sábado, 18 de dezembro de 2010

Investir em certos alimentos e ignorar outros é uma boa maneira de amenizar desconfortos em certos períodos


Fonte: Thais Manarini, especial para o iG São Paulo

Água é essencial em todas as fases, mas em alguns períodos mais do que em outros
Em algumas fases da vida, determinados grupos alimentares merecem destaque especial na dieta para manter a saúde em dia, enquanto outros devem ser jogados para escanteio. Isso acontece durante a gravidez, menopausa, andropausa, TPM e até quando a acne ou distúrbios da tireoide resolvem dar as caras. Confira, a seguir, como deve ficar o cardápio nesses momentos.

Acne

Trata-se de uma doença inflamatória crônica muito comum, principalmente na adolescência, quando o desequilíbrio hormonal provoca o crescimento da glândula sebácea, resultando em uma maior produção de sebo. Para a nutricionista Amanda Buonavoglia, da Associação Paulista de Naturologia (Apanat), quem tem o problema não pode vacilar na hidratação. “A água ajuda na eliminação de toxinas e mantém a pele hidratada”, diz.

Sobre a alimentação, ela afirma que o assunto gera muitas pesquisas científicas e ainda é muito controverso. Há quem acredite, por exemplo, que o consumo de gorduras pode favorecer o aumento de acne. Sendo assim, frituras, carnes gordurosas e muito chocolate deveriam aparecer raramente no cardápio. “Como ingerir gorduras em excesso faz mal à saúde, acredito que essa seja uma boa premissa a ser seguida”, avalia.

Outros trabalhos colocam os carboidratos na berlinda e recomendam, portanto, evitar itens cheios de farinha branca e açúcar. Por outro lado, na lista dos alimentos liberados entram folhas verdes, semente de linhaça, peixe, chá verde e aqueles vermelhos arroxeados. "O zinco e o ômega 3 presentes nesses alimentos são importantes anti-inflamatórios”, explica Daniela Jobst, nutricionista funcional de São Paulo (SP).

Para a dermatologista Isabel Martinez, também da capital paulista, são necessários mais estudos para afirmar quais mudanças na alimentação realmente interferem no desenvolvimento da acne. “Caso o próprio paciente perceba que certos alimentos estimulam o aparecimento de espinhas, deve diminuir sua ingestão”, aconselha.

Desconfortos da gestação

Muitos sintomas incômodos podem aparecer nessa fase e a alimentação pode ajudar a amenizá-los. Para combater a prisão de ventre, por exemplo, a ginecologista Isabel Corrêa, especialista em Reprodução Humana do Centro de Medicina Reprodutiva Huntington Perinatal, do Rio de Janeiro (RJ), indica o consumo de bastante água, fibras e frutas. “Especialmente ameixa e mamão”, ensina.

Na gravidez, aposte nas frutas para deixar azias e enjoos longe
Se o principal desconforto for o enjoo, a dica da nutricionista Daniela é incluir gengibre e hortelã em chás ou sucos. Já náuseas podem ser combatidas com água de coco e raspas de gengibre. Segundo ela, “a bebida é uma boa porque possui alto índice de minerais”. Para algumas grávidas o que atrapalha mesmo é a azia. “Experimente tomar um copo pequeno de água com gotas de limão durante as refeições. A fruta ajuda a regular a digestão”, sugere Amanda, da Apanat.

Alimentos muito gordurosos e/ou condimentados devem ficar de fora do prato, pois a digestão é mais lenta e há maior tendência de vir acompanhada de azia e refluxo. Legumes e verduras mal lavados e carne crua também devem entrar na listinha dos excluídos, já que oferecem o risco de transmitir doenças. “Pegue leve no sal, pois o condimento favorece a retenção hídrica e inchaços”, lembra a ginecologista Isabel.

Menopausa

Os sintomas da menopausa aparecem por volta dos 50 anos e podem deixar a mulher à beira de um ataque de nervos. Entre os mais famosos estão alterações no sono, humor e libido, ondas de calor, suores noturnos e diminuição da atenção e memória. Segundo a ginecologista da Huntington, não há estudos definitivos que indiquem a eficácia da alimentação no combate a esses sintomas. O que se sabe, no entanto, é que mulheres orientais não sofrem tanto no período. “Muitos dão os créditos ao estilo de vida e, principalmente, à alimentação rica em soja e peixes”, conta.

Brócolis e peixes formam um prato gostoso, saudável e que ajuda a combater os sintomas da menopausa
A soja é abastecida de fitoestrogênios, componentes que imitam a ação do hormônio estrogênio no corpo (é a ausência dele que causa as alterações do período). Por isso, acredita-se que uma dieta formada por alimentos cheios dessa substância pode trazer alívio à mulher na menopausa. Segundo Isabel, inhame, brócolis, couve-flor e chá de amora são boas apostas.

