domingo, 27 de junho de 2010

Sopas Gostosas e light para este inverno. Experimente!

SOPA DE ESPINAFRE COM BATATAS

Calorias por porção: 180
Preparo: 45 min
Porções: 4

Ingredientes
3 batatas picadas em cubos
2 sachês de caldo de frango 0% de gordura dissolvidos em 2 litros de água
1 maço de espinafre picado (reserve os talos)
2 cebolas picadas
1 col. (sopa) de margarina light
500 g de peito de frango picado
sal a gosto
Modo De Fazer
Cozinhe as batatas com o caldo de frango e os talos de espinafre. Em outra panela, refogue a cebola com a margarina, o frango e o espinafre. Depois de cozidas as batatas, retire os talos do espinafre e passe no liquidificador. Junte o caldo ao refogado, ferva novamente e teste o sal.

Sopa de Brócolis

Ingredientes
· 3 xícaras de brócolis picado.
· 1/2 xícara de aipo em cubos.
· 1/2 xícara de cebola picada.
· 1 xícara de caldo de galinha.
· 2 xícaras de leite sem gordura.
· 2 colheres de sopa de maisena.
· 1/4 de colher de chá de sal.
· 1/4 de xícara de queijo suíço ralado


Modo de Preparo
1. Colocar os vegetais e caldo de galinha em uma panela
2. Colocar para ferver coberto em fogo baixo
3. Cozinhar até que os vegetais fiquem macios (em torno de 8 minutos).
4. Misturar o leite, maisena aos vegetais cozidos.
5. Cozinhar mexendo constantemente até que a sopa esteja levemente espessa e a mistura esteja começando a entrar em ebulição.
6. Remover do calor.
7. Adicionar queijo e misturar até derreter.

Sopa de Cenoura Gostosa

Ingredientes
· 4 cenouras cortadas
· 1 cebola
· 1 pimentão
· 2 dentes de alho
· 2 tomates
· Folhas de rúcula e alface
· 2 colheres de sopa de aveia
· 4 colheres de arroz – pode ser integral
· 2 colheres de sopa de azeite ou óleo de milho
· Uma porção de ervas: alecrim, orégano e manjericão secos, desidratados
· Salsa e coentro a gosto


Modo de Preparo
1. Ponha para dourar o alho no azeite, acrescente 2 cenouras cortadas em cubo, depois cebola, pimentão e a porção de ervas secas.
2. Separadamente, faça com as outras 2 cenouras que restaram um suco com aproximadamente 2 copos de água.
3. Junte o suco ao que está sendo refogado na panela.
4. Para dar consistência de creme, ponha a aveia diluída em água.
5. Acrescente o arroz e deixe ferver por 15 minutos.
6. Ponha o sal, salsa e coentro picados, os tomates sem pele, acrescente alface e pedaços de rúcula
7. Finalize com um pouco de azeite de oliva.

Receitas do site Almanaque Culinário

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Calorias das frutas

Tabela de calorias médias de Frutas

Frutas calorias (por 100 g)

Abacate 162
Abacaxi 52
Abóbora / Moranga 18,8
Açaí 247
Ameixa Seca 187
Banana Maçã 114
Banana Prata 89
Cajú 36,5
Caqui Chocolate 74,4
Cereja in natura 96,9
Cereja em calda 252,9
Figo maduro 67,6
Figo em calda 167,9
Goiaba Branca 57,4
Goiaba Vermelha 42,5
Jabuticaba 44,9
Jaca (polpa) 52
Laranja Pera 43
Limão Verde 28
Maçã 60,6
Mamão Maduro 68
Manga-Rosa 70,3
Maracujá 90
Melancia 31
Melão 29,9
Morango 39
Nectarina 64
Romã 62
Tangerina 50
Uva branca 68
Uva vermelha 79

