domingo, 3 de julho de 2011

Cuidado no consumo de Ração Humana


A ração humana virou mesmo moda. O Papo de Gordo fez até uma série de matérias falando sobre o que é, como preparar e se a mistura emagrece. E quando a gente pensou que tudo já havia sido dito a respeito desse assunto, leitores enviaram mais dúvidas, principalmente sobre os perigos de seu consumo. Ao que tudo indica, tem muita gente por aí acreditando que o suplemento alimentar é milagroso e que basta comer para emagrecer, mas a coisa não é bem assim.

Pesquisando a respeito dos prós e dos contras de se consumir o produto, logo de cara vem o alerta: como a procura tem sido cada vez maior e a mistura é dispensada de registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), é preciso ter muito cuidado.

Para que não pareça paranoia de nossa parte, veja as questões levantadas pelas nutricionistas Juliana Verzolla e Flávia Morais, em uma notícia publicada pelo G1.

Juliana, que é especialista em nutrição funcional, diz que um dos erros mais comuns é a pessoa querer perder peso deixando de lado os exercícios físicos e sem fechar a boca, apostando que o produto sozinho será a solução. Há também quem use a ração de forma equivocada, substituindo refeições.

“A ração humana tem que ser misturada com leite ou suco. As fibras possuem muito açúcar e, em excesso, elas fazem mal. A ração alia produtos saudáveis, mas eles não se adaptam ao organismo de qualquer pessoa”, avisa.

Flávia também comenta sobre os riscos do uso abusivo da ração humana, que pode ser comprada pronta ou com os ingredientes separados.

“A ração só pode ser tomada uma vez ao dia e de preferência na parte da manhã. Essa mistura de cereais em pó pode trazer um sério risco à saúde, caso seja tomada sem orientação de um profissional. A pessoa pode ter distensão abdominal ou até mesmo constipação intestinal, já que o organismo de cada um funciona de forma diferente”, explica.


Ela concorda que a ração não é a fórmula para emagrecimento, mas acredita que as fibras misturadas inibem o apetite. Isso não quer dizer que os exercícios físicos e dieta balanceada estejam descartados para manter um corpo bonito e saudável.

Então está dado o recado? A ração não tem segredo e é só conciliar atividades físicas, alimentação saudável e a mistura em pó? Não é bem assim…

Encontramos no site Diário da Saúde uma entrevista com a nutricionista clínica e fiscal do Conselho Regional de Nutrição do Rio de Janeiro, Edna Garambone. Ela reforça o alerta de que a ração humana é um complemento e não substituto da alimentação, podendo ser utilizada, com recomendação clínica, adicionada a saladas, iogurtes e frutas, mas nunca no lugar das refeições.

Edna também alerta para os cuidados com as alergias, pois algumas pessoas podem ser sensíveis a algum de seus componentes e ter efeitos colaterais nocivos à saúde.

“Quem tem alergia à linhaça ou síndrome do intestino irritado pode sofrer com os efeitos colaterais, como a dor de cabeça e o aumento das idas ao banheiro. Além disso, como o produto muitas vezes é consumido por conta própria, as pessoas ficam sem saber que é preciso beber muita água para evitar o fecalomas, ou endurecimento das fezes”, disse a nutricionista.

Nunca é demais lembrar também que grávidas, hipertensos e diabéticos devem estar atentos aos perigos da ração humana. Isso porque algumas receitas trazem ingredientes como cacau, guaraná em pó e açúcar mascavo.

Então ficam os alertas.

—–

Fontes:
Nutricionistas advertem contra o mau uso da ração humana
Ração humana emagrece, mas especialistas pedem cuidados no uso
Papo de Gordo

Os benefícios do arroz com feijão



Nutricionista aponta os prós e contras desta e de outras duplas imbatíveis do cardápio brasileiro.

Quando você pensa em um deles, logo vem o outro na cabeça e a impressão é de que os dois “nasceram” juntos.

As parcerias do “arroz com feijão”, “pão com manteiga” e “queijo com goiabada”, por exemplo, são tão antigas que é difícil imaginar saboreá-las de forma isolada.

A combinação vai além da tradição e chega também aos nutrientes. Neste aspecto, nem sempre as duplas mais tradicionais do cardápio brasileiro são só vantajosas e, para fazer um raio X dos benefícios e malefícios de cada uma delas, o Delas recorreu ao Conselho Regional de Nutricionistas.

Abaixo, veja as orientações da gerente-técnica do Conselho Regional de Nutricionistas de São Paulo e Mato Grosso do Sul (CRN-3), Solange Saavedra.

Arroz com feijão

Segundo Solange “juntar arroz com feijão promove uma química perfeita para o organismo”, já que o arroz contém o aminoácido essencial metionina, e o feijão outro aminoácido essencial chamado lisina, combinação ideal para o corpo absorver bem as proteínas de origem vegetal. E olha que o brasileiro anda deixando o feijão de lado – o consumo deste alimento diminuiu. Segundo a nutricionista, as principais vantagens da dupla favorita dos brasileiros são: tornar mais eficiente o fornecimento de proteínas de origem vegetal e equilibrar o teor de glicose no sangue e a relação com a insulina. Segundo a nutricionista, para isso é fundamental que eles sejam ingeridos juntos. “O arroz polido, sozinho, pode disparar as taxas de açúcar e insulina na circulação, e o feijão tem o poder de brecar esse efeito, estabilizando a glicose”.

