domingo, 20 de maio de 2018

Sopa Detox!

Receita de sopa detox .



Ingredientes

1,5 l de água
1 acelga pequena picada
2 talos de salsão picados
1 bulbo de erva doce picado
½ xícara (chá) de folhas de manjericão
1 xícara (chá) de champignons
1 cebola picada
2 dentes de alho picado
1 pedaço de gengibre
Sal, ervas aromáticas e pimenta a gosto
Cebolinha verde (opcional)

Modo de preparo

Em uma panela, refogue a cebola e o alho por dois minutos.
Junte o cogumelo e o gengibre e deixe refogar rapidamente.
Acrescente os legumes e o manjericão.
Tempere com sal e pimenta.
Acrescente água e deixe cozinhar por 15 minutos.
Retire do fogo e bata no liquidificador.
Passe na peneira de volta na panela.
Deixe ferventar por cinco minutos.
Decore com cebolinha verde picada e sirva em seguida.
Fonte: Lucília Diniz

Quais os alimentos ricos em cálcio?


quinta-feira, 17 de maio de 2018

Batata doce- tipos e propriedades de cada uma!

Há uma tonelada de diferentes tipos de batatas doces, mas é difícil encontrar a maioria delas nas lojas. Alguns tipos são mais populares, outros são mais exóticos, e alguns muito raros. Porém, todas elas tem nutrientes diferentes para trazer à sua mesa e os melhores benefícios para a sua dieta.

Propriedades da batata doce branca

A pele tem uma cor de creme e é muito suave. A carne da batata doce branca é creme ou esbranquiçada que se torna amarela quando cozida. O sabor é muito doce e bastante firme dentro e são consideradas uma batata doce seca ou firme, o que significa que a carne é bastante firme e seca quando cozida. É o tipo de batata doce com menos nutrientes, sendo as espécies coloridas mais recomendadas para quem está buscando os benefícios nutricionais no consumo da batata doce.

Propriedades nutricionais batata doce japonesa

A pele da batata doce japonesa é roxa e bastante suave. Geralmente mais redondas (“mais gorda”) do que outros tipos. A carne esbranquiçada que fica dourada quando cozida. O sabor é muito doce e bastante firme dentro. Nas propriedades nutricionais temos os seguintes dados para cada porção de 130 g:
  • Calorias: 113
  • Gorduras: 0
  • Colesterol: 0
  • Potássio: 438 mg
  • Carboidratos totais: 27g
  • Proteína: 2,3 g
  • Vitamina A: 202%
  • Vitamina C: 30%
  • Cálcio: 5%

Qualidades da batata doce alaranjada ou beauregard

A pele é laranja sua coloração é bastante similar tanto dentro como fora. A carne é de um laranja escuro. e o gosto suavemente doce e bastante firme dentro. As informações nutricionais para uma porção de 85 g são:
  • Calorias: 70
  • Gorduras: 0
  • Colesterol: 0
  • Sódio: 15 mg
  • Carboidratos totais: 23g
  • Fibra Dietética: 2g
  • Açúcares: 2g
  • Proteína: 1 g
  • Vitamina A: 300%
  • Vitamina C: 10%
  • Cálcio: 2%
  • Ferro: 2%
De acordo com um estudo da Universidade do Oeste Paulista, de Presidente Prudente, a batata doce alaranjada é que mais mantém os antioxidantes após o cozimento, tornando-a uma das melhores opções para usufruir dos benefícios nutricionais da batata doce.

Propriedades da batata doce roxa

A pele dessa batata doce é de um roxo profundo, assim como a carne. O gosto não é muito doce, e a carne é muito seca por dentro. Os dados nutricionais para uma porção de 113 g são:
  • Calorias: 130
  • Gorduras: 0
  • Colesterol: 0
  • Sódio: 0
  • Carboidratos totais: 29 g
  • Fibra Dietética: 4 g
  • Açúcares: 4 g
  • Proteína: 2 g
  • Vitamina A: <2 li="">
  • Vitamina C: 20%
  • Cálcio: 4%
  • Ferro: 6%
As batatas-doces roxas são altas em antocianinas, um fitoquímico conhecido por possuir propriedades antioxidantes.

Nutrição com a batata doce

As batatas doces são uma fonte fantástica de vitaminas e minerais (especialmente a vitamina A, embora seja importante notar que o tipo de vitamina A em batatas doces é betacaroteno, que não é bem convertido em vitamina A nos seres humanos (tipicamente apenas 3% de betacaroteno que você ingere é convertido em vitamina A).
As batatas doces também são uma ótima fonte de proteína de alta qualidade, o que significa que contém todos os aminoácidos essenciais que seu corpo precisa, mesmo que a quantidade absoluta de proteína seja bastante baixa. Elas também são uma boa fonte de antioxidantes.
Toda essa nutrição sem toxicidade real faz batatas doces uma adição deliciosa a qualquer refeição natural.
A única coisa a considerar ao adicionar batatas doce na dieta é se você tem problemas digestivos que podem ser exacerbados por batatas doces ou se você tem problemas de açúcar no sangue.

Como cozinhar batatas doces?

Existem muitas maneiras diferentes de incorporar batatas-doces em sua dieta. As maneiras mais fáceis incluem ferver, cozinhar a vapor, assar, preparar no microondas ou usar a panela de pressão na batata doce com pele. Nossas dicas de preparo seguem abaixo.
Batatas doces cozidas
Encha uma panela com água. Coloque as batatas doces na água. Cozinhe as batatas doces até que você coloque um garfo facilmente na batata-doce (isso leva aproximadamente 30 a 60 minutos).
Assando batatas doces
Pique alguns buracos em cada batata-doce com um garfo ou faca e, em seguida, asse em um forno pré-aquecido a 175º a 190º até um garfo entre facilmente (isso leva aproximadamente 45 a 90 min – o tempo exato depende de quão grande é a sua batata-doce).
Batatas doces no microondas
Pique alguns buracos em cada batata doce com um garfo ou faca, coloque em um prato microondas e cubra, preparando em alta temperatura por 5 a 10 minutos. Este é definitivamente o método mais rápido de cozinhar batatas-doces.
Fonte: Saúde Melhor


segunda-feira, 14 de maio de 2018

CIRÚRGIA BARIÁTRICA



Cirurgia Bariátrica ou Redução de Estômago – O que é
Cirurgia bariátrica, também conhecida como cirurgia da obesidade, ou, popularmente, redução de estômago – A cirurgia bariátrica reúne técnicas com respaldo científico destinadas ao tratamento da obesidade e das doenças associadas ao excesso de gordura corporal ou agravadas por ele.
O conceito metabólico foi incorporado há cerca de seis anos pela importância que a cirurgia adquiriu no tratamento de doenças causadas, agravadas ou cujo tratamento e controle é dificultado pelo excesso de peso ou facilitado pela perda de peso – como o diabetes e a hipertensão – também chamadas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica  de comorbidades.

Tipos de Cirurgia bariátrica para redução de estômago – Principais Técnicas aprovadas no Brasil


1.- Bypass Gástrico ou Cirurgia de Fobi-Capella (Com Corte)

Cirurgia bariátrica - Técnica Bypass-Gástrico Fobbi-Capella
Bypass Gástrico Fobi-Capella – Técnica de redução de estômago aprovada no Brasil
Técnica de grampeamento de parte do estômago e de um desvio do intestino inicial. O grampeamento reduz o espaço para o alimento e o desvio do intestino inicial promove o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome.
O emagrecimento é promovido pela menor ingestão de alimentos e aumento da saciedade. O Bypass Gástrico também auxilia no controle de diabetes e outras doenças como a hipertensão arterial.
2 – Sleeve Gástrico ou Gastrectomia vertical (Com Corte)
Sleeve Gástrico
Sleeve Gástrico – Técnica de redução de estômago aprovada no Brasil