Comer frutas é um hábito saudável, mas não exagere nas quantidades, pois dependendo pode engordar. Peça sempre orientação a sua nutricionista sobre as quantidades na sua dieta.
Uma dica importante: Todos os dias deve ser consumido uma fruta rica em vitamina C
( laranja, limão, acerola, caju, maracujá, goiaba). Isto ajuda a aumentar a imunidade, evita gripes, diminui a fadiga e diminui o colesterol.
Para ser bem aproveitado, tome o suco natural espremido na hora pois a vitamina C se perde muito rápido ao contato com o oxigênio.
Verifique na tabela as frutas menos calóricas e prefira colocá-las no seu cardápio.

domingo, 20 de junho de 2010

Banana- conheça tudo sobre ela

A banana é uma fruta que, apesar de não ser nativa do Brasil, caiu no gosto popular dos brasileiros. Podendo ser encontrada em todas as épocas do ano por um baixo custo, ela é um alimento constante na nossa dieta. De clima tipicamente tropical ( constituído por temperaturas entre 20 e 24° C), ela apresenta um sabor agradável, pois é doce e macia.

Essa fruta é formada na bananeira, planta de adaptação fácil a diversos tipos de solos e que é bem distribuída no território brasileiro, o que sem duvida facilita seu custo e consumo. A banana é um fruto de alto valor nutritivo, rico em minerais, vitaminas e fibras que auxiliam o bom funcionamento do organismo e na prevenção de doenças.

Nutrientes presentas na banana

A banana é uma excelente fonte de várias vitaminas, sais minerais e outras substâncias, dentre eles:

•Potássio;
•Vitamina A;
•Vitamina B6;
•Vitamina C;
•Vitamina K;
•Fibras alimentares.

Benefícios associados ao consumo da banana

•Evita a insônia, irritabilidade e a fraqueza;
•Contém nutrientes que auxiliam no crescimento dos bebês;
•Converte seus nutrientes em energia para o corpo;
•Por conter muita fibra, ela rapidamente provoca sensação de saciedade, contribuindo dessa forma para a perda de peso;
•Fonte de potássio;
•Combate a depressão, por meio do equilíbrio da concentração de serotonina no cérebro, uma substância que ajuda a melhorar o humor das pessoas;
•Energia para atletas.
Como fonte de potássio a banana pode contribuir para a prevenção da osteoporose, através da redução da perda de cálcio pelo organismo; contribui também para o controle da pressão arterial onde o excesso de sódio, deve ser balanceado com a adição do potássio, para que haja a manutenção do equilíbrio entre os dois minerais. Além disso, por ser um mineral que participa da contração muscular ele colabora com a ausência de contrações involuntárias nos músculos que são conhecidas como cãibras.

O amido da banana que é disponibilizado aos poucos ao organismo, libera energia durante a prática de exercícios físicos. Além disso, o potássio presente nessa fruta também evita a retração dos músculos que pode ser causada pela atividade física intensa, os benefícios da banana torna esse alimento indispensável na dieta de atletas.

Algumas pessoas acreditam que a banana é uma fruta que engorda, e por isso a excluem de suas dietas. É importante esclarecer que a banana até pode ser uma fruto calórico quando comparada a outros frutos; no entanto o alto valor nutritivo dessa fruta e a sensação de saciedade que ela provoca, permite que ela esteja presente na alimentação sem contribuir para um suposto ganho de peso em função do seu consumo.

Os benefícios associados ao consumo da banana podem ser desfrutados por muitos brasileiros. Ela é uma fruta muito consumida em nosso país e que deve permanecer dessa forma na nossa dieta contribuindo para uma vida saudável que inclui uma alimentação rica em frutas.

O Food and Nutrition Research Institute (FNRI) das Filipinas empreendera uma investigação sobre as propriedades nutricionais da banana, inclusive denominando-a como um “anti-depressivo natural”, além de recomendar o consumo de até 2 ou 3 bananas por dia e, uma vez que a mesma não produz colesterol nem leva à obesidade e ainda ajuda a reduzir o risco de enfarte do miocárdio e a reforçar a massa muscular e a energia, seu consumo é recomendado para todos, desde crianças a adultos.

Referências bibliográficas

SAÚDE EM MOVIMENTO, Banana, alimento para os músculos, inclusive coração
EMEDIX, Alimentos ricos em potássio podem ajudar na prevenção da osteoporose
ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL, Potássio
AS NOVIDADES, Benefícios da banana na alimentação

terça-feira, 15 de junho de 2010

Colágeno- Quais os alimentos mais ricos?

