segunda-feira, 16 de julho de 2018

Alimentos que causam felicidade!

Não tem quem não seja tomado por uma sensação reconfortante depois de fazer uma deliciosa refeição. E se no cardápio tiver um docinho de brinde, a vida fica melhor ainda. "Isso por que independente do alimento que consumimos, comer provoca uma confortável sensação de bem-estar já que suprimos as necessidades físicas do nosso organismo. Mas ainda há a turma de alimentos que potencializam esta reação, já que levam em sua composição, substâncias que aumentam a liberação da serotonina, hormônio neurotransmissor responsável pela sensação de prazer", explica a nutricionista .
A seguir, a especialista sugere 10 alimentos que são obrigatórios para um prato e dias mais alegres. Confira:

Mel





O alimento é um carboidrato fonte de triptofano, com ação calmante que induz a uma sensação de bem estar melhorando a função da serotonina no cérebro. O mel tem uma função importante como regenerador da microflora intestinal, quando combinado aos lactobacilos presentes no intestino. Sabe-se que mais de 90% da serotonina é produzida no intestino, portanto o mel ajuda a manter a integridade intestinal colaborando com uma melhor regulação neuro-endócrina, com mais serotonina e mais disposição e sensação de prazer.

Banana





A fruta é um carboidrato rico no aminoácido triptofano ( cada 100g da banana contém em média 18mg de triptofano). Acontece que este aminoácido é uma substância precursora da serotonina. "Sem serotonina, o organismo fica suscetível a males como depressão, irritabilidade, insônia, ansiedade, mal humor e hiperfagia (aumento exagerado da fome)", explica Lucyanna Kalluf. A serotonina também é considerada como sendo uma substância anorexígena, diminuindo a compulsividade e a fome.

Abacate





Esta fruta rica em ácido fólico, vitamina B3 ( niacinamida) e potássio. O abacate também tem mais proteína que qualquer outra fruta, cerca de 2 g para cada porção de 110 g. Possui, ainda, quantidades úteis de ferro, magnésio e vitaminas C, E e B6. A niacinamida ( Vitamina B3) tem ação específica sobre o sistema nervoso central, colaborando com a manutenção de hormônios que regulam as substâncias químicas do cérebro e garante efeito relaxante. Esta vitamina tem ação conjunta com o ácido fólico, que atua como coenzima de diversos neurotransmissores do bom humor. Dica: fique atento ao valor calórico da fruta: cada 110 g contém cerca de 200 calorias.

Nozes




Esta oleaginosas possui vitamina B1 (tiamina), que ajuda a converter glicose em energia. Também imita a acetilcolina, neurotrasmissor que possui um papel nas funções cerebrais relacionadas com memória e cognição. Também carrega o Inositol (fosfatidilinositol), substância reconhecida como parte do complexo B, que é necessário para o correto funcionamento dos neurotransmissores serotonina e acetilcolina.

Ômega 3




Os peixes de água fria (salmão, atum, cavalinha) são considerados excelentes fontes de ômega 3 , um ácido graxo com efeito protetor sobre os neurônios. A relação de consumo desse ácido graxo e a felicidade, está no aumento na produção dos receptores de neurotransmissores como: a serotonina, a dopamina e a noradrenalina que protegem o cérebro e o sistema nervoso central dos radicais livres, substâncias responsáveis pelo envelhecimento celular.

Canela




Rica em polifenóis e antioxidantes, esta especiaria melhora a atividade da insulina, ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue e reduz a compulsão por carboidratos e doces. Assim, colabora para evitar o sobrepeso e o acúmulo de gorduras na região abdominal e mantém a produção de serotonina em equilíbrio.

Lentilha




É fonte de proteínas vegetais e cálcio, contribuindo significativamente para a regulação da flora intestinal. O equilíbrio do cálcio e magnésio no organismo atua no metabolismo cerebral e na produção de neurotransmissores, como serotonina e dopamina, responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar.

Chá verde



A bebida afasta os riscos do estresse oxidativo, que é a deficiência de substâncias antioxidantes no organismo, trazendo como consequências doenças como a obesidade e até depressão. O chá verde é rico em polifenóis, nutrientes antioxidantes que atacam os radicais livres das células cerebrais, mantendo a sua atividade neuroprotetora, diminuindo a probabilidade de inflamação cerebral e favorecendo sensação de bem-estar.

