sexta-feira, 8 de abril de 2011

Perca peso comendo mais

É a promessa da dieta volumétrica, que usa a densidade energética e a saciedade como caminhos para emagrecer.

Todas as notícias Perca peso comendo mais

É a promessa da dieta volumétrica, que usa a densidade energética e a saciedade como caminhos para emagrecer

Massa liberada: carboidratos de grãos integrais aumentam a saciedade e estão na dieta volumétrica

Saciedade é a sensação de estar satisfeito ao final de cada refeição. “Esse é o ingrediente que falta na administração do peso. Corte calorias simplesmente comendo menos e sentirá fome e privação. Talvez consiga seguir essa dieta por curto período, mas para ser bem-sucedido na administração do peso durante toda a vida, precisará de um padrão alimentar que o faça se sentir saciado com menos calorias”, diz Barbara Rolls, presidente da North American Association for the Study of Ingestive Behavior e autora do livro A Dieta Volumétrica (Editora Best Seller).

Segundo a especialista, não se pode emagrecer sem contar calorias, mas é possível controlá-las sem ficar com fome. “O segredo é fazer escolhas alimentares inteligentes. Independente do nível calórico, alguns alimentos têm um efeito pequeno na saciedade e outros, um efeito maior”.

Alimentos com teor mais alto de água, por exemplo, têm grande impacto na saciedade – entre eles estão frutas, vegetais, leite desnatado, grãos.

Por outro lado, é preciso tomar cuidado com alimentos com teor muito baixo de água: os muito gordurosos como batata frita; e os de baixa gordura e livres de gordura com pouca umidade, como os biscoitos tipo cracker.

“A água dilui as calorias em uma determinada quantidade de alimento. Quando você acrescenta frutas ricas em água ao cereal no café da manhã, ou berinjela, que também contém muita água, à lasanha, adiciona volume alimentar, porém poucas calorias. Essa propriedade dos alimentos – as calorias em uma determinada porção – consiste no conceito essencial da dieta volumétrica. É o que chamamos de densidade energética (DE)”, explica Barbara Rolls. Além da água, as fibras também podem ser acrescentadas aos alimentos para diminuir as calorias em uma porção.

Densidade energética

Um alimento de alta densidade energética fornece muitas calorias em um peso pequeno, enquanto um de baixa densidade energética fornece menos calorias no mesmo peso. “Você pode comer uma porção maior daqueles com densidade energética mais baixa ingerindo as mesmas calorias”, diz a autora da Dieta Volumétrica.

A gordura é o elemento alimentar de mais alta densidade energética, com 9 calorias por grama. A seguir vem o álcool, com 7, a proteína e os carboidratos com 4 e a água com zero.

Como calcular a densidade energética de um alimento? É fácil: divida as calorias pelo peso em gramas. Geralmente essas informações estão na primeira linha do rótulo. Por exemplo: um frozen iogurte tem 160 calorias e 98g. Dividindo as calorias pelo peso teremos: 1,6 de DE. Se há menos calorias do que gramas, esse alimento tem uma DE abaixo de 1. Se há o dobro de calorias (por exemplo, 200 calorias, 100g), esse alimento tem DE de 2. Use esse método rápido para comparar alimentos similares quando for fazer compras.

Nesse método de emagrecimento, os alimentos são divididos em quatro categorias.

Alimentos de baixíssima densidade energética
DE menor que 0,6. Inclui a maioria das frutas e dos vegetais, leite desnatado e sopas à base de caldo.

Alimentos de baixa densidade energética
DE de 0,6 a 1,5. Inclui muitos grãos cozidos, cereais matinais com leite semidesnatado, carnes de baixo teor de gordura, feijões e leguminosas, pratos combinados de baixo teor de gordura e saladas.

Alimentos de média densidade energética
DE de 1,5 a 4. Inclui carnes, queijos, pratos combinados de alto índice de gordura, molhos para saladas e alguns lanches.

Alimentos de alta densidade energética
DE de 4 a 9. Inclui biscoitos tipo cracker, salgadinhos, bombons, biscoitos, nozes, manteiga e condimentos gordurosos.

Veja a seguir outras orientações que colaboram com o sucesso da dieta volumétrica:

Energia
Reduza a ingestão usual em 500-1000 calorias/dia, dependendo do seu objetivo de perda de peso. Segundo a especialista, isso levará a uma perda de meio a um quilo semanal.

Gordura
Devem corresponder de 20% a 30% das calorias totais. Prefira alimentos menos gordurosos e de baixa densidade energética.

Carboidratos
Consuma 55% ou mais das calorias totais. Opte pelos carboidratos de grãos integrais, vegetais e frutas, que aumentam a saciedade.

Fibras
Consuma de 20 a 30g por dia. Para o café da manhã, escolha não só os grãos integrais como também cereais ricos em fibras e frutas e vegetais inteiros com mais frequência do que sucos. As fibras baixam a densidade energética e aumentam a saciedade.

Açúcares
Equilibre a dieta com consumo moderado de açúcares adicionados. Reduza a ingestão de bebidas açucaradas, que acrescentam calorias produzindo pouca saciedade.

Proteínas
Mantenha a ingestão de 0,4g por 500g de peso corporal, aproximadamente 15% das calorias totais. Proteínas são mais saciadoras do que carboidratos ou gorduras. Durante a perda de peso, quantidades adequadas são necessárias para prevenir perda muscular e, assim, manter a taxa metabólica em equilíbrio. Faça escolhas de baixa densidade energética, como feijões, peixes de baixo teor de gordura, aves sem pele e carnes magras.

Álcool
Limite um drinque por dia para mulheres e dois para os homens. Ingira com refeições de baixa gordura e baixa densidade energética.

Água
Mulheres devem beber cerca de nove copos por dia e os homens, 12. A água pode provir de alimentos ou bebidas. Substitua bebidas açucaradas por água e ingira mais alimentos com alto teor de água.

Atividade Física
Pelo menos 30 minutos ou mais de atividade física de intensidade moderada de cinco a sete dias por semana. Inclua treinamento de resistência (musculação) duas vezes por semana. “A caminhada energética é ideal para a maioria das pessoas, mas tudo que faça com que você se mova é bom. Inclua algumas atividades de maior duração para melhorar a queima de gordura”, finaliza Barbara Rolls.

Fonte: IG

Apenas 8% das mulheres estão totalmente satisfeitas com seu corpo

Elas se preocupam principalmente com o peso e aspecto da barriga, aponta pesquisa.

A rede de tratamentos Onodera divulgou nesta semana uma pesquisa sobre as preocupações estéticas da mulher brasileira. Os dados mostram que elas não estão seguras com o próprio corpo e indicam tendências de consumo dos produtos e serviços de beleza. Coordenada pela empresa Sophia Mind, a pesquisa consultou aproximadamente 3.500 mulheres das classes A, B e C, entre 18 e 60 anos, em todas as regiões do Brasil.


Imagem no espelho
Segundo o estudo, apenas 8% das mulheres estão totalmente satisfeitas com a aparência do seu corpo. Já 21% delas estão insatisfeitas e 71% estão satisfeitas em partes.

Barriga sarada
As duas áreas do corpo que mais incomodam as mulheres são a barriga (69%) e os seios (46%). Em terceiro lugar, os glúteos preocupam 26% das entrevistadas.

Balança é inimiga
Da amostra, 53% das mulheres consideram que estão acima do peso ideal. Como principal problema estético, 27% apontam ter celulite demais e 24% citam as estrias. Entre os maiores temores femininos em relação à beleza estão o medo de engordar (36%), sinais do tempo (17%) e flacidez (13%).

Mudança no visual
Entre as entrevistadas, 29% gostariam de fazer algo diferente nos cabelos. No ranking das alternativas recorridas para melhorar a aparência estão exercícios físicos (62%), consumo de produtos de beleza e estética (45%) e busca de tratamentos estéticos e massagens (23%).

O corpo e o sexo
A insegurança feminina por conta da aparência tende a atrapalhar flertes, relacionamentos amorosos e o sexo. Quase todas as entrevistadas (98%) acreditam que sua relação com o parceiro sofre interferências relacionadas com a beleza. Nesses casos, elas se preocupam mais em emagrecer (25%), estar bem disposta (24%) e eliminar gordura localizada (16%).

Unhas em alta
O serviço mais utilizado pelas mulheres é o cuidado com as unhas. No Sudeste, aproximadamente 60% das mulheres frequentam a manicure semanalmente. Nas demais regiões, este percentual é abaixo de 50%.

Beleza custa
A pesquisa apontou que as mulheres gastam, em média, cerca de R$ 100 em beleza e estética por mês. Entre os produtos mais consumidos estão itens para cabelo, perfume, hidratante, batom, produtos antidade e maquiagem.

Fonte: IG

Receita de Bolo de milho de liquidificador


Ingredientes:

3 OVOS INTEIROS
* 1 LATA DE MILHO VERDE (ESCORRIDA A ÁGUA)
* 1 LATA DE LEITE CONDENSADO
* 100G. DE COCO RALADO
* 1 COLHER DE SOPA DE MANTEIGA
* 1 COLHER DE SOPA DE FERMENTO

Modo de fazer:

BATER TODOS OS INGREDIENTES NO LIQUIDIFICADOR POR APROXIMADAMENTE 4 MINUTOS.
DISPOR EM UMA FORMA MÉDIA DE BOLO INGLÊS PREVIAMENTE UNTADA E ENFARINHADA.
ASSAR EM FORNO MÉDIO (180°C/356°F) PREAQUECIDO POR 30 MINUTOS.

# Este bolo fica úmido porque não leva farinha

Obs: Se quiser tornar este bolo light use:
leite condensado diet
margarina light
Assim terá um pouco menos de calorias.

Fonte: ptitchef