sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Óleo de Cártamo


Óleo de Cártamo Anvisa! O Óleo de Cártamo, diferente do que muitos falam, não é proibido pela Anvisa. Como o Óleo de Cártamo não tem sua origem de cultura no Brasil, ele é enquadrado na categoria de novos alimentos ou ingredientes. É obrigatório constar no rótulo data de fabricação e validade.

Em 2009 a Anvisa interditou alguns lotes de Óleo de Cártamo de no mínimo cinco empresas, pois, aquelas amostras continham a substância Ácido Linoléico Conjugado (CLA). Alimentos e produtos que contenham CLA estão proibidos de serem comercializados desde o ano de 2007 no Brasil, justamente por não ser reconhecida sua eficácia.

O CLA não faz parte da composição do Óleo de Cártamo, porém o Óleo de Cártamo é matéria prima na produção sintética do CLA que nada mais é que o ômega 6. Ou seja, você pode consumir o Óleo de Cártamo sem medo de estar agindo de forma ilegal, porém deve ficar atento aos produtos proibidos pela Anvisa, uma vez que a Anvisa conta com inúmeros especialistas e cientistas para avaliar cada novidade que apareça prometendo muitas vezes de forma milagrosa, trazer benefícios ao organismo. Ainda hoje o CLA não pode ser comercializado em território nacional, sobre pena de multa para quem o fizer.

Óleo de Cártamo
Óleo de Cártamo! O Óleo de Cártamo já é muito consumido em diversos países e não faz muito tempo que chegou ao mercado brasileiro. O Óleo de Cártamo é considerado um poderoso antioxidade natural, auxiliando a perda de peso de forma natural, pois ativa enzimas do organismo que provocam o corpo a queimar sua própria gordura.

O uso do Óleo de Cártamo é amplo e se dá principalmente como óleo de cozinha, se tornando uma opção mais saudável para sua família. É possível encontrar cápsulas de Óleo de Cártamo para vender nas casas naturais ou sites que disponibilizam o produto. Estudos também comprovam que o Óleo de Cártamo ajuda a prevenir contra infartos e problemas de pressão, pois auxilia na circulação sangüínea, combatendo o engrossamento do sangue. Devido a esse fato, é um poderoso auxiliar no combate ao AVC ( acidente vascular cerebral).

Além de todos esses benefícios o Óleo de Cártamo contribui com o colesterol bom do organismo (HDL), e ainda tem se mostrado como fonte de energia natural ao lado do girasol e da mamona.

Se você tem interesse em consumir Óleo de Cártamo, adquira seu produto na forma de óleo de cozinha e cápsulas e siga corretamente o modo de usar para não cometer exageros.

Efeitos colaterais e contra indicação

Por ser um produto relativamente novo, surgem muitas dúvidas sobre o óleo de cártamo, principalmente quanto ao seu modo de usar e aos malefícios que pode causar a saúde. A princípio, especula-se que ele pode aumentar o fígado do usuário, além de não ser recomendado durante a gravidez ou período de amamentação. Mas essas são informações importantes que este blog não possui. Então, a recomendação é que, antes de utilizar o óleo de cártamo, você consulte um médico ou nutricionista de confiança.



Fonte: óleo de cártamo

Malhação em excesso ligada à menopausa precoce


Aquelas que se exercitavam entre 8 e 10 dez horas por semana foram 17% mais propensas a iniciar a menopausa precocemente.

Malhação intensa: ela pode antecipar a chegada da menopausa.
Mulheres que passam muito tempo se exercitando ou que mantêm uma dieta saudável para o coração aparentemente chegam à menopausa mais cedo, constatou um novo estudo japonês.

Embora essa constatação não prove que malhação em excesso e alimentos saudáveis são diretamente responsáveis pela antecipação da menopausa, os pesquisadores dizem que a descoberta pode ser importante para a prevenção do câncer.

Para o estudo, os pesquisadores acompanharam mais de 3.100 mulheres na pré-menopausa durante 10 anos. Aquelas que se exercitavam mais – entre oito e dez horas por semana – eram 17% mais propensas a iniciar a menopausa durante o estudo do que seus pares sedentários.

Da mesma forma, mulheres que comeram mais gorduras poliinsaturadas – encontradas em muitos peixes e óleos vegetais – eram 15% mais propensas a chegar à menopausa do que aquelas que comeram menos quantidades dessas gorduras.

Durante a menopausa, os ovários de uma mulher deixam de produzir óvulos e ela não pode mais engravidar. De acordo com Margery Gass, da Sociedade Norte-Americana de Menopausa, esse período da vida da mulher normalmente começa entre os 41 e 55 anos.

Fratura por estresse atinge 25% dos corredores
No novo estudo, publicado na revista Menopause, Chisato Nagata e seus colegas, da Universidade de Gifu, no Japão, forneceram questionários sobre comida e atividade física para mulheres com idade entre 35 e 56 anos.

Na década seguinte, cerca de 1.800 dessas mulheres entraram na menopausa. Embora ainda não tenha ficado claro quantos anos elas tinham quando isto aconteceu, os resultados sugerem que as mulheres muito ativas e as que consumiam grandes quantidades de gorduras poliinsaturadas tiveram uma maior chance de alcançar a menopausa precocemente.

Fazendo isso, as mulheres têm menos exposição a altos níveis de estrogênio, disse JoAnn E. Manson, presidente da Sociedade Norte-Americana de Menopausa. O hormônio promove tumores de mama, e isso pode explicar por que a menopausa precoce está ligada a um menor risco de câncer de mama. Por outro lado, disse Manson à Reuters Health, menopausa precoce também tem sido associada ao aumento do risco de doença cardíaca e perda de massa óssea.

“Eu não gostaria que as mulheres começassem a se preocupar com maior risco de doença cardiovascular ou osteoporose ao optarem por fazer modificações no estilo de vida”, advertiu a médica. “Os benefícios superam largamente os riscos.”

Manson observou o estudo não prova uma relação de causa e efeito, e outros fatores além da dieta e do exercício poderiam afetar na chegada da menopausa.

Muitos estudos sobre a menopausa também têm sido contraditórios. Por exemplo, altos níveis de atividade física – geralmente cinco ou mais horas de exercício por semana – já foram vinculados ao aparecimento precoce da menopausa. Mas eles também vêm sendo associados a ciclos menstruais irregulares, o que poderia levar à menopausa anos mais tarde.

Mesmo neste último estudo, os pesquisadores chamaram a relação entre o exercício e a chegada da menopausa de “pequena ou nula”. Gordura total, bem como gordura saturada, que vem em grande parte dos animais, não tiveram qualquer efeito sobre a chegada da menopausa, observaram os pesquisadores japoneses.

Manson, que também atua na Escola de Medicina de Harvard, em Boston, disse que a atividade física reduz os níveis de estrogênio, e que pode ser por isso que ela está ligada ao início precoce da menopausa.

“A mensagem para levar para casa a partir deste estudo é: se exercitar sem exageros. A atividade física regular é aconselhável para reduzir o risco para vários hormônios relacionados ao câncer e à osteoporose”, disse ela. “É um efeito modesto, mas é importante.”

* Por Kimberly Hayes Taylor

Fonte: IG