Tofu




É o queijo à base de soja. Com muitos nutrientes, o tofu tem o dobro de proteínas do feijão e 45% menos calorias que o queijo minas. Importante fonte de magnésio mineral que atua na regulação do metabolismo cerebral e participa da metabolização de alguns aminoácidos. "A deficiência de magnésio resulta em fadiga e deficiência de enzimas envolvidas na produção de energia". Meia xícara de tofu tem em média 110mg desse mineral.

Gérmen de trigo




É a parte mais nobre do trigo, que quando é refinado perde esta propriedade, e uma excelente fonte de todo aporte vitamínico do complexo B, atuando como calmante natural que diminui a irritabilidade e o nervosimo. Tem inositol, presente nas membranas celulares como fosfatidilinositol, que é necessário para o correto funcionamento dos neurotransmissores serotonina e acetilcolina. "Também carrega o ácido pantotênico, a vitamina B5 ou vitamina anti-estresse que atua na síntese da acetilcolina, conferindo melhor adequação dos impulsos nervosos e das funções cerebrais", aponta a nutricionista.
Fonte: Minha Vida

O que fazer para diminuir a ansiedade?

ansiedade é um estado caracterizado por medo, apreensão, mal-estar, desconforto, insegurança, estranheza do ambiente ou de si mesmo e, muito frequentemente, pela sensação de que algo desagradável está para acontecer. Além dos medicamentos convencionais, existem algumas alternativas naturais que podem nos ajudar a controlar a ansiedade. Veja algumas delas:

1. Pratique atividades físicas

A forma mais comum de controlar a ansiedade é a prática de exercícios. Praticar atividades físicas ajuda a lidar com estados de ansiedade porque eleva a produção de serotonina, substância que aumenta a sensação de prazer. Essa alternativa costuma funcionar dependendo da disposição da pessoa, uma vez que nem todo mundo gosta de praticar exercícios.
Caminhar três vezes por semana, por pelo menos meia hora, já pode ajudar a lidar com a ansiedade. O momento da caminhada, além de ser um exercício para o corpo, também pode ser aproveitado para trabalhar a mente, sob a forma da meditação ativa. Quando você anda, pensa. A caminhada de meia hora é um movimento repetitivo e você acaba pensando nos pontos geradores de ansiedade que precisa trabalhar.

2. Reduza seu estresse diário

Pessoas com tendência a ansiedade precisam reduzir o seu estresse diário e existem diversas formas de fazer isso. Para as que ficam estressadas com mais facilidade recomendo sessões de acupuntura regulares, além de meditação. Muitos pacientes com ansiedade se beneficiam também de tratamentos alternativos como a homeopatia e o uso de florais de Bach.
ioga oferece ao praticante a possibilidade de aprender a controlar sua mente e seu corpo. Este controle, que é obtido através de uma combinação de técnicas respiratórias, corporais e de meditação. Tem como resultados o aumento da flexibilidade, fortalecimento dos músculos, aumento de vitalidade e maior controle sobre o estresse. Além da ioga, outra alternativa de controle da ansiedade são as massagens. Se tiverem uma abordagem mais oriental, buscando o equilíbrio emocional, melhor.

3. Experimente controlar a respiração

Para reduzir as reações do sistema nervoso autônomo, devemos fazer o controle da respiração. Isto pode ser feito compassando a respiração e inspirando lentamente pelo nariz, com a boca fechada. Ao inspirar deixar o abdome expandir-se, ou seja, estufar a barriga e não o peito. Depois, expirar lentamente, expelindo o ar pela boca. Isto pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer hora. Além disso, quando você estiver em um ambiente silencioso e com possibilidade de ficar deitado, use uma técnica de relaxamento. O relaxamento combinado com a respiração diafragmática, certamente, reduzirá a respiração ofegante, a taquicardia e o tremor.

4. Evite pensamentos negativos

Em situações de ansiedade que se estendem por longos períodos, recomenda-se que a pessoa evite os pensamentos negativos ou catastróficos. Deve-se tentar dimensionar a gravidade da situação, questionando a si mesmo se existe uma forma alternativa de análise, se estamos superestimando o grau de responsabilidade que temos nos fatos ou se estamos subestimando o grau de controle que podemos ter.
Uma vez avaliada a situação, devemos substituir os pensamentos sobre o evento temido, principalmente os negativos. Sempre que um pensamento negativo se iniciar, devesse substituí-lo por outro pensamento qualquer, preferencialmente, agradável. Isto certamente não é fácil de ser feito, mas é possível e trata-se de um aspecto importante, pois os pensamentos e as falas negativas agravam a situação, intensificando as respostas autonômicas, como o mal-estar e o descontrole respiratório.