A dificuldade em absorver minerais, em especial o cálcio, também é uma realidade nessa fase, elevando os riscos de desenvolvimento da osteoporose – a doença deixa os ossos frágeis e mais suscetíveis a fraturas. Segundo Amanda, da Apanat, alimentos ricos em magnésio e cálcio podem ajudar na prevenção da doença. “Uma ótima dica é o suco de folhas verdes”, diz. Confira a receita:

• Bata no liquidificador 2 folhas de couve, 1 pedaço de pepino, 1 fruta (pode ser laranja sem casca e sementes ou maça com casca e sem semente), 1 pedaço de cenoura ou beterraba e 1 copo de água. Consuma esse suco pela manhã ou antes do jantar ou almoço.

Distúrbios da tireoide

Pequena glândula localizada no pescoço, a tireoide é responsável pela produção dos hormônios T3 e T4, que estimulam todos os órgãos de nosso corpo. Quando seu funcionamento é alterado e a liberação desses componentes é exagerada, o quadro recebe o nome de hipertireoidismo e é marcado por uma aceleração de todo o organismo. Por outro lado, se há uma diminuição na produção dos hormônios tireoidianos, a doença é chamada de hipotireoidismo e o corpo todo fica devagar.

Segundo Laura Ward, vice-presidente do departamento de Tireoide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), as recomendações gerais são as mesmas em ambos os casos: “deve-se evitar alimentos industrializados, pois eles apresentam desreguladores endócrinos. Já o sal deve ser consumido, mas com cautela: se por um lado o excesso de iodo presente no alimento pode causar a ruptura de células da tireoide, por outro sua ingestão é necessária para evitar o bócio”. O ideal, diz a médica, é não consumir mais de 1 grama por dia.

No caso do hipotireoidismo, a recomendação da nutricionista Daniela Jobst é apostar em alimentos que dão energia ao corpo, tais como chá verde, gengibre, canela, pimenta vermelha (principalmente a do tipo caiena), cafeína, casca de laranja, entre outros. Já para aqueles que sofrem de hipertireoidismo, Amanda Buonavoglia avisa que é bom não exagerar nesses alimentos capazes de estimular o organismo. “Experimente tomar um chá de camomila ou melissa para relaxar antes de dormir”, indica.

Vitalidade na andropausa

Assim como a mulher, o homem também passa por uma bagunça hormonal após os 40 anos de idade. Quando a queda de hormônios atinge um nível crítico, a situação é chamada andropausa, e os principais sintomas são queda de libido, perda de cabelo, diminuição da massa muscular, insônia, falhas na memória, alterações no humor e aumento no risco de doenças cardiovasculares, câncer de próstata e osteoporose.

De acordo com Ruth Clapauch, vice-presidente do departamento de endocrinologia feminina e andrologia da SBEM, a andropausa atinge 10% dos homens de 40 a 60 anos; 20% daqueles que têm entre 60 a 69 anos; 30% do grupo com 70 a 79 anos e 50% dos indivíduos com mais de 80 anos de idade.

A médica diz que não há recomendações alimentares específicas para essa fase. No entanto, a obesidade (especialmente a abdominal) leva a uma redução dos hormônios masculinos ativos. “Portanto, quem está acima do peso tem maior chance de chegar à andropausa”. Para não correr esse risco, Daniela Jobst diz que a recomendação principal é ficar de longe de alimentos ricos em colesterol e açúcar e dar preferência àqueles abastecidos com sais minerais e vitaminas (frutas, verduras e legumes).

Tensão pré-menstrual (TPM)

Quando ela aparece, dias antes da menstruação, a mulher apresenta sintomas que vão de cólicas, dor de cabeça e inchaço a mau humor e tristeza. Para tornar esse momento menos sofrido, algumas alterações no cardápio são bem vindas.

Para afastar a TPM, um pote de iogurte
Para aliviar a cólica, a nutricionista Vanessa Leite, de Porto Alegre (RS), sugere o consumo de alimentos fontes de cálcio – iogurte light, leite desnatado e queijo light podem entrar no menu. Quem sofre com o inchaço deve reduzir o consumo de sódio e dar preferência a alimentos ricos em água (frutas e vegetais), e àqueles que são cheios de minerais e fibras (vegetais verdes). “Fontes de ômega 3 também ajudam, pois se trata de um composto anti-inflamatório”, completa.

Se a dor de cabeça costuma incomodar muito, Vanessa recomenda trocar os carboidratos refinados (açúcar, doces e bolo, pão e arroz brancos) pelos integrais. Incluir a soja nas refeições também é considerado uma excelente pedida. “Ela ajuda a diminuir a cefaleia”, explica.

Já para aquelas que apresentam mudanças de humor, a dica é colocar muita vitamina B6 no prato, pois é uma precursora de um hormônio chamado serotonina – a queda brusca desse componente é a culpada pela irritação do período. Segundo Vanessa, a vitamina é encontrada em alimentos como grãos, banana, nozes, castanha-do-Pará e cereais integrais. “Um pouquinho de chocolate amargo também pode favorecer o humor”, completa, para a alegria da mulherada (e dos namorados, amigos, chefes, familiares...).

Fonte: Thais Manarini, especial para o iG São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário