ou uma verdura de cada vez, na forma de papa ou purê, amassado com o garfo, nunca liquidificado.

Aposente de vez o aviãozinho.
Inventar técnicas para fazer o filho abocanhar a comida, como distrair com um brinquedo ou com a televisão ligada e camuflar o alimento não educam para o prazer de se comer bem. Podem até funcionar na hora, mas perdem rápido seu efeito e você vai ter que exercitar muito a criatividade para criar tantas novas artimanhas. A hora de comer é hora só de comer, prestando atenção aos sabores, texturas, aromas, cores...

Substitua o alimento recusado por outro do mesmo grupo nutricional.
Você insiste no brócolis mas o bebê cospe tudo, abre o berreiro e provoca ânsia de vômito? Tente espinafre. Rejeita o feijão? Ofereça a lentilha. Insistir exageradamente em um alimento específico pode diminuir o prazer com o ato de comer, reforçando a falta de apetite , explica Teresa.

Também vale mudar o jeito de preparar. Ela não quis espinafre refogado? Ponha as folhas no suflê, na omelete, no sanduíche... Lançar mão de ervas e condimentos como pimenta, páprica e curry também pode ajudar muito. A idéia não é encobrir o gosto, mas deixá-lo mais interessante.

A criança deve comer primeiro com os olhos
Nada de gororobas misturadas. Ofereça as comidinhas em porções pequenas e coloridas, dispostas no prato em porções separadas e divertidas. De preferência, que ele possa comer sozinho, com as mãos até.

Deixe que ele descubra as cores, formas, texturas e faça combinações como quiser. Transformar o chato prato-feito em uma refeição lúdica aumenta as chances do pequeno experimentar novidades e aprender sobre o sabor de cada alimento.

Assim como o humor, o apetite pode variar de um dia para outro
Instabilidade alimentar é normal. Comeu pouco hoje? Compense os nutrientes no dia seguinte. Mas é bom deixar claro: compensar em qualidade, não em quantidade!

Não tenha medo de impor limites
Já foi comprovado que a criança nasce com preferência para o sabor doce e resistência ao amargo. Por isso, é normal preferir chocolate a espinafre. O problema está em deixar de ingerir o alimento saudável e abusar da guloseima.

Até um ano de idade, seu bebê possui um estômago mais sensível, que pode ser irritado pelas substâncias presentes nas porcarias, como enlatados e refrigerantes. Isso compromete a digestão e a absorção nos nutrientes. Resista às birras e estabeleça limites, seguindo horários fixos para fazer as refeições e insistindo em uma alimentação nutritiva.

Use a regra do três
Se seu filho está na fase de contrariar, é bem capaz que diga não só por esporte. Drible as negações propondo um trato. Ele terá que provar cada alimento três vezes para ter certeza de que não gosta. São três garfadas: a primeira para descobrir que gosto tem, a segunda para saber se é bom ou ruim, e a terceira para ter certeza.

Você vai se surpreender ao ver como a terceira garfada faz crianças mudarem de opinião! Se ele realmente não gostar, cumpra a sua parte no trato e deixe a comida de lado ao menos por essa refeição.

Alimento não é recompensa e muito menos castigo
Nada de se comer a salada pode comer a sobremesa ou vai ficar sem ver TV se não raspar o prato. Também não invente de fazer o jogo dele, em chantagens do tipo se comer tudo, a mamãe vai ficar feliz e você vai ganhar uma surpresa . A comida não deve ser vinculada a sentimentos nem prêmios.

Dentro do nível de entendimento da criança, ensine por que é realmente importante comer determinados alimentos: a cenoura é boa para a pele e os olhos, o macarrão e o arroz dão energia e o feijão deixa forte...

Não ceda à chantagem da greve de fome
Ele não quer comer o jantar balanceado e insiste em tomar sorvete. Para não deixar o pequeno de barriga vazia, você topa a chantagem e deixa ele se lambuzar à vontade, depois de prometer que vai comer direitinho na próxima refeição.

Sabe o que vai acontecer?
No dia seguinte, seu espertíssimo filhote vai recorrer à mesma tática, se negando a comer o que é certo, em troca dos seus alimentos preferidos. Não caia nessa.

Se ele não quer comer o jantar nem nenhuma das alternativas saudáveis que você ofereceu, deixe ele ir para a cama de barriga vazia. Fome só de sorvete (ou chocolate, ou bolacha, ou pão...) não existe.

Não deixe os lanchinhos melarem a disciplina
Na hora do almoço ele não quis comer nada, mas uma hora depois estava pedindo pelo lanche e se entupiu de biscoitos. Não deixe! Seja firme: se a criança disse que estava sem fome no almoço, vai ter que esperar até a hora certa do lanche e quando ela chegar, vai ter que se contentar com a quantidade correta, mesmo que a fome seja maior.

Continuou com vontade? Ensine a ela a guardar a barriga para o jantar. Depois de alguns dias, seu filhote vai perceber que não tem jogo e é melhor comer o almoço inteiro para não ficar com vontade depois.

O lanche da escola deve ser uma continuação da refeição em casa
A formação de um hábito alimentar saudável continua fora de casa. Para as crianças que fazem as refeições na escola, cabe aos pais conferir se o cardápio é variado, se é elaborado por um profissional e a forma como são apresentados os alimentos. Se o lanche é levado pronto de casa, é importante acompanhar o padrão da alimentação oferecida pela família.

Informe os avós sobre a alimentação adotada para o bebê
Antes de dizer que avô e avó estragam a criança, converse com eles sobre como seu filho está se alimentando. Se um diz que pode e o outro diz que não, o pequeno fica confuso e não sabe a quem deve obedecer. É importante estabelecer regras para que a criança não adquira hábitos negativos em relação à alimentação , diz Teresa.

Meu filho só quer comer macarrão instantâneo!

Roberta Faria é mãe de Gabriela, 7 anos, e penou com os jejuns e as chantagens da pequena que, hoje, come de tudo apesard e ainda adorar uma bobagem


A Gabi comia de tudo, mas quando estava com um ano, de uma hora para outra resolveu que só queria macarrão tipo Miojo, que tinha provado na casa dos avós. Não tinha jeito: qualquer outra comida que a gente insistisse, em casa ou na escola, ela negava. Fazia escândalos, vomitava, se arranhava e era capaz de passar dias sem comer nada além de leite.

Aos poucos consegui introduzir outros alimentos, mas nem de longe ela tinha uma alimentação bacana. Para chegar lá, tive que adotar uma linha duríssima. Não foi nem um pouco fácil: durante um ano ela pulou refeições, fez jejuns, muitos berreiros, infernizou a vida das professoras e transformou cada refeição em casa numa tortura para nós duas.

Mesmo cansada, não cedi nenhuma vez: nada de Miojo, nada de porcarias, nada de comer só o que ela queria, nada de ficar sem almoçar e se encher de bolacha no lanche. Adotei o truque das três garfadas, inventei receitas, levei-a para a cozinha comigo e deixei claro que ela pode até não gostar, mas tem que provar e algumas coisas tem que comer mesmo sem achar a maior maravilha.

Hoje a Gabi ainda não toma a iniciativa de provar uma fruta nova, mas já come tudo que eu coloco no prato, e diz na escola que sou a melhor cozinheira do mundo. É um longo e árduo caminho para mudar. Aprendi a lição: o melhor jeito para a criança não comer bobagens é simplesmente não oferecer.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Benefícios nutricionais do abacate



Há anos a ciência se dedica a aprofundar o conhecimento sobre o metabolismo dos lipídios no organismo, bem como a composição das variedades de gorduras proveniente de grãos e frutos, além daquelas originadas de animais. Dietas ricas em lipídios de diversas origens (peixe, oliva, girassol, milho, soja, canola, etc) têm sido bastante estudadas. Os resultados das pesquisas apontam para uma influência positiva de alguns tipos de gorduras sob as taxas das lipoproteínas sangüíneas, resultando em proteção do organismo à diversas doenças.

Os óleos de canola e oliva, ricos em ácido graxo monoinsaturado (especialmente o ácido oleico) são capazes de prevenir e auxiliar no tratamento de doenças crônicas por diminuírem as concentrações séricas de triacilgliceróis (TAG), colesterol total e lipoproteínas de baixa densidade (LDL), além de possuir ação anticoagulante.

Fruto originado do continente americano, o abacate é notadamente rico em gordura sendo fonte de ácido oleico e de calorias. Até pouco tempo atrás, seu consumo era vetado para portadores de obesidade, hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias, doenças cardiovasculares e outras patologias que estão associadas ao acúmulo de gordura no organismo, devido a inter-relação entre a alimentação e a origem destas doenças.

O abacate pode ser encontrado na América Latina e outras regiões subtropicais e tropicais do mundo, sendo que o Brasil ocupa hoje o quarto lugar como produtor deste fruto, antecedido apenas pelo México, Estados Unidos e República Dominicana.

Aproximadamente 70% do peso do abacate se refere à polpa do fruto. A composição centesimal média do abacate encontra-se descrita no Quadro 1 mostrado a seguir.


Quadro 1 - Composição centesimal média da polpa do abacate (100g)

Energia 171,3Kcal
Umidade 72,4%
Carboidratos 2,9g

Proteínas 1,6g
Lipídios 18,0g
Vitamina C 12 mg
Cinzas 1,0g
Fibras 2,3g


Fica evidente que o abacate é fonte de muitos nutrientes, destacando-se as fibras e os lipídeos, além de contribuir com calorias. Mesmo sem poder ser considerado como fonte protéica, o abacate contém quantidades muito superiores às demais frutas neste quesito. Na composição lipídica, a quantidade de ácido oleico se destaca no abacate. Esteróis, alcoóis, tocoferóis e carotenos também se fazem presente. Cabe enfatizar que, tanto a variedade como o clima de cultivo podem interferir no teor dos nutrientes do fruto.

Dada a relevância do consumo de abacate em dietas de determinados países, incluindo o Brasil, estudos foram feitos, especialmente no México, relatando o papel protetor que os componentes do abacate possuem tanto na prevenção como no tratamento de cardiopatias.

"Em 1992 foi publicada a primeira evidência científica sobre a eficácia do abacate como fonte de ácidos graxos monoinsaturados em pessoas saudáveis, reduzindo o colesterol total, o colesterol de baixa densidade (LDL) e os triacilgliceróis (TAG)".
"Posteriormente, em 1997, foi constatado em pacientes com hipercolesterolemia que, além do consumo do fruto induzir redução nas taxas de colesterol total, LDL e TAG, ele favorece o aumento desejável nos níveis do colesterol de alta densidade (HDL)".


Os resultados do consumo de dietas compostas por abacate aparecem logo. Após o período de uma semana já ocorre alterações sensíveis nos indicadores lipídicos do sangue. Além disso, já foi identificado que o consumo do abacate influencia também na glicemia.

Após quatro semanas consumindo dieta contendo abacate, mulheres diabéticas insulino dependentes, compensadas e sem complicações graves decorrentes da patologia, tiveram redução tanto no colesterol sérico total como na glicemia.

Dessa forma:

"O consumo de abacate auxilia no tratamento de doenças crônicas, especialmente nas cardiopatias, diabetes e dislipidemias. Sua composição é nutricionalmente interessante dada as quantidades significativas de ácido oleico, vitamina C, fibras, esteróis e mesmo calorias. Estudos comprovando os benefícios do consumo do fruto a longo prazo ainda são requeridos no sentido de reforçar seu papel terapêutico aqui descrito".

Cabe, finalmente, destacar que a introdução regular de abacate na alimentação deve ser feita sob acompanhamento nutricional, dada a elevada densidade calórica do fruto. Caso contrário, indesejáveis quilos podem surgir e, de certa forma dependendo do caso, comprometer a saúde.