A Gastrectomia Vertical ou Sleeve Gástrico foi uma cirurgia proposta inicialmente como uma técnica a ser realizada como primeira etapa da cirurgia de Duodenal Switch que seria indicada em 2 tempos para pacientes super obesos e que apresentavam um índice elevado de complicações intra e pós-operatórias.
Na Gastrectomia Vertical, o estômago do paciente é grampeado em forma de tubo que vai do esôfago até o duodeno, preservando-se o Piloro. Assim se reduz o estômago em até 80% do seu tamanho. O novo estômago fica com 150 a 250 ml e com a forma parecida com a de um tubo gástrico.
Na redução do Sleeve, se retira parte do fundo gástrico, região que produz o hormônio grelina, responsável pela sensação de fome. Assim após a cirurgia o apetite também diminui. Na técnica do Bypass Gástrico ou Gastroplastia a Fobi-Capella em Y de Roux, o estômago é reduzido em cerca de 95% e fica com capacidade aproximada de 30 ml apenas. A Gastrectomia Vertical ou Sleeve Gástrico vem sendo indicada cada vez com maior frequência para o tratamento da obesidade grau III e mórbida, principalmente em pacientes que possuam problemas intestinais ou quadro de anemia importante. Esta Cirurgia é do tipo restritiva, não tendo componente desabsortivo e, portanto, com menor necessidade de suplementação vitamínica e de outros componentes do que as cirurgias desabsortivas como o By-Pass.
A Gastrectomia Vertical ou Sleeve Gástrico é um procedimento realizado normalmente por Videolaparoscopia (câmera), é irreversível e apresenta um índice de complicações reduzidas quando realizada por uma equipe experiente e em um hospital com recursos adequados.
Lembrando-se que, assim como todo método restritivo ou desabsortivo, deve ser considerado como uma ferramenta para ajudar na formação de novos hábitos, e para isso é necessário o acompanhamento com equipe Multidisciplinar e o envolvimento do Paciente na formação de uma vida mais saudável.

1.3 – Duodenal Switch (Com Corte)
Cirurgia bariátrica - Duodenal-switch
Duodenal-switch – Técnica de redução de estômago aprovada no Brasil

1.3 – Banda Gástrica Ajustável (Sem Corte)
É a associação entre gastrectomia vertical e desvio intestinal. Nessa cirurgia, 85% do estômago são retirados, porém a anatomia básica do órgão e sua fisiologia de esvaziamento são mantidas.
O desvio intestinal reduz a absorção dos nutrientes, levando ao emagrecimento.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e metabólica

1.4 – Banda Gástrica Ajustável (Sem Corte)
 Banda Gástrica Ajustável
Método de Emagrecimento aprovado no Brasil (Sem corte)

A Banda Gástrica Ajustável (Lap-Band®) é um dispositivo de silicone ajustável colocado na parte superior do estômago, por cirurgia vídeo-laparoscópica, destinado a desacelerar a digestão e estimular a saciedade precoce e prolongada, facilitando a Reeducação Alimentar.
Por não haver cortes ou grampeamentos do estômago, a banda gástrica ajustável é um tratamento reversível.
O seu efeito é deixar o estômago em formato de “ampulheta”, restringindo a parte superior para a recepção de alimentos. Assim, a pessoa ingere pouca quantidade de comida e apresenta a saciedade mais rapidamente, facilitando também a diferenciação de Saciedade e Empanzinamento.

Para quem é indicada a Banda Gástrica Ajustável?
A indicação de qualquer tratamento só pode ser feita por médico especialista, com base no quadro específico de qualquer paciente. O requisito para a colocação da Banda Gástrica Ajustável é de que o paciente possua um IMC superior a 35 kg/m² (calcule seu IMC ao lado) e doenças associadas, como pressão alta, diabetes.

Como é feita a colocação da Banda Gástrica Ajustável?
A colocação da Banda Gástrica Ajustável é feita por meio de cirurgia vídeo-laparoscópica, com duração aproximada de 45 minutos e não há corte ou grampeamento no estômago. Como é um tratamento pouco-invasivo, o tempo de internação normalmente é de somente um dia em hospital ou em clínica.

