domingo, 29 de agosto de 2010

Vitaminas- Aonde encontrá-las e conheça seus benefícios

Se a falta de vitaminas pode prejudicar a saúde, consumir algumas delas em excesso também pode ser ruim para o organismo. Dor de cabeça, vômitos e até sintomas de intoxicação estão relacionados ao abuso desses nutrientes, segundo os especialistas em nutrição humana.


Foto: Getty Images
Vitaminas: consumir algumas delas em excesso também pode ser ruim para o organismo
Na avaliação deles, o problema é que, como as vitaminas não dependem de receita médica, o risco de passar do ponto na suplementação aumenta. Para a nutricionista Anita Sachs, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o melhor lugar para se procurar vitaminas é a feira ou o supermercado, não a farmácia.

"Em alguns casos, os suplementos são recomendáveis, mas não se pode consumi-los aleatoriamente. Em excesso, são prejudiciais e podem até contribuir para alguns quadros de câncer", garante.

Ter uma alimentação balanceada é o segredo para suprir todas as necessidades diárias de vitaminas e minerais. Uma dieta que inclua legumes e verduras no almoço e jantar, além de frutas no café da manhã e no café da tarde, já é o suficiente para atingir a quantidade de nutrientes necessários para a manutenção da saúde. "Isso, desde que a pessoa varie os alimentos; variar é importantíssimo", destaca.

Vale lembrar que muitos produtos industrializados já contêm doses extras de vitaminas e minerais. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), são considerados "enriquecidos" os alimentos que fornecem 30% da ingestão diária recomendada (IDR) de determinado nutriente a cada 100g.

A bióloga Adriana Ribeiro da Silva, pesquisadora do Instituto Oswaldo Cruz, estudou os efeitos da superdosagem da vitamina E em ratos e descobriu que o efeito anti-inflamatório da vitamina dá lugar à piora no quadro de inflamação quando o nutriente é ingerido em excesso.

Em relação ao ferro, as consequências da sobrecarga foram analisadas pelo médico Rodolfo Cançado, professor de hematologia da Faculdade de Medicina da Santa Casa. Segundo ele, o acúmulo de ferro nos tecidos eleva a formação de radicais livres, elementos que podem provocar dano celular, fibrose e esclerose de alguns órgãos.

Onde encontrar

VITAMINA A

Nutriente essencial para a manutenção da visão, do crescimento e desenvolvimento do corpo, da integridade da pele, da imunidade e da reprodução.

Fontes: carne de fígado, óleo de peixe, gema de ovo, leite integral e outros laticínios. Também pode ser encontrada em vegetais como espinafre, abóbora e cenoura.

Falta: pode provocar a cegueira noturna.

Excesso: está relacionado a danos no fígado, anomalias nos ossos, dores nas juntas, dores de cabeça, vômitos e descamação da pele.

VITAMINA C

É importante para as cicatrizações e para o sistema imunológico. Também contribui para aumentar o potencial de resistência da pele.

Fontes: está principalmente em frutas cítricas, mas também em kiwi, manga, mamão e morango, além de vegetais como brócolis, couve-flor, ervilha e batata

Falta: pode provocar o escorbuto, doença que se manifesta por alterações na gengiva, dores nas extremidades e hemorragias

Excesso: cálculo renal e distúrbios gastrointestinais

VITAMINA E

Tem efeito antioxidante, protegendo as células da ação dos radicais livres, que podem danificar os tecidos e também provocar envelhecimento. Também tem ação anti-inflamatória.

Fontes: óleos vegetais e animais, nozes, castanhas, leite integral e outros laticínios.

Falta: está relacionada a problemas neurológicos e musculares, além de provocar danos no fígado.

Excesso: em laboratório, observou-se o agravamento de inflamações, em vez do efeito anti-inflamatório que a quantidade ideal da vitamina proporciona.

VITAMINA K

Atua na manutenção da coagulação sanguínea.

Fontes: folhas verdes de tom verde-escuro, como agrião e rúcula, além dos óleos vegetais.

Falta: sangramentos e dificuldade de coagulação.

Excesso: pode provocar danos no fígado.

VITAMINA D

É necessária para manter o nível normal de cálcio e fosfato no sangue. Esses nutrientes, por sua vez, participam do processo de mineralização dos ossos e da contração dos músculos, além de contribuir para as funções celulares em geral. A luz do sol ajuda a fixá-la.

Fontes: peixes gordurosos (como salmão, sardinha, atum), óleo de fígado de peixe, ovos e cogumelos.

Falta: pode provocar doenças nos ossos como raquitismo e osteoporose.

Excesso: nenhum efeito foi observado, mas consumo excessivo deve ser evitado.

FERRO

Transporta oxigênio pelo sangue e ajuda no processo de produção de energia a partir dos alimentos. Também está relacionado ao sistema imunológico.

Fontes: aparece nas carnes, sobretudo o fígado, vegetais folhosos de tom verde-escuro (como agrião, couve e cheiro-verde) e leguminosas (como feijão, grão-de-bico e lentilha).

Falta: anemia, doença que tem como sintomas cansaço, fraqueza e queda de cabelo.

Excesso: o ferro se acumula provocando a formação de radicais livres, que podem provocar dano celular, fibrose e esclerose de órgãos (fígado e o pâncreas).

VITAMINA B12

Ajuda na formação dos glóbulos vermelhos do sangue e participa das fibras nervosas. Atua também na divisão de células do corpo, principalmente as nervosas e as cerebrais.

Fontes: carne, ovos, leite integral e outros laticínios.

Falta: pode ocasionar anemia e gastrite.

Excesso: nenhum efeito foi observado, mas há poucos estudos sobre o tema .

Fonte: Saúde - Ig

sábado, 28 de agosto de 2010

Mitos do emagrecimento X Verdades

Mito 1: Comer de três em três horas, em pequenas porções, é infalível para emagrecer


Foto: Divulgação Ampliar
Os lanchinhos a cada três horas ajudam a acelerar o metabolismo, mas não há emagrecimento se a soma das calorias superar o gasto diário
A teoria: A sugestão parece a “fórmula mágica” do emagrecimento, presente no discurso de 10 em cada 10 especialistas. Quem conseguiu emagrecer três números no manequim também costuma dizer que o segredo foram as múltiplas refeições.

Cláudia Cozer, diretora da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso) diz que a recomendação é justificada porque “evita diminuição do metabolismo e que a pessoa não chegue às refeições principais com uma fome exagerada”. Mas não é sempre que dá certo.

Quando não funciona: Comer a cada três/quatro horas pode não funcionar “se você come mais do que gasta”, explica Cláudia Cozer. Neste caso, o efeito é inverso e “você engorda”, atesta.
Portanto, não adianta achar que os espaços mais curtos entre as refeições dá passe livre para qualquer alimento. Mesmo comendo em pequenas doses, é preciso controle e exercícios físicos.

Mito 2: Não comer após as 20h é garantia de quilos perdidos

A teoria: Vira e mexe as refeições após as 20h entram no alvo e a recomendação é exterminá-las do cardápio. É fato que as pesquisas já mostraram que o relógio biológico é mais lento à noite e que as compulsões (ao estilo assalto da geladeira) acontecem mais neste período do dia. Mas o jejum noturno pode ser mais bandido do que mocinho.

Quando não funciona: Dormir com fome piora a qualidade do sono e interfere no metabolismo, o que dificulta a queima de caloria. “Portanto comer após 20h não tem problema, mas deve se comer uma quantidade adequada e com menor teor de calorias possível, senão o prejuízo é engordar e ter um sono ruim”, afirma Cláudia Cozer, da Abeso.

Mito 3: Substitua os alimentos por versão diet e light e perca peso já

A teoria: Doces sem açúcar, sobremesas e pães mais “magrinhas”. A data para o início do regime coincide com a corrida para as prateleiras dos supermercados que oferecem uma lista infinita de produtos diet e light. Em princípio, a troca parece ser só benefícios, mas a verdade é que ela pode ser um verdadeiro tiro no pé...

Quando não funciona: A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) já alertou que a informação “diet” em uma embalagem não garante a qualidade nutricional e nem a redução de calorias. “No chocolate diet, por exemplo, a retirada do açúcar significa a adição de mais gordura, o que deixa a versão dietética tão ou mais calórica do que a tradicional.

Portanto, na dúvida, não confie apenas no rótulo, compare a tabela nutricional dos produtos”, já orientaram os técnicos no site da Proteste. Comer sem peso na consciência não significa que os quilos extras não vão pesar mais tarde.