Fonte: Revista Nutriweb

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Quibe de berinjela assado




Ingredientes:
2 xíc. (chá) de trigo para quibe
1 xíc. (chá) de proteína texturizada de soja
2 berinjelas sem casca, cortadas em cubos
1 cebola picada
1 dente de alho picado
1 col. (sopa) de hortelã picada
2 col. (sopa) de salsa
1 pitada de pimenta síria
2 col. (sopa) de shoyu light
Sal a gosto
2 tomates sem semente em cubinhos

Recheio
3 rodelas grossas (300 g) de ricota
1 col. (sopa) de azeite extravirgem
6 azeitonas verdes picadas
Orégano e sal a gosto


Modo de fazer
Em vasilhas separadas, mergulhe o trigo e a proteína de soja em água morna e deixe hidratar por 15 minutos. Afervente a berinjela na água com sal por 2 minutos. Escorra e esprema o trigo, a soja e a berinjela para retirar o excesso de água. Triture rapidamente a berinjela no liquidificador no módulo pulsar. Junte todos os ingredientes numa tigela funda e misture bem. Forre o fundo de uma fôrma antiaderente com metade da mistura e espalhe uma camada da ricota amassada com o azeite e misturada com a azeitona, sal e orégano. Cubra com o restante da misture e regue com o restante do azeite. Asse em forno médio por 30 minutos ou até dourar. Sirva com uma salada colorida.

Fonte: Congelados das Sônia

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Antepastos de Berinjela Light

Antepasto de Berinjela com Creme de Queijo e Manjericão




Receita LIGHT
Rendimento: 6 porções
Calorias: 129.00 kcal


Ingredientes:

3 unidade(s) de berinjela em rodelas
quanto baste de água
quanto baste de vinagre branco
3 colher(es) (sopa) de azeite
300 gr de Ricota
1/2 xícara(s) (chá) de creme de leite light
2 colher(es) (sopa) de manjericão
quanto baste de sal
100 gr de nozes picada(s)
quanto baste de acelga


Modo de fazer:

Deixe as rodelas de berinjela de molho em água para evitar o escurecimento.
Grelhe as rodelas de berinjela com um fio de azeite, até que elas fiquem douradas e macias.
Se preferir, as berinjelas podem ser substituídas por abobrinhas.
Para a pasta verde: coloque no processador a ricota, o creme de leite light, o manjericão e o sal à gosto. Processe.
Monte em um refratário, colocando camadas de berinjela e a pasta verde, alternadamente. Decore com nozes.
Pode ser servido com a acelga.

Antepasto de Berinjela com Uva Passa

Rendimento: 6 porções
Calorias: 60.00 kcal

Ingredientes:

2 dente(s) de alho amassado(s)
2 colher(es) (sopa) de azeite
1 unidade(s) de berinjela em cubos pequenos
1 unidade(s) de cebola picada(s)
1 unidade(s) de pimentão vermelho em pedaços pequenos
30 gr de uva passa
3 colher(es) (sopa) de vinagre branco
50 gr de grãos de soja torrada(s)

Modo de fazer:

Refogue o alho em 1 colher (sopa) de azeite por 2 a 3 minutos na potência máxima (10). Adicione a berinjela, a cebola e o pimentão. Tampe e deixe mais 8 minutos na potência máxima (10). Retire, mexa bem e adicione a uva passa, o vinagre e o restante do azeite. Polvilhe o orégano e deixe esfriar. Misture a soja. Sirva pelo menos 2 horas depois de deixar na geladeira.

Fonte: Site Cyber Cook

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Receitas de Bolos Gelados

BOLO DE CÔCO GELADO






Ingredientes
· Para a massa
· 5 ovos
· 3 xícaras (chá) de açúcar
· 1 xícara (chá) de leite
· 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
· 1 colher (sopa) de fermento em pó

· Para a calda
· 400g de leite condensado
· 400ml de leite
· 200ml de leite de coco
· Coco ralado para cobrir

Modo de Preparo
Bata as claras em neve. Junte as gemas, bata mais um pouco e adicione o açúcar, ainda batendo. Coloque o leite e depois a farinha com o fermento. Leve para assar em fôrma untada em forno pré-aquecido a 180º C por 40 minutos ou até a massa ficar firme e dourada. Para fazer a calda, misture os ingredientes líquidos, depois banhe o bolo ainda quente com a calda e deixe esfriar. Passe pelo côco ralado, embrulhe no papel alumínio e leve à geladeira.

BOLO DE CHOCOLATE GELADO

Ingredientes

· Para a massa
· 200g de manteiga
· 220g de açúcar refinado
· 110g de chocolate em pó
· 3 ovos
· 180g de farinha de trigo
· 1 colher (sopa) de fermento em pó
· 1 pitada de sal
· 200ml de leite

· Para a calda
· 400g de leite condensado
· 4 colheres (sopa) de chocolate em pó
· 1 colher (sopa) de manteiga
· 500ml de leite
· Chocolate ao leite em barra ralado para cobrir

Modo de Preparo
Bata a manteiga com o açúcar até ficar cremoso. Junte os ovos, um a um. Adicione o restante dos ingredientes da massa alternando secos e líquidos. O fermento deve ser o último. Coloque a mistura na fôrma untada e leve para assar em forno pré-aquecido a 190 graus até que a massa esteja cozida e levemente dourada. Para a calda, junte o leite condensado, o chocolate em pó e a manteiga e faça um brigadeiro bem molinho e deixe esfriar. Depois, misture o leite para dar mais cremosidade. Assim que o bolo sair do forno banhe-o na calda. Deixe esfriar e cubra com raspas de chocolate ao leite (feitas no ralador), embrulhe no papel alumínio e leve à geladeira.

BOLO DE LIMÃO GELADO

Ingredientes
· Para a massa
· 150g de manteiga
· 180g de açúcar
· 2 ovos
· 80ml de leite
· 250g de farinha de trigo
· 2 colheres (chá) de fermento em pó
· Raspas de 2 limões
· 1 colher (sopa) de essência de baunilha

· Para a calda
· 150ml de suco de limão
· 15g de raspas de limão
· 3 ovos
· 200g de açúcar refinado
· 125g de manteiga sem sal
· 15g de amido de milho
· 500ml de leite

Modo de Preparo
Na batedeira, bata a manteiga com o açúcar numa mistura bem cremosa e fofa. Adicione os ovos, um a um. Junte o leite e a baunilha e vá misturando a farinha peneirada aos poucos, batendo na velocidade baixa. No final, adicione o fermento e as raspas de limão. Coloque a mistura na fôrma e leve para assar em forno pré-aquecido a 190ºC até que a massa esteja cozida e levemente dourada.

Para a calda, coloque o suco de limão, as raspas, 100g do açúcar e a manteiga em uma panela e ferva. Em uma tigela, coloque os ovos e o restante do açúcar e o amido de milho, misture bem. Quando o suco ferver, derrame um pouco dele na mistura de ovos mexendo sempre. Volte para panela em fogo baixo, tomando cuidado para não talhar até que engrosse um pouco. Resfrie, junte o leite e banhe o bolo ainda quente com esta calda. Passe no açúcar cristal (ou chocolate ralado), embrulhe no papel alumínio e leve à geladeira.

BOLO DE PISTACHE


Ingredientes
· Para a massa
· 5 ovos
· 3 xícaras (chá) de açúcar
· 1 xícara (chá) de leite
· 2 xícaras (chá) de farinha de trigo
· 1 colher (sopa) de fermento em pó
· 150g de pistache moído (farinha de pistache para cobrir)

· Para a calda
· 400ml de creme de leite fresco
· 200ml de leite
· 200g de açúcar refinado
· 50ml de rum branco
· 1 pedaço de gengibre fresco (2 cm)

Modo de Preparo
Bata as claras em neve. Junte as gemas, bata mais um pouco e adicione o açúcar, ainda batendo. Coloque o leite e depois a farinha com o fermento. Leve para assar em assadeira untada em forno pré-aquecido a 180 graus por 40 minutos, ou até a massa ficar firme e dourada. Para a calda, leve todos os ingredientes ao fogo e cozinhe até ferver e dissolver o açúcar. Banhe o bolo ainda quente e cubra com pistache moído, embrulhe no papel alumínio e leve à geladeira.

Fonte: IG

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Como se faz picolé e sacolé

Derrube as temperaturas com sorvetes artesanais, no saquinho ou no palito.




Sacolé, sucolé, chup-chup e geladinho são alguns nomes do suco embalado em um pequeno saco plástico e congelado, guloseima com gostinho de infância, quando o congelador costumava ficar repleto de geladinhos de groselha. Romper o plástico com os dentes e esperar o gelo derreter na boca era um dos passatempos preferidos das tardes quentes de verão.

Mas, ao fazer sucolés e picolés para aplacar essas altas temperaturas, não há razões para limitar-se aos sabores mais comuns ou sucos industrializados vendidos em garrafas no supermercado. Para reunir dicas sobre como fazer sorvetes no palito (ou no saquinho), a reportagem do iG Comida conversou com alguns especialistas no assunto. É o caso de Luis Claudio Barros, do Sucolés do Claudinho, que há mais de 20 anos vende sucolés nas areias de Ipanema. Os geladinhos ficaram tão famosos que ele já esgotou um estoque de mais de 3 000 unidades, a 4 reais cada, em um único dia. “Meu produto custa quatro vezes mais do que os outros sacolés da praia, mas, mesmo assim, é um sucesso”, diz. O segredo? Segundo ele, não entra nada de água no preparo. Em um processo artesanal, os gelados são feitos a partir do suco da fruta fresca, nunca em polpa (daí o nome “sucolé”).

Além dos sucolés mais tradicionais, Claudinho passou também a juntar laranja com acerola, abacaxi com morango, musse de maracujá com chocolate e manga com maracujá. Ele diz que não é difícil fazer em casa, basta preparar um suco bem concentrado, sem nada de água, adoçar a gosto, colocar nos saquinhos plásticos e levar ao congelador. “Leite, leite condensado e creme de leite podem ajudar a dar mais cremosidade. Dá para experimentar várias combinações diferentes.”

Preparar picolés não é mais complexo do que isso. O princípio é o mesmo. Só muda a forminha, normalmente de plástico. A chef Heloísa Bacellar, do Lá da Venda
, em São Paulo, prefere forminhas de papel (as de cupcake), potinhos de iogurte vazios e até mesmo forminhas de gelo para levar os sorvetes ao congelador. “Quem disse que picolé só pode ter um formato?”, brinca.

Leandro Scabin, um dos sócios da marca de picolés Diletto, diz que não é possível evitar as pedrinhas de gelo no picolé caseiro. “Em um freezer doméstico o congelamento leva mais tempo do que em um equipamento profissional, com isso a água acaba se separando e criam-se cristais de gelo”, explica. Mas ele concorda que dá para incrementar. “Para dar mais consistência, basta usar iogurte ou creme de leite fresco como base”, diz Scabin. “Uma coisa importante é sempre colocar mais açúcar do que você colocaria no seu suco. Devido às baixas temperaturas do sorvetinho, o paladar percebe menos o doce.”

Na hora de escolher o que acrescentar à receita, vale chocolate, coco e frutas batidos com água, leite, iogurte ou creme de leite fresco. Se a ideia é fazer um picolé de frutas, prepare sempre um suco bem concentrado, mais forte do que aquele que você tomaria normalmente. “É mais fácil acertar nas combinações de frutas”, explica Débora Lopes, nutricionista da marca de sorvetes Sorvetes Rochinha. “O princípio é o mesmo do preparo de uma vitamina”, diz. “Adicione leite e o resultado será muito bom.”

Para Débora, a proporção ideal é a mesma quantidade de frutas e de leite ou água. Mas as quantidades também podem variar de acordo com o gosto. Os sucolés do Claudinho não levam uma gota sequer de água, só o suco da fruta. “Não recomendo frutas aguadas, como melancia, laranja ou tangerina, pois o sabor fica muito diluído”.

Heloísa Bacellar gosta de brincar com o que tiver na geladeira. “Já fiz picolé de brigadeiro, só adicionando um pouco de leite ao doce, de nutella, de creme de confeiteiro, de banana”, conta. Segundo ela, os picolés precisam ser consumidos em até dois ou três dias. “Como estamos preparando um sorvete sem nenhum aditivo, ele logo fica duro demais e com mais pedras de gelo.” Segundo ela, basta deixar de três a quatro horas no congelador e o sorvete já está pronto. “Na hora de tirar da forminha, não tente puxar pelo palito, só passe um pouco de água por fora que eles facilmente se soltam”, explica.

Ficou com vontade de experimentar em casa? Então dê uma olhadinha nos ingredientes que você tem na geladeira e crie sua própria receita. Scabin sugere dois sabores de picolés Diletto que também funcionariam em casa. “Uma boa ideia é assar uma maçã com mel e canela até que fique bem amolecida. Depois, bater a polpa da fruta com leite, um pouco de creme de leite e açúcar até obter uma mistura homogênea e com bastante sabor. A dica é acrescentar o leite aos poucos para não passar do ponto.” Colocar um pouco de limão no iogurte também pode render um picolé saboroso e refrescante. Heloísa aconselha usar gotinhas de limão em outros sucos também. “Elas ressaltam o sabor das frutas”, diz.

Receitas:

Picolé de amendoim e chocolate

Ingredientes
4 gemas

3/4 de xícara de pasta de amendoim

1/3 de xícara de açúcar

1 xícara de creme de leite fresco

1 xícara de leite

1/2 xícara de pé de moleque moído

200g de chocolate meio amargo em pedaços médios

12 forminhas de papel para muffin

12 palitos de sorvete

Modo de Preparo
Em uma tigela média, coloque as gemas passadas por uma peneira, a pasta de amendoim e o açúcar e misture até obter um creme homogêneo. Numa panela, aqueça o creme de leite e o leite, espere ferver, despeje sobre o creme de gemas, misture, volte para a panela e, sem parar de mexer, mantenha no fogo até a espuma sumir e o creme engrossar e cobrir o dorso da colher.

Transfira imediatamente para uma tigela dentro de outra tigela cheia de água com gelo para esfriar. Cubra com filme plástico e leve ao freezer por 2 horas. Retire do freezer e, para dar leveza, bata o creme por uns 5 minutos com a batedeira, acrescentando o pé de moleque. Preencha 2/3 de cada copinho com o sorvete (não mais do que isso, pois o creme se expande no freezer), dê umas batidinhas para eliminar bolhas e leve ao freezer por 10 minutos.

Enquanto isso, derreta o chocolate no microondas. Ao final do tempo, divida o chocolate entre os copinhos e misture ligeiramente com o palito para conseguir um efeito marmorizado, depois centralize o palito e volte ao freezer por umas 3 horas.


Picolé de Abacate

Ingredientes
1 xícara de abacate

1 xícara de leite

Açúcar a gosto (sempre um pouco a mais do que a quantidade que você colocaria em um suco)

Gotas de limão só para evitar que o abacate escureça.

Modo de Preparo
Bata os ingredientes no liquidificador até obter uma vitamina homogênea, sem pedaços da fruta. Coloque em forminhas de picolé ou sacos plásticos próprios para sacolés e leve ao freezer. O tempo de congelamento pode variar de um freezer para o outro.

SE quiserem transforam estas receitas em receitas lights, mude para adoçante, creme de leite light, leite condensado diet e leite desnatado. Assim sua receitas ficará com menos calorias e gorduras!

Fonte: IG

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O DNA do alcoolismo dos jovens

Mais do que genética, o exemplo familiar é crucial para desencadear a dependência em crianças e adolescentes.

Exemplo dos pais é crucial para definir comportamento dos filhos com o álcool, dizem especialistas
Não são as chamadas “más companhias”, os mais velhos da escola ou os primos de segundo grau. A principal ponte entre o álcool e os adolescentes são os pais. Mais do que genes ruins ligados ao alcoolismo, o exemplo é a herança familiar mais importante para culminar em um consumo problemático de bebidas alcoólicas pelas crianças.

As pesquisas nacionais e internacionais já confirmaram o peso da influência da família neste processo. Três em cada dez adolescentes que admitiram consumir algum produto etílico apontaram a própria casa como local da experimentação, atestou pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) que traçou o perfil de consumo de bebidas alcoólicas por adolescentes no Brasil.

O índice de 31% encontrado nesta parte do estudo é mais do que o dobro do segundo lugar no ranking de responsáveis pela oferta de álcool: “os amigos” dos jovens pesquisados somaram 15%. Não são conclusões solitárias no meio científico. A última edição dos Cadernos de Saúde Pública, publicada no início do mês, traz dados inéditos de 11 anos de acompanhamento de todas as 4.452 crianças que nasceram em 1993 na cidade de Pelotas, no Rio Grande do Sul.

No recorte sobre o uso de álcool, os pesquisadores ligados a três universidades detectaram que 17,5% daquela população já havia usado álcool, sendo 5% antes dos 9 anos. Renda familiar, escolaridade, repetência de ano, cor da pele, necessidade de trabalhar fora de casa não influenciaram estatisticamente neste uso precoce.

A prevalência foi maior em três situações. Em primeiro lugar, adolescentes de mães beberam durante a gravidez mostraram risco 60% de consumir álcool. Em segundo, filhos de pais consumidores de álcool (ambos) tiveram risco aumentado em 42%. E por último, crianças que naquela faixa etária já haviam experimentado cigarro pontuaram 2,7 vezes mais na escala de uso de álcool.

Conclusões como estas conduziram os especialistas a pesquisar como os pais deve apresentar o álcool aos seus filhos, sendo esta uma das estratégias, inclusive, para prevenir dependências futuras.

Manual para crianças

“Os educadores têm um bordão que cai como luva para a questão do álcool e outras drogas. Antes do seu filho escutar seus conselhos, ele enxerga o que você faz”, afirma o psiquiatra Sérgio de Paula Ramos, especialista em dependência química da Associação Brasileira de Psicanálise, da Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre e da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas.

Não é apenas o uso nocivo dos adultos que pode ser decisivo para a criança, acreditam os especialistas. A embriaguez constante dos adultos, as doses exageradas antes de dirigir ou a agressividade potencializada pela bebida são consideradas um exemplo tão ruim como o hábito de beber uma taça de vinho ou um copo de uísque, por exemplo, após um dia de trabalho intenso, depois de uma briga ou em uma situação de frustração. A mensagem de que o álcool conforta e faz companhia pode ser igualmente perigosa.

Carlos Salgado, presidente da Associação Brasileira de Estudos para Álcool e Outras Drogas (Abead), acrescenta que mesmo em situações em que o álcool é consumido de maneira harmoniosa – em datas comemorativas ou reuniões familiares – é função dos pais apresentarem a bebida como um componente exclusivo do universo dos adultos. “De forma muito parecida como as questões do dirigir automóveis, pornografia ou sexo são tratadas”, compara o especialista.

Dartiu Xavier, especialista em dependência química pela Unifesp e autor do manual “Como falar de drogas com o seu filho” da Associação Paulista de Medicina – avalia que as informações sobre o que é, o que causa, que gosto tem o álcool devem ser passadas às crianças na medida em que as perguntas surgem, independentemente da idade. “Claro que é diferente falar com alguém de seis anos e com um jovem de 15, mas a disposição em esclarecer e interagir sempre deve ser presente”, afirma.

Cérebros em formação

Lidar com esta curiosidade infantil tem como um dos desafios a imaturidade do cérebro. Segundo o psiquiatra Sérgio de Paula Ramos, até os 23 anos de idade o cérebro ainda não está completamente “maduro”. “A primeira região que fica pronta é a do impulso, uma das explicações para os adolescentes serem tão impulsivos”, explica. A última, chamada de córtex frontal, é responsável pelo discernimento.”

Estas constatações da neurociência fazem com que Ramos e o presidente da Abead tenham convicção que o álcool só deve ser consumido ou experimentado após os 18 anos, idade definida pela lei brasileira como mínima para o consumo (em alguns estados norte-americanos só é permitido beber após os 21 anos). “Temos indícios fortes o suficiente para afirmar que quanto mais cedo o contato com o álcool, maior o risco da dependência se instalar, independentemente da influência genética”, diz Carlos Salgado.

Por conta disso, Salgado e Ramos são categóricos: quando os filhos pedem para experimentar um pouco da bebida alcoólica dos pais e resposta deve ser sempre não.

Já Dartiu Xavier acredita que a oferta de um golinho, no copo do adulto responsável, pode ser uma forma de “aplacar a curiosidade sem maiores danos”, desde que o comportamento desta criança ou adolescente com a bebida seja constantemente acompanhado. “Pedir um gole sempre que vê os adultos bebendo, apresentar sinais de embriaguez ou consumir álcool diariamente são sinais que não podem ser ignorados”, complementa.

O Centro de Informação sobre o Álcool (Cisa) em seu manual sobre “como falar de álcool com seus filhos” afirma: “alguns pais acham melhor oferecer um pouco de bebida alcoólica ao filho durante um jantar em família ou em ocasiões especiais (com o intuito de evitar que o filho beba escondido). Qualquer que seja a sua decisão, o abuso de álcool não deve ser tolerado em circunstância alguma. Isto se aplica ao seu filho e a você.”

Sérgio de Paula Ramos avalia que o momento de falar de bebidas com a criança pode ser uma excelente oportunidade de perguntar ao próximo o que ele pensa sobre seu próprio hábito de beber. “É a ferramenta mais eficiente para saber se há um comportamento nocivo. Pergunte à sua mulher ou marido, ou ao irmão o que ele acha sobre o seu padrão de consumo e questione se você já provocou constrangimentos ou não. Será um termômetro das mensagens que têm sido passadas ao seu filho.”

Fonte: IG

Dicas para evitar a ressaca

Veja também o que fazer para aliviar os sintomas quando já bebeu demais
Dia seguinte: beber com moderação ajuda a evitar a ressaca.



Não adianta. Apesar das várias opções de pastilhas, ampolas e comprimidos de venda livre nas farmácias prometendo ajudar a evitar a ressaca, a única forma 100% garantida de ficar longe do problema é NÃO BEBER.

Como é a ressaca dentro do corpo

E se decidir beber, faça-o com moderação. Quanto menos álcool você bebe, menor a probabilidade de sofrer no dia seguinte.

Veja a seguir algumas dicas para prevenir o problema e também para lidar com ele. Aproveite sua festa com responsabilidade!

- Coma antes de beber. O álcool é absorvido mais rapidamente se o estômago está vazio.

- Se você é uma pessoa pequena, tenha em mente que os efeitos do consumo de álcool são maiores em você do que em uma pessoa de maior estatura e peso

- Beba com moderação. O Instituto Nacional de Abuso do Álcool e Alcoolismo recomenda que as mulheres não bebam mais do que um drinque por dia e os homens não mais do que dois drinques ao dia. Atenção: um drinque equivale a 355ml de cerveja, 148ml de vinho ou 45ml de destilado, ok?