5. Invista em alimentos com triptofano

Para controlar a ansiedade, podemos ingerir alimentos que sejam fonte de triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, como a banana e o chocolate. Outra possibilidade é ingerir o triptofano em cápsulas, junto com vitamina B6 e magnésio.
Outros aminoácidos que podem ajudar são a taurina e a glutamina. Eles aumentam a disponibilidade de um neurotransmissor chamado GABA, que o organismo usa para controlar fisiologicamente a ansiedade. Eles também podem ser ingeridos em cápsulas, mas apenas com a orientação de um médico especialista.

6. Tome um chá

A maioria dos chás possui substâncias que funcionam como sedativos suaves e podem ajudar no controle da ansiedade diária. As plantas mais conhecidas e estudadas com essa ação são a passiflora, a melissa a camomila e a valeriana.

7. Mantenha foco de atenção no presente

Quando sua mente está dedicada integralmente ao momento atual você tem total capacidade de análise, julgamento e ação, portanto esta é uma boa forma de controlar a ansiedade. Quando a mente passeia aleatoriamente entre passado e futuro sem direcionamento para um planejamento você pode se perde nas ideias e a ansiedade pode iniciar ou piorar.

8. Seja mais organizado

Quem vive na bagunça gasta tempo para achar o que precisa, acumula coisas sem utilidade, dificultando o bem-estar e acaba por criar sentimentos de ansiedade. Trabalhar, estudar e viver em ambiente minimamente organizado ajuda no equilíbrio emocional e controle da ansiedade. Além disso, pessoas com uma organização maior do seu tempo conseguem aproveitá-lo melhor, o que reduz muitos fatores causadores de ansiedade.

9. Esteja com quem você ama

Conviver com pessoas queridas da família, amigos e conhecimentos que se tenha afinidade faz toda diferença na qualidade de vida. A companhia de quem amamos é especial para nosso emocional. Quem está bem vive mais relaxado e menos ansioso.

10. Dedique tempo para se cuidar

Reservar algum tempo do dia para você e ser capaz de ouvir suas reais necessidades pode contribuir diretamente para o controle da ansiedade. Saber olhar para si, atender e contribuir para sua meta de vida é uma ação de grande poder para sua vida. Seja capaz de dedicar um pouco de tempo e energia a você mesmo.

11. Cuide dos pensamentos para sorrir mais

Atenção ao que você pensa, pois isso terá impacto direto no seu humor. Avalie suas ideias. Ponha um ponto final em ?filmes mentais? de assuntos negativos sem resolução. Seja capaz de se planejar, programar e ser forte, sem precisar montar um cenário terrível em sua mente. Com pensamentos mais leves, você perceberá o mundo de outra forma e isso lhe ajudará a sorrir mais. O riso, o sorriso faz bem para a cura emocional, relaxa e diminui a ansiedade.

12. Confie mais em si mesmo

Você é (ou deveria ser), sem dúvida alguma, a sua melhora companhia. Não há ninguém que estará ao lado mais tempo que você mesmo, por isso, invista nessa bela ?parceria? com você mesmo. Seja fiel a você. Confie mais e isso lhe dará forças para lidar com a ansiedade do dia a dia.

13. Desenvolva congruência

Quem pensa de um jeito, age de outro e diz ainda outra coisa terá, com toda certeza, ansiedade. Buscar equilíbrio entre o que se quer e o que faz pode contribuir para a harmonia do seu dia. O que está por trás das suas ações? Quais suas reais intenções ao agir? Você atende as suas reais necessidades? Pense com carinho nestas perguntas e tende observar quais atitudes podem ajuda-lo.

14. Fortaleça o autoconhecimento

Quem se conhece bem, sabe respeitar seus limites, consegue dizer não e é capaz de se proteger tem menos ansiedade que outras pessoas que estão ainda aprendendo a se conhecer. Quem tem total aceitação de si mesmo pode pensar, dizer e agir sem culpa com total alinhamento das suas necessidades.

15. Cuide bem do seu momento antes de dormir

Evite ações que levam a agitação, preocupação e desgaste. Nem sempre podemos prever o que pode acontecer pouco antes de dormir, mas aquilo que depende de nós devemos fazer bem feito. Procure conversar assuntos mais sérios fora do horário de ir para cama. Ponha um freio mental em pensamentos de tomada de decisão em momentos de relaxamento. Mudar a vida dentro da cabeça na hora de ir dormir só gera ansiedade e perda de sono.
Fonte: Minha Vida

domingo, 15 de julho de 2018

Água com gás faz mal?