Entenda o procedimento de colocação da Banda Gástrica Ajustável – Assista o Vídeo

O que a comunidade médica pensa sobre a Banda Gástrica Ajustável?
Reconhecimento da comunidade médica:
A Banda Gástrica Ajustável (Lap-Band®) é a primeira aprovada pelo FDA – U.S. Food and Drug Administration (órgão norte-americano responsável pela aprovação de alimentos, remédios e tratamentos). Com mais de 600.000 pessoas que já receberam a Banda Ajustável, observa-se a aceitação e recomendação médica pelos índices de que 30% de todos os procedimentos bariátricos nos Estados Unidos e 90% na Austrália foram de colocação da Banda Ajustável. Hoje esse índice é crescente nos países desenvolvidos, sendo a Banda responsável por grande parcela dos procedimentos cirúrgicos restritivos.
No Brasil, os benefícios da Banda Gástrica Ajustável foram reconhecidos pela comunidade médica, o que justifica a existência de Clínicas de Referencia comandados por médicos reconhecidos pela sua excelência na área de conhecimentos médicos de gastroenterologia.
A Endodiagnostic é um dos Centros de Tratamento de Obesidade Referência para este tratamento com a Equipe Multidisciplinar, sendo também responsável pelo treinamento de diversos profissionais da área.
Reconhecida por sua experiência e eficiência, a Endodiagnostic oferece aos seus pacientes o que há de melhor em tratamento Multidisciplinar, tendo como objetivo uma verdadeira mudança de vida proporcionando hábitos saudáveis e tudo o que vem agregado à uma vida mais saudável.

Estudo Científico:
Existem mais de 700 publicações científicas sobre o sistema de Banda Gástrica Ajustável. O estudo realizado pelos cientistas Dixon e O’Brien mostrou que o objetivo de perda do excesso de peso é muito bem atendido (87,2% dos pacientes com obesidade de leve a moderada) com a utilização do tratamento de banda gástrica ajustável no prazo de 24 meses.
Se comparado ao grupo com terapias não-cirúrgicas, que obteve uma taxa de sucesso de somente 21,8%, é possível observar o sucesso do tratamento da Banda Ajustável. Observou-se também que a síndrome metabólica manteve-se somente em 3% do grupo que recebeu a Banda Gástrica Ajustável, enquanto para o grupo não-cirúrgico esse índice foi de 24%.

Quais são os resultados esperados para quem colocou a Banda Gástrica Ajustável? Existem efeitos colaterais?
O tratamento da Banda Ajustável é eficiente para perda e manutenção de peso. Um ano após a colocação da Banda Ajustável é possível observar melhoria nos níveis de glicemia e insulina de jejum mesmo em pacientes diabéticos. A sensibilidade à insulina a e função da célula beta melhoram substancialmente com a perda de peso provocada com a Banda Gástrica Ajustável. Com isso, é possível a redução no uso de medicação hipoglicemiante oral.
Nunca foi registrado nenhum caso de rompimento de Banda Gástrica Ajustável dentro do estômago. A colocação e a permanência da Banda Ajustável não devem causar efeitos colaterais. Normalmente, o usuário não deve sentir qualquer desconforto, mas há poucos casos em que o ajuste da Banda Ajustável é necessário, o que é orientado pelo médico.
Por ser um método reversível, também pode ser removida no caso de efeitos colaterais intensos, ou por vontade do próprio paciente, o que proporciona também um conforto psicológico grande, diminuindo os casos de rejeição psicológica ao procedimento.

Quais são os cuidados necessários para quem colocou Banda Gástrica Ajustável?
O acompanhamento periódico realizado por médico para quem colocou a Banda Ajustável, como em qualquer cirurgia bariátrica, é imprescindível. Além disso, é fundamental que a pessoa tenha acesso a um tratamento multidisciplinar, contribuindo para uma mudança de estilo de vida e para resultados ainda mais satisfatórios.
Podem ser necessários exames para acompanhamento do paciente em tratamento com a Banda Gástrica Ajustável, assim como necessidade de suplementação vitamínica ou uso de outras medicações.