Mito 4: Fazer exercícios 30 minutos por dia é suficiente para emagrecer

Pesquisas mostram que fazer 30 minutos por dia de exercício não é suficiente para manter o peso. O ideal é uma hora
A teoria: Meia hora no relógio fazendo exercícios físicos é a chave para perder peso. Solução rápida, prática e que pode ser incorporada na rotina sem prejuízos dos compromissos. Ninguém nega que mexer o corpo é ação muito melhor do que o sedentarismo, mas o efeito não necessariamente é um alívio nos ponteiros da balança, comprovou pesquisa recente.

Quando não funciona: Uma pesquisa feita pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e publicada em maio no jornal da Associação Americana de Medicina, mostrou que é preciso, no mínino, uma hora de caminhada, ginástica, dança ou luta para a atividade surtir efeito na manutenção do peso, conforme mostrou acompanhamento por 15 anos de 34 mil mulheres, com idade média de 54 anos. Quem só tem 30 minutinhos disponíveis durante o dia não precisa voltar para a categoria sedentário. Mas o consenso é que a meia hora traz mais benefícios cardiovasculares do que estéticos.

Mito 5: Reduzir calorias drasticamente por um período emagrece para a vida inteira


Dietas rígidas como as já feitas pela musa Beyonce têm resultados efêmeros: rápidinho os adeptos encontram os quilos que perderam
A teoria: As dietas das musas ganharam o gosto popular e viraram moda. São restrições alimentares severas, algumas sugerem água, limão e só. Por 15 dias. Mas vale a pena passar por tamanho sofrimento, já que o corpo vai ganhar outra forma após duas semanas, certo? Errado. A solução é um balde de água fria para os adeptos da “dieta zero”.

Quando não funciona: regimes com menos de 900 calorias/dia, em geral, não emagrecem de forma contínua e permanente. “Comendo muito pouco, o indivíduo até ganha peso”, alerta a diretora da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), assim como 31 estudos que acompanharam por cinco anos pessoas que fizeram dietas com menos de 1200 calorias diárias. Realizada por pesquisadores da Universidade de Minnesota no ano 2000, a análise das publicações identificou que após cinco anos da data inicial do regime restrito, todos os participantes haviam recuperado o peso que haviam perdido.


Mito 6: As chamadas “gorduras do bem” estão totalmente liberadas.

A teoria: A palavra gordura foi atenuada quando os cardiologistas começaram a divulgar que, assim como tudo na vida, também existe o lado bom do termo. Ao contrário da "prima má", a chamada gordura trans, existem alimentos que são ricos em “gordura do bem”, presente na amêndoa, castanha e abacate. Virou recomendação médica, presente em dietas feitas pelo Hospital do Coração (Hcor) e Instituto do Coração (Incor).

Roberta Cassoni, diretora do departamento de nutrição da Sociedade Paulista de Cardiologia (Socesp) até sugere que os representantes da categoria substituam o amendoim e salgadinho. Mas, se consumidos em excesso, o efeito pode ser contrário.

Quando não funciona: Se consumidos em doses excessivas, mais de quatro punhados, a gordura do bem vira do mal no organismo. Apesar de serem protetores do coração, são extremamente calóricos e, sim, engordam.

O macarrão é liberado para quem faz dieta alimentar, mas cuidado com as calorias do molho
Mito 7: Macarrão engorda e deve ser banido do cardápio

A teoria: É só começar a fazer dieta para o macarrão ser jogado para escanteio. As massas são proibidas, engordam e o regime que se preza é feito só de saladas e grelhados. Os nutricionistas, porém, absolvem o macarrão.

Quando incluir massas: Todos os especialistas em nutrição defendem os carboidratos como fundamentais na pirâmide alimentar. As massas, portanto, não devem ser excluídas pois sem elas a disposição para os exercícios também vai embora.

O próprio Vigilantes do Peso, grupo referência nacional no emagrecimento, sugere a opção de macarrão integral como ideal para quem quer perder os quilos a mais. O que engorda o macarrão? O molho. Olhe no rótulo das embalagens prontas de tomate, a quantidade de sódio sempre é altíssima, o que aumenta o índice de gordura e piora o controle da pressão arterial. Queijo, tomate seco, carne são outros ingredientes que tornam o macarrão um vilão do regime. Então não aposente o alimento, mas cuidado com o molho. A Sociedade Americana de Nutrição já alertou que, sem molho, um prato de macarrão chega a ter menos 600 calorias.