Quando faz calor todo mundo quer uma maneira deliciosa (e saudável) de ficar hidratado. Mas muita gente tem uma dúvida: a água com gás hidrata tão bem quanto a água normal?

Tomar um copão de água com gás parece trapaça, porque a efervescência lembra a dos refrigerantes. E, num mercado de 1,8 bilhão de dólares só nos Estados Unidos (em grande parte graças ao sucesso da empresa La Croix), parece que muita gente está curtindo a água com bolinhas.
O CDC, órgão de saúde do governo federal americano, recomenda água com gás como uma alternativa mais saudável aos refrigerantes. Mas e questão da hidratação?
Existem muitas marcas e sabores disponíveis, mas neste artigo vamos tratar só das que não têm adição de flavorizantes, ou seja, a água com gás comum.
Vários mitos a respeito de supostos efeitos negativos da água com gás circulam na internet. Vamos derrubar três deles.

Mito 1: Água com gás destrói o esmalte dos dentes.

Boa notícia para quem gosta de água com gás! O pH (em geral 5) desse tipo de bebidanão é baixo o suficiente para danificar o esmalte dos dentes, segundo um estudo publicado no Journal of American Dental Association. Mas, embora a carbonação, tome cuidado com os ácidos presentes em outras bebidas com gás (refrigerantes), que podem causar problemas para a sua saúde bucal.
Confira o rótulo da água com gás: é melhor evitar as que têm adição de flavorizantes, açúcares e ácidos cítricos, pois eles podem causar erosão do esmalte.

Mito 2: Água com gás rouba cálcio dos ossos, potencialmente causando osteoporose.

Embora alguns estudos tenham demonstrado que o consumo de refrigerantes está associado a uma redução da densidade óssea, especialmente entre as mulheres, isso tem a ver especificamente com as colas, não com as bebidas carbonadas. Em outro estudo, foi feita uma comparação entre dois grupos: um tomou 1 litro de água normal por dia durante dois meses; o outro, 1 litro de água com gás. Não foi detectada nenhuma diferença entre os dois grupos em termos de perda de densidade óssea.

Mito 3: Água com gás não hidrata tanto quanto água normal.

Mais boas notícias: a água com gás hidrata tão bem quanto a água normal.
O American Journal of Clinical Nutrition comparou água normal, com gás e outras bebidas (refrigerantes, sucos, café, chá e leite) e concluiu que não há diferença entre elas em termos de hidratação.
Isso pode de encontro à ideia de que café e chá provoquem desidratação, mas estudos mostram que quem toma as duas bebidas regularmente (em quantidades moderadas) não apresenta esse problema. Na realidade, que toma de três a seis xícaras de café por dia não apresenta mudanças significativas na hidratação do corpo. O organismo se acostuma à cafeína, portanto eventuais efeitos diuréticos ou desidratantes são observados apenas em quem não está acostumado a tomar café ou chá.
Voltando à água com gás: o Ministério da Saúde do governo americano recomenda água com gás em vez de refrigerantes como uma boa alternativa para perder peso.
Mas é bom ficar na água normal quando estiver se exercitando: a carbonação da água com gás pode causar inchaço no estômago e desconforto.
Eis a moral da história: se estiver com calor e quiser manter-se hidratado, pode tomar água com gás à vontade – ela te hidrata e não vai prejudicar seus dentes ou seus ossos.
Leia mais e dê sua opinião neste blog nuttrisaude. Isto é importante para melhorar e oferecer mais artigos para vocês!
Fonte:MSN

Obesidade infantil, como evitar?

obesidade é causada por vários fatores, tanto genéticos quanto comportamentais. No caso das crianças que desenvolvem a doença, os hábitos vistos dentro de casa podem ter influência contam muito. De acordo com um estudo de Harvard, nos Estados Unidos, filhos de mães saudáveis são 75% menos propensos a sofrerem de excesso de peso ao longo da vida.

No caso das crianças e adolescentes que seguem um estilo de vida saudável junto de suas mães, o risco de ter obesidade é 82% mais baixo, em comparação aos que não possuem boas referências no lar. A investigação reuniu dados de quase 17 mil mulheres e seus mais de 24 mil filhos, entre 9 e 18 anos, observados em uma pesquisa durante 5 anos.

