quarta-feira, 1 de junho de 2011

Consumo de bebidas energéticas pode fazer mal a crianças


Pais também devem evitar o consumo de isotônicos pelos filhos

Crianças não devem tomar bebidas energéticas, diz um estudo feito pela American Academy of Pediatrics. Segundo os médicos que realizaram a pesquisa, essas bebidas são especialmente perigosas para as crianças devido à grande quantidade de cafeína e outros estimulantes que contêm. Além das bebidas energéticas, os isotônicos ou bebidas esportivas também podem fazer mal às crianças e seu consumo deve ser evitado.

As bebidas energéticas contêm cafeína, guaraná e taurina, substâncias que aceleram o ritmo cardíaco e estimulam a circulação. Em excesso, as substâncias estimulantes presentes na fórmula do energético causam ansiedade, agitação e dor de cabeça. Além disso, essa bebida não hidrata. Muito pelo contrário, tem ação diurética, que faz o organismo eliminar líquido. De acordo com os pediatras que participaram da pesquisa, esse efeito em crianças menores de 12 anos pode aumentar as chances de doenças, como pressão alta, ansiedade e insônia.

Já o consumo de bebidas energéticas criadas para repor carboidratos, minerais e eletrólitos perdidos através do suor durante uma atividade física, pode levar ao aumento de peso. Segundo os pesquisadores, esse tipo de bebida só deve ser consumido por adultos após a prática de exercícios intensos, já que contém uma quantidade elevada de açúcares.

"Para quem pratica exercícios e precisa de uma reposição de sais, água e energia, a bebida isotônica é a mais indicada. Mas, para aqueles que não praticam atividades físicas suficientes para perder muitas calorias, os isotônicos trabalham negativamente, diminuindo as chances de perder peso", explica o fisiologista Raul Santo, da Unifesp.

Uma pesquisa feita pela Universidade do Texas, nos Estados Unidos, descobriu que adolescentes e adultos que associam o consumo de isotônicos a uma vida saudável e, por isso, bebem quantidades exageradas dessa bebida têm dificuldades de perder peso por causa da grande ingestão de carboidratos contida nos isotônicos. "O consumo sem indicação de um profissional, a falta de exercícios e a falsa ideia de que a bebida isotônica ajuda a emagrecer, podem dificultar o processo de emagrecimento", explica Raul Santo.

Fonte: Yahoo

Conheça sete alimentos termogênicos que te ajudam a emagrecer


Eles aumentam o gasto calórico de seu organismo e aceleram os resultados


Todas as atividades realizadas pelo corpo consomem energia, certo? Isso inclui o processo digestivo, que pode ser usado a seu favor para emagrecer quando o que está em questão são os alimentos termogênicos. Esses alimentos são capazes de aumentar o gasto calórico do organismo durante a digestão e o processo metabólico.

De acordo com a nutricionista Daniela Cyrulin, de São Paulo, quanto mais difícil for a digestão do alimento, maior será o seu poder termogênico. A nutricionista funcional Luciana Harfenist, do Rio de Janeiro, explica: "As substâncias termogênicas contidas em certos alimentos têm a capacidade de aumentar a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e aumentando a queima de gordura. A termogênese é um processo regulado pelo sistema nervoso e interferências neste sistema podem ajudar no controle de emagrecimento e obesidade".

No entanto, sabe-se que não existem milagres quando o assunto é perder peso. Para que esses alimentos mostrem resultado, é necessário aliá-los à dieta regrada e exercícios físicos. Além disso, os termogênicos possuem algumas restrições. "Quem tem hipertireoidismo não deve ingeri-los, visto que o metabolismo já está muito elevado, o que aumenta o risco de perda de massa muscular", exemplifica Daniela. Luciana também lembra que crianças e gestantes, pessoas com cardiopatias, hipertensão, enxaqueca, úlcera e alergias não devem abusar desses alimentos, pois eles podem levar a aumento da pressão arterial, hipoglicemia, insônia, nervosismo e taquicardia.

Saiba quais são os principais alimentos termogênicos e aprenda a utilizá-los - mas sem esquecer de passar antes por uma avaliação nutricional.


Pimenta vermelha:

Esse tipo específico de pimenta é rica em capsaicina, substância que favorece o aumento da quebra de gorduras no tecido adiposo. Ela aumenta em até 20% a atividade metabólica se ingerida na quantidade de três gramas por dia, podendo ser adicionada em saladas e pratos quentes como tempero.

Chá verde (Camellia sinensis):

"Assim como a pimenta, esse chá favorece a utilização da gordura corporal como fonte de energia em função do estimulo metabólico", afirma a nutricionista funcional Luciana Harfenist. Para que o efeito aconteça, a nutricionista Daniela Cyrulin aconselha cinco xícaras de chá por dia durante três meses. Mas, cuidado: quem tem insônia não deve ingerir o chá verde na parte da tarde ou noite.