Alimentos formadores de colágeno


O organismo começa a reduzir a produção de colágeno a partir dos 25 anos de idade. Aos 50, produz apenas 35% do colágeno necessário. Nas mulheres,devido à diminuição do hormônio estrogênio na menopausa, a queda é mais acentuada.

A perda do colágeno em nosso organismo, pode ser atenuada por meio de uma alimentação equilibrada. A dieta rica em proteínas magras estimula a produção de colágeno. Para que o colágeno possa ser sintetizado pelo organismo, é importante consumir alimentos que contenham vitamina C, vitamina E, cobre,selênio,zinco e silício, afirma Dra.Daniela Graff.

O silício está presente no corpo humano (pele, cabelo, unhas, cartilagens, etc..) desde a fase fetal e vai diminuindo com a idade (após os 30 anos). É um oligoelemento que temos no organismo com a função de regenerar as células da pele e estimular as fibras de sustentação (colágeno, elastina

ALIMENTOS FIRMADORES DA PELE - Formadores de colágeno

PROTEINAS MAGRAS- Atum,Salmão,ovo,peito de peru ou frango,queijo cottage,iogurte desnatado

VITAMINA C - caju, kiwi, acerola, goiaba, laranja, cenoura, pepino

VITAMINA A e E - cenoura

ZINCO - avelã ,amêndoa, castanha do Pará, ovos, frutos do mar

SELENIO - nozes, salmão, arroz preto, frango, carne

SILÍCIO - aveia, cevada, salsa, nabo, avelã, feijão, centeio, trigo, banana, alho, alcachofras, Alho porro,Cebola, Aspargos, Mel, Morango, Nabo, Pepino, Pinhão, Tâmara.

COBRE - fígado bovino, caju, avelãs, cogumelos, lentilha e aveia

Enzimas que fortalecem o colágeno e as fibras elásticas- abacaxi

DICAS

EVITAR - fumo, álcool e ingestão de gordura saturada

A gelatina tem só 10% de proteína e, por isso, não deve ser considerada como alternativa para firmar a pele .

Atenção para pessoas que consomem alimentação vegetariana. Nestes casos, é aconselhável ingerir cápsulas de colágeno via oral para complementar a alimentação.
Consulte um nutricionista para melhor lhe orientar.

domingo, 13 de junho de 2010

Receita de Fondue de carne menos gorduroso

· No inverno algumas comidas são mais gostosas para serem consumidas. Experimente esta receita!

Ingredientes:

Filé mignon em cubos (aproximadamente 300 g por pessoa)
· 1 garrafa de vinho tinto seco
· 2 dentes de alho
· 1 cebola
· 2 tabletes de caldo de carne
· Sal
· 1 fio de azeite

Modo de fazer:

1. Tempere a carne somente com sal e reserve
2. Em uma panela refogue a cebola e o alho no fio de azeite
3. Quando dourar adicione o vinho e os tabletes de caldo de carne
4. Assim que ferver transfira o conteúdo para o rechaud e mantenha o vinho sempre quente
5. Espete os cubinhos de carne e deixe-os cozinhar
6. Para acompanhar o fondue pode servir molhos e pão italiano

Receita so site: Tudo Gostoso

domingo, 6 de junho de 2010

Receitas de festa Junina Light

Quentão sem álcool

Ingredientes
4 xic (chá) de água
4 xic (chá) de suco de maça light
3 rodelas médias de limão
Casca de 1/2 laranja
6 rodelas finas de gengibre fresco
1 canela em pau
3 anizes-estrelados
4 cravos da índia
1 col(sopa) de adoçante culinário

Modo de Fazer
Em uma panela coloque a água, o suco de maçã, O limão, a casca de laranja e as especiarias. Ferva o adoçante e sirva quente.
Rendimento: 12 copinhos (60 ml)
Calorias por porção: 20 (o tradicional tem 120 calorias)


Paçoca

Ingredientes
4 col (sopa) de leite em pó desnatado
6 col (sopa) do amendoim sem casca torrado
1 xíc. (chá) de proteína de soja texturizada torrada
4 col (sopa) de adoçante culinário
1 pitada de sal

Modo de Fazer
Bata todos os ingredientes no processador ou liquidificador até formar uma farofa. Guarde em um pote com tampa. Na hora de sevir, coloque a paçoca em canudos de papel colorido.
Rendimento: l8col(sopa)
Calorias por porção: 26 cal (a tradicional tem 130 calorias)


Canjica

Ingredientes
1 1/2 xíc.(chá) de canjica
4 xic.(cha)de água
2 xic.(cha)de água-de-coco
2 pedaços de caneta em pau
4 col (sobremesa) de adoçante culinário
4 xic. (cha) de leite desnatado
5 col (sopa) de coco ralado light

Modo de Fazer
Deixe a canjica de molho em água por 8 horas. Escorra, coloque na panela de pressão e acrescente a água a água-de-coco, a canela e 1 colher do adoçante culinário. Leve ao fogo e espere a panela de pressão pegar pressão e cozinhe por 15 min. Abra a panela, acrescente o restante do adoçante,o leite e o coco ralado. Ferva por mais 5 minutos. Tampe a panela e deixe esfriar.Sirva com canela em pó (ou 1 col de sopa da paçoca).
Rendimento: 10 xícaras de 150 ml
Calorias: 90 ( a tradicional tem 270)


Bolo de fubá

Ingredientes
4 claras em neve
4 gemas
1 xíc (chá) de adoçante culinário
4 col. (sopa) de margarina light
3/4 de xíc (chá) de fubá
3/4 de xíc (chá) de farinha de trigo
1 col (sopa) de fermento em pó
3/4 de xíc (chá) de leite desnatado
2 col. (sopa) de requeijão light
1 col. (sopa) de sementes de erva-doce

Modo de Fazer
Bata na batedeira as gemas com o adoçante e a margarina. Desligue o aparelho e misture delicadamente a farinha, o fubá, e o fermento peneirados e o leite. Acrescente as claras o requeijão e a erva doce. Coloque em um afôrma untada com margarina light e leve ao forno pré-aquecido a 180o. C durante 45 minutos, aproximadamente. Espere esfriar e polvilhe canela em pó.
Rendimento: 16 fatias
Calorias por porção: 118 cal (o tradicional tem 354 cal)


Curau

Ingredientes
4 de xíc (chá) de leite desnatado
2 latas de milho escorrido
6 col (sopa) de adoçante culinário
1 col (sopa) de margarina light
1 col (sopa) maisena
1 col (café) de essência de baunilha
1 col (sobremesa) de canela em pó

Modo de fazer
Bata no liquidificador o leite, o milho, o adoçante, a margarina e a maisena. Passe pela peneira e coloque numa panela antiaderente. Leve ao fogo médio e mexa até ficar um creme grosso. Acrescente a baunilha e distribua em taças e polvilhe com a canela. Deixe esfriar. Leve a geladeira por 30 minutos antes de servir.
Rendimento: 12 taças 100 ml
Calorias por porção: 60 (o tradicional tem 240 cal)

Fonte: Boa Forma ed 229

sábado, 5 de junho de 2010

Aleitamento materno para saúde bucal

Benefícios do Aleitamento Materno para a Saúde Bucal



O aleitamento materno proporciona inúmeros benefícios para a saúde do bebê, sendo que alguns estão diretamente ligados à saúde bucal. A amamentação contribui para o crescimento dos ossos e dos músculos levando à harmonia da face, correto posicionamento de dentes e língua, além de auxiliar a respiração e a fala.

Crescimento adequado do complexo crânio - facial e treinamento da musculatura bucal
A sucção da mama possibilita melhor desenvolvimento da face, melhor posicionamento dos dentes (correta oclusão), contribuindo para o exercício das funções de deglutição, respiração, mastigação e fala.
Redução nas chances de adquirir hábitos nocivos de sucção
O aleitamento materno diminui as chances de uma criança adquirir hábitos de sucção não nutritivos, como sugar os dedos ou chupeta.
Qualidade dos tecidos dentários
O leite materno, alimento nutricionalmente mais adequado é fonte importante de cálcio e outros minerais, que fortalecem os dentes.
Redução no risco de cárie
O aleitamento materno quando bem orientado pelo pediatra, retarda a introdução da sacarose (açúcar) na dieta da criança e evita o uso da mamadeira, o que diminui o risco de cárie nos bebês.
LEMBRE-SE: Primeiro dente de leite na boca significa primeira visita ao Odontopediatra.

