quinta-feira, 14 de julho de 2011

CONFIRA OS ALIMENTOS QUE AJUDAM NA OBESIDADE


NEJM: batata frita, refrigerante e carne vermelha ou processada estão mais associados ao ganho de peso relacionado à idade. Frutas, legumes, cereais integrais, nozes e iogurte ajudam a evitar a obesidade
Comportamentos alimentares específicos podem influenciar o ganho de peso a longo prazo. O novo estudo, publicado no The New England Journal of Medicine (NEJM), sugere que o tipo de alimento, e não apenas as calorias1 ingeridas, são importantes para evitar o ganho de peso relacionado à idade.

Uma equipe de pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard, liderada pelo Dr. Dariush Mozaffarian e pelo Dr. Frank B. Hu, procurou obter insights sobre as mudanças no estilo de vida das pessoas que influenciam o ganho de peso gradual, a longo prazo.

Investigações prospectivas envolvendo três coortes separadas, com a participação de 120.877 americanos dos EUA, livres de doenças crônicas e não obesos no início do estudo, com períodos de acompanhamento de 10 a 12 anos, mostraram que as relações entre as mudanças no estilo de vida e as variações de peso estão associadas.

O peso corporal foi medido de 4 em 4 anos. Os participantes ganharam uma média de 1.500 gramas a cada intervalo de medida (variando entre uma perda de 1.850g e um ganho de 5.625g). O aumento do peso corporal foi mais fortemente associado ao consumo de batatas fritas (760g), batata (580g), bebidas adoçadas com açúcar2 (450g), carnes vermelhas não processadas (430g) e carnes processadas (420g) e foi inversamente associado à ingestão de legumes (- 100g), cereais integrais (- 165g), frutas (- 220g), nozes (- 260g) e iogurte (- 372g); sendo P ≤ 0,005 para cada comparação. Mudanças na dieta foram associadas a diferenças substanciais no ganho de peso. Outros fatores foram independentemente associados à mudança de peso (P <0,001), incluindo a atividade física (- 800g), o uso de álcool (185g por drink por dia), o tabagismo, a duração do sono (maior ganho de peso com < 6 ou > 8 horas de sono por dia) e o hábito de assistir televisão (140g por hora por dia).

Concluiu-se que fatores específicos da dieta e do estilo de vida estão independentemente associados às alterações de peso a longo prazo, com implicações para as estratégias de prevenção da obesidade.

Este foi um estudo observacional. Estudos controlados são necessários para confirmar se comer determinados alimentos pode afetar mais o ganho de peso a longo prazo do que simplesmente contar as calorias1 ingeridas.

Fontes:

NEJM, de 23 de junho de 2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário