sexta-feira, 9 de julho de 2010

ANEMIA FERROPRIVA

A anemia ferropriva, definida como uma diminuição na concentração de hemoglobina decorrente da redução da reserva de ferro no organismo, é considerada como um dos maiores problemas nutricionais, não só dos países em desenvolvimento, como também nos países desenvolvidos.

Os principais fatores etiológicos que determinam a anemia ferropriva são:
· Baixa reserva de ferro neonatal - quase todo o conteúdo de ferro do organismo de um neonato a termo é obtido no último trimestre de vida intra-uterina e utilizado como reserva nos primeiros quatro meses de vida. Em situações como prematuridade, gemelaridade e anemia materna grave não há reserva adequada podendo ocorrer anemia ferropriva nos primeiros meses de vida.
· Aporte insuficiente de ferro e baixa biodisponibilidade - pode ocorrer devido a ingestão insuficiente de ferro (dieta pobre em ferro) ou em decorrência de uma reduzida absorção intestinal que é influenciada por fatores fisiológicos (síndromes de má absorção, pH intraluminal) ou nutricionais (substâncias quelantes do ferro).
· Aumento da necessidade diária - há aumento dos requerimentos orgânicos nos períodos de crescimento acelerado como em prematuros, lactentes e adolescentes.
· Aumento das perdas – hemorragias agudas ou crônicas comuns em parasitoses intestinais, neoplasias de intestinos, leva a perda e, consequentemente, maior necessidade de ferro.
O quadro clínico mais comum são a palidez cutâneo-mucosa, astenia, fadiga, distúrbio alimentar (pica), pele seca, glossite, estomatite angular, redução do crescimento, retardo do desenvolvimento neuropsicomotor, repercussões no sistema imune com maior susceptibilidade à infecções, além das deficiências cognitivas e comportamentais.

O tratamento da anemia ferropriva é realizado geralmente pela administração de sais de ferro, preferencialmente por via oral. O mais utilizado destes sais é o sulfato ferroso (3-5mg/kg/dia) que representa a intervenção de resposta mais imediata. A médio prazo, o uso de alimentos enriquecidos com ferro e de uma dieta adequada estão entre as principais recomendações para reduzir o referido estado de carência.

Dieta:

Alimentos e dicas que ajudam a recuperar da anemia.

Consuma todos os dias pelo menos uma vez ao dia:

Feijão ou ervilha ou lentilha
Alimentos integrais
Beterraba
Inhame
Folhas verdes escuras (espinafre, couve, bertalha, couve, agrião,etc)
Carnes vermelhas, miúdos, gema de ovo, fígado, moela ou coração

Quando consumir estes alimentos, não misture nenhuma preparação com leite ou derivados
(purê, suflê,tortas, queijo ralado, creme de leite, sobremesas tipo pudim, sorvete cremoso,danoninho, mousses,etc). Estes alimentos ricos em cálcio prejudicam a absorção do ferro.
Devem ser acrescentados alimentos ricos em vitamina C que ajudam a absorção do ferro
(laranja, limão, acerola, caju, tangerina,etc) natural (sobremesa) ou em sucos feitos na hora e devem ser consumidos junto com a refeição.
Os alimentos ricos em cálcio podem ser consumidos nos lanches ou quando for feito peixe ou frutos do mar.

Outros alimentos ricos em ferro:

Canjica, sustagem,Nutren active, aveia, castanhas, damasco seco, leites enriquecidos de ferro, mucilon e outros.

Consulte um nutricionista para montar um cardápio de acordo com suas preferências e melhorar da anemia.