Mito 8: Café ajuda a perder peso

A teoria: As xícaras de café intercalam a vida dos que fazem dieta, com a certeza de que o líquido escuro e amargo será como vara de condão para fazer sumir a fome. A bebida, alertam os especialistas, até é considerada como um acelerador do metabolismo, mas o efeito pode ser outro.

Quando não funciona: “O café com adoçante não tem caloria, não engorda, alguns trabalhos mostram que pode ajudar a aumentar o metabolismo e favorecer a perda de peso, mas outros estudos não conseguiram confirmar esses dados”, afirma Cláudia Cozer da Abeso. “Recomenda-se no máximo 4-5 doses/dia, porque a cafeína pode causar gastrite, irritação, alteração do sono”, diz. Todas estas consequências do excesso são inimigas do emagrecimento.

Dietas exclusivas, ou só de carboidratos presentes no pão ou só de proteínas (presentes na carne), não têm comprovação científica, diz a Abeso
Mito 9: Dieta só de proteína ou só de carboidratos é o segredo para mudar o corpo

A teoria: Desde a década de 90, começaram a pipocar dietas chamadas exclusivas. Os cardápios – que poderiam ser usados por 15 dias ou 30 no máximo – priorizam ou só alimentos da família dos carboidratos ou só das proteínas. A mudança de peso momentânea, porém, não dura muito tempo.

Quando não funciona: Quando as gorduras saturadas são liberadas nestes tipos de regime, há um aumento no colesterol e na pressão arterial, que facilitam justamente o acumulo de gorduras. A eliminação de quilos, portanto, não é acompanhada por um corpo bonito.

A Associação Americana de Dietas, reforça que é a combinação entre os dois (carboidratos e proteínas) que promove a sensação de saciedade e portanto a ingestão de menos comida. Por fim, Cláudia Cozer da Abeso arremata que “não existe embasamento cientifico para se afirmar que comer só um grupo alimentar possa trazer algum beneficio a perda de peso
Fonte: reportagem do Ig do dia 28/08/10

sábado, 21 de agosto de 2010

Mais dicas de emagrecimento!!!!!!!

1.Não tenha pressa. Se está acima do peso, pergunte-se há quanto tempo carrega esse excesso. Então, para que eliminar peso do dia para a noite?

2. Corrija gradativamente a sua atitude em relação aos alimentos.

3. Não exclua de um dia para outro aquele alimento que só de pensar dá água na boa. Na verdade, nunca o exclua, mas saiba quando e quanto pode ingerí-lo.

4. Controle a ansiedade. Encontre uma distração ou um hobby que faça com que a sua atenção desvie da comida.

5. Estipule horários para as refeições.

6. Deixe de comer aquele doce e substitua pela fruta da sua preferência.

7. Beba muita, mas muuuuuita água.

8. Deixe o seu prato colorido. Saladas e legumes devem estar presentes diariamente no almoço e jantar.

9. Se alguém notar que está adotando novos hábitos e perguntar se está de "regime", mande um audível "não". Muitas pessoas adoram sabotar as boas intenções alheias.

10. Confie em você! Tenha sempre uma atitude positiva. Estar determinada e confiante é mais do que meio caminho andado para atingir o seu objetivo.

Fonte: Cyberdiet

Nhoque Light de Ricota com Creme de Pimentão:

Ingredientes :

250 g de ricota light peneirada
1 colher (sopa) de azeite de oliva
1 pitada de noz-moscada ralada
1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
sal a gosto
Creme de pimentão
2 pimentões vermelhos médios assados e sem pele ou pimentão em conserva
1/2 xícara (chá) de creme de leite light
sal a gosto

Como Preparar Nhoque Light de Ricota com Creme de Pimentão:
Creme de pimentão: bata no liquidificador os pimentões com o creme de leite e o sal. No momento de servir, aqueça numa panela.
Misture numa tigela a ricota com o azeite de oliva, a noz-moscada e o sal. Acrescente, aos poucos, a farinha de trigo e amasse com as mãos por 3 minutos, ou até a massa ficar firme.
Transfira a massa para uma superfície enfarinhada, molde cordões de 2 cm de diâmetro cada um e corte-os em pedaços de 2 cm.
Coloque os nhoques, aos poucos, numa panela com 4 litros de água fervente e deixe cozinhar por 10 minutos, ou até subirem à superfície.
Retire com uma escumadeira e coloque-os num escorredor de macarrão.
Sirva os nhoques com o creme de pimentão e decore com manjericão e pimenta-do-reino.