Hábitos saudáveis das mães

De acordo com os cientistas, para ajudar a proteger os pequenos da doença, é preciso seguir estes 5 hábitos:
  • Manter uma alimentação saudável
  • Fazer exercícios regularmente
  • Ter um peso considerado ideal para a idade
  • Ingerir bebida alcoólica moderadamente
  • Não fumar
  • Prepare as refeições junto com seus filhos, isto estimula o consumo de alimentos saudáveis
  • Varie as formas de oferecer os mesmos alimentos, assim terá mais chance de aceitação da criança.
  • Seja criativa e torne as refeições divertidas!Crie pratos coloridos e enfeitados.

Obesidade infantil

Nos Estados Unidos, uma em cada cinco crianças entre 6 e 19 anos são obesas. O quadro no Brasil também é preocupante: de acordo com uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2015, 7,8% dos adolescentes entre 13 e 17 anos tinham excesso de peso, o que pode causar problemas de saúde no futuro – como diabetes, hipertensão e enfarto.
Esse índice aumentou muito a partir dos anos 70, quando os hábitos alimentares dos brasileiros começaram a mudar. “Antigamente, a gente comia arroz, feijão, bife e salada. Hoje, cada vez mais, as pessoas consomem churrasco, fast-food, massas, além de uma grande quantidade de industrializados – e isso, com certeza, está contribuindo para a obesidade das crianças”, aponta Aline Lamaita, angiologista de São Paulo e membro do American College of Lifestyle Medicine, dos Estados Unidos.
A médica ainda destaca que, atualmente, essas mudanças afetam diretamente nossa saúde: “A tendência mundial, não só para crianças como para adultos, é que as pessoas comecem a morrer mais por doenças desencadeadas pelo estilo de vida do que por problemas crônicos e degenerativos“. Se você tem filhos, tem também um incentivo extra para transformar seus hábitos, hein?
Entrem sempre no bolg:www.nuttrisaude.com.br e vejam artigos e receitas que podem ajudar no combate a obesidade infantil.
Fonte: Minha Vida/ Patrícia Mendes

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Farinha da banana verde

Benefícios da farinha de banana verde

Banan verde - Foto: Getty Images
Banan verde - Foto: Getty Images
Ajuda a emagrecer A banana verde e sua farinha são ricas no tal do amido resistente, e é justamente esse composto que ajuda a controlar a fome. Isso porque eles retardam o processo de digestão, pois sua estrutura cristalina torna sua digestibilidade mais difícil. Dessa forma, ele fica mais tempo pelo estômago, melhorando a saciedade e reduzindo o consumo de alimentos nas refeições seguintes. O que ajuda a reduzir aquela fome que aparece fora de hora, auxiliando o emagrecimento.
Reduz a produção de insulina Esse é o hormônio que coloca o açúcar para dentro das células. Portanto, quanto mais glicose for liberada na digestão feita estômago, maior a produção dessa substância no organismo. Mas o amido resistente tem uma função semelhante a das fibras, segurando a absorção desse nutriente, e evitando picos glicêmicos. Por isso, ela é considerada um alimento de baixo índice glicêmico.
Mas por que é bom reduzir a produção da insulina? O problema é que quando ela começa a ficar em alta no corpo constantemente, alguns órgãos começam a se tornar tolerantes a ela, sendo preciso cada vez mais para cumprir a mesma função, gerando o quadro de resistência a insulina, que se não for combatido, pode evoluir para o diabetes tipo 2. Como se não bastasse, a simples presença da insulina em altas quantidades no nosso corpo nos faz depositar a gordura no tecido adiposo, ou seja, aumenta a "massa gorda".
Melhora o funcionamento do intestino O amido resistente também guarda semelhanças com as fibras nesse aspecto, ele não é digerido no estômago, apenas no intestino delgado. Assim, ele atua no processo fermentativo no cólon, através da ação das bactérias probióticas da microbiota intestinal (flora intestinal). No saldo final, isso ajuda o desenvolvimento dessas bactérias do bem, em detrimento dos micro-organismo presentes no intestino que fazem mal para nossa saúde. Como resultado, temos uma melhor absorção de nutrientes, o que dá ao corpo tudo que ele precisa para funcionar de forma correta.
Evita constipações Esse efeito positivo no intestino também melhora o trânsito intestinal, o que é acentuado pela presença de fibras.
Reforça a imunidade No intestino são produzidas cerca de 60% das imunoglobinas, células de defesa do nosso corpo. Portanto, quando o órgão está funcionando bem, nosso corpo fica mais protegido. Além disso, estudos mostram que o consumo de farinha de banana verde pode levar a produção de ácidos graxos de cadeia curta no intestino. Quando eles estão em falta, fica mais fácil para as bactérias nocivas da microbiota intestinal se deslocarem para a corrente sanguínea, aumentando a chance de infecções pelo corpo.
Diminui o colesterol Assim como a glicose demora mais para ser enviada para a corrente sanguínea, o mesmo ocorre com o colesterol. Além disso, aqueles ácidos graxos de cadeia curta são responsáveis pela redução da absorção do colesterol no intestino. O resultado é que há uma redução do LDL (colesterol ruim). Quem sai ganhando com isso é a nossa saúde, já que o LDL em excesso pode acarretar no acúmulo de placas de gordura nas artérias do corpo, entupindo-as, um quadro chamado aterosclerose. Isso aumenta a chances de infarto ou de AVC, se o bloqueio ocorrer perto do coração ou do cérebro.