Fonte: Endo Diagnostic

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Receitas especiais para o Dia Das Mães!

CUSCUZ MARROQUINO



Ingredientes:
  • 2 xícaras (chá) de cuscuz marroquino
  • 2 xícaras (chá) de água
  • ½ xícara (chá) de castanha-de-caju
  • ½ xícara (chá) de folhas de salsinha
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • Sal
Modo de preparo: ferva a água e acrescente o azeite. Em uma tigela, hidrate o cuscuz com a água fervida, misture e abafe. Deixe hidratar por cinco minutos. Pique a castanha-de-caju e a salsinha bem fina. Destampe a tigela e solte os grãos do cuscuz com um garfo, para não endurecer. Junte a salsinha e a castanha-de-caju e misture delicadamente. Sirva a seguir.
Você pode incluir diversos vegetais crus ou cozidos, cebola roxa e outros tipos de castanhas.
RISOTO DE QUEIJO BRIE E ALHO PORÓ

Ingredientes:
  • 2 xícaras de arroz arbóreo
  • 1/2 cebola média picadinha
  • Caldo de legumes
  • 50 ml de vinho branco seco
  • 150 g de queijo brie
  • 1/2 talos de alho poró cortados em rodelas finas (reserve um pouco para decorar)
  • 1/2 xícara de parmesão ralado (ou a gosto)
  • 1 colher de manteiga
  • Cheiro verde a gosto (picado)
Modo de preparo: doure a cebola em um pouco de azeite e junte o arroz. Depois de refogado, adicione o alho poró e o vinho branco, mexendo até que o vinho evapore. Adicione o caldo de legumes, concha por concha, mexendo sempre. Quando o arroz estiver quase aldente, coloque o queijo brie e mexa até que incorpore ao risoto. Desligue o fogo e finalize misturando a manteiga e o cheiro verde. Servir logo em seguida, polvilhando com o parmesão.
RATATOULLIE


  • 1 pimentão colorido grande (acabei usando dois pequenos)
  • 2 tomates grandes
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto
  • Azeite de oliva
  • 1 pacote de molho de tomate ou molho caseiro
Modo de Preparo corte a abobrinha, os tomates, pimentão e a berinjela em rodelas finas. Coloque em um refratário uma camada do molho de tomate e monte, alternadamente, rodelas de tomate, berinjela, pimentão e abobrinha. Tempere com sal e pimenta e regue com azeite.
Cubra com papel manteiga ou papel alumínio do tamanho do refratário, formando uma tampa.
Leve ao forno a 200°C por aproximadamente 40 minutos ou até os legumes ficarem macios.
SALMÃO AO MOLHO DE LARANJA

Ingredientes:
  • 250g de salmão (2 filés)
  • 2 laranjas
  • 2 dentes de alho
  • 1 folha de louro
  • 1 galho de alecrim folhas
  • 1 galho de tomilho folhas
  • 1 galho de manjerona folhas
  • 1 colher de chá de salsinha picada
  • 1 colher de chá de amido de milho
  • 1 laranja raspas
  • manteiga quanto baste
  • Sal e pimenta a gosto
Modo de preparo: retire as raspas de uma das laranja e reserve. Extraia o suco. Em um um refratário coloque o suco das duas laranjas e junte o louro, os dentes de alho, o tomilho, o alecrim e a manjerona.
Tempere o salmão com um pouco de pimenta do reino e deixe marinando por 30 minutos virando na metade do tempo. Após esse tempo retire o salmão e reserve a marinada.
Tempere o salmão com sal e derreta um pouco de manteiga em uma frigideira bem quente e leve o salmão para dourar por 4 minutos de cada lado, ou até que esteja no ponto desejado. Reserve.
Na mesma frigideira adicione a marinada e reduza a metade, quando reduzir retire os dentes de alho, o louro e os galhos de tomilho, alecrim e manjerona. Adicione o amido de milho, dissolvido em um pouco de água e quando começar a engrossar adicione a salsinha picada. Retorne o filé de salmão a frigideira, e deixe ferver por cerca de 1 minuto de cada lado para esquentar. E é só servir!
FELIZ DIA DAS MÃES!
fONTE: MSN


Ômega-3 Baixa o Colesterol e Triglicerídeos?