domingo, 15 de agosto de 2010

Salada com molho light

· Salada:

· 1 alface americana picada
· 1/2 repolho pequeno cortado em tiras
· 2 cenouras cortadas em tiras
· 1 maçã verde picada

· Molho light:

· 2 batatas cozidas
· 1 cenoura cozida
· 6 colheres de sopa de azeite
· Suco de 1 limão grande
· 1 colher de sopa de vinagre
· 1 colher de sopa de mostarda amarela
· 1 colher de sopa de sal
· 1 copo de leite desnatado (200 ml)

· Modo de Preparo

1. Coloque no liquidificador os ingredientes do molho e bata de 5 a 7 minutos
2. Este molho fica como uma maionese light
3. Arrume as verduras em uma travessa e regue com o molho na hora de servir
4. Esta salada é ótima para acompanhar carnes grelhadas e assadas

Fonte: Tudo Gostoso

sábado, 14 de agosto de 2010

Vantagens do consumo do guaraná

GUARANÁ

Benefícios: Sementes torradas, moídas e reduzidas a pó têm propriedades estimulantes e revigorantes.
Inconvenientes: As sementes têm muita cafeína o que não é recomendado para pessoas que sofrem de dores de cabeça e problemas no coração.
Intimamente associado à atmosfera lendária da região amazônica, o guaraná é um arbusto trepador que pode atingir até 10 m de extensão. Os Índios Maués foram os primeiros à se dedicar ao cultivo do guaraná devido a sua notáveis propriedades afrodisíacas. Da mesma forma eles descobriram que o pó de guaraná dissolvido na água era um poderoso estimulante que auxiliava na realização dos trabalhos físicos mais pesados. Com a chegada dos colonizadores brancos a cultura do guaraná espalhou-se por toda Amazônia atingindo inclusive países limítrofes como a Venezuela, a Bolívia e o Peru. As indústrias de refrigerantes fazem um xarope com a fruta que, em seguida, é modificado, diluído e gaseificado. Essa bebida, além do seu sabor característico e agradável, não contém nenhuma propriedade especial, e deve ser bebido com moderação como qualquer outro refrigerante. Já as sementes possuem uma composição que incluem dois poderosos alcalóides, a cafeína e a teobromina, além de substâncias como o amido, fosfato e tanino. o pó de guaraná é um reconhecido estimulante e revigorante, que pode ser tomado diluído em um pouco de água ou suco. Atualmente alguns desportistas, como os adeptos da musculação e artes marciais, costuma incluir em sua dieta um suco de açaí com guaraná para melhorar seu desempenho nos treinamentos. A combinação desses dois alimentos tem realmente um efeito energético supreendente.
O guaraná estimula o metabolismo facilitando a perda de peso.A quantidade indicada depende de cada caso, pois existem várias situações que este produto é contra indicado ( hipertensão, gastrite, insônia,etc). Pdocure seu médico ou nutricionista para melhor orientá-lo.Não tome sem saber se pode consumir e a quantidade .
Fonte: Alimentação

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Sopa de Cenoura

Ingredientes:

· 3 cenouras
· 1 chuchu
· 300 g de frango picado
· 1 tomate
· 1 cebola pequena
· 2 dentes de alho
· 1 colher de azeite
· 1 tablete de caldo de frango ou legumes

Modo de fazer:

1. Coloque para cozinhar o chuchu e a cenoura com um tablete de caldo de galinha.
2. Depois de cozido bata no liquidificador e reserve.
3. Doure no azeite os dentes de alho amassados e refogue os pedaços de frango.
4. Junte a cebola e o tomate bem picados e deixe cozinhar um pouco.
5. Despeje a mistura do liquidificador, tempere com sal a gosto e deixe cozinhar mais um pouco.
Se quiser, pode acrescentar massinha. Fica ótimo!
Fonte: Tudo Gostoso

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Variedade de alimentos e muita saúde!!!!!!!!!!!

Coloridos e Saudáveis

Você sabia que vegetais de coloração escura, como rúcula, espinafre, brócolis e agrião contém ácido fólico e boro e são excelentes no combates à depressão?


Por trás das cores dos alimentos há muito mais do que imaginamos.


