quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Óleo de coco ajuda a emagrecer


Saiba como o alimento, que pode substituir a manteiga no pão, auxilia na perda de peso e previne doenças cardiovasculares.

O óleo de coco é um produto natural e contribui para a perda de peso e a saúde do coração
Ele é excelente para a saúde, pode ajudar no emagrecimento e na redução de medidas e ainda tem um gostinho bom! Mesmo assim, pouca gente usa, até porque desconhece suas poderosas propriedades.

“O óleo de coco é um alimento funcional, rico em antioxidantes, que apresenta uma série de benefícios para o organismo. Entre eles: prevenção de doenças cardiovasculares, auxílio no emagrecimento, redução das taxas de colesterol, ação antifúngica (auxiliando no tratamento de candidíase e gastrite bacteriana) e fortalecimento da imunidade”, enumera a nutricionista Thais Souza, da Rede Mundo Verde.

Ele pode ser extraído tanto do coco fresco quanto do seco, sendo dividido em duas categorias: refinado e extra virgem.

"O extra virgem é uma fonte interessante de triglicerídeos de cadeia média (TCM), amplamente utilizados em tratamentos de síndromes de má absorção, devido à sua rápida absorção e solubilidade. O TCM apresenta um comportamento especial no organismo quando comparados à outras gorduras. São facilmente absorvidos e transformados em energia no fígado, não se acumulando como gordura", completa Patrícia Bertolucci, nutricionista da PB Consultoria em Nutrição, de São Paulo.

Encontrado em lojas de alimentos naturais, se apresenta em forma sólida. É saboroso e pode ser passado no pão, substituindo a manteiga, ou misturado a frutas no café da manhã. Em sua composição são encontrados ômegas 6 e 9, porém é formado em sua maior parte por ácido láurico, de cadeia média, e outros ácidos graxos.

“São óleos essenciais que ajudam a acelerar o metabolismo e auxiliam a queima de gordura corporal”, diz o endocrinologista e nutrólogo João César Castro Soares, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O médico lembra, porém, que para surtir efeito o consumo deve estar associado à prática regular de atividade física.

"Estudos mostram uma relação do óleo de coco com a estimulação da glândula tireoide, o que aumentaria o metabolismo basal, auxiliando na perda de peso. Para ter esses benefícios, invista em uma alimentação saudável e equilibrada. Só o consumo do alimento não vai levar a uma queima de calorias e perda de gordura significativas", reforça a nutricionista Patricia Bertolucci.

Outro ponto que contribui para a boa forma: esse óleo promove a saciedade. “Como é uma gordura, retarda o esvaziamento gástrico e a velocidade com que os alimentos passam do estômago para o intestino”, explica a nutricionista Thais Souza.

Ele também é fonte de triglicerídeos de cadeia média, um tipo especial de gordura, sem colesterol, que é rapidamente absorvida e transportada para o fígado, onde é transformada em energia, não se acumulando como gordura. “O produto atua como auxiliar na prevenção de doenças cardiovasculares, pois age na redução dos níveis de colesterol total, LDL, VLDL e triglicerídeos e aumenta as taxas de HDL, o chamado bom colesterol”, diz a nutricionista Thais Souza.

Segundo os especialistas, até mesmo diabéticos, hipertensos e obesos podem consumi-lo, nas quantidades recomendadas, pois se trata de um óleo saudável.

“O consumo deve ser em torno de duas colheres de sopa por dia. Não mais do que isso, devido a seu valor calórico”, alerta o endocrinologista João César. A inclusão na dieta, inclusive, deve ser gradual. “Comece com uma pequena quantidade: 1/2 colher de sopa ao dia. O excesso pode ocasionar diarreia, enjôo e mal-estar”, explica a nutricionista.

Rico em vitamina E, o óleo de coco ainda combate bactérias patogênicas e fungos intestinais. "Os componentes da gordura de coco exercem um papel fundamental na função intestinal, auxiliando tanto em casos de diarréias como constipação. Já o ácido láurico, também presente na fórmula, ajuda a eliminar bactérias patogênicas do intestino, favorecendo o crescimento da flora intestinal benéfica. Porém, em grandes quantidades pode causar diarreia", diz Patricia Bertolucci.

Mais: o produto pode ser utilizado com finalidades cosméticas, garantindo aporte de antioxidantes para pele e atuando como excelente hidratante. Comparado ao azeite de oliva extravirgem, ele também leva vantagem.

“O azeite não deve ser aquecido, pois isso faz com que a boa gordura se transforme em saturada, o que reduz seus benefícios. Já o óleo de coco pode ser utilizado para finalizar pratos quentes, já que é estável quando submetido a altas temperaturas. Entretanto, para preservar seus antioxidantes, recomenda-se que seja usado em preparações frias”, finaliza a especialista da Rede Mundo Verde.

Fonte: IG

Nenhum comentário:

Postar um comentário