sábado, 18 de setembro de 2010

Viagem X Dieta

Viagem e Dieta são duas coisas que não combinam dependendo do local escolhido.Ou pelo menos fica mais difícil de fazer.

Para aqueles que pretendem viajar para a Espanha ou Itália, seguem algumas dicas:

Não se encontram alimentos diet, light ou zero com facilidade.
Adoçante não se encontra em muitos lugares.
Consuma os frios menos gordos.
Os sucos artificiais são adoçados, a não ser que procure em mercados.
No café da manhã, dependendo do hotel, tem frutas, iogurtes desnatados, granola, queijo branco e pão integral. Neste horário não fica muito difícil. Mas no almoço e jantar fica mais complicado.
Durante o dia, quem viaja anda muito, fica faminto, então apenas uma saladinha não sustenta.Acabam tomando vinho, entradas, prato principal e sobremesa. Aí mora o perigo. As calorias se acumulam, principalmente a noite, pois não vão gastar energia após o jantar.
Dicas:
Coma melhor no almoço, pois vai andar muito e menos no jantar ou jante mais cedo e faça um passeio a pé antes de dormir. Tudo ajuda.
Na Itália, o que predomina são as massas.Escolha as que tem molho de tomate, são menos calóricas.
Procure mercados próximos ao seu hotel e compre frutas para deixar no quarto para comer quando der fome.
Evite doces em todas as refeições.
Nestes lugares tem sorvetes maravilhosos, escolha o tamanho menor e não tome todos os dias. Escolha um doce por dia, no máximo.
Não tome vinho ou outra bebida mais de uma vez ao dia, tome em quantidade moderada, pois o álcool é muito calórico.
Na Itália, peça uma salada para acompanhar a carne no lugar de massa. Faça isto, pelo menos dia sim outro não.
Assim poderá aproveitar a viagem com uma dieta moderada.

Conheça um pouco mais sobre cuidados na amamentação

Se durante a gestação, as futuras mamães já se preocupam com a alimentação, com o intuito de oferecer a melhor forma de nutrição a seus bebês, logo após o nascimento, durante a fase da amamentação, esses cuidados devem permanecer.

Durante a amamentação é desaconselhável iniciar uma dieta para emagrecer, o que poderia comprometer a produção de leite e até prejudicar a nutrição do bebê. Nesse período, a mãe necessita de uma alimentação equilibrada, com cerca de 2500 calorias por dia. Para as mães preocupadas com os quilos ganhos durante a gravidez, uma boa notícia “A amamentação ajuda a emagrecer, pois queima calorias.

Não há um cardápio pré-determinado que deva ser seguido à risca, segundo a especialista. O ideal é que a mãe se alimente de forma saudável, várias vezes ao dia, adicionando generosas doses de líquidos. “É importante ingerir ao menos dois litros de água por dia, o que não é muito difícil nessa fase, uma vez que a mulher costuma sentir muita sede durante a produção de leite".

Uma alimentação rica em carnes brancas magras, legumes, verduras, cereais, alimentos ricos em cálcio (vegetais verdes escuros, leite e derivados) e frutas é a mais recomendada. A ingestão de peixes, linhaça e outros alimentos fontes de ômega 3, no mínimo duas vezes por semana, garante os níveis do ácido graxo essencial no leite materno.

Para as mães vegetarianas, um alerta especial: é preciso redobrar os cuidados com a alimentação e se certificar de estar ingerindo vitaminas e minerais suficientes para nutrir o bebê.

Uma dúvida constante paira sobre o uso de adoçantes e produtos ligth. Não existe consenso sobre os malefícios dessas substâncias para a saúde da criança, de qualquer forma a recomendação é fazer um uso leve ou moderado dessas substâncias.Consulte seu médico e siga suas orientações sobre este ítem.

Bebidas, álcool e remédios não combinam com amamentação. A mãe que amamenta deve lembrar sempre que essas substâncias, além de causar prejuízos ao próprio organismo, podem afetar o organismo do bebê, por meio do leite materno.

“É importante lembrar que a consulta com um médico especialista ou nutricionista é a opção mais recomendada para quem deseja elaborar um cardápio saudável, com refeições e lanches saudáveis".

Dicas para dieta de gestantes

- A alimentação deve ser monitorada a partir do primeiro mês de gravidez, para garantir sua saúde e disposição e contribuir para a boa formação do bebê.

- Alimentar-se adequadamente também reduz o desconforto digestivo e a ocorrência de náuseas e vômitos, evitando a perda de peso.

- Prefira alimentos leves, com menor quantidade de gorduras e frituras. As preparações assadas, cozidas ou grelhadas são as mais indicadas.

- Diminua o intervalo entre as refeições; alimente-se pelo menos a cada três horas (em horários regulares). Tenha sempre à mão uma barrinha de cerais ou uma fruta, ou ainda biscoitos cream cracker.

- Coma devagar, mastigando bem os alimentos.

- Consuma bastante líquido ao longo do dia, mas não durante as refeições.

- Aumente o consumo de leite e derivados; ingira no mínimo três xícaras de leite por dia. A indicação do consumo de cálcio é de 1200mg por dia. Para você ter uma idéia dessa medida, uma porção de 100g de queijo branco contém 685mg de cálcio; já 200ml de leite equivalem a 228mg, e 200ml de iogurte têm 240mg dessa substância.

- Reduza o consumo de sal (na preparação dos alimentos, em enlatados, salame, azeitona, queijo parmesão). Sal em exagero aumenta a retenção de líquidos no organismo, provocando inchaço e pressão alta.

- Consuma folhas cruas na forma de saladas temperadas com limão, que é fonte de vitamina C.

- Consuma, pelo menos uma vez ao dia, grãos de feijão, lentilha, grão de bico ou ervilhas (de preferência no almoço).

- Aumente a ingestão de fibras (cascas, bagaços, sementes de frutas e verduras cruas, frutas secas, cereais integrais).

- Não deite ou sente logo após as refeições.

- A pirâmide ao lado é indicada para todos os tipos de pessoas; durante a gestação, recomenda-se o aumento do consumo de cálcio.