- Conheça seus limites. Decida de antemão quantos drinques você vai beber e cumpra essa meta

Saiba o que é coma alcoólico e aprenda a agir diante dessa situação

- Consuma o drinque lentamente. Beber não é um concurso: limite-se a ingerir um drinque a cada hora de festa e não beba por pressão de familiares ou amigos

- Beba água entre os drinques. Tomar um copo de água após cada bebida alcoólica vai ajudá-lo a se manter hidratado e também a beber menos

Bebeu demais e está com ressaca? Seguem algumas dicas que podem ajudar:

- Vale tentar alimentos e bebidas ricas em frutose (como suco de frutas ou mel). No entanto, não existem muitas evidências científicas de que a frutose realmente ajude o corpo a eliminar o álcool do corpo mais rápido

- Coma bem, se possível. Soluções ricas em eletrólitos, como isotônicos, caldos e sopas, são boas opções para substituir o sal e o potássio que você perdeu enchendo a cara
- Descanse muito. A maioria das ressacas desaparece em 24 horas. Lembre-se: mesmo que você se sinta bem pela manhã depois de uma noite de bebedeira pesada, os efeitos duradouros do álcool irão reduzir sua performance em qualquer coisa que você precise fazer no dia seguinte

- Algumas pessoas usam analgésicos de venda livre, como ácido acetilsalicílico ou ibuprofeno para prevenir os sintomas da ressaca. Não se esqueça de perguntar ao seu médico se tomá-los é seguro e como isso deve ser feito (dose e horários mais adequados). Atenção: evite tomar qualquer medicação para ressaca que contenha paracetamol. Combinado com álcool, essa substância pode causar danos ao fígado

Fontes: Clínica Mayo e National Institutes of Health (EUA)

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Alimentos poderosos contra a celulite

 

Sete opções de ingredientes fáceis de incluir no dia a dia e que vão garantir a saúde da pele
 

 
 
Cenoura: garante o bronzeado e ajuda na luta contra a celulite


Alimentação adequada e exercício físico regular são essenciais para manter a celulite longe da pele. Melhorar a aparência da região onde os temidos furinhos já estão instalados também é possível com base nessa dupla.
Alguns alimentos, se inseridos na dieta, também podem modificar o aspecto de pernas, quadris e abdome, locais mais comuns da inflamação do tecido adiposo.
“Eles hidratam e revitalizam a pele, por isso, ajudam a reduzir o problema”, afirma Fabiana Marangoni, nutricionista do Spa Fazenda Igaratá, em São Paulo.

Nas próximas refeições, não se esqueça de incluir:
Castanha-do-pará: essa semente contem selênio em sua composição, antioxidante que atua na renovação celular, garantindo a saúde da pele.
Cenoura: o mesmo betacaroteno que ajuda a conquistar um bronzeado duradouro é o responsável pela proteção das células e consequente redução da inflamação. O resultado é uma redução na celulite.
Gengibre: esse alimento tem o poder de acelerar o metabolismo, além de ação antioxidante. Com o metabolismo funcionando a mil, as gorduras tendem a ser absorvidas.
Laranja: a fruta tem vitaminas C e B, além de minerais. Essas substâncias ajudam as células da pele a absorverem melhor os nutrientes, evitando que eles se acumulem e formem os furinhos.

Foto: Getty Images Ampliar
Semente de girassol: quantidade ideal não ultrapassa uma mão fechada em concha
Linhaça, gergelim e girassol: sementes são ricas em ácidos graxos essenciais e, por isso, atraem água, retendo-as dentro das células, garantindo hidratação.
Morango: além de serem antioxidantes, impedem que os radicais livres fragilizem os tecidos, abrindo caminho para a celulite.
Salmão: esse peixe é rico em ômega-3, substância com propriedade anti-inflamatória, que melhora a aparência da pele reduzindo a inflamação.

Fonte: IG

 

100 respostas sobre alimentação para você vencer a balança

Alimentação balanceada




1- O que é considerado um cardápio saudável?
A tradução de um cardápio saudável é simples, segundo Roberta. Quando a quantidade de calorias, carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais estão presentes em quantidades adequadas nas refeições diárias, significa que o indivíduo sabe montar um cardápio saudável , diz ela. Basta respeitar as suas necessidades e preferências individuais , completa.

2- Como evitar a má digestão?
Alguns truques na hora de sentar à mesa são capazes de evitar o mal-estar após a comilança. Roberta ensina que comer sem pressa é uma boa tática. As refeições principais devem durar, no mínimo, 30 minutos . Controlar a quantidade de líquidos durante as refeições (não ultrapasse os 200 ml) e evitar alimentos ricos em gordura é outra investida contra a má-digestão. Vale lembrar que, se o mal-estar for crônico, é fundamental consultar um gastroenterologista. Ele vai investigar as possíveis alterações no sistema digestório.

3- É possível controlar o metabolismo?
O gasto calórico metabólico de cada pessoa varia de acordo com as próprias características pessoais, como idade, peso e altura. Mas, de acordo com Roberta, é possível controlar esse gasto ficando atento ao número de calorias ingeridas e à prática de atividade física. Para dar uma extrapoladinha no cardápio sem ver o ponteiro da balança subir, basta queimar mais calorias, se exercitando. Já quem quer emagrecer deve ingerir uma quantidade energética adequada, que seja abaixo da sua necessidade. Assim, aliando um cardápio de baixo valor calórico com atividade física, a eliminação de peso será maior .

4- Existem alimentos capazes de acelerar o metabolismo?
Alguns estudos indicam uma lista bem grande de alimentos eficientes na aceleração do metabolismo. Entre eles, destacam-se o chá, o café, o salsão, a pimenta e o gengibre. (Recheie seu cardápio com alimentos poderosos contra os quilinhos extras). No entanto, Roberta alerta que, de nada adianta tomar muitos litros de chá com o objetivo de emagrecer, se hábitos equivocados ainda fizerem parte da alimentação do dia-a-dia, como o consumo excessivo de alimentos ricos em gorduras e carboidratos refinados ou a não ingestão de frutas, legumes e verduras. Comente no fórum

5- Quais alimentos são benéficos na luta contra o alto colesterol?
Pessoas que apresentam colesterol elevado devem evitar alimentos ricos nesse tipo de gordura , alerta Roberta Stella. Na lista proibida para quem está sofrendo com as taxas elevadas de colesterol, a especialista cita produtos de origem animal, como leite e derivados integrais, carnes e embutidos. Além disso, vale dar preferência aos alimentos ricos em fibras. Por exemplo, frutas, legumes, verduras e cereais integrais (arroz integral, aveia, pão integral, entre outros) .

6- Caso você não consuma todos os nutrientes necessários ao organismo, é aconselhável tomar algum tipo de suplementação?
A resposta da nutricionista Vanderli Marchiori é sim. Porém, antes de apelar para os suplementos, o ideal é aprender a comer corretamente. A nutri alerta ainda que a eventual suplementação não deve tomar o lugar dos alimentos, e sim servir como complemento. A orientação de um especialista também é fundamental para evitar problemas nos rins e no fígado, principalmente.

7- Cortar os carboidratos da alimentação por um tempo pode ser prejudicial à saúde?
A restrição moderada de carboidratos deve ser feita por um período determinado, não devendo ultrapassar um ano , informa a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. Já uma alimentação com restrição total de carboidratos deve ser seguida somente sob supervisão de um profissional da saúde. Uma dieta com excesso de proteínas na alimentação pode sobrecarregar os rins e, por isso, ela deve ser constantemente avaliada , explica.

8- A carne de soja apresenta o mesmo valor nutricional da carne bovina?
Não, existem diferenças na composição nutricional , afirma a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. Enquanto 52% do valor calórico da carne bovina é composto por proteínas (o restante é de gorduras), a carne de soja tem 69% do seu valor calórico representado pelas proteínas e 27% de carboidratos. Quando o assunto é quantidade de calorias, a carne de soja sai na frente, oferecendo 300 kcal a cada 100 g. Já a mesma quantidade da carne de boi fornece 179 kcal. Para substituir, minha dica é comer, em soja, metade da quantidade que você comeria de carne bovina. Ou seja, troque um bife bovino de 100 g por 50 g de proteína texturizada de soja (PTS) , aconselha a especialista.

9- Legumes crus oferecem mais nutrientes que os cozidos?
De acordo com a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella, alguns nutrientes realmente são perdidos durante o cozimento, principalmente, as vitaminas hidrossolúveis, encontradas em abundância nas vitaminas do complexo B e vitamina C. No entanto, isso não significa que a ingestão dos alimentos cozidos deve ser um hábito eliminado. (Você conhece a prática alimentar que prioriza a ingestão de alimentos crus? Descubra se ela é realmente eficaz). Existem algumas medidas simples capazes de diminuir a perda de nutrientes. Sempre que possível, reutilize a água em que os legumes foram cozidos. Use-a, por exemplo, no preparo do arroz. Assim dá para reaproveitar os nutrientes que foram parar na água do cozimento, ensina a especialista.

10- Por que é recomendável trocar o leite integral pelo desnatado?
A quantidade de gordura presente em cada tipo de leite é a responsável pela grande diferença entre os dois. Por ser uma gordura de origem animal, ela é saturada e contém colesterol na composição. Considerando também que a gordura é o nutriente mais calórico, o leite desnatado tem menos calorias que a versão integral , explica a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella, sobre a troca saudável.


11- Tirar as cascas comestíveis das frutas diminui seu valor nutricional?
A resposta da nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella, é sim. As cascas são ricas em nutrientes e, entre eles, as fibras merecem destaque. Como grande parte da população sofre de intestino preso, é sempre recomendado ingerir as cascas comestíveis das frutas para amenizar os desconfortos causados pela constipação intestinal , diz Roberta.

12- Quais opções de tempero mais saudáveis para as saladas?
Segundo a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, os temperos mais saudáveis são os naturais, como salsinha, cebolinha, alecrim, alho e cebola. Ela ressalta a importância de evitar o uso excessivo de sal ou condimentos salgados demais.

13- Comer maçã causa constipação intestinal?
A fama não passa de boato, de acordo com Roberta Stella, nutricionista do Minha Vida. A maçã está na lista dos alimentos que possivelmente causam gases, mas não constipação . Muito pelo contrário, já que sua casca é rica em fibras, que aumentam o bolo fecal e facilitam sua eliminação. . Mas Roberta lembra que cada organismo funciona de maneira diferente. Se você perceber que a maçã prende seu intestino, não insira a fruta no cardápio com tanta freqüência .

14- Por que é importante fazer várias refeições ao longo do dia?
A explicação é que cada refeição apresenta alimentos específicos e de importâncias diferentes. Os alimentos indicados no café-da-manhã são diferentes dos recomendados no almoço ou no jantar. A variedade de refeições leva a uma diversidade de alimentos ingeridos, garantindo uma quantidade maior de nutrientes obtidos , afirma Roberta Stella, nutricionista do Minha Vida. Isso significa que uma alimentação diversificada ao longo do dia ajuda a alcançar os níveis recomendados de todos os nutrientes. Além desse fator nutricional, é importante fazer várias refeições ao dia para que a fome não fique acumulada, o que levaria a um excesso alimentar em algum período, principalmente à noite , ressalta a especialista àqueles que estão de olho na balança.

15- O que são substâncias antioxidantes?
Os antioxidantes neutralizam a ação dos radicais livres, substâncias formadas pelo nosso próprio organismo e altamente reativas. Esses radicais são úteis ao organismo, mas, em excesso, podem prejudicá-lo, através do depósito de colesterol nas paredes dos vasos sangüíneos, do enrijecimento das células e da anulação de algumas enzimas , conta a especialista no Minha Vida, Roberta Stella. Conte com a alimentação para obter os antioxidantes. Um cardápio diário rico em frutas, verduras, legumes e cereais integrais é a receita ideal.

16- Quais os efeitos da aveia na luta contra o colesterol alto?
Em sua composição, a aveia apresenta um tipo de fibra chamado solúvel. O nome é dado porque essas fibras são capazes de se ligar à água e formar uma substância parecida com um gel. No intestino, as fibras solúveis se ligam aos ácidos biliares, responsáveis pela digestão das gorduras. Dessa maneira, o colesterol não é absorvido e, juntamente com o ácido biliar, é excretado através das fezes , esclarece a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, sobre o poder da aveia na luta contra as taxas de colesterol.

17- O café realmente espanta o sono? Quais outros alimentos têm esse poder? Sim. O efeito contra o sono do café vem da cafeína. Ela age no sistema nervoso central e inibe a atuação do neurotransmissor responsável pela sensação do sono, a adenosina. Além disso, a cafeína participa de grande parte da produção de adrenalina. Portanto, para evitar noites em claro, passe longe dos alimentos ricos em cafeína, em média, três horas antes de dormir. Nesse mesmo grupo, estão chá preto, refrigerante à base de cola e chocolate.

18- A alimentação do jantar influencia no ronco? A nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella, responde que belas pratadas podem favorecer o ronco de quem se deita logo após o jantar. Ela afirma ainda, que a obesidade está associada à presença do ronco e à apnéia. O conselho da especialista é ingerir alimentos de fácil digestão (com baixa quantidade de gordura), na última refeição do dia. Também não é recomendado se deitar após as refeições. Aguarde pelo menos uma hora para fazer isso. Se o problema é excesso de peso, Roberta ressalta a importância de seguir um cardápio de pouco valor calórico.

19- Depois de aquecido, o óleo é mais prejudicial à saúde?
As conseqüências da reutilização do óleo para preparar os alimentos são muitas: ele apresenta modificações na cor e no cheiro, aumenta sua viscosidade, forma espuma e substâncias tóxicas ao organismo. Tudo isso por causa das elevadas temperaturas a que foi submetido diversas vezes , explica Roberta Stella, responsável pela equipe nutricional do Minha Vida. Ela afirma que todas essas alterações causam prejuízos à saúde. Portanto, evite usar o mesmo óleo em preparos diferentes e, sempre que possível, confira o aspecto do óleo

20- Adoçar sucos naturais com adoçante diminui o valor nutricional do suco?
Fique à vontade para adoçar seu suco. Roberta Stella, nutricionista do Minha Vida, garante que o uso de adoçantes não interfere nos nutrientes fornecidos por eles. Pelo contrário, os adoçantes são úteis para reduzir o valor calórico que seria obtido se o açúcar refinado fosse utilizado.

21- Montar pratos saudáveis, mas não variar o cardápio, traz alguma conseqüência à saúde?
De acordo com a nutricionista Alyne Alves Figueiredo, um cardápio monótono pode privar o organismo de diversos nutrientes necessários para a manutenção da saúde. Uma dieta variada tem uma maior oferta de nutrientes. Ao ingerir diversos tipos de frutas, por exemplo, você consegue obter diferentes tipos de vitaminas e minerais. O mesmo acontece com uma ampla variedade de legumes, verduras e os outros alimentos , completa a especialista.

22- Não cumprir a recomendação de beber dois litros de água por dia pode ser prejudicial à saúde? De que forma? Fique atento às suas poucas goladas, porque a resposta é sim, segundo a nutricionista Alyne Alves Figueiredo. Dois litros são a quantidade suficiente para garantir o balanço hídrico, ou seja, que a quantidade de água ingerida esteja na mesma proporção que a perda diária. O organismo perde cerca de dois litros e meio de água por dia, através da urina, das fezes, da pele e dos pulmões. Caso você consuma menos do que isso, pode ocorrer uma desidratação , alerta Alyne. Os sintomas da desidratação são indisposição, perda de coordenação, náuseas, câimbras e distúrbios intestinais, como flatulência e diarréia.

23- Existe algum alimento que combata a ressaca?
Existir um único alimento capaz de dar um chega pra lá no mal-estar causado pela bebedeira além da conta, não existe. Mas beber bastante líquido, no dia seguinte, ajuda. Evite também preparações gordurosas para não sobrecarregar o fígado. Assim, ele fica voltado para a metabolização das toxinas que foram ingeridas , recomenda a nutricionista Alyne Alves Figueiredo.

24- O que são alimentos orgânicos?
Segundo a nutricionista, Alyne Alves Figueiredo, os alimentos orgânicos são o resultado de métodos de cultivo que não contam com a utilização de compostos químicos, com o propósito de obter alimentos ausentes de substâncias que podem afetar o organismo. Ou seja, ao lançar mão destes tipos de alimentos, você deixa suas refeições livres de fertilizantes, pesticidas artificiais, herbicidas e organismos geneticamente modificados.

25- O modo de preparo dos alimentos influencia na absorção dos nutrientes?
A nutricionista Alyne Alves Figueiredo afirma que sim. Ao comer batata frita, por exemplo, você leva mais tempo para absorver os nutrientes do que se tivesse optado pelo purê de batata. A grande quantidade de óleo presente na versão frita da batata faz com que a digestão seja mais lenta explica a especialista. Prefira os alimentos cozidos, assados, grelhados, já que eles contêm pouca adição de gordura. Ou, ainda, procure aqueles que podem ser consumidos na versão crua, como cenoura, beterraba e tomate.
26- É possível montar uma lista com 10 alimentos imprescindíveis à saúde?
Seria preciso uma lista bem maior para citar todos os alimentos indispensáveis para a manutenção da saúde , brinca a nutricionista Alyne Alves Figueiredo. Mas, no geral, Alyne conta que frutas, verduras, legumes, cereais, produtos lácteos, carnes e leguminosas devem fazer parte da rotina alimentar de todo mundo que se preocupa com a saúde. Juntos, eles garantem que o organismo obtenha os nutrientes essenciais para seu funcionamento

27- Os ovos de galinha favorecem o aumento de colesterol?
A gema do ovo realmente é rica em colesterol, contendo, em média, 214 mg. A recomendação diária de consumo de colesterol gira em torno de 300 mg , alerta a nutricionista Alyne Alves Figueiredo. No entanto, alguns estudos mostram que o colesterol presente nos ovos tem pouca influência nas taxas desse tipo de gordura, no sangue. Não existe uma recomendação para a ingestão de ovos, mas pode-se estipular uma quantidade de 2 ovos por semana. Desde que não sejam ingeridos no mesmo dia , aconselha a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella.

28- Chocolate favorece o aparecimento de espinhas?
Apesar de toda a polêmica, não há nenhum estudo científico que comprove a relação entre o chocolate e as espinhas. A acne não passa de uma doença inflamatória da glândula sebácea e do folículo do pêlo. O princípio de tudo é a produção excessiva de sebo, que forma os cravos e acaba obstruindo o canal de saída da secreção. O local onde o cravo aparece pode ser contaminado por bactérias, ocasionando uma inflamação e, conseqüentemente, a espinha. O estresse, por exemplo, é um dos fatores que leva a variações hormonais, que, além de promover um aumento de sebo, estimulam o desejo por chocolate e outras delícias. Por isso, muitas vezes, os alimentos acabam levando a culpa pelo aparecimento das espinhas.

29- Água com gás e semente de tomate podem causar pedra nos rins?
Mais um mito relacionado à alimentação, segundo a nutricionista Alyne Alves Figueiredo. A bebida gaseificada e a semente de tomate não têm influência na formação dos cálculos renais. Eles são formados quando componentes da urina, como ácido úrico, cálcio, fósforo e cistina, se concentram demais e acabam se agregando em forma de cristais , garante a especialista. Para evitar esse acúmulo, porém, a alimentação pode ser uma aliada. Beber dois litros de água, diariamente, ajuda a limpar o sistema urinário e ainda repõe a quantidade perdida pela transpiração e excreção. )

30- Existem alimentos que levam ao acúmulo de gorduras, gerando as celulites?
Maneire nos doces, frituras, bebidas alcoólicas e alimentos industrializados que contenham muito sódio e conservantes, se quiser deixar seu bumbum livre dos terríveis furinhos. De acordo com a nutricionista Alyne Alves Figueiredo, a gordura em excesso dos três primeiros exemplos contribui para o aumento das células do tecido adiposo, o que leva também ao aumento de peso. Ela afirma ainda, que os quilinhos extras estão diretamente relacionados com a potencialização das celulites. Já os alimentos ricos em sódio e conservantes favorecem a retenção de líquido, outro fator predisponente para as celulites.


31- É aconselhável tirar a carne vermelha do cardápio?
A resposta da nutricionista Alyne Alves Figueiredo é não. A carne vermelha é rica em proteínas, ferro, zinco e vitamina B12. Resumindo, elementos essenciais para o bom andamento da saúde, diz ela. Quem segue algum tipo de filosofia que exclui tal alimento do cardápio, como os vegetarianos, precisa repor as substâncias de outras formas, seja por meio de suplementos químicos ou redobrando a atenção sobre outras fontes alimentares dos nutrientes oferecidos pela carne como, por exemplo, derivados da soja e vegetais verdes escuros.

32- Substituir o refrigerante pela água-de-coco é uma boa opção para quem está de dieta?
Levando em consideração os valores nutricionais, a água-de-coco dá de 10 a zero nas bebidas gaseificadas, já que é fonte de carboidratos, vitaminas e minerais. Por isso, pode ser usada para a substituição , garante a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. O único porém é que a bebida é calórica e não pode ser consumida livremente, como a água natural (um copo com 200 ml de água-de-coco tem 36 calorias). Um copo para acompanhar a refeição ou a quantidade de bebida encontrada no próprio coco é a dose certa , ressalta Roberta.

33- Chá-verde acelera o emagrecimento?
O bafafá que ronda o chá-verde e seus poderes de emagrecimento tem um motivo: esse chá é rico em antioxidantes, chamados de polifenóis , diz Roberta Stella, nutricionista do Minha Vida. A especialista explica que tais substâncias podem estar envolvidas em um mecanismo que faz com que o gasto energético seja maior, levando ao emagrecimento. Mas, ela lembra que a ingestão de determinado alimento ou bebida não garante a eliminação de peso. O que faz com que haja o emagrecimento é a ingestão calórica menor do que a necessidade diária, durante um período de tempo. Tomar chá-verde, adoçando-o com açúcar, e ingerir alimentos que promovam o excesso calórico, por exemplo, não fará com que o emagrecimento ocorra .

34- É melhor optar pela manteiga ou pela margarina?
Entre as duas opções, escolha a margarina , aconselha a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. Ela explica que a margarina é feita a partir de óleos vegetais e o que a diferencia da manteiga é que ela apresenta uma quantidade menor de gordura saturada e não conta com a participação do colesterol no seu processo de produção. Além disso, a maioria das margarinas é preparada sem gordura trans que, assim como o colesterol, é um nutriente que favorece o surgimento de doenças coronarianas , completa.

35- Os queijos amarelos são sempre mais gordos que os brancos?
Fique atento à pegadinha, já que a cor nem sempre é uma boa referência de quantidade de gordura. De acordo com a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella, os queijos amarelos apresentam, em geral, mais calorias que alguns queijos brancos. Porém, nem todo queijo branco é sinônimo de pouca gordura e baixo valor calórico. Os queijos cottage, ricota e minas estão entre os menos calóricos. Por outro lado, queijos brancos como a mussarela de búfala, queijo brie, coalho e gorgonzola apresentam em elevada quantidade de calorias e gorduras , exemplifica a especialista. Para não errar, a dica é sempre comparar os rótulos com as informações nutricionais dos queijos.

36- O material da panela tem influência nos nutrientes dos alimentos?
ode ser transferido para os alimentos? Uma pesquisa realizada pela Universidade de Campinas (Unicamp) comprovou que panelas de ferro, pedra sabão e aço inox fazem com que nutrientes como o ferro sejam liberados para os alimentos e, conseqüentemente, ajudam a aumentar os níveis sangüíneos de tais nutrientes , conta a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. O problema é que, da mesma maneira, panelas de alumínio liberam o mineral tóxico para o organismo. Por isso, esse utensílio deve ser tirado do armário com menos freqüência. Panelas antiaderentes e esmaltadas fazem com que o alumínio não migre para os alimentos, atuando como uma barreira , indica a nutricionista.

37- Alimentos enlatados são nutritivos?
A perda de nutrientes, se compararmos os enlatados com suas versões in natura, depende do alimento. Na lista dos que mais perdem em termos nutricionais, estão as carnes e as frutas. No entanto, a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella, lembra que as maiores desvantagens estão relacionadas ao sabor e à textura dos alimentos. Sempre que possível, dê preferência às versões naturais de legumes, leguminosas, frutas e sucos , aconselha.

38- Por evitar o uso da água na maioria de seus preparos, o microondas é um bom aliado para preservar os nutrientes dos alimentos?
Realmente, quando a água não é utilizada na preparação dos pratos, as vitaminas hidrossolúveis são preservadas. Mas, segundo a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella, o fogão convencional também não prejudica o valor nutricional dos alimentos. A perda de vitaminas hidrossolúveis durante o processo de cozimento pode ser reposta utilizando a mesma água para o cozimento de outros alimentos. Um bom exemplo é usar a água em que os legumes foram cozidos para preparar o arroz , diz Roberta. Além disso, é importante lembrar que as vitaminas estão presentes em quantidades consideráveis na alimentação, tendo outras fontes alimentares, como frutas, verduras e cereais integrais.

39- É verdade que alguns alimentos ajudam a desintoxicar o organismo de quem parou de fumar?
Não existe uma alimentação especificamente voltada para remoção das substâncias deixadas pelo cigarro. A responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, explica o que acontece. Depois de parar de fumar, muitas pessoas relatam que sentem mais os sabores dos alimentos. Dessa forma, é mais fácil montar um cardápio balanceado, com a participação de fibras, legumes, verduras, cereais integrais, frutas, carnes magras, leite e derivados, sem esquecer a água . No entanto, a especialista também alerta para o outro lado da retomada dos sabores: quando os alimentos são mais apetitosos é mais fácil extrapolar, causando o aumento de peso. Por isso, Roberta lembra que a base da alimentação é a mesma para pessoas que nunca fumaram e para os ex-fumantes. Com uma alimentação balanceada e sem o tabaco, certamente a qualidade de vida aumenta , conclui.

40- A vitamina C realmente é eficaz no combate à gripe?
Atualmente, o que tem se observado é que a vitamina C não cura, nem previne a gripe. Mas ela age na diminuição dos sintomas dessas viroses , afirma a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella.


41- Mau hálito é causado pela alimentação?
Além da má higiene bucal, o mau hálito pode ser causado por algum problema gástrico. Roberta Stella, nutricionista do Minha Vida, diz ainda, que uma dieta rica em proteínas pode produzir um hálito chamado de cetônico, parecido com o que temos ao acordar. Isso acontece porque, durante a quebra de gordura presente nos alimentos ricos em proteínas, são formados corpos cetônicos, responsáveis pelo cheiro característico desse tipo de hálito.

42- Frutas ácidas causam afta?
As frutas ácidas podem causar aftas em pessoas que apresentam a predisposição para desenvolvê-la e são alérgicas ou sensíveis a esse tipo de alimento , responde a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella. Por isso, a maioria das pessoas desenvolve a afta por estar predispostas, e não por terem consumido frutas ácidas.

43- Sal de potássio é melhor do que o de sódio?
O sal de potássio, também conhecido como sal light, é indicado para as pessoas com hipertensão. O sódio faz com que haja uma maior retenção de líquido no organismo aumentando a pressão arterial. E, por isso, a alternativa é substituir o sal comum, com sódio, pelo sal com potássio. É importante lembrar que o sódio está também presente nos alimentos industrializados como embutidos, salgadinhos e enlatados. "Por isso, além de substituir o sal das preparações é necessário controlar esses alimentos industrializados", diz Roberta. Se você é obeso ou hipertenso, prefira o sal light. "Mas quem não tem hipertensão está dispensado da substituição, basta maneirar no uso do sal comum", aconselha a especialista.

44- Beber durante as refeições prejudica a digestão?
Depende. O líquido durante a refeição é bem-vindo, desde que em pequena quantidade, ou seja, um copo pequeno de 200 mL. "Nesse caso, a bebida irá ajudar a umedecer os alimentos auxiliando a digestão", explica a nutricionista. "Quando a ingestão é maior, ocorre o inverso. Há a diluição do suco gástrico que irá prejudicar o processo de digestão".

45- Comidas congeladas apresentam menos nutrientes?
Os alimentos in natura estão no topo do ranking de valor nutricional. Mas isso não significa que o consumo de refeições congeladas é desaconselhável. A vida moderna, muitas vezes, não permite a compra freqüente de legumes, frutas e vegetais frescos. A utilização de meios de conservação, como o congelamento, faz-se necessária , tranqüiliza a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. Ela esclarece que o preparo dos alimentos industrializados congelados envolve uma técnica chamada branqueamento. Durante esse processo, evita-se a perda de nutrientes, completa. Além dos nutrientes, o método conserva as características dos alimentos, como cor, sabor, textura e ainda atua na diminuição da atividade enzimática e na proliferação de bactérias. Na prática, depois de lavados, os alimentos são submersos em água fervente por dois a três minutos e, rapidamente, colocados em água fria. Depois do choque térmico, os alimentos estão prontos para serem embalados e congelados. Em casa, alguns truques são capazes de manter os nutrientes dos alimentos congelados.

46- Batata frita é mais maléfica ao coração se comparada a outros alimentos fritos?
Não. Os alimentos fritos em geral podem levar ao aumento de peso, que está associado ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares. A batata frita é comumente preparada com óleo vegetal, que não contém colesterol e apresenta uma baixa quantidade de gordura saturada , desmistifica Roberta Stella, responsável pela equipe nutricional do Minha Vida. Ela lembra, porém, que esse tipo de petisco deve ser consumido esporadicamente. Alimentos fritos no cardápio? No máximo, uma vez por semana , aconselha.

47- A obesidade tem cura?
A obesidade é uma doença crônica multifatorial. Ou seja, ela pode ser resultado de causas genética, comportamental e metabólica. Quando o índice de massa corporal (IMC) é igual ou maior que 30, a obesidade é constatada. (Quer descobrir seu IMC? Clique aqui). Como doença crônica, igual ao diabetes e à hipertensão, a obesidade não tem cura, mas tratamento, que precisa ser feito com a supervisão de uma equipe multidisciplinar: nutricionistas, médicos, psicólogos e fisioterapeutas , afirma a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella. Comente no fórum 48- Existem alimentos que favorecem o surgimento da azia? Se você sofre com as sensações de queimação, saiba que o motivo disso é o refluxo do conteúdo do estômago. Esse refluxo pode ser do próprio ácido gástrico ou de alimentos , afirma Roberta Stella, nutricionista do Minha Vida. Na lista das comidas relacionadas à azia, ela cita frutas cítricas, pimentão, alimentos apimentados e ricos em gorduras. Se o objetivo é fugir do mal-estar, além de evitar tais alimentos, não deite logo após as refeições e não coma grandes volumes na mesma refeição , aconselha Roberta.

49- Por que o vinho tinto é famoso por seus benefícios à saúde?
Quais são esses benefícios? A fama de mocinho do vinho vem das substâncias antioxidantes, chamadas de polifenóis, que ele contém. Tais substâncias são associadas à prevenção de doenças cardiovasculares, diabetes e melhora do sistema imune. Roberta Stella, responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, conta que os antioxidantes são obtidos principalmente pelo tipo de uva e pelas condições em que elas são cultivadas. Por isso, a quantidade de polifenóis encontrada no vinho tinto é maior que no vinho branco. Mas a especialista lembra que a ingestão de vinho deve ser moderada. Consuma, no máximo, uma taça por dia. Para obter todos os benefícios é fundamental uma alimentação saudável e a prática de atividade física .

50- Qual o melhor horário para se pesar e qual a freqüência ideal?
Se você tem uma balança caseira, pese-se sempre pela manhã, assim que acordar, com a menor quantidade de roupa possível , aconselha a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella. Já se a sua opção de pesagem é a balança da farmácia, o ideal é se pesar antes das refeições. A especialista aconselha ainda a usar roupas leves para que elas não interfiram demais no peso lido. Como é normal haver uma variação ao longo do dia, é recomendado checar os números a cada sete dias.

Emagrecimento
51- Qual o primeiro passo para começar uma dieta de emagrecimento?
A primeira regrinha é seguir as orientações de um especialista em nutrição. A nutricionista do Minha Vida lembra que, apesar da alimentação fazer parte do dia-a-dia, muitos mitos estão relacionados a ela, o que acaba confundindo pessoas leigas. Por isso, é arriscado tentar fazer um programa alimentar sem a orientação de um especialista .

52- Para perder peso, é preciso riscar alimentos gostosos como doces, massas e fast food do cardápio?
Comemore! A resposta é não. Roberta garante que, ao seguir uma reeducação alimentar, não é necessário cortar os alimentos mais calóricos da alimentação. Basta controlar a quantidade e a freqüência com que eles farão parte das refeições

53- Cortar os carboidratos do prato é a melhor alternativa para quem quer emagrecer?
Nada disso. É incorreto fazer uma alimentação com zero de carboidratos ou que prive qualquer outro tipo de nutriente. A alimentação do brasileiro é rica em alimentos que contêm esse nutriente. Portanto, a aderência a uma alimentação com baixa quantidade de carboidratos poderá ter um grau de dificuldade maior, prejudicando o objetivo em atingir o peso desejado , justifica Roberta.

54- Manter uma dieta a partir da soma de calorias é aconselhável para uma perda de peso saudável?
Nem sempre. Somar as calorias não é sinônimo de alimentação adequada. (Aprenda a contar calorias a favor da sua dieta). A longo prazo, a alimentação baseada em valores calóricos pode acarretar prejuízos para a saúde. A nutri ensina que o controle de calorias é somente um item que deve ser monitorado para que haja a eliminação saudável de peso .

55- Qual o método mais rápido de emagrecimento?
É possível emagrecer rapidamente com uma dieta de elevada restrição calórica. Porém, alerta a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, esse tipo de emagrecimento não é o ideal. O melhor é controlar a ansiedade em emagrecer para atingir o peso desejado sem prejudicar a saúde. Além disso, eliminar peso gradativamente faz com que o organismo se adapte à nova alimentação , fala sobre a dieta com sucesso garantido.

56- Quando se está de dieta, qual a média ideal de perda de peso?
Roberta afirma que o resultado de uma eliminação de peso saudável varia entre 1 quilo e 1,5 quilo por semana.

57- Qual a diferença entre diet e light?
O termo diet é aplicado em alimentos que restringem determinados nutrientes, como carboidratos, proteínas, gorduras, sódio. Para serem considerados diet, os alimentos não podem apresentar mais de 0,5 g do nutriente por 100 g do alimento. Outra versão de alimentos diet são aqueles sem adição nenhuma de determinado nutriente. Ou ainda, produtos voltados para grupos populacionais específicos, como gestantes, lactantes e crianças. Já a expressão light é usada quando há uma restrição mínima de 25% das calorias ou de nutrientes, se comparados com a versão tradicional do alimento.

58- O que fazer para evitar o efeito sanfona?
O processo de emagrece-engorda normalmente ocorre quando dietas muito restritivas entram em ação, sem dar importância à qualidade do cardápio. Se ao atingir o peso desejado, aos velhos hábitos alimentares voltarem, certamente os quilos perdidos vão ser reconquistados. É preciso ter a consciência de que o controle e a manutenção do peso atingido são para sempre , aconselha Roberta Stella.

59- Existem alimentos que aceleram o emagrecimento?
Sim. Uma boa opção para queimar as gordurinhas em excesso mais rapidamente são os chamados alimentos termogênicos. A nutricionista e fitoterapeuta Vanderli Marchiori explica que os termogênicos apresentam um efeito térmico capaz de induzir o corpo a consumir mais energia. Na lista desses alimentos poderosos, encontram-se gengibre, chá verde, pimenta, couve, brócolis, laranja e kiwi. Mas vale lembrar que somente a ingestão desses alimentos não é garantia de perda de peso. Quem precisa emagrecer tem de modificar alguns hábitos alimentares para que haja a diminuição da ingestão calórica e, assim, o emagrecimento , diz a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella

60- Ficar em jejum emagrece?
De nada adianta passar horas com o estômago nas costas. A técnica comumente utilizada por quem deseja ver o ponteiro da balança descer de repente tem efeito contrário. Sem falar que a fome se acumula, levando a excessos mais tarde. Isso acontece principalmente à noite, quando você não agüenta mais ficar sem comer e compensa com refeições supercalóricas, diz a nutricionista do Minha Vida.

61- Se as calorias diárias forem consumidas antes do término do dia, é recomendável cortar as próximas refeições do cardápio?
Nada disso. Quando o cardápio estiver baseado na quantidade de calorias, e o limite tiver sido ultrapassado antes das últimas refeições, é aconselhável optar por alimentos de baixo valor calórico. A nutricionista Roberta Stella incentiva o consumo de frutas e verduras e alerta sobre os efeitos contrários do jejum. Passar mais de quatro horas sem comer, faz com que a fome se acumule, podendo levar a um excesso alimentar posterior. Apenas o controle de calorias não é responsável pelo emagrecimento, mas também a qualidade dos participantes do prato .

62- Por que as fibras são sempre recomendadas para quem faz dieta?
Porque elas são armas poderosas para matar a fome, já que promovem uma rápida sensação de saciedade e, de quebra, ajudam na eliminação de toxinas. Por não serem absorvidas pelo organismo, aumentam o volume das fezes e facilitam sua eliminação, tornando-se uma boa pedida para regular o funcionamento do intestino. Para aproveitar todos estes benefícios, a recomendação para pessoas adultas varia entre 20 e 30 gramas diárias.

63- Emagrecer muito rápido favorece o efeito sanfona?
Sem dúvida , responde a especialista do Minha Vida, Roberta Stella. Eliminar muitos quilos em um período curto de tempo significa que não houve uma mudança nos hábitos alimentares. Assim, após atingir o peso desejado, as pessoas voltam a se alimentar como anteriormente. Os erros se repetem e levam ao ganho de peso , explica a nutri.

64- Não deu para fugir da happy hour. Para não causar tantos danos à dieta, é melhor ir de cerveja, vodca ou vinho? As bebidas alcoólicas contêm uma quantidade significativa de calorias cada grama de álcool fornece 7 delas. Isso significa que ele é mais calórico do que os carboidratos e as proteínas, que contam com 4 unidades cada um. Para não prejudicar a dieta, é importante dar preferência às bebidas de menor teor alcoólico, evite os destilados, como a vodca e o whisky. Opte por uma latinha de cerveja ou uma tulipa de chope. Uma taça de vinho também é uma boa alternativa para que está de olho nas calorias , aconselha a nutricionista Roberta Stella.

65- Dietas muito restritivas acostumam mal o organismo, fazendo engordar com mais facilidade após voltar ao cardápio habitual?
Antes de tudo, é preciso ressaltar que as dietas restritivas demais não são recomendadas , diz a nutricionista Alyne Alves Figueiredo. Ainda de acordo com ela, não é que o organismo fica mal acostumado com a dieta. O fato é que, ao abandonar o controle excessivo da ingestão calórica, os hábitos alimentares errados voltam a ter espaço na rotina. Para não engordar novamente, o ideal é dar continuidade as atitudes aprendidas durante o período de reeducação alimentar , conclui a especialista.

66- Fazer apenas três refeições por dia dificulta a eliminação dos quilinhos extras?
Ao se alimentar apenas três vezes ao dia, o intervalo entre as refeições fica muito extenso. E o jejum prolongado não é aconselhável por vários motivos, esteja você de dieta ou não , responde a nutricionista Alyne Alves Figueiredo. Ela ressalta que, para manter as funções metabólicas, o organismo precisa de nutrientes em pequenos intervalos. Isso resulta em, no mínimo, cinco refeições diárias: café-da-manhã, lanche, almoço, lanche da tarde e jantar. Evitar o jejum também ajuda a sumir com as gordurinhas a mais, já que pequenas refeições ao longo do dia fazem com que a fome não se acumule.

67- Depois de uma bela escapulida da dieta, é aconselhável lançar mão de sucos desintoxicantes?
Se abusou na alimentação e saiu do plano de emagrecimento, é possível fazer um dia de dieta desintoxicante, rica em sucos, chás e alimentos com baixo valor calórico como, saladas e frutas. Entretanto, esse padrão alimentar não deve se estender. Volte à alimentação variada e que inclua todos os grupos alimentares. Assim dá para emagrecer sem prejudicar a saúde , recomenda a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella.

68- Quem já fez diversos tipos de dieta tem mais dificuldade em perder peso?
Fique tranqüilo se você já seguiu dietas de todos os tipos, pois a resposta é não. Com um plano de reeducação alimentar, orientado por um especialista em nutrição, dá para perder peso de maneira eficaz e saudável. Planejar a alimentação de acordo com as suas necessidades nutricionais e seus hábitos alimentares é o suficiente para atingir metas de perda de peso e, posteriormente, manutenção , incentiva a nutricionista Alyne Alves Figueiredo. Vale lembrar que praticar atividade física regularmente também é indispensável para queimar os quilos a mais.

69- Existe algum truque para queimar calorias mais rapidamente?
Sim, e é bem simples: basta escolher seu exercício favorito e começar a suar a camisa para queimar muitas calorias. Além de ficar em forma, você ainda beneficia sua saúde. E não precisa se tornar um atleta profissional para desfrutar as vantagens das atividades físicas. Praticar qualquer exercício por, pelo menos, três vezes semanais é o bastante para detonar calorias. Na batalha contra elas, até a faxina vale. Ao esfregar o chão, por exemplo, você perde, em média, 160 calorias.

70- Comer à noite engorda mais?
No período da noite, o corpo sofre uma redução metabólica, que faz com que o gasto de energia fique mais lento , explica a nutricionista Alyne Alves Figueiredo. Porém, isso não significa que as refeições devem ser banidas no final do dia. . A dica para jantar sem medo de engordar é equilibrar os nutrientes. Se o prato da noite for montado basicamente com carboidratos (arroz, pães e massas), com pouca ou nenhuma proteína (carnes ou queijos) e sem fibras (legumes e verduras), a absorção dos carboidratos fica muito facilitada, fazendo com que o nível do açúcar no sangue aumente rapidamente. Enquanto o nível de açúcar está alto, o organismo utiliza apenas essa fonte de energia e inibe a utilização de gordura corporal como forma de energia , explica a especialista. Por isso, o ideal é montar um prato balanceado, com carboidratos, proteínas e fibras.

71- Ingerir bebidas alcoólicas em uma happy hour por semana prejudica a dieta?
Segundo a nutricionista Alyne Alves Figueiredo, o maior problema da ingestão de bebidas alcoólicas são as calorias vazias de nutrientes. Se a intenção é perder peso, elas devem ser cortadas (ou reduzidas) do cardápio. Cada grama de álcool contém sete calorias, enquanto um grama de carboidratos tem quatro , compara a especialista.

72- Fórmulas emagrecedoras viciam o organismo?
Alyne Alves Figueiredo, nutricionista, afirma que elas viciam, sim. Isso porque contêm anfetaminas e outras substâncias anorexígenas. Além de deixarem o organismo viciado, as anfetaminas produzem uma série de efeitos adversos, como o aumento da pressão arterial, que pode ocasionar derrames e problemas cardíacos. A nutricionista lembra que a melhor forma para perder peso ainda é alimentação balanceada aliada à prática de atividade física.

73- Quais opções de sobremesas não comprometem tanto a dieta?
As melhores opções de sobremesa são sempre as frutas , garante a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. Além de serem ricas em água, vitaminas e sais minerais, as frutas apresentam uma quantidade mínima de gordura quesito que desbanca todos os outros tipos de sobremesa. Para quem está a fim de se deliciar com um doce, a nutricionista recomenda as variações light, que contêm uma quantidade menor de açúcar e de gordura, se comparadas com suas versões tradicionais.

74- O cardápio da dieta influencia no humor?
Roberta Stella, nutricionista do Minha Vida, responde que sim. Então se você está seguindo uma dieta e anda mal humorado, fique alerta, pois pode ser que o cardápio esteja deficiente. Alguns nutrientes estão relacionados à formação de hormônios, como a serotonina e a norepinefrina, reguladores do bem-estar e do humor , explica a especialista. No prato de quem quer sorrir à vontade não podem faltar vitamina C e vitaminas do complexo B (principalmente, B6 e B5). Os alimentos fontes desses micronutrientes são frutas cítricas, cereais integrais, leguminosas, ovos e carnes. Alimentos ricos em carboidratos também são capazes de promover uma onda de bem-estar.

75- Dietas que prometem resultados rápidos podem servir como ponta-pé inicial para uma reeducação alimentar posterior?
A idéia parece boa, mas, de acordo com a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella, não é recomendado iniciar o processo de emagrecimento com uma alimentação altamente restritiva, proposta das dietas com resultados rápidos. Por privar demais a quantidade dos alimentos, esse tipo de regime pode desestimular você a atingir a meta de peso final , alerta a especialista. Ela aconselha uma preparação para começar a reeducação alimentar. É importante saber que as mudanças dos hábitos alimentares servirão de base para a alimentação pelo resto da vida, não somente por um determinado período , conclui.

76- Estipular uma data para atingir a meta de emagrecimento é uma boa tática?
Segundo a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella, estipular pequenas metas pode ser uma boa, sim. Ao atingir objetivos ao longo do caminho, é como se você estivesse tendo vitórias e rumando para o objetivo final , incentiva a especialista. (Saiba o que fazer depois que os primeiros resultados da dieta começam a aparecer). Mas ela alerta para o outro lado da história. Agendar datas muito próximas para eliminação de peso pode causar frustração e desânimo, se você não conseguir chegar às metas. Isso pode, inclusive, levar à desistência do emagrecimento . Portanto, estabeleça alvos possíveis, apesar de desafiantes. Roberta conta que a média de perda de peso, por semana, é de um quilo. Mas é comum ser mais difícil eliminar os últimos excessos , afirma Roberta.

77- Por que fica mais difícil eliminar peso ao longo da dieta?
Roberta Stella, nutricionista do Minha Vida, explica que a necessidade de calorias se reduz, conforme ocorre o emagrecimento. Assim, quando o peso foi eliminado aos poucos e você nota que o ponteiro da balança ficou estável, é hora de modificar a quantidade calórica da alimentação para retomar o ritmo de eliminação de peso.

78- Se a vontade de alguma tentação é muita, é melhor ceder ou resistir?
É melhor ceder , afirma a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella. Ela explica: ficar guardando a vontade pode provocar algum descontrole mais para frente . Por isso, se bateu aquela vontade de comer chocolate, compre um bombom e mate o desejo. Mas nada de exagerar na dose ou repetir o pecado com freqüência.

79- Praticar exercícios regularmente acelera o emagrecimento em quanto tempo?
Junto com outros tantos benefícios, praticar atividades físicas promove um grande gasto energético. Se você está seguindo um cardápio para redução de peso e praticando algum tipo de exercício, o déficit energético será maior. Conseqüentemente, a perda dos quilos extras vai ser mais rápida , informa a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella. Porém, não é possível calcular uma média de tempo comparando pessoas que fazem dieta e se exercitam e pessoas que seguem um roteiro alimentar de emagrecimento, mas não praticam nenhuma atividade física. Isso porque a quantidade de calorias gastas depende da intensidade, tempo e tipo de exercício praticado.

80- A perda de muito peso (mais de 20 kg) pode ser feita só com reeducação alimentar e exercícios físicos ou são necessários outros métodos?
É possível eliminar peso somente com reeducação alimentar, sim. No entanto, pessoas obesas, em certas ocasiões, necessitam de outros métodos de emagrecimento, como medicamentos ou intervenção cirúrgica , responde Roberta Stella, responsável pela equipe nutricional do Minha Vida. Ainda de acordo com ela, a indicação de cada método só é possível com avaliação médica. Alguns casos requerem o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, envolvendo profissionais de nutrição, psicologia, psiquiatria e fisioterapia.