Tomando estes cuidados seu filho terá hábitos adequados, crescendo com saúde e dentes fortes.

Relatores:
Grupo de Saúde Oral da Sociedade de Pediatria de São Paulo

Texto divulgado em 5/08/2009.

Qual o consenso sobre o consumo do leite para crianças e adultos?

Todos têm a noção de que qualquer alimento benéfico, até mesmo essencial para a saúde, pode ser maléfico, dependendo de algumas circunstâncias. O leite de vaca é um importante componente da pirâmide alimentar que exemplifica esta situação. Seus benefícios são comumente ameaçados por efeitos adversos, provocados por quantidade excessiva, defeitos em sua composição nutricional ou reações adversas a algum componente por parte de algumas pessoas. Assim, o leite de vaca é um alimento importante, mas pode representar um perigo real para a saúde de lactentes (bebês no primeiro ano de vida), crianças maiores ou adultos. LACTENTES - Há cinco anos a orientação é oficial por parte dos departamentos científicos de gastroenteologia e nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria: não é recomendada, no primeiro ano de vida, a oferta de leite de vaca, integral ou desnatado, e seus derivados (queijos, iogurtes, pudins).

Na Europa e América do Norte esta orientação pediátrica iniciou 20 anos antes. As razões para esta orientação radical são complexas e vieram a partir de conhecimentos científicos que hoje estão bem consolidados.

Em primeiro lugar, todos sabem que até pelo menos os dois anos de idade o leite materno é o alimento ideal. Para os 80% de lactentes brasileiros que recebem outro tipo de leite antes de completar um ano de idade a recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria é a de que seja oferecida uma fórmula infantil, industrializada. Para os leigos e para os médicos não especializados em saúde da criança esta pode parecer uma diretriz bizarra, ou extravagante, e por isto é importante que sejam divulgadas, ao menos de modo simplificado, as suas razões:

1) o leite de vaca possui composição muito distinta em relação ao leite humano, com deficiência em diversos micro ou macronutrientes essenciais para lactentes humanos e quantidades perigosamente altas de sal, alguns minerais e proteínas;
2) é destituído de uma série de ingredientes presentes no leite materno que previnem doenças alérgicas e infecciosas;
3) o excesso de sódio, cloro, cálcio e caseína significa uma sobrecarga para os rins, o que aumenta a chance de ocorrer desidratação diante de diarréia ou quadro febril;

4) a chance de anemia é três vezes maior do que com o leite humano, pois o leite de vaca promove má absorção de ferro, além de perda oculta de sangue pelo intestino em quantidade significativa, por razões desconhecidas;
5) o desenvolvimento neurológico (motor e visual) é um pouco comprometido, pela deficiência no leite de vaca de gorduras essenciais para a mielinização do sistema nervoso. E ainda há outros problemas, não citados nos itens acima. As fórmulas infantis, produzidas pela indústria a partir do leite de vaca, corrigem com êxito diversos defeitos que tornam o leite de vaca impróprio para lactentes. Não substituem o leite materno em qualidade, mas sua composição permite uma nutrição infantil com bastante segurança.

Por motivos econômicos os departamentos de nutrologia e gastroenterologia da Sociedade Brasileira de Pediatria atrasaram em 20 anos as orientações realizadas na Europa e América do Norte. A fórmula infantil pode custar até 25% de um salário mínimo por mês, pois o leite corresponde a 30 a 100% da dieta de um lactente, conforme a idade, enquanto o leite de vaca integral custa até 10% de um salário mínimo. Assim, o leite de vaca integral e seus derivados sempre foram de uso popular em toda a América Latina.

