sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Sucos matinais para espantar a preguiça



Comece o dia com o pé direito tomando sucos energizantes capazes de mudar seu astral

Além de gostosas, vitaminas reforçadas são fontes de disposição e energia.

Levantar da cama nem sempre é tarefa fácil. Faz frio, calor demais, o sono nunca deixa. Além do café quentinho com pão de queijo, que não dá para dispensar, vitaminas energizantes são grandes aliadas do corpo para espantar a preguiça matinal. Andrea Kaufmann, do paulistano AK Vila, centifuga uma beterraba, uma maçã, uma cenoura e um pedacinho de gengibre todas as manhãs. "Sem açúcar nem água", diz. Depois, sai para cuidar do restaurante, da casa, das crianças sem fazer corpo mole. Para ajudar você a acordar, o iG Comida selecionou seis receitas super potentes, que garantem disposição máxima. Separe seu melhor copo e bom dia!

Veja a seguir as receitas de sucos para começar o dia:

Suco energético: capim santo e abacaxi
Comece o dia com um Smoothie: morango, laranja e sorvete
Receita revigorante: framboesa e gengibre
Especial matinal: laranja, acabaxi, couve e linhaça
Suco de abacaxi com água de coco, para hidratar
Vitamina superforte de laranja e beterraba

Capim limão energético

Ingredientes:
3 folhas de capim santo
200ml de suco de laranja
2 fatias de abacaxi


Modo de Preparo:
Bata tudo no liquidificador e coe. Em seguida, coloque em copo ou taça e finalize com 10ml de mel de abelha (ou a gosto).

Smoothie Sardenha

Ingredientes:
2 bolas de frozen iogurte light ou sorvete de creme light
1/3 de xícara (chá) de suco de laranja
½ xícara (chá) de morango picado
1 xícara (chá) de banana picada

Modo de Preparo:
Coloque todos os ingredientes no liquidificados. Bata por aproximadamente 3 minutos e sirva num copo longo. Se quiser, decore o copo com calda pronta de morango.

Suco de framboesa com gengibre

Ingredientes:
400g de framboesa fresca (ou 6 polpas congeladas)
2 litros de água
10g de gengibre
3 colheres (sopa) de mel

Modo de Preparo:
Bata todos os ingredientes no liquidificador e coe. Coloque em uma garrafa com rolha e sirva bem gelado.

Suco Joaquim: laranja, abacaxi, couve e linhaça

Ingredientes:
Suco de 3 laranjas
1 folha de couve sem o talo
1 colher (sopa) de linhaça dourada
3 colheres (sopa) de abacaxi com casca

Modo de Preparo:
Bata tudo no liquidificador ficar homogêneo, coe e sirva com bastante gelo.

Suco de abacaxi com água de coco

Ingredientes:
2 ½ xícaras (chá) de água de coco
5 fatias de abacaxi em calda
3 colheres (sopa) de açúcar demerara
1 colher (sopa) de folha de hortelã picada
Pedras de gelo a gosto


Modo de Preparo:
Bata no liquidificador a água de coco, as fatias de abacaxi em calda e o açúcar demerara. Peneire o suco e sirva-o com pedras de gelo.

Vitamina Superforte

Ingredientes:
65g de beterraba
60g de cenoura
1,2kg de laranja

Modo de Preparo:
Descasque e corte em pedaços a beterraba, a cenoura e a laranja. Coloque tudo no liquidificador, adicione gelo e, se achar necessário, açúcar. Bata tudo por mais ou menos um minuto e meio. Está pronto para servir.

Fonte: IG

Refluxo pode ser um sinal de problemas sérios de saúde


Controlar a alimentação é a melhor forma de acabar com queimação no estômago

Queimação no estômago é o sinal mais comum da doença do refluxo que, diagnosticada precocemente, pode evitar inúmeras complicações de saúde. Porém, quem sofre com este problema, nem sempre a trata da maneira mais adequada, muitas vezes se automedica e acaba por disfarçar problemas ainda mais sérios.

