sábado, 12 de novembro de 2011

Alergia e Intolerância Alimentar

Nossa alimentação atual é muito mais complexa, industrializada e aditivada, aumentando, com isso, a frequência de pessoas com reações adversas aos alimentos.

A alergia alimentar é uma resposta imunológica do organismo à proteína do alimento, que pode ser causada principalmente pelo consumo de leite de vaca, ovo, peixe, crustáceos, soja, trigo e amendoim. O organismo reage a essas proteínas como se fossem substâncias estranhas que precisam ser combatidas, desencadeando manifestações alérgicas como diarreia, urticária ou sintomas respiratórios. Por vezes confundem-se reações clínicas decorrentes de intolerância alimentar com alergia alimentar. Alergia alimentar é um termo utilizado para descrever reações adversas a alimentos, dependentes de mecanismos imunológicos, e nem sempre ocorrem de imediato. Pessoas com alergia ao glúten podem comer trigo e apresentarem sintomas 3 dias após, dificultando o diagnóstico.

A intolerância à lactose, por exemplo, é a falta ou deficiência da produção de uma enzima chamada lactase, que serve para digerir a lactose – o açúcar do leite. Quando não absorvida, ela é fermentada por bactérias do intestino causando distensão abdominal, gases, cólicas, diarreia e cãibras.

Muitas pessoas descobrem que são alérgicos a alimentos quando percebem que fazem dieta e não perdem peso. No cardápio diário, fazem várias refeições incluindo leite, queijo, iogurte ou outros alimentos alergênicos. Esses alimentos podem aumentar a permeabilidade do intestino em pessoas suscetíveis, favorecendo a passagem do lúmen intestinal para a corrente sanguínea de macromoléculas que podem ser entendidas pelo sistema imunitário como superantígenos e, posteriormente, podem ser a etiologia de alergias e doenças auto-imunes. A penetração desses alimentos mal digeridos pode ainda dificultar o mecanismo de detoxificação do fígado, levando à fadiga e dificultando a perda de peso.

Em adultos, a alergia alimentar pode surgir depois de um tratamento prolongado de antibióticos ou estresse, que podem prejudicar o sistema imunológico.

Quanto à alimentação, em caso de intolerância à lactose, o paciente pode suportar o consumo de derivados de leite, como iogurtes, por possuírem baixa quantidade de lactose. Mas não basta excluir os alimentos suspeitos! Caso a devida substituição não seja feita de forma adequada, pode levar a carências nutricionais, alterando ainda mais a imunidade, deixando o organismo sujeito ao aparecimento de doenças crônicas. No caso de alergia à proteína, leite e derivados são retirados e substituídos por soja, leite de quinua ou de arroz, de acordo com a tolerância do paciente. Para um planejamento alimentar balanceado, um nutricionista funcional deverá ser consultado.



Produtos que contêm leite e derivados ou que podem ter sido adicionados:

Iogurte
Manteiga
Maionese industrializada
Margarina

Biscoitos recheados
Creme para café

Queijos
Nata / creme de leite /chantilly
Requeijão
Coalhada
Pudim / Manjar
Sorvete
Sopas instantâneas cremosas
Molhos cremosos para salada
Purê de batatas / aipim / batata cremosa
Empanados
Achocolatados

Cookies

Panquecas, pastas e pizzas

Pães e massas em geral

Frituras

Fórmulas para reduzir peso

Aspirina

Ritalina

Pílulas anticoncepcionais


Fonte: Funcionali

Nenhum comentário:

Postar um comentário