81- Por conter muita gordura, o salmão pode prejudicar a dieta?
O papel da gordura no organismo é bastante mal compreendido por algumas pessoas. A gordura é um nutriente importante e não deve ser excluída da alimentação, ressalta Roberta Stella, responsável pela equipe nutricional do Minha Vida. O importante é ficar atento ao tipo de gordura que os alimentos oferecem. No salmão, as gorduras monoinsaturada e poliinsaturada são encontradas em maior quantidade do que a saturada. Isso significa que o tipo de gordura fornecido pelo salmão não é prejudicial à dieta, nem à saúde , garante a especialista. Ela detalha que entre os tipos de gordura poliinsaturadas está o ômega-3, relacionado à prevenção de doenças cardiovasculares, entre outros benefícios.

82- Dá para perder gordura localizada só com reeducação alimentar?
A reeducação alimentar seguida de emagrecimento faz com que a quantidade de gordura corporal diminua. Mas é comum permanecer com um acúmulo em certas partes do corpo. A nutricionista do Minha Vida conta que, nas mulheres, a gordura tende a se acumular na região do quadril. Já os homens sofrem com a gordura localizada na região abdominal. Para aumentar a tonicidade e a quantidade de massa magra é importante que, juntamente com a mudança do padrão alimentar, haja a prática de exercícios aeróbios e localizados , dá a dica.

83- Refrigerante light prejudica a dieta?
Não. "O erro comum, no entanto, é ingerir uma quantidade muito maior de refrigerante só porque ele não contém calorias", afirma a nutricionista do Minha Vida. "É preciso tomar cuidado para não substituir a ingestão de água pela versão light da bebida gaseificada". Tome, no máximo, uma lata de refrigerante light e evite que a ingestão seja diária. Isso porque esse tipo de bebida, graças ao gás, provoca aumento da área do estômago. Além disso, a presença de ácidos está relacionada com o desenvolvimento da gastrite. Já sódio e cafeína costumam dar origem a problemas relacionados aos ossos e dentes.

84- Comer um brigadeiro, depois de uma semana seguindo a dieta rigorosamente, compromete o metabolismo (e o emagrecimento, por tabela)?
Não. Comer somente um brigadeiro após uma semana seguindo uma alimentação restrita não irá fazer com que o metabolismo se altere. "O perigo é um simples brigadeiro ser seguido de vários outros. Por isso, muito controle e determinação são importantes nessa hora para não colocar tudo a perder", diz a nutri. 85- Adoçante pode ser usado à vontade, sem risco de engordar? Apesar de haver uma grande polêmica sobre os adoçantes, é importante lembrar que há uma recomendação de ingestão diária para cada edulcorante, como também é chamado. Além disso, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) estabelece a quantidade permitida de edulcorante para cada alimento. "Como os adoçantes têm um potencial de adoçar (poder dulçor) muito alto em relação ao açúcar, não é necessário exagerar, diz Roberta. "Por apresentarem pouquíssimas calorias e serem utilizados em pouca quantidade, os adoçantes não comprometem o emagrecimento".

86- Alimentos integrais são sempre a melhor opção? Por quê?
Depende. O leite e seus derivados integrais possuem uma maior quantidade de gordura que deve ser evitada, já que a gordura é o nutriente mais calórico e, por serem alimentos de origem animal, ajudam a aumentar o nível de LDL (mau colesterol). "Nesse caso, opte pela versão desnatada ou light", sugere a especialista. Já os cereais integrais, como pão e arroz, são bem-vindos. Isso porque esses alimentos passam por um processo menor de refinação ou apresentam uma quantidade menor de produto refinado (no caso do pão integral, a quantidade de farinha integral é maior do que a de farinha refinada). "Isso significa que nutrientes como vitaminas, minerais e as fibras estão presentes em maior quantidade, quando comparados à versão tradicional, como o arroz e o pão brancos", diz Roberta. Mesmo apresentando uma quantidade calórica maior, esses alimentos acabam ajudando no processo de emagrecimento, à medida que oferecem uma sensação de saciedade mais prolongada.

87- Deixar a sobremesa para comer mais tarde (em vez de consumi-la logo após a refeição) engorda mais?
Não engorda. Normalmente, deixar a sobremesa como um lanche entre as refeições ajuda a controlar a quantidade de calorias e, portanto, pode auxiliar o emagrecimento. "Desde que, é claro, essa sobremesa não seja uma supertorta, um bolo enorme ou um docinho. Prefira sempre as frutas", diz Roberta.

88- Contar as calorias de tudo é uma boa tática?
Baseando-se só nisso dá para emagrecer? "O que faz emagrecer é o balanço energético negativo", afirma a especialista. "Traduzindo: a quantidade de calorias gasta durante o dia deve ser maior do que a quantidade de calorias obtida através dos alimentos". Portanto, cortar as calorias não é sinônimo direto de quilos a menos. Por exemplo, não adianta trocar uma fatia de pão integral (70 calorias) por uma de pão integral light (50 calorias). Além disso, é importante lembrar que, para emagrecer com saúde, é preciso pensar na quantidade de nutrientes. "Cortar as calorias aleatoriamente, sem saber quais alimentos devem ser consumidos, pode prejudicar a saúde, o rendimento e a disposição para enfrentar o dia-a-dia", alerta a nutri.

89- Torrada engorda menos que pão?
"Primeiro, é importante deixar claro que nenhum alimento engorda e sim, alguns alimentos são mais calóricos do que outros. O que faz engordar é um excesso de calorias acumulado por um período de tempo (semanas, meses, anos)", afirma a nutricionista. Agora, vamos falar das calorias da torrada e do pão e compará-las. Há duas maneiras de compararmos a quantidade de calorias dos alimentos:

1) por 100 gramas

2) por unidade consumida (fatia). 100 gramas de torrada contêm mais calorias do que 100 gramas de pão francês. Os valores? 433 calorias para a torrada e 286 calorias para o pão francês. Isso porque a torrada tem menos água em sua composição (é mais seca) do que o pão francês. Assim, os nutrientes calóricos (carboidratos, proteínas e gorduras) ficam mais concentrados na torrada e, portanto, uma mesma quantidade em gramas de torrada vai ter mais calorias em relação a de pão. Por outro lado, se compararmos por unidade, 1 fatia de torrada apresenta 40 calorias e 1 unidade de pão francês, 143 calorias. Qual é o problemas aqui? Somente 4 unidades de torrada superam a quantidade de calorias de 1 pão francês. Para emagrecer, substitua 1 pão francês por, no máximo, 2 torradas.

90- Exagerar nas calorias em um dia e compensar no outro, comendo menos, funciona?
Não funciona. "No dia do exagero, a quantidade de calorias consumidas pode ser tão grande a ponto de colocar dias e dias de disciplina e dedicação a perder", diz Roberta. "Sem falar que esse tipo de barganha não leva a uma "consciência alimentar". Pode até haver a eliminação de peso desejada. Mas, a longo prazo, todo o peso eliminado vai ser ganho novamente, porque não há preocupação com uma dieta equilibrada.

91- Como descobrir se a causa do aumento de peso é uma disfunção hormonal?
O hipotireoidismo está associado com o aumento de peso. Entretanto, a parcela da população que está com excesso de peso devido a essa disfunção hormonal é pequena. A maioria está em guerra com a balança por maus hábitos alimentares, mesmo. Quando existe a desconfiança de que o ganho de peso está relacionado com o fator hormonal, é importante consultar um endocrinologista, que fará a investigação adequada para confirmar tal hipótese.

92- Qual o aumento de peso tolerável no período de um ano?
Roberta Stella, nutricionista do Minha Vida, alerta que o ganho de peso não é desejado. Pequenos ganhos de peso, ao longo dos anos, podem levar a um excesso significativo. É importante monitorar o ponteiro da balança para mantê-lo dentro da faixa adequada para você .


93- Quais nutrientes não podem faltar no prato de quem pratica exercícios?
Segundo Roberta, todos os nutrientes são fundamentais para quem sua a camisa. E a atenção precisa ser redobrada quando o assunto é intervalo entre as refeições. É importante não praticar nenhum exercício de estômago vazio. Dê preferência aos carboidratos uma hora antes de começar a se exercitar , ressalta a nutricionista. Durante a atividade, a ordem é se hidratar. Consuma água em pequena quantidade, mas constantemente , aconselha a especialista do Minha Vida. Ao término da maratona, a alimentação deve estar dividida entre carboidratos e proteínas, que repõem as energias e ajudam a tonificar os músculos.

94- Quem pratica algum tipo de exercício físico deve ter um cardápio mais calórico, comparando com uma pessoa sedentária?
Sim, quem faz exercícios freqüentemente (no mínimo, três vezes por semana) pode se dar ao luxo de expandir as calorias do cardápio. Os praticantes de atividade física precisam de uma quantidade maior de calorias para manter o peso, se comparados com pessoas sedentárias que têm as mesmas características físicas , informa a nutricionista do Minha Vida, Roberta Stella. Por outro lado, se o objetivo é torrar os quilinhos extras, o valor calórico da dieta do esportista deve ser analisado. É preciso chegar a um número que possibilite a queima de gorduras sem comprometer o rendimento na prática dos exercícios , explica a especialista

95- É melhor comer antes ou depois dos exercícios?
De acordo com a nutricionista Vanderli Marchiori, as duas coisas. Antes de suar a camisa, os carboidratos (pães, massas, arroz e cereais) têm papel fundamental no prato. Já na volta da academia, conte com as proteínas (carnes e laticínios de forma geral) e, novamente, com os carboidratos na refeição. Antes da prática, eles fornecem energia, prevenindo mal-estar e, após a atividade física, repõem a glicose perdida. Já as proteínas atuam na formação da massa muscular.

96- Durante exercícios de longa duração, é preciso fazer um lanchinho para repor as energias?
Como é difícil interromper os exercícios para fazer um piquenique, Vanderli afirma que, quando eles apresentam uma carga intensa e levam mais de 90 minutos para serem feitos, o uso de maltodextrina em gel ou pó é recomendado. Trata-se de um carboidrato complexo feito a partir do amido de milho, que dá pique para os praticantes de atividades físicas de longa duração. A quantidade de maltodextrina depende da intensidade e duração dos exercícios, mas o indicado é que a concentração da substância no líquido varie entre 5 a 8%. Para um atleta que ingere 750 ml de água a cada hora que se exercita, por exemplo, indica-se 30 g de maltodextrina. Mas somente um especialista em nutrição esportiva é capaz de fazer o cálculo para cada nível de atividade física.

97- Quando os isotônicos são recomendados?
Depois de 90 minutos praticando atividade física, eles entram em ação para repor os líquidos e minerais perdidos pelo corpo.

98- Para ter energia na hora de se exercitar, como deve ser a alimentação antes dos exercícios?
Pão branco com geléia, torrada, biscoitos salgados ou uma barrinha de cereal. Não importa o seu lanche preferido. A dica de Vanderli Marchiori é consumir algum tipo de carboidrato, em média, meia hora antes de começar a se exercitar. Só fique atento aos alimentos de difícil digestão como, por exemplo, pão integral com manteiga. Eles podem diminuir o rendimento dos exercícios, pois apresentam digestão mais lenta, não disponibilizando energia necessária no momento da prática dos exercícios.

99- Qual a quantidade ideal de líquido durante a prática de exercícios?
É importante consumir, pelo menos, meio litro de água a cada hora de exercício. Mas é claro que fazer esse consumo em pequenas quantidades é o mais indicado para que o praticante não se sinta pesado durante a atividade física.

100- Quais alimentos favorecem o aumento da massa muscular?
Aqueles ricos em proteínas. O motivo, segundo Roberta Stella, é que as proteínas são nutrientes que contam com os aminoácidos em sua estrutura. Durante a digestão das proteínas, os aminoácidos se reorganizam para formar outras estruturas no organismo, inclusive, a massa muscular , diz a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida. Mas, se seu objetivo é a hipertrofia, não basta encher o prato de proteínas. Roberta lembra que os carboidratos são fundamentais para o fornecimento da energia necessária para os músculos trabalharem. Além disso, eles evitam que os músculos retirem tal energia das proteínas, atrapalhando seus planos de ter um corpo mais definido.

Fonte: Yahoo