Quantidade recomendada de farinha de banana verde

Os especialistas indicam a ingestão de até duas colheres de sopa ao dia da farinha, o que equivale a 30 gramas do alimento.

Como consumir a farinha de banana verde

O ideal é consumir essa farinha com outros alimentos. Ela pode ser misturada a sucos, vitaminas e sopas, consumida com frutas, ou integrar massas de tortas e bolos.

Compare a farinha de banana verde com outros alimentos

A maior parte das farinhas funcionais não contém tabela nutricional oficial, portanto não é possível comparar a farinha de banana verde com elas. Porém, as quantidades de nutrientes deste alimento pode ser comparada com outros tipos:
  • A banana verde é o alimento com mais amido resistente. Para ter uma comparação, uma colher de arroz de ervilha cozida (equivalente a 60 gramas) tem 1,2 gramas desse nutriente, enquanto 30 g de farinha de banana nanica verde tem 7 g de amido, ou seja, quase 6 vezes mais. Uma fatia de 30 g de pão integral, por sua vez, tem 0,37 g de amido resistente, ou seja, a farinha tem quase 18 vezes mais desse nutriente.
  • Quando falamos em fibras, a farinha de banana verde tem um número equivalente a alguns grãos. 30 gramas desse item têm 2,66 g de fibras, contra 2,73 g presentes em 30 g de aveia. Portanto, eis uma boa forma de aliar esse componente à dieta.

Contraindicações

Não existe contraindicação ao consumo dessa farinha, a não ser que se tenha alergia a algum componente da banana.

Riscos

A farinha de banana verde é um alimento fonte de carboidrato, portanto, em excesso pode levar ao excesso de peso e acumulo de gordura. Além disso, o excesso de fibras e amido resistente pode levar a constipação.

Onde encontrar

A farinha de banana verde pode ser encontrada em supermercados, lojas de produtos naturais ou mesmo comprada em lojas virtuais. Porém, sempre compre de marcas e locais de confiança.

Como fazer a farinha de banana verde

Como as farinhas prontas podem conter conservantes e corantes, ela também pode ser feita em casa. Normalmente a banana prata é a mais recomendada para o preparo da farinha, mas podem ser usados outros tipos de banana.
Fonte: MSN

Perigos dos temperos prontos e como fazer caldo caseiro

Com a correria diária, a procura por praticidade se torna constante e, assim, os temperinhos prontos acabam sendo uma forma prática de conferir sabor aos alimentos. Basta usar um sachê ou um cubinho que já está pronto na prateleira do mercado. Porém, é preciso atenção quanto a esta prática, afinal o uso diário desses recursos não é tão legal assim.
A maioria dos produtos prontos vão conter excessos de sódio, gorduras não tão legais assim, como trans ou saturadas, e outros componentes como glutamato monossódico, que é um realçador de sabor que, com consumo rotineiro, pode ser nocivo a saúde.
Mas isso não quer dizer que você deve comer alimentos sem graça e insossos, muito pelo contrário, o caminho é investir em sabor vindo de ervas e do mínimo de sal. Temos uma imensa variedade de ervas que conferem, além de sabor ao preparo, vários benefícios à saúde.
Hoje é possível encontrar no mercado opções prontas, porém mais saudáveis, com controle tanto de sódio, glutamato, quanto de gorduras. É necessário estar de olho no rótulo do produto, tanto para analisar a composição, quanto para verificar a lista de ingredientes, sendo que o que aparecer em primeiro é o item que esta em maior volume no produto.