Canela:

A nutricionista funcional Luciana Harfenist destaca que, além de aumentar o metabolismo basal, a canela possui alto teor de cálcio mineral, substância importante para o emagrecimento. Polvilhada por cima de frutas (aproximadamente uma colher de chá rasa), contribui com o emagrecimento e ainda torna a refeição deliciosa, como aconselha a nutricionista Daniela Cyrulin.

Gengibre:

Essa raiz pode aumentar o gasto calórico em mais de 10%. "O gengibre pode ser consumido de diversas formas, cru, em marinadas para temperar carnes, aves e peixes, e ainda fica ótimo em molho de tomate, sopas de legumes e chá, quando misturado com outras ervas", sugere a nutricionista funcional Luciana Harfenist. A quantidade indicada pela nutricionista Daniela Cyrulin é de duas fatias pequenas.
Conheça sete alimentos termogênicos que te ajudam a emagrecer
Eles aumentam o gasto calórico de seu organismo e aceleram os resultados .


Chá de hibisco:

Esse chá, assim como os demais termogênicos, aumenta a temperatura corporal durante a digestão e, consequentemente, aumenta o metabolismo. Para que o efeito seja positivo, a nutricionista Daniela Cyrulin aconselha um litro por dia, sendo que, para um litro de água, deve-se usar uma colher de sopa da flor.

Alimentos com Ômega 3:

A nutricionista funcional Luciana Harfenist explica que o omêga 3 é encontrado em peixes - como salmão e atum - e em oleaginosas. Ele aumenta o metabolismo basal, melhora a retenção de líquidos e facilita a comunicação entre as células do organismo.

Água gelada:

Sim, até mesmo a água gelada pode te ajudar a emagrecer! Ao ingeri-la, seu organismo gasta energia para elevar a temperatura até a tida como adequada pelo corpo (algo entre 36º e 37ºC). No entanto, o efeito é muito leve. Para melhores resultados, ingira oito copos de água por dia, pois essa medida pode aumentar seu gasto calórico em até 200kcal, como afirma a nutricionista Daniela Cyrulin.

Fonte: Yahoo

Pule corda e extermine calorias



Além de ajudar a emagrecer, a atividade melhora coordenação e resistência

Pular corda ajuda a emagrecer, define as pernas, aumenta o fôlego e ainda diverte
Por parecer brincadeira de criança, muita gente não a valoriza. Mas pular corda é uma excelente atividade física.

Pode ser o empurrão que faltava para quem está tentando sair do sedentarismo ou até complementar outros esportes, com a intenção de reforçar o condicionamento físico.

“Para quem ainda não tem fôlego, pular corda é um bom início. Você pode começar bem leve, de 5 a 10 minutos por dia”, diz o professor de educação física Marcio Acoaviva, coordenador da Academia Needs, de São Paulo.

Confira o antes e depois do apresentador Zeca Camargo: pular corda o ajudou a perder 5kg.

“A corda auxilia ainda na prática de corrida, ciclismo e boxe, entre outros esportes. Você varia o trabalho aeróbico e reforça o condicionamento cardiovascular”, completa o professor José Ricardo Martins Junior, gerente técnico da Academia Body Planet, do Rio de Janeiro.

A atividade é uma verdadeira máquina de exterminar excessos: a prática de 20 minutos pode queimar 300 calorias e reduzir a gordura corporal. Por outro lado, também proporciona o fortalecimento do abdômen, dos braços e dos membros inferiores (deixa panturrilhas e coxas torneadas e bumbum durinho). "E ainda aumenta a agilidade, a concentração, melhora o equilíbrio e a coordenação motora”, completa o professor José Ricardo.

Por ser uma atividade de impacto, só é preciso ter cuidado com lesões em tornozelos, quadris e joelhos. “Deve ser evitada por quem tem dor nessas áreas ou algum problema na coluna. Aliás, sentiu qualquer incômodo, interrompa o exercício”, alerta Marcio Acoaviva. De preferência, faça sob supervisão de um professor de educação física.

É fácil começar. Basta um pequeno espaço, uma corda firme e tênis de boa qualidade e com amortecimento capaz de deve absorver o impacto causado pelos saltos em sequência.

Inicie com séries de 5 a 10 minutos por dia, pelo menos duas vezes por semana para que os resultados possam ser eficientes. “Caso sinta cansaço, pare um pouco, respire. Verifique sua frequência cardíaca – se estiver alta, dê um tempo e só depois reinicie”, ensina o professor da Academia Needs.

“Pule dois minutos, descanse um. Repita de três a quatro a quatro vezes”, finaliza o especialista. Com a evolução, você pode chegar a pular três vezes por semana, em séries de 20 a 30 minutos.

Fonte: IG