Vez ou outra, nos deparamos com alguma propaganda dizendo que determinado suplemento ou alimento é fonte de ômega-3. Esses ácidos graxos são classificados como gorduras saudáveis e precisam ser consumidos por meio da dieta, já que não podem ser consumidos pelo organismo humano.
A deficiência na substância, que pode ser observada em países industrializados e em pessoas que consomem muitos alimentos processados e óleos hidrogenados ou seguem uma dieta vegetariana ou vegana, provoca problemas como memória fraca, pele seca, problemas no coração, alterações de humor, dor na articulação e doença autoimune.
Benefícios como auxílio à perda de peso, a uma gravidez saudável, à recuperação atlética e o engrossamento das unhas e dos cabelos também já foram associados ao ômega 3.
Além disso, condições como depressão, inflamação, ansiedade, transtorno de déficit de atenção com hiperatividade, diabetes, artrite, infertilidade, doença inflamatória intestinal, doença de Alzheimer, degeneração macular e problemas de pele como psoríase e eczema também foram apontadas como possíveis de serem beneficiadas pela presença da substância na dieta.

É verdade que o ômega-3 baixa o colesterol?

Algumas pesquisas identificaram que o ômega-3 beneficia a questão do colesterol por elevar os níveis do colesterol bom, também conhecido como HDL.
Na mesma linha, o Centro Médico da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, relata que o povo inuíte, que consome bastante ômega-3 por meio da ingestão de peixes gordos, tende a apresentar taxas elevadas do colesterol bom.
O colesterol bom é aquele que viaja pela corrente sanguínea e remove o colesterol ruim, chamado ainda de LDL, do lugar onde ele não deveria estar.

Entretanto, algumas pesquisas também apontaram que o ômega-3 pode provocar uma ligeira elevação nos níveis do colesterol ruim.Geralmente, quem tem níveis elevados de HDL possui menores riscos de desenvolver doença no coração, enquanto quem apresenta taxas reduzidas do colesterol bom tem essas chances aumentadas.
De acordo com a Associação Americana do Coração, o LDL é chamado de colesterol ruim porque contribui com o acúmulo de gorduras nas artérias, o que também é conhecido como uma condição chamada de aterosclerose.
Esse acúmulo de placa estreita as artérias e aumenta os riscos de desenvolvimento de problemas de saúde como ataque no coração, acidente vascular cerebral (AVC) e doença arterial periférica, que é o estreitamento das artérias das pernas, completa a instituição.
Já, o Centro Médico da Universidade de Maryland informa ainda que evidências clínicas sugerem que os ácidos graxos ômega 3 EPA e DHA, encontrados no óleo de peixe, contribuem com a diminuição de fatores de risco para a doença cardíaca, incluindo o colesterol alto e a pressão arterial elevada.
Por outro lado, o doutor em bioquímica nutricional e consultor em ciência da nutrição, David Mark, contou que em uma edição de 2002 da publicação Circulation, o médico Roberto Marchioli trouxe dados que contradizem a ideia de que o ômega-3 baixa o colesterol.
Marchioli relatou que em um experimento com 11.323 participantes, metade consumiu 1 mil mg de ômega-3 de óleo de peixe diariamente durante 42 semanas, não foram registrados a diminuição dos níveis totais de colesterol ou das taxas do colesterol ruim.

E os triglicerídeos? Será que o ômega-3 reduz? 