Para quem acha que a dupla engorda, a médica diz que ela ajuda a prolongar a sensação de saciedade e assim você não vai ter vontade de “atacar” um doce após a refeição. A única desvantagem é o exagero, diz a nutricionista. Tudo que é demais não ajuda e o equilíbrio perfeito entre ambos é conseguido com duas porções de arroz para cada uma de feijão.

Goiabada com queijo

O queijo completa a goiabada do ponto de vista nutricional. Mas a dupla é calórica e não deve ser comida todo dia
Uma das sobremesas ou lanches mais populares do Brasil, desde os tempos da colonização portuguesa. É o famoso Romeu e Julieta (saiba preparar um bolo com a dupla). Segundo a nutricionista, o “Romeu” (queijo) é responsável pelas proteínas e a “Julieta” (goiabada) pelos carboidratos. Em equilíbiro, essa dupla só traz vantagens. O problema é a concentração de calorias.

Após uma refeição já completa, diz a nutricionista, “poder elevar a glicemia, pelo alto teor de carboidratos contido no doce, o que seria contraindicado para diabéticos”. Por isso, não vale visitar este clássico todos os dias. Prefira saborear a dupla, só de vez em quando.

Pão com manteiga

Já imaginou um café da manhã sem um ou outro? Pão com manteiga é ideal para começar um dia e traz uma série de vantagens para o organismo.

“Como vantagens podemos colocar que o pão é o alimento mais comum no início do dia que fornecerá carboidrato, nutriente que garante o fornecimento de energia mais imediata nessa primeira refeição”, diz Solange. Já a gordura presente na manteiga também impulsiona o “setor energia” do organismo.

O benefício do pão com manteiga é que os dois são fonte de energia. Mas para proteger o coração, é melhor optar por margarina
No entanto, é justamente ela que pode liderar as desvantagens da parceria. Margarina seria mais indicado para o consumo diário, acredita a nutricionista do CRN. Justamente por isso, a margarina é um dos produtos está entre os chamados “alimentos funcionais”, produzidos industrializadamente para diminuir as sequelas negativas e “turbinar” as positivas.

“Estaremos consumindo gorduras saturadas, já que a manteiga é um produto de origem animal (a fonte é o leite), e essa gordura não é a melhor para a saúde, pois aumenta os riscos de doenças cardíacas”, diz.

Bife com batata

Bife com batata é pedida certa ao perguntar “qual é o seu prato preferido”. E a combinação também tem vantagens, afirma a nutricionista do CRN. “O bife é um alimento importante como fonte de proteína, nutriente vital para o organismo, já que fornece aminoácidos essenciais que não são produzidos pelo corpo” afirma, acrescentando que a carne é fonte de vitaminas do complexo B e de minerais importantes como ferro, zinco e selênio.

“Já a batata, um alimento do grupo dos tubérculos e raízes, é fonte de carboidrato, sendo uma boa fonte de energia, além de ser fonte de vitamina C, e de minerais como potássio, fósforo e magnésio”.

Bife com batata é ótimo. Desde que a batata não seja frita e a carne sem gordura

Combinar os dois é uma ótima pedida, mas também pode esbarrar em desvantagens principalmente se o modo de preparo não for o mais indicado para a saúde. Fritar a batata e comer a gordura aparente da carne aumenta e muito o valor calórico da refeição. Se o “bife com batata (frita)” ainda chamar para o mesmo prato o arroz com feijão o banquete de calorias está pronto.

“Com relação à batata, se a porção selecionada for muito grande, juntando-se a outra fonte de carboidrato (geralmente arroz), vai aumentar muito o percentual de carboidrato numa mesma refeição, o que poderá aumentar a taxa glicêmica (glicose) no sangue”, diz a nutricionista.

Macarrão com molho vermelho

Existe molho branco, rosé e muitos outros. Nenhum é tão famoso na hora de combinar com o macarrão quanto o vermelho. O espaguete ao sugo é uma tradição nos pratos de todos os cantos do País.

“O macarrão é uma boa fonte de carboidratos, portanto, importante para o metabolismo energético do organismo. Junto com o molho vermelho (de tomate) vai fornecer alguns outros minerais como potássio, fósforo e magnésio”, afirma a nutricionista.

Macarrão com molho vermelho pode frequentar o cardápio. Só não vale exagerar nos outros ingredientes do prato
O tomate é um antioxidante e naturalmente já é positivo, por ser um protetor natural de doenças cardiovasculares (ainda assim, está no alvo de pesquisas para se tornar ainda mais poderoso). O molho ao sugo, portanto, além de ser o menos calórico, é ótimo para a saúde.

Já as desvantagens variam conforme o método de preparo. “Os molhos que começam ao sugo e se transformam em bolonhesa (carne moída), calabresa (linguiça) e genovese (com bacon, azeite e parmesão) deixam o prato muito calórico. O ideal é não consumi-los todos os dias” diz a nutricionista.

“Outra desvantagem é se a pessoa não abrir mão do arroz e juntar macarrão e arroz ou acrescentar batata na mesma refeição, um excesso de carboidratos”, completa.


Fonte: IG