Faça seu próprio caldo caseiro

Tirar um final de semana para preparar um caldo caseiro pode ser uma excelente prática. Pode ser feito e congelado para utilização durante a semana. Ousar na mistura dos sabores de ingredientes também pode ser uma boa experiência e ainda conferir boas surpresas. Ingredientes como manjerona, sálvia, coentro, salsa, cebolinha, tomilho, tomilho-limão, estragão, manjericão, hortelã e mais tantos outros elementos, pode tornar o prato ainda mais saboroso!
Veja algumas opções de preparos de caldo de frango, carne, legumes e peixe. Estes caldos podem ser utilizados para enriquecer o preparo de vários pratos como arroz, sopas, purês, carnes cozidas, entre outros.

CALDO DE FRANGO CASEIRO

Ingredientes

  • 2 coxas com sobrecoxas sem a pele
  • 4 litros de água fria
  • 1 cenoura grande em pedaços
  • 3 talos de salsão limpos e picados
  • 1 cebola grande cortada em quatro quartos
  • 1 alho-poró em rodelas
  • 4 dentes de alho descascados e cortados ao meio
  • 1 amarrado de ervas aromáticas (alecrim, tomilho, estragão, orégano)
  • 3 colheres de sopa de azeite de oliva

Modo de preparo

Num caldeirão grande coloque todos os ingredientes, tampe e deixe ferver em fogo baixo. Cozinhe por 2 horas, desligue o fogo e deixe amornar. Coe e coloque o caldo em um recipiente grande, descartando os pedaços de frango e os vegetais. Deixe esfriar.
Uma camada de gordura vai se formar na superfície. Com cuidado, retire tudo com uma colher. O caldo vai estar uma espécie de gelatina. Volte ao fogo, esquente até que fique líquido de novo, retire do fogo e distribua em recipientes próprios para o congelamento, na porção que você costuma usar.
CALDO DE LEGUMES CASEIRO

Ingredientes

  • 4 litros de água fria
  • 2 cenouras grandes em pedaços
  • 4 talos de salsão limpos e picados
  • 2 cebolas grandes cortadas em quartos
  • 2 alhos-porós, só a parte branca, picada
  • 4 dentes de alho descascados e cortados ao meio
  • 3 tomates cortados em quartos
  • 1 amarrado de ervas (alecrim, tomilho, estragão, orégano)

Modo de preparo

Em uma panela grande, junte todos os ingredientes. Quando ferver, abaixe o fogo, tampe a panela e deixe cozinhar até o caldo reduzir pela metade. Retire do fogo e peneire sem amassar os legumes. Distribua em recipientes próprios para o congelamento, na porção que você costuma usar.
CALDO DE CARNE CASEIRO

ngredientes

  • 1 kg de músculo picado
  • 4 litros de água fria
  • 1 cenoura grande em pedaços
  • 3 talos de salsão limpos e picados
  • 1 cebola grande cortada em quatro quartos
  • 1 alho-poró em rodelas
  • 4 dentes de alho descascados e cortados ao meio
  • 2 folhas de louro
  • 1 amarrado de ervas (alecrim, tomilho, estragão, orégano)
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva.

Modo de preparo

Num caldeirão grande, coloque o azeite e doure ligeiramente o músculo. Acrescente todos os outros ingredientes e, por último a água. Tampe e abaixe o fogo. Depois que começar a ferver, retire com uma escumadeira a espuma que se forma e descarte. Deixe cozinhar por 2 horas. Desligue o fogo e deixe amornar.
Coe e coloque o caldo em um recipiente grande, descartando a carne, os ossos e os vegetais. Deixe esfriar. Uma camada de gordura vai se formar na superfície. Com cuidado, retire tudo com uma colher. O caldo vai estar uma espécie de gelatina. Volte ao fogo, esquente até que fique líquido de novo, retire do fogo e distribua em recipientes próprios para o congelamento, na porção que você costuma usar.
CALDO DE PEIXE

Ingredientes

  • 1 kg de peixe inteiro, limpo e sem a cabeça
  • 3 litros de água fria
  • 2 cenouras grandes em pedaços
  • 4 talos de salsão limpos e picados
  • 2 cebolas grandes cortadas em quatro quartos
  • 2 alhos-porós, só a parte branca, picada
  • 4 dentes de alho descascados e cortados ao meio
  • 1 amarrado de ervas (alecrim, tomilho, estragão, orégano)
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva

Modo de preparo

Corte os ossos do peixe ou o peixe inteiro em pedaços e deixe de molho na água fria por 15 minutos. Num caldeirão grande, refogue os legumes e o alho com o azeite. Junte a água, as ervas e o peixe. Deixe ferver por 40 minutos. Retire a espuma que se formar. Quando amornar, passe por uma peneira bem fina sem amassar. Leve o caldo ao fogo por mais dez minutos. Deixe esfriar. Uma camada de gordura vai se formar na superfície. Com cuidado, retire tudo com uma colher. Volte ao fogo, esquente até que fique líquido de novo, retire do fogo e distribua em recipientes próprios para o congelamento, na porção que você costuma usar.
fONTE: MSN
LINK: HTTP://sódio, glutamato monossódico,caldo caseiro

domingo, 8 de julho de 2018

Berinjela a rolê

Carnudas e suculentas, berinjelas são deliciosas e  é um alimento funcional.
E tudo de bom para quem procura emagrecer.
Com baixas calorias, a leguminosa impede a absorção de gordura pelo organismo.
Só uma xícara de pedacinhos contém cerca de 8% das nossas necessidades de fibras.
Por desempenharem papel fundamental na digestão, fibras ajudam muito na perda de peso.
E ainda garantem saciedade
Agora, chegou a hora de um preparo mais substancioso, ideal para uma refeição como o almoço.
A receita a seguir rende seis porções, com 61,3 Kcal cada.

Berinjela a rolê


Ingredientes

1 berinjela em fatias finas no sentido do comprimento
1 cenoura em fatias finas no sentido do comprimento
1 cebola média picada
2 dentes de alho amassados
2 colheres (sopa) de salsa picada
150 g de carne moída
1 colher de parmesão light ralado
1 fio de azeite
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo

Em frigideira antiaderente, grelhe as fatias de berinjela e cenoura e reserve.
Numa panela, refogue o alho e a cebola no fio de azeite.
Junte a carne e refogue por cinco minutos.
Acrescente a salsinha, tempere com sal e pimenta e reserve.
Em uma tábua, coloque uma fatia de berinjela.
Cubra com uma fatia de cenoura.
Com uma no colher, distribua uma porção de carne moída.
Enrole e acomode em uma assadeira, repetindo até finalizar.
Cubra com o molho de sua preferência.
Salpique queijo ralado por cima e leve ao forno por 10 minutos.
Retire do forno e sirva em seguida.
Fonte: Lucilia Diniz
Link: http:// emagrecer, perda de peso,berinjelas,alimentos funcionais,baixas calorias

Quirche de Cogumelos!

Receita de Quirche de Cogumelos light!


Os cogumelos são aliados de quem quer perder peso.
Estes fungos ajudam a emagrecer, previnem males cardiovasculares.
E ainda controlam o colesterol.
De toda a feira, são os campeões do mineral selênio.
Este poderoso mineral tem poderosa ação antioxidante, anti-inflamatória e antitumoral.
Sem ele, nos tornamos vulneráveis a agentes infecciosos e ao estresse oxidativo.
O que significa que seu consumo previne o envelhecimento precoce.
Sem falar que seu sabor intenso aciona o centro de recompensa do nosso sistema nervoso.
Este processo manda uma mensagem de saciedade ao cérebro.
Assim, comemos menos, o que já é um boa medida para emagrecer.
Para ampliar as chances de você garantir tantos benefícios, que tal uma quirche?
A receita a seguir rende seis porções, com 108 calorias cada.
Ótima receita para vegetarianos!

Ingredientes

300 g de queijo tofu
2 ovos
2 colheres (sopa) de manjericão fesco picado
¼ colher (chá) de pimenta do reino
1 ½ xícara (chá) de cogumelos variados, fatiados
300 g de aspargos frescos, em pedaços
¼ xícara (chá) de cebola picada
Sal a gosto

Modo de preparo

Preaqueça o forno a 180ºC.
No liquidificador, bata o tofu e os ovos até ficar homogêneo.
Coloque em um bowl e misture com o manjericão, a pimenta e o sal.
Reserve.
Em uma frigideira, junte os cogumelos, aspargos e a cebola.
Refogue até que fiquem macios.
Deixe esfriar um pouco e junte o tofu reservado.
Mexa bem.
Divida a massa em seis ramequins.
Leve para assar por cerca de 20 minutos.
Retire do forno e sirva quente.
Fonte: Lucília Diniz