Esta é uma das razões de a deficiência de ferro ocorrer em 80% das crianças brasileiras nos primeiros dois anos de vida (40% com anemia), enquanto nos países desenvolvidos esta deficiência ocorre somente em 9% das crianças de mesma idade (3% com anemia). Esta é a maior diferença nutricional entre Brasil e países desenvolvidos, uma diferença tão grande que parece inacreditável, e a maneira de alimentar os lactentes brasileiros é sua principal causa.

CRIANÇAS GRANDES E ADULTOS

Nas demais faixas etárias o leite continua sendo uma ótima fonte de proteína animal, e uma fonte quase insubstituível de cálcio. Um dos problemas do leite de vaca é relacionado à quantidade excessiva, pois todos sabem que, em excesso, até mesmo a água faz mal. Algumas crianças apreciam demais o leite e ingerem quantidades grandes. Isto pode levar a um desequilíbrio na distribuição dos demais grupos de alimentos, pois a criança se sacia com o leite e derivados e deixa de ingerir os demais tipos de alimentos. Este é um erro alimentar freqüente em pré-escolares, e seria facilmente evitado com um pouco de bom senso por parte dos pais e imposição do limite adequado. Deveria ser de conhecimento popular que o leite de vaca, após os 18 meses de idade, não deve ultrapassar meio litro por dia.

Em adolescentes e adultos é mais prevalente a incapacidade de ingerir boa quantidade de leite. Em muitos casos o fator limitante é o gosto, pois há os que não apreciem o sabor do leite e derivados. Em outros tantos a limitação está na incapacidade de digerir e absorver o açúcar do leite, a lactose. A intolerância à lactose faz com que não poucas pessoas sintam desconforto abdominal (distensão, cólica, gases, diarréia) quando ultrapassam certa quantidade de leite. Sua prevalência varia com a etnia, estando em torno de 30% dos adultos no Brasil, e em mais de 60% dos adultos nos países andinos da América do Sul.

Estas limitações, intolerância ao sabor do leite, ou intolerância à lactose, justificam o fato de que dois terços das adolescentes meninas e um terço dos adolescentes meninos ingiram o cálcio abaixo da quantidade mínima recomendada, o que vem ocorrendo no Brasil e nos países desenvolvidos. Para os adolescentes isto representa um prejuízo na formação da massa óssea, e para os adultos uma redução mais rápida da densidade dos ossos.

Há outros transtornos causados pelo leite de vaca. Um deles é a constipação intestinal induzida por leite. Outro é a alergia à proteína do leite de vaca, com vários tipos de manifestações possíveis. Quando a alergia ao leite de vaca ocorre em lactentes, isto gera um custo elevado para a família, pois são bebês que já não dispõem do leite materno, e as fórmulas especiais para estas situações representam o custo de 0,7 a 4 salários mínimos por mês. Este é um bom motivo para que as mães pensem muito bem antes de desmamar seus filhos, pois a alergia ao leite de vaca ocorre em 5% dos bebês.

O leite de vaca é certamente um alimento benéfico para crianças e adultos que toleram esta fonte de alimentar, mas seu consumo é limitado pelo gosto e pela intolerância que muitas pessoas possuem aos seus componentes. Nesses casos é sempre um desafio suplementar o cálcio necessário, pois o leite de cabra confere as mesmas dificuldades do leite de vaca, e as fontes alternativas de cálcio dificilmente seriam ingeridas em quantidade suficiente (sardinha, brócolis, couve, ostras cruas, tofu). Para os lactentes a fonte de leite passa a ser uma questão ainda mais crucial. O

aleitamento materno é a melhor opção, salvo as raríssimas situações em que é contra-indicado. Infelizmente, a maioria dos bebês recebe outro tipo de leite antes de completar um ano de vida. Nesses casos, passa a ser fundamental a torcida para que a família disponha de recursos para bancar uma fórmula infantil, e também para que não ocorra nenhuma das formas de intolerância ao leite de vaca.

Aristides Schier da Cruz: Pediatra e Gastroenterologista Pediátrico; Professor do Curso de Medicina da Faculdade Evangélica do Paraná; Presidente da Sociedade Paranaense de Pediatria
Atualizado em ( 10-Out-2008 )