Agora que já abordamos se o ômega-3 baixa o colesterol, podemos falar a respeito da sua relação com os triglicerídeos.
A Associação Americana do Coração explica que os triglicerídeos são o tipo de gordura mais comum do nosso organismo e que eles trabalham no armazenamento do excedente de energia proveniente da dieta.
Entretanto, os níveis de triglicerídeos elevados, combinados aos níveis baixos do colesterol bom ou a taxas elevadas do colesterol ruim, estão associados ao acúmulo de gorduras nas paredes arteriais, o que aumenta os riscos de desenvolvimento de ataque cardíaco e AVC, alerta a organização.
No mesmo sentido, os triglicerídeos altos são um grande fator de risco para o aparecimento da doença no coração.
A Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA, sigla em inglês), dos Estados Unidos, aprovou duas formulações de ômega-3 para o tratamento dos triglicerídeos elevados.
Uma delas possui somente um composto enquanto a outra contem dois ácidos graxos ômega-3 de origem animal, o EPA e o DHA.
A Associação Americana do Coração reconhece que dosagens elevadas de ômega-3 geralmente são necessárias para pessoas com níveis altos de triglicerídeos. Entretanto, antes de sair por aí se enchendo de suplementos de ômega-3, é primordial que você consulte o seu médico.
Além disso, doses de suplementos de ômega-3 já foram associadas à diminuição das taxas de triglicerídeos em pacientes que também possuíam outras doenças.
Segundo o Centro Médico da Universidade de Maryland, o ômega-3 pode auxiliar a diminuir os níveis de triglicerídeos, além de aumentar as taxas do colesterol bom em pessoas diagnosticadas com a diabetes.
O órgão da universidade americana explica que indivíduos diabéticos frequentemente têm níveis elevados de triglicerídeos e taxas baixas de colesterol bom.
E de acordo com o Centro Médico da Universidade de Maryland, o povo inuíte, que consome bastante ômega-3 por meio dos peixes gordos, também costuma apresentar taxas diminuídas de triglicerídeos. 

Cuidados

Tudo o que colocamos aqui serve como informação, porém, não ultrapassa essa esfera e jamais pode substituir a prescrição de um médico. Mais importante do que saber se o ômega-3 baixa o colesterol ou reduz os triglicerídeos é entender como deve ser o tratamento completo para lidar com essas condições.
Assim, se você sabe que tem colesterol ou triglicerídeos altos, deve seguir o tratamento recomendado pelo médico, consultando-o a respeito de como e se o ômega-3 pode te ajudar e em que dosagem você deve usá-lo, especialmente no caso de suplementos.
É importante verificar ainda com o médico se um suplemento de ômega-3 não pode interagir com algum medicamento, suplemento ou produto natural que você esteja utilizando e se o produto não é contraindicado para o seu caso.

Fonte: Mundo Boa Forma

Link: http:// diabéticos, triglicerídeos, colesterol bom,ômega-3,gorduras saudáveis

Quantas Calorias Por Dia Para Perder Peso?


A resposta é curta: Consuma menos calorias do que as que necessita diariamente. Se você não sabe quantas calorias você usa por dia e se você realmente quer saber quantas calorias você, pessoalmente, irá necessitar consumir para perder peso, primeiro precisa entender que nenhum organismo é igual ao outro e cada um necessita de uma quantidade diferente de consumo de calorias por dia. A diferença em necessidades calóricas varia grandemente com base em idade, altura e peso.
Portanto, ao perguntar quantas calorias você necessita ingerir para perder peso, você deverá se fazer a seguinte pergunta: “Quantas calorias meu organismo necessita diariamente?” Sem o conhecimento de como calcular suas necessidades diárias de calorias, é virtualmente impossível responder a essa pergunta. Por isso, iremos aprender a calcular nossas necessidades diárias de calorias.

Então Devo Apenas Cortar 2/3 da Minha Ingestão de Calorias?

Não! A coisa mais prejudicial a fazer é ingerir quantidade de calorias muito abaixo de sua necessidade diária. Seu organismo necessita de alimentos como combustível para funcionar corretamente. Além de ser totalmente prejudicial, ingerir muito abaixo de suas necessidades diárias de calorias vai disparar seu organismo para o que chamamos de “modo de fome”. Neste modo, seu organismo se adapta à sua ingestão baixa de calorias e você não vai perder quase nenhuma gordura (porque o organismo necessita de menos calorias para funcionar). Quando você sai do modo de fome e volta a comer normalmente, você acaba ganhando muito peso, pois o organismo necessitará de menos calorias para funcionar e formará gorduras com as calorias excedentes.