Os brancos, como alho e cebola, possuem alicina, associada à redução do colesterol.
Os roxos têm anticianina, com ótimo efeito contra o envelhecimento.
Os vermelhos possuem licopeno, que auxilia na prevenção de câncer de próstata e osteoporose.
Os verdes têm bom índice de fibras e luteína, que mantém a saúde visual.
Os amarelos são ricos em antioxidantes, como vitamina C e betacaroteno.


Conheça os alimentos e adicione novas cores às refeições!

Fonte: Ceagesp

domingo, 8 de agosto de 2010

Salpicão light

Ingredientes

2 colheres (sopa) de iogurte desnatado

1 colher (sopa) de maionese light

1 colher (sopa) de molho inglês

1 colher (sopa) de mostarda

100 g de maçã em cubinhos

10 g de suco de limão

100 g de cenoura ralada

50 g de repolho cortado bem fininho

70 g de pimentão vermelho em tirinhas

1 talo de salsão cortado bem fininho

50 g de ervilha escorrida

25 g de uva passa

sal a gosto

Modo de preparo

Coloque a maçã numa tigela, regue com o suco de limão e reserve. Escalde, separadamente, em água salgada fervente, a cenoura, o repolho, os pimentões e o salsão. Coloque os legumes escaldados numa travessa, junte a maçã escorrida, a ervilha e a uva passa. Misture bem. Junte os demais ingredientes para o molho, mexa bem e despeje-os sobre os legumes. Misture novamente e leve à geladeira por alguns minutos antes de servir.
Fonte: On diet

Dicas para melhorar o funcionamento Intestinal

Vejam algumas medidas práticas para ajudar o funcionamento do intestino:


1) Beba um copo de água gelada em jejum.
2) Aumente a ingesta de fibras (verduras cruas, alimentos integrais, feijão, ervilha, lentilha, soja, grão de bico, frutas (mamão, ameixa, manga e laranja com o bagaço), iogurte actívia, yacult (1 ao dia)).
3) Crie o hábito de ir ao banheiro num determinado horário que tenha calma todos os dias.
4) Tome, no mínimo, 8 copos de água ou outros líquidos por dia.
5) Pratique atividade física, isto melhora a circulação e a prisão de ventre.
6) Coloque sobre as saladas azeite extra virgem. Isto ajuda a lubrificação do intestino e facilita a saída das fezes.

Evite comer banana, maçã, água de Côco, mate, chá preto, café, coca cola, batata, cenoura em quantidades ao longo do dia. Estes alimentos prendem.

Lembrem-se que tudo isto leva algum tempo para funcionar, tem que ser paciente e insistente.

domingo, 1 de agosto de 2010

Osteoporose- o que deve ser evitado?

Evite:

Excesso de proteína, sal e gorduras, café, levedo de cerveja, álcool, chá, mate, guaraná, coca cola, chocolate, espinafre, morango, beterraba e farelo de trigo.

Importante:

- Tomar sol todos os dias no horário até às 10h da manhã ou depois das 16h.
- Consuma mais (salmão, atum, sardinha, truta).
- Aumente o cálcio, converse com seu médico e nutricionista para fazer a reposição se for o caso.
- Faça musculação para aumentar sua massa muscular e evitar perder massa magra. Ajuda a fortalecer os ossos.
- Consuma mais: brócolis, couve, couve-flor, soja, castanha, amêndoas, repolho, rabanete, feijão, ervilha, lentilha e grão de bico.

Alimentos diuréticos

Alimentos diuréticos

Evite:
· Alimentos causadores de gases como: refrigerantes, feijão, frituras, pão, queijo e enlatado carne vermelha, embutidos como lingüiça, presunto, salame e salsicha.

· Alimentos que retém líquidos como: embutidos, sal em excesso e alimentos processados.

Alimentos diuréticos:
Os alimentos diuréticos também contribuem para diminuir a retenção hídrica diminuindo o inchaço (chás, suco de limão, melancia, morango, abóbora, agrião, beterraba, cenoura, escarola, folhas de beterraba, repolho, salsinha, tomate, broto de feijão, pepino, melão , abacaxi, maracujá, alface, alcachofra, erva doce, coentro, berinjela, hortelã...

O excesso de consumo de alimentos diuréticos pode dar o efeito laxativo, por isto, é importante ter uma orientação nutricional para saber as quantidades para sua dieta.