sexta-feira, 29 de julho de 2011

Dieta líquida só deve ser feita com acompanhamento médico


Regime deve ser adotado por curto período e em função de um objetivo específico


Alimentar-se basicamente de líquidos para perder peso rapidamente é uma estratégia que só deve ser adotada em casos de emergência. Se você tem um casamento para ir daqui a dois dias e o vestido que comprou há meses não está entrando por pouco, pode.

Se você quer acelerar o processo de perda de peso porque está cansada de viver de dieta, não pode. E nem adianta tentar porque não funciona. "É irreal o valor de emagrecimento sugerido pela balança. Normalmente, a maior parte da diminuição de quilos nesses casos é em líquido e não em gordura", explica a nutricionista Ligia Henriques.

Uma pesquisa realizada pela nutricionista da Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, Denise Machado Mourão, concluiu que comer só líquidos leva a um posterior consumo maior de calorias. Denise chegou a essa conclusão investigando 120 pessoas nos Estados Unidos.



Para fazer o estudo, ela separou porções iguais de líquidos e sólidos. As de sucos e frutas, por exemplo, continham o mesmo número de calorias. Em um dia, os voluntários consumiam a refeição líquida. No outro, a sólida. Depois, comiam pequenos sanduíches até ficarem satisfeitos. O resultado? Comeu mais quem só havia ingerido líquidos anteriormente.

Mas é claro que, feita de forma responsável, uma dieta líquida "pode ajudar um pouco na redução de peso, já que sempre que consumimos menos do que gastamos nós emagrecemos", afirma Ligia. Mas, é importante lembrar que isso só vale para curtos períodos de tempo e para quem tem um objetivo específico.

E mais: é essencial ter orientação médico-nutricional. No, entanto, "é exatamente esse tipo de dieta que é feita sem acompanhamento. Um dos maiores perigos é a redução extrema do aporte calórico diário, que pode levar a fraqueza e até desmaios. Por um longo período, pode gerar deficiências nutricionais e prejudicar o metabolismo", alerta a nutricionista.

Levando em conta essas recomendações, uma dieta líquida saudável deve ser completa, contendo proteínas, carboidratos e fibras. É preciso incluir iogurte, leite, sucos de frutas, água de coco e sopas. Enquanto estiver sob esse regime, procure não praticar atividades físicas intensas, pois pode passar mal.


Veja abaixo um exemplo de uma dieta líquida de um dia:

Café da manhã
- 200 ml de leite desnatado batido com 1 banana prata + 2 colheres de sopa de linhaça

Lanche da manhã
- 200 ml de água de coco

Almoço
- sopa com cenoura, batata, couve, vagem e músculo
- 1 copo de suco de abacaxi
- 1 gelatina diet Lanche da tarde
- 1 copo de iogurte desnatado batido com 7 morangos

Jantar
- sopa de frango com brócolis, espinafre e couve-flor
- 1 copo de suco de limão
- 1 gelatina diet

Ceia
- 1 copo de suco de melancia

OBS: NÃO FAÇA NADA SEM ORIENTAÇÃO MÉDICA OU DE UMA NUTRICIONISTA.CADA CASO EXIGE CUIDADOS DIFERENTES.

Fonte: Yahoo

Exercícios físicos após as refeições podem gerar congestão


Comer demais ou de forma inadequada também pode causar o problema

A recomendação das mães para que os filhos não tomem banho de mar ou de piscina logo depois do almoço é uma constante. Crianças sempre reclamam da regra e alguns adultos criticam a atitude materna por acreditarem que isso é somente um mito. Pois não é. A gastroenterologista Dalva Maria Alves Alcântara explica que a congestão, que é uma alteração ou paralisação do processo de digestão, pode ocorrer quando se pratica exercícios físicos intensos após as refeições. Comer demais ou de forma muito rápida também pode causar o problema.

A especialista explica que esportes devem ser evitados logo após as refeições porque, quando o estômago está processando os alimentos, muito sangue é direcionado para a área para ajudar na absorção de nutrientes. "Então, se você faz uma atividade muito pesada, esse sangue que está indo para o aparelho digestivo vai ser direcionado para os músculos e isso pode causar uma interrupção dessa digestão", diz.


Mas também não é obrigatório repousar depois de comer. Tomar banho de chuveiro, ler, caminhar lentamente e lavar louça não exigem esforço suficiente para levar a uma congestão.

A congestão costuma acontecer quando os alimentos ainda estão no estômago. "Geralmente na fase inicial alguma interferência faz com que a digestão se interrompa ou se faça de uma forma inadequada", diz Dalva. Entre os sintomas estão sensação de peso, estufamento do abdômen, enjoo e náusea. Dependendo da progressão e da intensidade do problema, podem aparecer mal-estar, vontade de desmaiar, suor e palidez.

Dalva orienta tranquilizar o indivíduo que apresentar esses sintomas na sequência de uma refeição. "Deve-se levar a pessoa para um ambiente bem ventilado, afrouxar as roupas dela, deitá-la caso esteja a ponto de desmaiar e evitar medicamentos porque, na grande maioria das vezes, isso vai acabar passando espontaneamente", aconselha a gastroenterologista.

De acordo com Dalva, o uso de efervescentes e antiácidos pode aliviar a sensação, mas, se os sintomas permanecerem, o ideal é consultar um especialista.

Se a pessoa estiver passando muito mal, a orientação é levá-la para um serviço de emergência, até para que um médico verifique a existência de um problema mais sério. Isoladamente, a congestão não leva à morte. O que pode acontecer é que, se o paciente tem outras doenças, pode, de repente, desencadear uma crise de hipertensão ou outras complicações.

Fonte: Yahoo