Então Qual Deve Ser Meu Déficit Diário de Calorias?

Especialistas dizem que 1.000 calorias diárias é o máximo de déficit de calorias. Apesar de seu organismo funcionar, manter um déficit de 1000 calorias por dia não é a melhor coisa a se fazer. Como explicado acima, você terá grandes chances de disparar o modo de fome e se sentirá muito cansado e sem energia. É muito difícil manter uma rotina de déficit de calorias de 1000. Um déficit de calorias mais inteligente e mais saudável para perder peso (e mais possível de manter), seria de 200-400 por dia. Você perderá gordura de modo bem rápido e será capaz de funcionar normalmente, sem se sentir desgastado, faminto, cansado e sem entrar em modo de fome.

E se Eu Não Quiser Fazer Todos Esses Cálculos?

Se não quiser fazer os cálculos das suas necessidades diárias de calorias, podemos fornecer a média de calorias diárias para homens e para mulheres que não se exercitam: 2.000 calorias para mulheres 2.500 calorias para homens.  Como você pode imaginar, essas médias são… uma média de necessidades calóricas, baseada em toda a população mundial. Isso significa que não são baseadas em suas necessidades calóricas pessoais. Como explicado acima, altura, peso e idade representam um enorme papel na quantidade de calorias que uma pessoa necessita, diariamente, como combustível para seu organismo. Portanto, se você realmente quer saber quantas calorias por dia você necessita para perder peso, você terá que fazer algum esforço e calcular quantas calorias por dia você necessita.

Fonte: Mundo Boa Forma

Link: http://calorias, perder peso

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Tapioca engorda ou emagrece?

Os benefícios da tapioca para o seu corpo são: Super fit e saborosa, ela ganhou o coração e a mesa dos brasileiros já há alguns anos, porém agora com mais força do que nunca. Tanto que tem muita gente trocando o pão pela tapioca imaginando que esta simples atitude causará emagrecimento.



Mas saiba, não é bem assim.  A tapioca possui uma elevada concentração de carboidratos - uma tapioca pequena, com 50 gramas, contém 43 g de carboidratos e cerca de 70 kcal. Dra. Viviane Christina de Oliveira Endocrinologista e Metabologista da Clinica MedPrimus explica que a tapioca entra no cardápio no lugar do pão com vantagens por ter um único ingrediente, a fécula de mandioca, portanto, não contém gordura, glúten, sódio e não necessita de óleo no preparo. Porém, não possui fibras e vitaminas, por isso, é preciso ter cuidado.
Para pessoas com diabetes o recheio da tapioca a deixará prejudicial ou não, pois trata-se de um alimento de alto índice glicêmico (115), fator que diferencia os carboidratos, pois cada tipo, "entra" na corrente sanguínea com diferentes velocidades. A tapioca tem liberação rápida e provoca uma hiperglicemia (aumento da glicose). Este quadro estimula a liberação do hormônio insulina, visando controlar os níveis glicêmicos. A médica explica que a alternativa é rechear a tapioca com alimentos ricos em fibras (vegetais) e proteínas (frango, ovos, atum, cottage). Outra dica, é adicionar chia na massa e misturar antes de ir para frigideira.
 Portanto, de um modo geral, a tapioca é, sim, uma boa alternativa para substituir o pão branco, mas, quem troca o pão pela tapioca, pensando apenas na quantidade de calorias, pode cometer o mesmo erro de quem tira o glúten da dieta e passa a comer alimentos sem fibras.
Equilíbrio e bom senso só fazem bem. Antes de adicionar ou excluir algum alimento do seu cardápio é importante verificar se a dieta da moda tem todos os nutrientes que o seu corpo precisa! Consulte um Endocrinologista e um Nutricionista.

Fonte: Mais Equilíbrio