sexta-feira, 8 de julho de 2011

Molhos para saladas light


Molho de Ervas e Cottage (56 calorias)

2 colheres (sopa) de suco de limão
2 colheres (sopa) de manjericão fresco picado
2 xícaras (chá) de queijo cottage
Sal a gosto
Você deve amassar o cottage com um garfo e misturar bem os outros ingredientes.

Molho Light de Iogurte (36 calorias)

1 copo de iogurte natural desnatado
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
1 colher (sopa) de hortelã picada
1 colher (sopa) de suco de limão
Sal a gosto
Você deve misturar muito bem todos os ingredientes.

Molho de Tomate

Ingredientes
3 kg de tomates
5 apus de canela
20 cravos
1 colher de sopa de erva-doce
3 maçãs
Canela em pó
2 folhas e louro
8 colheres de açúcar
1 xícara de vinagre
Azeite, mostarda, noz moscada
Sal e pimenta a gosto

Modo de Fazer
Depois de lavar os tomates, pique-os com casca e leve-os ao fogo. Quando cozidos passe-os numa peneira fina e leve-os novamente ao fogo para apurar.

A seguir adicione à canela, os cravos, a erva-doce, as maçãs picadas com casca, sem retirar nada delas nem mesmo as sementes. Ponha então a canela em pó, as folhas de louro, pimenta, mostarda, noz moscada ralada, o sal e o açúcar. Deixe então ferver até formar um molho grosso.

Passe-o então novamente numa peneira e leve novamente ao fogo. Junte então o vinagre, deixe levantar fervura e retire do fogo. Espere esfriar e guarde em vidros.

Molho de Tomates
Encha os vidros e ponha um dedo de azeite à boca de cada um deles.



Fonte: Cultura mix

Fibras diminuem gordura da barriga


a ingestão diária de fibras solúveis pode ajudar na perda da perigosa gordura visceral, diz estudo.
Diferentemente da gordura subcutânea, encontrada somente sobre a pele, a gordura visceral se acumula na região abdominal, ao redor dos órgãos vitais do corpo humano. Pesquisadores do Wake Forest Baptist Medical Center descobriram que a forma de perder este tipo de gordura é através da prática de exercícios físicos moderados e da ingestão de fibras solúveis, presentes nas verduras, frutas e feijão.

“Já sabíamos que um alto índice de gordura visceral está associado à hipertensão, diabetes e esteatose hepática (doença popularmente conhecida como fígado gordo). Nosso estudo revelou que pequenas mudanças de hábito podem ter grande impacto sobre nossa saúde”, disse a Dra. Kristen Hairston, professora de medicina do Wake Forest Baptist.

Os pesquisadores analisaram 1.114 americanos de raça negra ou de origem hispânica, já que estes grupos populacionais apresentam os mais altos índices de gordura visceral, hipertensão e diabetes.

O estudo, publicado no dia 16 de junho no site do periódico Obesity, examinou se determinados fatores relacionados ao estilo de vida, como alimentação e prática de exercícios, estavam ou não associados a uma mudança na gordura visceral observada nos participantes durante um período de cinco anos.

Através de exames de tomografia computadorizada para medir a gordura subcutânea e visceral, os pesquisadores constataram que um aumento na ingestão de fibras solúveis estava associado à redução deste tipo de gordura, mas não à subcutânea.

Na verdade, para cada 10 gramas de aumento na ingestão diária de fibras solúveis foi observada uma redução de 3,7% de gordura visceral, durante um período de cinco anos. Além disso, a prática regular de exercícios físicos moderados (30 minutos de exercícios vigorosos, de duas a quatro vezes por semana) resultou em uma redução de 7,4% durante o mesmo período.

Como conseguir as 10 gramas de fibras solúveis diárias? Ingerindo duas maças pequenas, uma xícara de vagens ou meia xícara de feijão, observaram os pesquisadores.

Entretanto, o estudo mostra que mais pesquisas serão necessárias para explicar a ligação entre a ingestão de fibras solúveis e a redução da gordura visceral. “São fortes as evidências que indicam que um consumo maior de fibras solúveis e a prática de exercícios físicos reduzem a gordura visceral, mas ainda não sabemos como isso acontece”, disse Hairston.

Ele complementou: “Apesar de extensivos estudos em torno da relação fibras e obesidade, ainda serão necessárias muitas pesquisas sobre a relação específica entre as fibras e os depósitos de gordura. Nosso estudo é valioso por oferecer informações específicas sobre a forma como as fibras alimentares, principalmente as solúveis, podem afetar o acumulo de peso através de depósitos de gordura na região abdôminal”.

Fonte: IG