O refluxo é um termo usado para descrever uma patologia chamada de refluxo gastro-esofágico (DRGE), que é o retorno dos alimentos e líquidos ácidos após a refeição, que também pode conter bile, do estômago para o esôfago. Causada pela exposição crônica da mucosa ao conteúdo ácido do estômago, o refluxo leva o paciente a quadros de queimação, azia, inflamação e, até mesmo, lesões mais graves, sendo que a mais comum é a esofagite. Quando o refluxo não é tratado, podem aparecer úlceras e esôfago de Barrett, uma transformação do tecido que reveste o órgão. Esta já é uma situação premaligna e pode, sem o tratamento adequado, progredir para um câncer.

Alimentação

O tipo de alimentação é uma dos fatores que causam o refluxo. Além disso, o excesso de peso também é um importante fator desencadeante do problema, porque acarreta em um enfraquecimento da válvula que impede o refluxo. Mas além da obesidade, outros eventos que aumentam a pressão intra-abdominal podem causar esse distúrbio, como a gravidez, ascite (acúmulo de líquido dentro do abdômen, conhecido por barriga d?água), pessoas muito obstipadas e que têm de fazer muita força para evacuar; hérnia de hiato e alterações motoras do esôfago ou do esfíncter gastresofágico.

Atualmente, segundo dados do Ministério da Saúde, estima-se que 12% da população brasileira sofrem de refluxo gastresofágico, o que corresponde a, aproximadamente, 4,5 milhões de brasileiros. Na maioria dos pacientes, o refluxo ocorre de forma espontânea pelo relaxamento transitório do Esfíncter Esofágico Inferior, uma barreira fisiológica que impede que os ácidos gástricos saiam do estômago. A lesão da mucosa do esôfago está relacionada com a qualidade, a quantidade e frequência do refluxo. Um fluido ácido gástrico com pH menor do que 3,9 é extremamente cáustico para a mucosa, sendo o principal agente lesivo na maioria dos casos. Em alguns pacientes, os refluxos de secreções biliares e pancreáticas podem contribuir na lesão.

O tipo de alimentação é uma dos fatores que causam o refluxo. Além disso, o excesso de peso também é um importante fator desencadeante do problema.Principais sintomas e prevenção

O refluxo começa com aquela sensação de queimação na "boca" do estômago, atrás do osso do peito. Já as pessoas com estenose - um estreitamento do esôfago - podem sentir muita dificuldade para engolir líquidos e todos os tipos de alimentos. São vários os sintomas associados ao refluxo: tosse, pigarro, falta de ar, engasgos noturnos e azia.

É preciso evitar alimentos ricos em xantina, como o café, o chá-mate e o chocolate, e algumas medicações para asma com esse composto. Além disso, há necessidade de moderar o consumo de molho de tomate, catchup, mostarda, molho de soja, derivados de milho e, principalmente o cigarro, porque diminui a pressão no interior do esôfago e favorece a passagem de líquido do estômago para aquele órgão. Pessoas que fumam muito apresentam vários sintomas da doença, que só diminuem quando elas abandonam o vício.

Diagnóstico e Tratamentos

Só com o histórico clínico já é possível avaliar o caso. As complicações do refluxo são investigadas com uma endoscopia digestiva alta. Existem, também, outros exames, mas são seletivos, para saber o tamanho da hérnia de hiato, avaliar as pressões do esôfago e medir a qualidade e a intensidade das contrações do órgão. O tratamento mais indicado é o chamado de dietético-postural. Entretanto, existem algumas orientações essenciais: evitar os alimentos que causam o incômodo; nunca comer e deitar em seguida - é preciso aguardar pelo menos três horas depois da refeição; levantar a cabeceira da cama alguns centímetros; perder peso; não se vestir com roupas apertadas; evitar bebidas alcoólicas e gasosas; e usar medicações que diminuem a produção de ácido pelo estômago, de acordo com a prescrição médica.

A correção do refluxo por meio cirúrgico é feita, normalmente, por laparoscopia e indicada nos casos de complicação da doença, quando o paciente já tem úlceras ou esôfago de Barrett. Também é uma solução em situações em que o paciente tem o que os especialistas chamam de intratabilidade clínica. Isso acontece quando a pessoa segue o tratamento à risca, controlando a alimentação e tomando os remédios, e não melhora ou quando a doença volta, assim que o paciente parar com a medicação.

Fonte: Yahoo